SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.28 issue5Comparative study of prognostic factors among longer and shorter survival patients with bronchogenic carcinoma author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Jornal de Pneumologia

Print version ISSN 0102-3586

J. Pneumologia vol.28 no.5 São Paulo Sept./Oct. 2002

http://dx.doi.org/10.1590/S0102-35862002000500001 

EDITORIAL

 


A honra de poder servir à Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia (SBPT)

 

 

Após quatro anos, encerro com este número do Jornal de Pneumologia a função de Editora, que exerci por dois mandatos sucessivos e duas gestões diretoras da SBPT.

Estou orgulhosa pelo trabalho realizado e pelas conquistas obtidas, mas sobretudo sinto-me honrada por ter podido servir à minha sociedade, a SBPT. O servir é para mim a razão mais significativa e profunda da atividade humana e, por isso, finalizo esta tarefa com profunda gratidão.

Sou grata à vida, que em um país pobre como o nosso me permitiu estudar, trabalhar no que gosto, ter escolhas...

Sou grata à equipe da Faculdade de Medicina de Botucatu que abraçou com entusiasmo o projeto de cuidar do Jornal de Pneumologia. Meu jovem colega de disciplina Hugo Hyung Bok Yoo, auxiliar incansável como secretário da revista; Enilze de Souza Nogueira Volpato e Rosemary Cristina da Silva, bibliotecárias do Campus de Botucatu, responsáveis pela assessoria técnica; e Priscilla de Cássia Bovolenta, secretária eficiente e gentil, que de aprendiz está tornando-se mestra.

Sou grata aos membros do Conselho Editorial e aos pareceristas ad hoc, que trabalharam exaustivamente, com seriedade e competência ímpares. Sem o empenho dessas pessoas o Jornal de Pneumologia não teria possibilidade de existir.

Sou grata às duas diretorias da SBPT às quais pertenci (Presidentes: Francisco Elmano Marques de Souza e Luíz Carlos Corrêa da Silva) por terem sempre colocado o Jornal de Pneumologia como prioridade de suas gestões e nos dado todo o suporte necessário.

Sou grata aos autores que submetem seus trabalhos, que respeitam e que acreditam em nossa revista.

Enfim, o somatório do entusiasmo, do trabalho e da competência de todas essas pessoas permitiu a edição de 24 números, que foram lançados rigorosamente nos meses de capa, e 11 suplementos. Neste período, foram analisados 290 manuscritos e publicados 94 artigos originais, 68 relatos de caso, 30 artigos de atualização/revisão, cinco artigos de diagnóstico por imagem, 19 editoriais, 11 artigos de pós-graduação, seis artigos de aprimoramento, 10 artigos de comentários e resumos, quatro resenhas de livro, um artigo de normas da Comissão de Circulação Pulmonar, um artigo de normas do grupo de oxigenoterapia, dois in memoriam e 23 cartas ao Editor. No momento, temos em andamento 39 processos de análise de manuscritos e nossa taxa de rejeição está em torno de 30%.

A grande vitória foi a indexação do Jornal de Pneumologia pela coleção SciELO Brasil, o que nos colocou entre as 85 principais revistas científicas brasileiras de todas as áreas(1).

Uma das formas de avaliação da qualidade de uma revista científica é a sua indexação em bases de dados. Outra é o seu índice de impacto fornecido pelo Institute for Scientific Information (ISI). Para as revistas brasileiras, a indexação, em especial na Medline, que é a base de dados atual mais importante, é muito difícil e depende muito mais de critérios políticos e econômicos do que qualitativos.

Embora de certa forma o interesse dos leitores, a confiança dos pesquisadores e o encontro de patrocinadores sejam indicadores da qualidade de uma publicação científica, faltava uma avaliação mais formal da qualidade das revistas brasileiras. A rede SciELO(2) veio preencher essa lacuna entre nós e se mostra como uma grande promessa para que possa haver uma graduação da qualidade das revistas nacionais, uma vez que as indexadas pela coleção são permanentemente avaliadas por pares. Além disso, a curto prazo, o projeto busca aumentar radicalmente a visibilidade, a acessibilidade e a credibilidade nacional e internacional da publicação científica da América Latina e do Caribe. A longo prazo, busca contribuir para o aumento do impacto da produção científica nacional.

Para obtermos visibilidade internacional é chegado o momento de o Jornal de Pneumologia, através da SciELO, que pode dispor o material da revista em três idiomas, publicar os textos on-line também em inglês – que é o idioma universal da Ciência –, permitindo assim que pesquisadores de todo o mundo tenham acesso às nossas publicações. Para não descaracterizar totalmente a revista, poderíamos utilizar o português na versão impressa e o inglês e o português na versão on-line.

Como última recomendação, reintero aos nossos leitores e/ou autores que é imperativa a melhora dos indicadores de impacto do Jornal de Pneumologia. Para o indicador de uso do periódico, que mede o número de uso do periódico, acesse freqüentemente – e recomende aos seus amigos e alunos que o façam – o Jornal de Pneumologia pelo site da SciELO Brasil(2). Para o indicador de impacto, que mede o número de vezes que o periódico foi citado, temos que citar os trabalhos do Jornal de Pneumologia, valorizando nossa produção científica. Nós não nos citamos! Assim, mantemos o Jornal de Pneumologia e os demais periódicos brasileiros com baixos índices de impacto e não quebramos este círculo vicioso(1,3).

O principal problema de um Editor de revista científica é a falta de formação e/ou de experiência para esta tarefa. Mesmo nos países desenvolvidos, essa é, em geral, uma atividade parcial e transitória, para a qual o indivíduo não tem treinamento específico e seu conhecimento é baseado em habilidades assistenciais, de pesquisa ou até mesmo no trânsito político. São consideradas características de um bom editor: competência, seriedade, imparcialidade e enorme capacidade para suportar pressões(3).

Sou muito grata por estes anos como Editora do Jornal de Pneumologia que me permitiram extenso aprendizado e a busca dessas qualidades. Passo agora o cargo de Editor para Geraldo Lorenzi Filho, um colega da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, possuidor das qualidades citadas acima. Como eu e os ex-Editores do Jornal de Pneumologia, ele precisará do apoio da Diretoria da SBPT, do auxílio dos colegas e da confiança dos autores.

Conclamo todos a fazê-lo sem reservas, pois todos temos a missão de, com muita honra, servir à SBPT.

THAIS HELENA ABRAHÃO THOMAZ QUELUZ
Editora
E-mail: queluz@fmb.unesp.br

 

REFERÊNCIAS

1. Queluz TT. Admissão do Jornal de Pneumologia na SciELO Brasil: uma vitória com novos desafios. J Pneumol 2002;28:IX-X.

2. SciELO. www:scielo.org

3. Kassirer JP. Editorial: Why be a medical editor? JAMA 2001;285:2253.