SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.24 número1The concept of mediation in Vigotski and Adorno índice de autoresíndice de materiabúsqueda de artículos
Home Pagelista alfabética de revistas  

Servicios Personalizados

Articulo

Indicadores

Links relacionados

  • No hay articulos similaresSimilares en SciELO

Compartir


Psicologia & Sociedade

versión impresa ISSN 0102-7182

Psicol. Soc. vol.24 no.1 Belo Horizonte enero/abr. 2012

http://dx.doi.org/10.1590/S0102-71822012000100001 

Editorial

 

 

Desde sua criação, em 10 de julho de 1980, como parte das atividades ocorridas oficialmente da 32ª Reunião da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), a ABRAPSO marcou uma posição distinta e crítica em relação à psicologia social brasileira vigente naquele momento. Não vamos mencionar as especificidades da história dessa associação, mas destacamos que o quê em grande parte motivou a criação dessa nova entidade foi uma posição compartilhada sobre como poderia se constituir uma psicologia social no Brasil que fosse crítica, contextualizada e que contribuísse para a problematização e transformação dos problemas da sociedade brasileira. Destacamos que criar meios para divulgar e difundir a produção dessa psicologia social que emergia no Brasil no período destacado foi elencado como um dos principais objetivos da ABRAPSO desde a sua criação. Em 1986, é criada a Psicologia & Sociedade - Revista da Associação Brasileira de Psicologia Social, com explícito objetivo de fortalecer e legitimar a identidade dessa nova comunidade científica.

De 1986 até os dias de hoje, muitas modificações ocorreram: a partir de 1996, a revista deixou de ser exclusivamente a publicação dos anais dos encontros nacionais da ABRAPSO; sofreu mudanças significativas nos seus conselhos editoriais; houve ampliação dos estados e instituições aos quais estavam filiados os autores dos artigos publicados; novas temáticas emergiram etc. Atualmente, a revista se caracteriza pelo alto padrão de qualidade: foi indexada na SciELO Brasil, Lilacs, PsychInfo, Latindex e outras e é classificada como A2 pela Avaliação de Periódicos da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES).

Retomamos brevemente aspectos do histórico da ABRAPSO e de sua revista, com o intuito de indicar que esse longo e rico percurso evidencia a consolidação com qualidade de um campo de conhecimento, alcançando o objetivo posto no momento da criação da associação e que a Psicologia & Sociedade ocupa lugar de grande relevo nesse processo. Contudo, entendemos que muitos são os desafios para o presente e futuro desse periódico: as transformações que as sociedades contemporâneas vêm sofrendo, os conflitos que têm se instaurado, a emergência de autoritarismos de toda ordem e as resistências que têm se delineado colocam desafios importantes para as ciências sociais e humanas, de forma geral, e para a psicologia social, de forma específica. Ao longo desses anos, a sociedade brasileira se transformou, como também a psicologia social e sua associação. Atualmente, uma pluralidade de marcos epistemológicos, teóricos, metodológicos e de intervenção marcam a sua produção; pensar os problemas da sociedade brasileira tem exigido interlocuções e atenção às relações com outros contextos sociais (internacionais) e de produção científica; a política científica no país vem sofrendo sensíveis mudanças, o que coloca o debate sobre qualidade e interlocução científica como temáticas centrais para a política científica nacional; o fluxo de submissão de artigos para a revista Psicologia & Sociedade tem sido intenso, o que também coloca desafios político-científicos e de caráter operacional para a revista; recentemente, decidiu-se que a revista será publicada exclusivamente na sua versão on-line, o que também a insere em um "novo" contexto.

Diante do cenário anteriormente destacado e atentos aos desafios que a política científica nacional tem colocado a nós, pesquisadores de todo o país, assumimos em janeiro de 2012, como editores da Revista Psicologia & Sociedade para o período 2012 a 2015: Claudia Mayorga (Universidade Federal de Minas Gerais) como editora geral e Emerson Rasera (Universidade Federal de Uberlândia) e Marco Aurélio Máximo Prado (Universidade Federal de Minas Gerais) como editores adjuntos. A parceria entre esses três professores para elaboração de uma proposta para editoria da revista, submetida à Convocatória feita pela Associação Brasileira de Psicologia Social aos seus sócios em junho de 2011, analisada e aprovada por comissão julgadora em agosto do mesmo ano, é fruto de outras interlocuções que têm sido realizadas no contexto da ABRAPSO em Minas Gerais. Nos últimos nove anos, temos trabalhado em conjunto em diversas atividades da ABRAPSO Nacional e também na ABRAPSO Minas. Tal trabalho em conjunto tem nos permitido vivenciar o vínculo com a ABRAPSO de forma dialógica, crítica e autocrítica, a partir da construção de posições coletivas, além de possibilitar o compartilhamento de um horizonte comum de psicologia social, sem desconsiderar nossas discordâncias.

Para os próximos quatro anos, temos como prioridade trabalhar para manter o alto padrão de qualidade atingido pela revista nos últimos anos estando atentos aos aspectos da indexação e da internacionalização. Pretendemos fortalecer e ampliar parcerias e interlocuções com periódicos e associações de psicologia social no contexto internacional, e fortalecer e recuperar a ideia de comunidade científica que deve se dar, em nosso entendimento, por meio, por exemplo, do estímulo a espaços na revista para debate, incentivando ainda mais a crítica, leituras inovadoras no campo da psicologia social, indo além de uma somatória de olhares e perspectivas. Buscaremos, sobretudo, contribuir para o fortalecimento e desenvolvimento de uma psicologia social crítica e transformadora.

Depois desses primeiros meses de trabalho, alguns agradecimentos são necessários. Primeiramente, a Kátia Maherie, editora da Revista Psicologia & Sociedade no período de 2008/2011, pelo seu profissionalismo, disponibilidade e generosidade prestados durante o processo de transição de equipe editorial da revista. Em um processo transparente e de claro compromisso com o interesse público da revista, Kátia Maherie nos deixa o grande desafio de dar continuidade ao excelente trabalho realizado nos anos em que foi editora. Estendemos esse agradecimento a Andréa Zanella que também muito nos incentivou. A Juracy Toneli, agradecemos pelo apoio e pela interlocução sempre crítica quando se trata de debater acerca da psicologia social no Brasil e em outros contextos. A Ana Lídia Brizola, que continuará como editora gerente da Revista Psicologia & Sociedade, agradecemos pelo profissionalismo e cuidado com todo o processo de transição da equipe editorial da revista. Por fim, agradecemos à Universidade Federal de Minas Gerais, onde a revista tem agora sua nova sede, pelo forte apoio institucional que disponibilizou à Revista através do Programa de Pós-graduação em Psicologia, da Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas e de sua Pró-Reitoria de Pós-Graduação.

O primeiro número de 2012 aborda estudos e reflexões que consideramos importantes para o campo da psicologia social e que demonstram sua diversidade. O leitor poderá encontrar discussões teóricas a partir do diálogo entre autores relevantes e diversos, que contribuem para a psicologia social como Vigotski e Adorno, Foucault e Deleuze. Também serão encontrados neste número artigos que propõem reflexões a partir de perspectivas interdisciplinares como Psicologia Social Crítica, Criminologia Crítica e Estudos sobre Subjetividade ou ainda Psicanálise, Filosofia e Ciências Sociais.

Problemas sociais distintos são investigados e problematizados: a criminalização de homens autores de violência, o ingresso dos profissionais psi no campo das políticas públicas de criminalidade, a história familiar de desaparecidos do regime militar brasileiro, representações estereotipadas de grupos étnicos em Lima/Peru, os aspectos psicológicos no uso de bebidas alcoólicas entre os Karitiana em Porto Velho, análise sobre a prática desportiva, bem-estar subjetivo e integração social de imigrantes em Portugal, as maneiras de viver o "feminino" e "masculino", naturalizados em corpos biológicos tanto heteronormativos quanto gays e lésbicos; e a violência contra idosos em Fernando de Noronha e João Pessoa.

Aspectos que envolvem a dinâmica das famílias também são abordados em artigos publicados neste número: estratégias de socialização de pais e mães na delimitação do projeto de seus filhos são discutidas, a família baiana é analisada a partir dos papéis e comportamentos dos distintos membros da família e pesquisa sobre as representações de "bons alunos" entre professoras em Recife revela que a dimensão familiar está fortemente relacionada a essa valoração. Dois artigos abordam a relação entre sujeito e trabalho: realiza-se análise do lugar que a participação no movimento estudantil ocupa na preparação de jovens universitários para o mundo do trabalho, bem como a participação em organizações não governamentais e realização de trabalhos voluntários. Envolvendo também a temática da juventude, encontramos artigo que reflete sobre a formação de coletivos de jovens grafiteiros.

A autonomia dos sujeitos frente as atividades de intervenção jurídica ou no campo da saúde são analisadas em dois trabalhos: discute-se e problematiza-se a proposta de que psicólogos e assistentes sociais realizem inquirição judicial de crianças por meio da técnica denominada 'Depoimento sem dano' e o atendimento de sujeitos pelo serviço de saúde mental sem que os mesmos tenham formulado pedido de ajuda ou intervenção. A produção do conhecimento em psicologia social também é tomada como objeto de reflexão a partir da análise das produções da Revista Psicologia & Sociedade.

Para encerrar o primeiro número de 2012, o leitor encontrará resenhas que apresentam as seguintes obras: Doing Narrative Research organizado por M. Andrews, C. Squire e M. Tamboukou e publicado pela Sage Publications e Mídia e psicologia: produção de subjetividade e coletividade, editado pelo Conselho Federal de Psicologia, sob a organização de Ana Mercês Bahia Bock, José Novaes, Marcos Ribeiro Ferreira, Monalisa Nascimento dos Santos Barros, Noeli Godoy, Ricardo Moretzsohn, Roseli Goffman e Vera Canabrava.

Desejamos a todos uma ótima leitura.

 

Claudia Mayorga
Emerson Rasera
Marco Aurélio Máximo Prado

Editores