SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.11 issue2Crescimento de Rhizophora mangle L. em manguezais sob influência de atividades petroleiras na Baía de Todos os SantosUniversidade Federal do Pernambuco author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Acta Botanica Brasilica

Print version ISSN 0102-3306

Acta Bot. Bras. vol.11 no.2 Feira de Santana Dec. 1997

http://dx.doi.org/10.1590/S0102-33061997000200024 

RESUMOS DE DISSERTAÇÕES E TESES
UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ

 

 

TÍTULO: Análise fitossociológica de um estádio seral de floresta ombrófila densa das terras baixas, Reserva de Volta Velha, Itapoá, SC

AUTORA: Solange de Fátima Lólis

DATA: 02/outubro/1996

LOCAL: Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências Biológicas, Departamento de Botânica, Curitiba, Paraná

NÍVEL: Mestrado

BANCA EXAMINADORA:

Raquel Rejane Bonato Negrelle - UFPR (orientadora)
Franklin Galvão - UFPR
João André Jarenko - UF Pelotas

 

RESUMO - Aspectos do ciclo de vida e dos processos sucessionais de florestas tropicais vêm recebendo atenção de um número crescente de pesquisadores e as informações obtidas têm permitido uma compreensão a respeito da dinâmica destas florestas. Com o propósito de contribuir para o entendimento desta dinâmica, o presente trabalho teve como objetivo determinar a composição floristica e estrutura fitossociológica do componente arbóreo de uma área de Floresta Atlântica, submetida a corte raso há aproximadamente 35 anos e em franco processo de sucessão. Os dados obtidos foram analisados comparativamente aos de um trecho de floresta sem evidências de perturbação, avaliando-se diversidade e similaridade. A pesquisa em questão foi realizada na Reserva Volta Velha (Município de Itapoá, SC - 26º04'S, 48º 38'W), cujo clima regional pode ser classificado como tropical (AB'3rá Thornthwaite). Á área amostrai compreendeu três segmentos, perfazendo o total de um hectare, onde foram alocadas 50 parcelas contíguas de 200m . Foram avaliados e mensurados todos os indivíduos arbóreos com DAP> 5 cm. Registrou-se, para este compartimento, um total de 1708 indivíduos incluídos em 54 espécies, 44 gêneros e 31 famílias. As famílias com maior valor de importância foram: Lauraceae, Myrtaceae, Aquifoliaceae, Myrsinaceae. As espécies ecologicamente mais importantes nesta comunidade foram: Ocoteapulchella, Psidium cattleyanum, Ilex theezans, Andirá anthelminthica. Em termos comparativos, a área analisada apresentou um nível de aproximadamente 48% de similaridade específica com a área sem evidências de perturbação. No tocante à diversidade, registraram-se, para o presente estudo, valores inferiores aos obtidos na área não perturbada. Com o propósito de avaliar o subosque da área estudada, alocaram-se 50 sub-parcelas de 5 x 10m, distribuídas regularmente na área de um hectare. Nestas, foram valaiados e mensurados todos os indivíduos com diâmetro na base do tronco (DB) <5cm e com altura (H)>1,10m. Para este compartimento, registraram-se 3799 indivíduos em 87 espécies, 32 gêneros e 34 famílias. A família com maior valor de importância foi Myrtaceae. As espécies estruturalmente importantes deste compartimento são de hábito arbóreo, destacando-se, Erythroxylum vacciniifolium, Rapanea venosa e Ilex theezans. Entre as espécies estruturalmente importantes de hábito arbustivo destacam-se: Clidemia hirta, Neea schwaeckeana e Psychotria nuda.

Palavras-chave: fitossociologia, floresta ombrófila densa, Reserva Volta Velha

Agencia Financiadora: CAPES

 


 

TITULO: Florística e estrutura do componente herbáceo e aspectos da regeneração natural de espécies arbóreas, de um estádio seral da floresta atlântica, na Reserva Volta Velha, Mun. de Itapoá, SC

AUTORA: Lúcia Patrícia Pereira Dorneles

DATA: 04/outubro/1996

LOCAL: Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências Biológicas, Departamento de Botânica, Curitiba, Paraná

NÍVEL: Mestrado

BANCA EXAMINADORA:

Raquel Rejane Bonato Negrelle - UFPR (orientadora)
Vanilde Citadini Zanette - UE de Criciúma, SC
William Antonio Rodrigues - UFPR

 

RESUMO - Este trabalho buscou o entendimento do processo de regeneração natural de floresta quando submetida à ação antrópica, a partir da análise da estrutura e composição do compartimento inferior. A pesquisa foi realizada na Reserva Volta Velha, no município de Itapoá, Santa Catarina (26º 04'S, 48º 38'W - altitude 9 m). A avaliação do compartimento inferior, representado por todos os indivíduos com altura superior a 0,05 m e inferior ou igual a lm, foi efetuada com base em 100 parcelas de 1m x 1m, alocadas na mesma área onde foi realizado também o estudo do componente adulto. Para complementar o levantamento de dados, procedeu-se coleta e análise de solos desta área amostrai, assim como levantamento topográfico. Em cada uma destas parcelas, foi medida a altura de todos os indivíduos representativos das diferentes espécies, de modo a obter a altura média das espécies por parcela. Foram ainda, coletados dados referentes a aspectos fenológicos, sociabilidade e dispersão, bem como foi estimado o grau de cobertura para cada espécie de parcela. Os dados obtidos nesta amostragem foram utilizados para determinar a composição florística e quantificar os seguintes descritores estruturais: frequência, cobertura e importância. Para avaliação da dinâmica de regeneração das espécies amostradas, foi efetuado o cálculo da Taxa de Regeneração, baseado na abundância absoluta, e também foi feito o cálculo do Potencial de Regeneração Natural da comunidade de "plântulas" e comunidade "juvenil" com base na frequência e densidade relativas. Além das condições de solo e topografia, foram considerados neste estudo aspectos referentes ao ambiente lumínico e cobertura de bromélias como variações ambientais que poderiam influenciar a densidade específica. A cobertura média total por parcela foi de 69,76%. No total, catalogaram-se 108 espécies, distribuídas em 76 gêneros e 44 famílias, sendo que quatro "espécies" corresponderam a morfo-espécies incluídas em um único grupo denominado "família desconhecida". A família com maior representatividade florística foi Myrtaceae (16 espécies/ 15%). Diferentes hábitos estavam representados neste compartimento, porém observou-se diversidade bastante expressiva ligada aos hábitos arbóreo e herbáceo. Considerando-se somente os indivíduos com representantes próprios da sinúsia herbácea, foram coletadas 23 espécies incluídas em 10 famílias na área amostrai. Frente às três categorias etárias consideradas neste estudo, a estrutura vertical da floresta apresentou-se com gradientes de densidade e riqueza específica, com a diminuição de ambos no estádio adulto (apresentando o padrão "J invertido"). Os resultados obtidos quando da análise da Taxa de Regeneração Natural, igualmente confirmam o padrão "J invertido" para a comunidade estudada. A avaliação do Potencial de Regeneração, igualmente confirma estes padrões e reforça a maior potencialidade de algumas espécies atingirem o dossel, em função de apresentarem maior número de indivíduos jovens. Verificou-se neste trabalho, fraca correlação entre o número de indivíduos das 10 espécies mais importantes amostradas na categoria "plântula" e as diferentes variáveis ambientais consideradas (topografia, luz e cobertura de bromélias).

Palavras-chaves: florística, floresta atlântica, Reserva Volta Velha

Agência financiadora: CNPq

 


 

TITULO: Composição florística, análise estrutural e dinâmica sucessional de um estádio seral inicial em um trecho de floresta ombrófila densa das terras baixas - Itapoá, SC

AUTOR: Cleber Ibraim Salimon

DATA: 13/janeiro/97

LOCAL: Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências Biológicas, Departamento de Botânica, Curitiba, Paraná

NÍVEL: Mestrado

BANCA EXAMINADORA:

Raquel Rejane Bonato Negrelle - UFPR (orientadora)
William Antonio Rodrigues - UFPR
Ricardo Ribeiro Rodrigues - ESALQ

 

RESUMO - A maior parte das áreas florestais no domínio da Floresta Atlântica encontra-se degradada devido a diferentes pressões antrópicas. Dada a importância do conhecimento científico para se encontrar possíveis soluções para os problemas ambientais cada vez mais notórios, tem-se estudado relictos de florestas nativas intactas, e também áreas abandonadas, para se obter dados sobre os processos naturais de regeneração. No intuito de ampliar estes conhecimentos, foi realizado um estudo da composição florística, estrutura e dinâmica de uma comunidade vegetal em estágio seral inicial de oito anos, em floresta ombrófila densa das terras baixas, na Reserva Volta Velha, Itapoá, SC, Brasil. Foram utilizados os métodos usuais de coleta, herborização e identificação das espécies encontradas, e a análise estrutural foi feita utilizando-se 36 parcelas retangulares de 20 X 10m, sendo incluídas todas as plantas arbustivo/arbóreas com no mínimo lm de altura. Os resultados obtidos foram os seguintes: 1- Foram encontradas 96 espécies, dentro de 68 gêneros e 44 famílias; as famílias com maior número de espécies foram Myrtaceae e Asteraceae, com oito espécies cada, e o gênero mais representado foi Ilex, com quatro espécies; 2- A distribuição geográfica das espécies variou desde floresta ombrófila mista, florestas estacionais e cerrado; 3- As espécies mais importantes (parâmetros fitossociológicos) no local foram Psidium cattleyanum, Eupatorium casarettoi, Ocotea pulchella e Ternstroemia brasiliensis, entre outras; 4- Quanto à similaridade, a área mais similar a do presente estudo foi outra área vizinha abandonada há 35 anos; áreas de restinga também demostraram ser relativamente semelhantes; 5- O grupo ecológico com maior número de espécies foi o de pioneira, e houve maior número de espécies nas parcelas de borda, mostrando que a maior parte das espécies não toleram as condições extremas do centro da clareira, e sua colonização se dá via bordas.

Palavras-chaves: composição florística, análise estrutural, dinâmica sucessional

Agência financiadora: CAPES

 


 

TITULO: Morfologia floral e biologia da polinização de Orchidaceae de Curitiba, Paraná

AUTOR: Rodrigo Bustos Singer

DATA: 03/fevereiro/1997

LOCAL: Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências Biológicas, Departamento de Botânica, Curitiba, Paraná

NÍVEL: Mestrado

BANCA EXAMINADORA:

Yedo Alquini - UFPR (orientador)
William Antonio Rodrigues - UFPR
Maria Elisabete Doni - UFPR

 

RESUMO - No presente trabalho foram estudadas a morfologia e a biologia florais de vinte e seis espécies da flora de orquídeas de Curitiba, Paraná, Brasil. As espécies estudadas pertencem a três subfamilias (sensu Dressler 1993): Orchidoideae (uma espécie), Spiranthoideae (cinco espécies) e Epidendroideae (vinte espécies). Efetuou-se uma análise comparativa das características morfológicas florais mais marcantes (perianto, osmóforos, nectários, elaióforos, calosidades do labelo, coluna, antera, polinário, rostelo e estigma), dando ênfase às adaptações para a polinização. De um modo geral, todas as espécies estudadas apresentaram características florais freqüentes ou já descritas para os grupos taxonômicos aos quais pertencem. Conforme suas características morfológicas e fenológicas, dezessete espécies apresentaram adaptações próprias para a polinização por Hymenoptera (abelhas ou vespas); seis, por Diptera (moscas); duas, por aves e uma por mariposas. Pôde ser documentada a polinização em Pleurothallis luteola Lindl. por moscas Megaselia (Phoridae), em Campylocentrum aromaticum Barb. Rodr., por abelhas Pseudoaugochloropsis gramínea (Halictidae); em Maxillariapicta Hook, por abelhas operárias Trigona spinipes; em Capanemia hatschbachii Schltr, por vespas Polistes sp. (Vespidae) e em Oncidiumparanaense Krzl., por Tetrapedia diversipes (Anthophoridae). Os passos da polinização e as condutas dos polinizadores nas flores foram registrados e ilustrados.

Palavras-chaves: morfologia floral, biologia da polinização, Orchidaceae

Agência financiadora: CAPES

 


 

TITULO: Estrutura da população, crescimento e dinâmica do banco de plântulas e fenologia reprodutiva de Euterpe edulis Mart. (arecaceae) num trecho da floresta ombrófila densa das terras baixas do Município de Paranaguá, PR

AUTOR: Emerson Luis Tonetti

DATA: 04/março/1997

LOCAL: Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências Biológicas, Departamento de Botânica, Curitiba, Paraná

NÍVEL: Mestrado

BANCA EXAMINADORA:

Raquel Rejane Bonato Negrelle - UFPR (orientadora)
Ademir Reis-UFSC
Dalva Maria Silva Matos - UFRJ

 

RESUMO - Euterpe edulis Mart. é uma palmeira comum do estrato médio da Floresta Atlântica (floresta ombrófila densa), que interage com muitos animais e representa importante recurso econômico pela utilização do palmito no preparo de conservas. Num trecho da floresta ombrófila densa de terras baixas do litoral de Paraná, no Município de Paranaguá, procurou-se estudar a estrutura populacional, o crescimento e a dinâmica do banco de plântulas e a fenologia reprodutiva dos indivíduos desta espécie. Para tanto, em área previamente selecionada, demarcou-se um quadrado de 1 hectare, onde foram amostrados os indivíduos com estipe exposto. Em transectos de 2 x 50m, distribuídos aleatoriamente dentro da área maior, foram amostrados os indivíduos sem estipe exposto. Obteve-se informações sobre a presença de atividade reprodutiva nos indivíduos com extipe exposto, enquanto que para os indivíduos sem estipe exposto registrou-se a altura, o diâmetro da base e o número de folhas em fevereiro de 1995 e 1996. Para o trabalho de acompanhamento fenológico fez-se observações quinzenais durante 12 meses em 19 indivíduos adultos presentes nas imediações e dentro do hectare demarcado. A população estudada foi dividida em cinco estádios de tamanho. Esta população esteve representada por maior número de indivíduos nos menores estádios. Constatou-se baixos valores de densidade e frequência em todos os estádios e distribuição espacial agregada para os estádios de plântula, jovem I e imaturos. Os maiores estádios de tamanho demonstraram os maiores índices de crescimento e obteve-se indicações de que os locais de ocorrência de plântulas e jovens apresentavam médias de potencialidade de penetração de luz maiores que os locais em que esses indivíduos não ocorriam. Alguns dos indivíduos adultos selecionados para o acompanhamento fenológico não iniciaram a atividade reprodutiva durante o período de observação. Para aqueles que iniciaram a atividade reprodutiva, observou-se que a floração ocorreu durante a primavera, os frutos maduros estiveram disponíveis nos cachos durante aproximadamente três meses e antes do inverno já estavam todos dispersados. Houve diferenças entre os indivíduos em relação ao número de inflorescências produzidas e em relação ao desenvolvimento das inflorescências num mesmo indivíduo.

Palavras-chaves: Euterpe edulis, plântulas, estrutura da população.

Agência financiadora: CAPES

 


 

TITULO: Organização estrutural e degradação de tecidos in vitro em cultivares de Penninsetum purpureum Schum. (Poaceae)

AUTOR: Cláudio José Freixieiro Alves de Brito

DATA: 21/março/1997

LOCAL: Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências Biológicas, Departamento de Botânica, Curitiba, Paraná

NÍVEL: Mestrado

BANCA EXAMINADORA:

Yedo Alquini - UFPR (orientador)
Roberto Antonio Rodella - UNESP/Botucatu
Francisco Deschamps - EPAGRI/SC

 

RESUMO - Os ruminantes utilizam os nutrientes disponíveis nas forragens através de complexo processo de fermentação. Este fenômeno é produzido pela biota presente no rúmen-retículo que faz parte do aparelho digestivo dos ruminantes. A qualidade das forragens afeta diretamente a expressão do máximo desempenho produtivo dos ruminantes. Fatores genéticos e ambientais são determinantes na qualidade das forragens. Estes efeitos podem ser observados na composição química e na organização dos tecidos vegetais. O acompanhamento das principais modificações químicas na composição dos vegetais e sua relação com o processo de digestão ruminai é tarefa rotineira nos laboratórios de nutrição de ruminantes. É entretanto, tarefa desafiadora, estabelecer estas relações associando às modificações anatômicas do vegetal. Dessa maneira constitui objetivo do presente trabalho registrar as principais alterações anatômicas ocorridas em três cultivares de capim-eletante (Pennisetum purpureum Schum cultivar Roxo, cultivar EMPASC 307 Texto e cultivar EMPASC 309 Areia) em três estádios de maturação fisiológica (4,8 e 16 semanas após o rebrote). As caraterísticas anatômicas das amostras estudadas foram relacionadas com os possíveis efeitos nos processos de digestão ruminai após 6, 24 e 48 horas de incubação em líquido ruminai de bovinos. Ao se abordar alguns aspectos morfológicos, observou-se que o cultivar Roxo apresentou porte mais elevado perante os demais, além de lâminas e bainhas foliares mais longas. Em termos gerais, os três cultivares apresentaram estruturas anatômicas semelhantes. Como caraterísticas peculiares, constatou-se a presença do aerênquima na bainha foliar a partir da segunda coleta (oito semanas), em todos os cultivares. Este tecido foi relacionado como importante fator que pode favorecer a degradação, mesmo em tecidos maduros. Entretanto, determinou-se que a proporção de tecidos lignificados aumentou com a maturidade do vegetal e que afetou negativamente a degradação. O cultivar EMPASC 307 Texto apresentou caraterísticas de lignificação e estrutura dos tecidos que sugerem ser o cultivar com o menor potencial de degradação ruminai. Esta tendência foi confirmada após análise dos tecidos submetidos à degradação. Constatou-se que a presença de estômatos contribui no aumento da degradação do mesofilo, pois facilita o acesso dos microrganismos às camadas de tecidos mais internos.

Palavras-chaves: anatomia vegetal, anatomia vegetal quantitativa, degradação de tecidos

Agência financiadora: CAPES

 


 

TITULO: Diatomáceas (Bacillariophyta) no Banhado do Taim, Rio Grande do Sul, Brasil

AUTORA: Thais Leme Flôres

DATA: 18/abril/1997

LOCAL: Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências Biológicas, Departamento de Botânica, Curitiba, Paraná

NÍVEL: Mestrado

BANCA EXAMINADORA:

Hermes Moreira Filho - UFPR (orientador)
Carlos Eduardo de Mattos Bicudo - IBt
Thelma Alvin Veiga Ludwig - UFPR

 

RESUMO - O inventário taxonômico das diatomáceas (Bacillariophyta) nas Lagoas Mirim, das Flores e Nicola, localizadas no Banhado do Taim, Município de Rio Grande, Estado do Rio Grande do Sul, baseou-se na análise de 32 amostras. A amostragem foi realizada entre 1988 e 1991, de maneira a abranger períodos de seca e cheia na região. Foram selecionadas 8 estações de coleta, sendo duas na Lagoa das Flores, três na Lagoa do Nicola e três na Lagoa Mirim. Cento e noventa e sete táxons encontram-se identificados, distribuídos em 30 famílias, 48 gêneros, 175 espécies, 26 variedades não típicas, uma forma não típica e nove táxons identificados ao nível genérico. Cinqüenta novas citações para o Estado foram registradas e uma nova combinação foi proposta. Providenciou-se para cada táxon, citação da obra original; basiônimo, quando existente; sinonímia, quando necessária; descrição; limites métricos observados; material examinado; distribuição geográfica no Estado do Rio Grande do Sul e comentários referentes à ocorrência de polimorfismos, problemas taxonômicos e nomenclaturais. Complementam o trabalho, chaves de identificação para as espécies e variedades dos gêneros inventariados, glossário de termos técnicos, além de mapa localizando a área estudada e as estações de coleta. Todos os táxons determinados foram fotografados, totalizando 547 ilustrações

Palavras-chaves: Diatomáceas, Banhado do Taim, Bacillariophyta

Agência financiadora: CAPES

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License