SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.19 issue1The use of stapler for pharyngeal closure after total laryngectomyInfrared coagulation: a preferred option in treating early hemorrhoids author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Acta Cirurgica Brasileira

Print version ISSN 0102-8650On-line version ISSN 1678-2674

Acta Cir. Bras. vol.19 no.1 São Paulo Jan./Feb. 2004

http://dx.doi.org/10.1590/S0102-86502004000100012 

INFORME TÉCNICO

 

Adaptação do modelo experimental de colestase extra-hepática em ratos jovens1

 

Adaptation of experimental model of extra-hepatic cholestasis in young rats

 

 

Ana Paula Ronquesel BattochioI; Adriane Gasparino dos SantosII; Cynthia R. Matos SilvaIII; Analícia S. RochaIV; Cláudio A. R. CoelhoV

IBiomédica, doutoranda do Curso de Pós-Graduação do Departamento de Pediatria da FMB/UNESP
IINutricionista, doutoranda do Curso de Pós-Graduação do Departamento de Pediatria da FMB/UNESP
IIINutricionista, doutoranda do Curso de Pós-Graduação do Departamento de Clínica Médica da FMB/UNESP
IVNutricionista, doutoranda do Curso de Pós-Graduação do Departamento de Clínica Médica da FMB/UNESP
VProf. Assistente Dr., responsável pela disciplina de Hepatologia Infantil, do Departamento de Pediatria da FMB/UNESP

Endereço para correspondência

 

 


RESUMO

Os autores descrevem a adaptação da técnica de ligadura e ressecção do ducto biliar comum descrita na literatura, enfatizando suas vantagens na recuperação pós-cirúrgica. Este trabalho foi realizado no Laboratório Experimental do Departamento de Pediatria da FMB-UNESP.

Descritores: Colestase. Cirurgia experimental. Ligadura e ressecção do ducto biliar comum.


ABSTRACT

The authors describe the adaptation of the technique of ligature and resection of the common bile duct described in the literature, emphasizing their advantages in the postnatal-surgical recovery. This work was accomplished at the Experimental Laboratory of the Department of Pediatrics of FMB-UNESP.

Key words: Cholestasis. Experimental surgery. Ligature and resection of the common bile duct.


 

 

Introdução

A colestase, caracterizada pela diminuição ou ausência do fluxo biliar, ou de algum de seus componentes, é a condição hepatobiliar mais comum no período neonatal e nos primeiros meses de vida. A deficiência da secreção de sais biliares resulta em má absorção de lipídios e vitaminas lipossolúveis1,2. O grande interesse no estudo de doenças colestáticas ocorre devido aos altos índices de mortalidade. Algumas doenças colestáticas, como a atresia de vias biliares, apresentam 100% de mortalidade quando não tratada e é a principal indicação de transplante hepático na infância3. Com base nesses princípios, modelos experimentais em animais de laboratório que simulam colestase humana têm sido muito úteis na elucidação de diferentes etapas da patogênese da colestase4. Várias técnicas para o desenvolvimento de colestase tem sido descritas, sobretudo em ratos, baseadas em: 1) obstrução aguda e completa do ducto biliar comum5; 2) colestase induzida por endotoxinas6; 3) colestase induzida por estinilestradiol6.

O modelo favorito para colestase extra-hepática utiliza ratos submetidos à ligadura do ducto biliar comum, tendo como conseqüência, na maioria das vezes, um quadro de fibrose biliar secundária7. Este modelo de colestase extra-hepática em ratos5 produz alterações estruturais e funcionais múltiplas, semelhantes às encontradas em outras causas de colestase8,pois resultam em prejuízo funcional da captação hepatocelular, excreção canalicular e transporte de sais biliares e de vários outros ânions orgânicos9.

Analisando e desenvolvendo o modelo adotado pela literatura5, a equipe de Hepatologia do Departamento de Pediatria – UNESP, elaborou uma adaptação no manuseio deste procedimento cirúrgico.

 

Objetivo

Descrever a adaptação da técnica da ligadura e ressecção do ducto biliar comum (descrita por Cameron e Oakley5) realizada no Laboratório Experimental do Departamento de Pediatria da Faculdade de Medicina de Botucatu (FMB)-UNESP, enfatizando suas vantagens.

 

Métodos

O estudo da técnica da ligadura e ressecção do ducto biliar comum foi dividido basicamente em duas áreas:

· Teórica

Introdução ao procedimento cirúrgico e manejo dos animais, baseado em estudos publicados5 e na Comissão de Ensino do Colégio Brasileiro de Experimentação Animal (COBEA)10.

· Prática em ratos

O procedimento cirúrgico da ligadura e ressecção do ducto biliar comum foi realizado em ratos machos (Wistar), com 21 dias de vida pós-natal (recém desmamados) e peso médio de 45 gramas. No procedimento foram utilizados:

a) Material cirúrgico:

Luvas cirúrgicas; Gazes; Fios para ligadura e sutura.

b) Instrumentos cirúrgicos:

 

 

Os animais foram operados pelas pós-graduandas do grupo de Hepatologia do Curso de Pediatria. O preparo pré e pós-operatório foi realizado conforme as rotinas do Biotério do Departamento de Pediatria da FMB-UNESP, sendo o projeto previamente aprovado pela Comissão de Ética na Experimentação Animal, UNESP (CEEA). A técnica da ligadura e ressecção do ducto biliar comum descrita por Cameron e Oakley (1932)5 está apresentada nos Quadros 1, 2 e 3.

 

 

 

 

 

 

As figuras 3C e 3D diferem apenas quanto o manuseio, porém não diferem no procedimento cirúrgico (dissecção e ressecção do ducto biliar comum).

 

 

 


 

Discussão

O procedimento cirúrgico da ligadura e ressecção do ducto biliar exige alto grau de qualidade técnica, paciência, concentração, e treinamento contínuo. A qualidade técnica, importante em qualquer ato cirúrgico, se torna ainda mais importante quando se trata da realização de delicadas intervenções cirúrgicas e o sucesso é determinado pelas condições fisiológicas e metabólicas do animal.

A adaptação da técnica da ligadura e ressecção do ducto biliar comum, realizada no presente trabalho, além de demonstrar a possibilidade de se reproduzir com mais facilidade e agilidade, apresenta uma taxa de mortalidade, no momento do procedimento cirúrgico, menor do que os animais submetidos à técnica anterior5. Além disso, notou-se que o quadro pós-operatório desses animais foi muito satisfatório quanto à sua recuperação; com retorno alimentar normal mais rapidamente e diminuição do risco de infecção devido a menor manipulação do animal.

Estes dados puderam ser observados durante experimentos realizados nos últimos anos no Laboratório Experimental do Departamento de Pediatria FMB-UNESP. Estes trabalhos foram objeto de dissertações de mestrado e teses de doutorado que tiveram como objetivo determinar o efeito dos fatores moduladores das suplementações vitamínicas11,12, produtos naturais13 e dietas com baixo e alto teor de gordura14 sobre as conseqüências nutricionais e hepáticas da colestase obstrutiva crônica e também estudo da correlação e regressão múltipla entre indicadores nutricionais e hepáticos15.

 

Referências

1. Poupon R, Chazouilleres O, Poupon RE. Chronic cholestatic diseases. J Hepatol 2000; 32(1):129-40.        [ Links ]

2. Spraul AD, Cosson C, Couturier M, Hadchouel M, Legrand A, Lemonnier F. et al. Standard treatment of tocopherol in alagille patients with severe cholestasis is insufficient. Pediatr Res 2001; 49:232-6.        [ Links ]

3. Sokol RRJ, Mack C. Etiopathogenesis of biliary atresia. Semin Liver Dis 2001; 21(4):517-24.        [ Links ]

4. Reichen J. Pharmacologic treatment of cholestasis. Semin Liver Dis 1993; 13:302-15.        [ Links ]

5. Cameron GR, Oakley CL. Ligation of the common bile duct. J Pathol Bacteriol 1932; 35:369-99.        [ Links ]

6. Arresse M, Yanan MA, Suchy F. Hepatobiliary transport: molecular mechanisms of development and cholestase. Pediatr Res 2001; 44:141-7.        [ Links ]

7. Greim H, Trülzsch D, Roboz J, Dressler K, Czygan P, Hutterer F, Schaffner F, Popper H. Bile acids in normal rat livers and in those after bile duct ligation. Gastroenterology 1972; 63:837-45.        [ Links ]

8. Sherlock S. Cholestasis. In: Sherlock S. Diseases of the liver and biliary system. 8ed. Boston: Blackwell Scientific Publication, 1989. p 248-72.        [ Links ]

9. Bolder U; To-Nu HT; Schteingart CD; Frick E, Hofmann AF. Hepatocyte transport of bile acids and organics anionss in endotoxemic rats: impaired uptake and secretion. Gastroenterology 1997; 112:214-25.        [ Links ]

10. Comissão de Ensino do Colégio Brasileiro de Experimentação Animal (COBEA) – Manual para técnica em bioterismo; 1996.        [ Links ]

11. Silva CRM. Efeitos da suplementação de vitamina C sobre efeitos decorrentes das alterações nutricionais da cirrose biliar secundária: estudo experimental em ratos jovens. [Dissertação de Mestrado]. Universidade Estadual Paulista – Faculdade de Medicina de Botucatu; 2002.        [ Links ]

12. Eduardo LHPR. Efeitos da administração de vitamina A hidrossolúvel sobre as lesões e a disfunção hepática na colestase obstrutiva: estudo experimental em ratos jovens. [Dissertação de Mestrado]. Universidade Estadual Paulista – Faculdade de Medicina de Botucatu; 2002.        [ Links ]

13. Suzigan MI. Efeitos hepatoprotretor do extrato aquoso de picão (Bidens pilosa L.) na hepatopatia causada por colestase obstrutiva: estudo experimental em ratos jovens. [Dissertação de Mestrado]. Universidade Estadual Paulista – Faculdade de Medicina de Botucatu; 1999.        [ Links ]

14. Santos AR. Efeitos de dietas com baixo e com alto treor de gordura sobre o estado nutricional na colestase obstrutiva: estudo experimental em ratos jovens. [Dissertação de Mestrado]. Universidade Estadual Paulista – Faculdade de Medicina de Botucatu; 2003.        [ Links ]

15. Santos AG. Estudo da correlação e regressão múltipla entre indicadores nutricionais e de lesão hepática na colestase obstrutiva crônica: estudo experimental em ratos jovens. [Dissertação de Mestrado]. Universidade Estadual Paulista – Faculdade de Medicina de Botucatu; 2003.        [ Links ]

 

 

Endereço para correspondência
Ana Paula Ronquesel Battochio
Rua José Dal Farra, 1103
18603-790 Botucatu – SP
Tel: (14)6823-5736
apbattochio@ig.com.br

Data do recebimento: 24/11/2003
Data da revisão: 18/12/2003
Data da aprovação: 06/01/2004
Conflito de interesse: nenhum
Fontes de financiamento: Fapesp, Capes e CNPq

 

 

1 Trabalho realizado no Laboratório Experimental do Departamento de Pediatria, FMB, UNESP.

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License