SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.13 issue2Development in social interaction and in the historical-cultural context: adequacy between theoretical perspective and methodology author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Psicologia: Reflexão e Crítica

Print version ISSN 0102-7972

Psicol. Reflex. Crit. vol.13 n.2 Porto Alegre  2000

http://dx.doi.org/10.1590/S0102-79722000000200001 

Editorial

 

 

Psicologia: Reflexão e Crítica têm a satisfação de apresentar o Número Especial temático em Desenvolvimento e Interação Social: Perspectivas Teóricas e Metodológicas, organizado pelas editoras convidadas Profa. Dra. Maria Lúcia Seidl de Moura (UERJ) e Profa. Dra. Maria C. D. P. Lyra (UFPE). A proposta deste número foi apresentada à Comissão Editorial, em 1998, durante o VII Simpósio de Pesquisa e Intercâmbio Científico da ANPEPP (Associação Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação em Psicologia), em Gramado. O processo editorial foi realizado de acordo com os padrões estabelecidos pela revista e o resultado é fruto da competência e dedicação das editoras convidadas, que desenvolveram o seu trabalho com habilidade e responsabilidade.

Psicologia: Reflexão e Crítica publica trabalhos de qualidade em todas as áreas da Psicologia. No entanto, a revista tem se tornado o veículo preferencial dos pesquisadores em Psicologia do Desenvolvimento, para a divulgação de seus estudos. Observando-se os volumes já publicados, contata-se a produtividade destes pesquisadores em nosso país e a importância que a área conquistou na comunidade científica. Este Número Especial é mais uma demonstração do importante papel da Psicologia do Desenvolvimento no cenário nacional, com repercussões internacionais, como foi apontado por Fogel (neste Número Especial), em seus comentários aos estudos aqui publicados. As editoras concordam com Fogel quanto à necessidade de gerar desafios para que ocorram mudanças nos valores profissionais, nos apoios financeiros, nas "crenças e desejos" em relação à maneira como as pesquisas são conduzidas. Certamente, como aponta Fogel, o papel da Psicologia do Desenvolvimento na ciência mudará o papel dos pesquisadores na sociedade, a atitude dos leitores e os veículos de divulgação da produção científica.

Estas idéias perpassam um questionamento antigo sobre a "culturalização" da Psicologia como uma ciência que poderia ter um lugar. Ou melhor, pode-se falar em uma Psicologia Brasileira? Os constantes contatos com pesquisadores estrangeiros em Psicologia têm revelado o respeito e a admiração crescente à seriedade e à competência dos pesquisadores brasileiros. Apesar das difíceis e degradadas condições de trabalho nas universidades brasileiras, há um esforço resiliente dos nossos pesquisadores para superar os riscos aos quais são expostos e procurar recursos para manter seus laboratórios e grupos de trabalho. O posicionamento de Fogel diante dos "padrões e trajetórias" vividas por brasileiros "em sociedade e na vida privada, que não são conhecidos em outros lugares", nos credita uma forte presença na pesquisa básica e aplicada na Psicologia do Desenvolvimento internacional. Qualifica a luta dos brasileiros, salientando sua "flexibilidade, criatividade, emergência e manutenção de quasi-estabilidade em meio ao caos". Este Número Especial, certamente, oferece uma amostra de algumas idéias correntes na Psicologia do Desenvolvimento e permite que estas idéias sejam mais desenvolvidas, consolidando a produção e o consumo de pesquisa na área, em todos os lugares onde nossa produção é divulgada.

Aproveito a oportunidade para agradecer à Maria Lúcia (querida amiga, modelo e exemplo profissional) e à Maninha (como, carinhosamente, Maria Lyra é chamada por seus colegas) por esta experiência desafiante e construtiva. Exercitamos, sistematicamente, os tópicos deste Número Especial: a nossa Interação e o Desenvolvimento de cada uma em seus papéis de editora. Tivemos, como em toda a Interação, nossas inquietações, dúvidas e até desconfortos. Mas, temos a convicção de que trabalhamos como uma equipe. Fazer revista é isto mesmo e não conseguimos ser muito originais! Mas queremos que nossa experiência possa agora se estender aos nossos leitores, como parte de um processo e não apenas como produto, para o benefício da nossa área de pesquisa.

Agradeço, em nome da equipe de editoras, às Profas. Dras. Ana Maria Almeida Carvalho (USP), Cleonice Bosa (UFRGS) e Nádia Maria Ribeiro Salomão (UFPB) pelo brilhante e exaustivo trabalho de Conselheiras Editoriais neste Número. A atitude profissional e competente ao revisar os textos, minuciosa e criteriosamente, auxiliou muito para que hoje possamos compartilhar da qualidade de todos os trabalhos publicados.

Agradeço, também, aos autores deste Número Especial, pelo interesse em divulgar os seus estudos em Psicologia: Reflexão e Crítica. Os artigos aqui publicados justificam bem o nome dado à nossa revista. Os trabalhos apresentam reflexões importantes e inovadoras sobre as interações sociais, enquanto os comentários expressam a crítica, indispensável para o progresso da produção científica em Psicologia.

Finalmente, não podemos deixar de reconhecer o apoio de dezenas de colegas que vem atuando como consultores anônimos em nossa revista e do Programa de Pós-Graduação em Psicologia do Desenvolvimento da UFRGS, que tornaram possível o lançamento de mais um Número Especial.

 

Cordialmente,

 

Sílvia Helena Koller
Editora