SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.22 special issue 1Nursing process: difficulties for its utilization in practicePrevention of Catheter-Related Bloodstream Infections in Patients on Hemodialysis author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Acta Paulista de Enfermagem

Print version ISSN 0103-2100

Acta paul. enferm. vol.22 no.spe1 São Paulo  2009

http://dx.doi.org/10.1590/S0103-21002009000800023 

ARTIGO REVISÃO

 

Comunicação como temática de pesquisa na Nefrologia: subsídio para o cuidado de enfermagem

 

La Comunicación como temática de investigación en Nefrología: subsidio para el cuidado de enfermería

 

 

Giselle Barcellos Oliveira KoeppeI; Sílvia Teresa Carvalho de AraújoII

IMestre em Enfermagem pela Escola de Enfermagem Anna Nery (EEAN) da Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ - Rio de Janeiro (RJ), Brasil
IIDoutora em Enfermagem, Professora Adjunto do Departamento de Enfermagem Médico Cirúrgica da Escola de Enfermagem Anna Nery (EEAN) da Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ - Rio de Janeiro (RJ), Brasil

Autor Correspondente

 

 


RESUMO

OBJETIVOS: Identificar a tendência de pesquisas na área de Nefrologia com foco na comunicação e analisar a abordagem sobre comunicação nestas pesquisas.
MÉTODOS: Levantamento de artigos nas bases de dados LILACS, SciELO, BDENF e MEDLINE, publicados entre 1997 e 2007, em português e espanhol, com foco na comunicação, ou no relacionamento com o cliente ou nos seus sentimentos, emoções e percepções. As informações sobre os artigos foram organizadas em quadros e divididas em três categorias: comunicação, relacionamento/interação e sentimentos/emoção/percepção.
RESULTADOS: A maioria dos artigos relaciona-se aos sentimentos, emoções e percepções da clientela. O vínculo profissional/paciente aparece como facilitador da comunicação. Olhar o cliente de forma integral e individualizada promove um cuidado mais adequado.
CONCLUSÃO: Através da investigação da comunicação, pode-se descrever melhor suas características fundamentais, suas perspectivas e possibilidades durante a interação e o cuidado prestado.

Descritores: Pesquisa em enfermagem; Comunicação; Nefrologia; Cuidados de enfermagem


RESUMEN

OBJETIVOS: Identificar la tendencia de investigaciones en el área de Nefrología enfocada en la comunicación y analizar el abordaje sobre comunicación en estas investigaciones.
MÉTODOS: Se llevó a cabo un levantamiento de artículos en las bases de datos LILACS, SciELO, BDENF e MEDLINE, publicados entre 1997 y 2007, en portugués y español, enfocada en la comunicación, o en la relación con el cliente o en sus sentimientos, emociones y percepciones. Las informaciones sobre los artículos fueron organizadas en cuadros y divididas en tres categorías: comunicación, relacionamiento/interacción y sentimientos/emoción/percepción.
RESULTADOS: La mayoría de los artículos se relaciona con los sentimientos, emociones y percepciones de la clientela. El vínculo profesional/paciente aparece como facilitador de la comunicación. Mirar al cliente de forma integral e individualizada promueve un cuidado más adecuado.
CONCLUSIÓN: A través de la investigación de la comunicación, se puede describir mejor sus características fundamentales, sus perspectivas y posibilidades durante la interacción y el cuidado prestado.

Descriptores: Investigación en enfermería; Comunicación; Nefrología; Atención de enfermería


 

 

INTRODUÇÃO

Este estudo sobre concepções teóricas da comunicação no contexto de cuidado de enfermagem na Nefrologia é parte integrante da dissertação de mestrado intitulada "O cliente e a fístula artériovenosa em inoperância: as manifestações não-verbais em destaque no contexto do cuidado de enfermagem em nefrologia", apresentada em janeiro de 2009 na Escola de Enfermagem Anna Nery, da Universidade Federal do Rio de Janeiro e tem como foco principal a comunicação não-verbal no cenário da hemodiálise.

O conhecimento da comunicação neste cenário tem importante relevância para o cuidado, visto que o vínculo existente entre o profissional e cliente é intenso, possibilitando uma compreensão plena, que vai além do que é verbalizado pelo cliente. Este vínculo é um facilitador da assistência, visto que ampliamos nossa capacidade de observação, tanto dos aspectos visíveis como daqueles que não são ditos. O uso consciente da leitura não-verbal da clientela deve ser pensado como um "modo estratégico" de intervenção, a fim de facilitar o alcance dos objetivos de uma assistência de enfermagem mais compreensiva, singular e solidária à clientela(1).

Além disso, o conhecimento acumulado sobre os indivíduos no longo convívio do tratamento, permite registrar como se comportam, durante as seqüenciadas sessões. Ao considerar as características pessoais manifestadas no comportamento, torna-se possível a identificação de uma série de problemas relevantes manifestados por alterações fisiológicas significativas. Conhecê-los e identificá-los a partir dos comportamentos possibilita uma intervenção precoce nas situações de alguma mudança, e podem impedir/prevenir complicações futuras.

Considerando as evidências descritas anteriormente, a lacuna de conhecimento específico na Nefrologia, despertou-se o interesse em aprofundar, a partir de investigação e rigor científico, as questões relacionadas à comunicação não-verbal nas ações de enfermagem.

O estudo tem como objeto a comunicação nas pesquisas em Nefrologia e os objetivos traçados foram:

- Identificar a tendência de pesquisas na área de Nefrologia com foco na comunicação;

- Analisar a abordagem sobre comunicação nestas pesquisas.

 

MÉTODOS

Trata-se de uma revisão sistemática, a partir do levantamento de artigos, de evidências de pesquisa sobre o não verbal, realizado em bases de dados eletrônicas no período de outubro a dezembro de 2007.

Apesar do foco principal do estudo ser o cliente em tratamento hemodialítico, a procura por artigos abrangeu todos os clientes com insuficiência renal crônica e não somente os que realizam hemodiálise. Assim, o estudo torna-se mais enriquecedor, à medida que fornece conhecimento acerca da comunicação de forma abrangente no universo da Nefrologia.

Os critérios de inclusão para a busca de artigos foram: artigos nas bases de dados LILACS, SciELO, BDENF e MEDLINE, publicados entre 1997 e 2007; nos idiomas português e espanhol, com foco na comunicação em si, ou no relacionamento com o cliente, pois a comunicação tem contexto, então para que ela aconteça é necessário a interação entre pessoas. Ainda foram contemplados os artigos com base nos sentimentos, emoções e percepções do cliente, visto que a comunicação não-verbal está amplamente presente nestas condições. Foram excluídos os artigos que se repetiam entre as bases de dados.

Os descritores empregados na busca foram: nefrologia; insuficiência renal; diálise renal; comunicação; enfermagem; cuidados de enfermagem; percepção; órgãos dos sentidos; cinesia e proxêmica. As palavras foram: hemodiálise; cuidado; comunicação não-verbal; corpo; sentimento; emoção; sentidos corporais; tacésica e paralinguagem. Posteriormente foram feitas diversas combinações destes termos resultando em uma busca bastante abrangente.

Em um universo de aproximadamente 800 artigos, foi realizada a leitura de seus respectivos resumos, a fim de identificar a relação existente entre o estudo realizado e os critérios de inclusão propostos. Após esta etapa, os artigos que aparentemente enquadravam-se foram separados para uma leitura plena. Ao término deste processo, apenas 11 artigos agrupavam-se no objeto do estudo, sendo então selecionados para a análise.

Os artigos escolhidos foram organizados em quadros, divididos pelas seguintes categorias: comunicação; relacionamento/interação e sentimentos/emoção/percepção. Cada categoria foi apresentada nos quadros, agrupando-se informações sobre título, autores, fonte, tipo de estudo, objetivos/objeto e os principais resultados encontrados.

Após este arranjo, deu-se a análise dos dados, que baseou-se na avaliação destes artigos a partir das informações apresentadas nos quadros. A análise foi fundamentada por autores que discutem a comunicação na saúde, o cuidado em Nefrologia e as questões humanas na enfermagem.

 

RESULTADOS

A maior parte dos artigos selecionados (sete), enfocam os sentimentos, emoções e percepções da clientela, não abordando diretamente a comunicação. Dentre os 11 artigos, três localizam o relacionamento, a interação e apenas um estudo trata diretamente da comunicação no cenário da hemodiálise.

Do total, nove artigos foram publicados em revistas de enfermagem e dois em outras revistas da área da saúde.

Apenas um estudo não teve como cenário o setor de hemodiálise.

Todos os artigos selecionados foram embasados e/ou focaram a vivência do cliente em relação ao tratamento.

Os artigos trazem reflexões acerca da comunicação direta ou indiretamente de forma constante. São abordados aspectos sobre a importância da comunicação efetiva no cenário, onde os clientes sentem extrema necessidade de ouvir e de serem ouvidos, assim como reconhecem que o relacionamento afetivo com a equipe favorece um tratamento mais confortante. O vínculo enfermagem/cliente existente no cenário é amplamente apontado como facilitador da comunicação, à medida que favorece um conhecimento pleno do cliente, onde é possível observar e compreender o não-verbal de forma eficaz.

 

Quadro 1

 

Quadro 2

 

A mecanização existente nesta modalidade de tratamento é vista, muitas vezes como danosa, à medida que prejudica a compreensão daquilo que não é dito pelo outro. As aparelhagens fazem com que muitos profissionais encarem o cliente como uma extensão da máquina, robotizando a assistência prestada.

Olhar o cliente de forma integral e singular é indicada nos artigos como primordial, visto que possibilita uma assistência mais adequada, já que desta forma é possível atender às reais necessidades do outro.

A enfermagem é apontada inúmeras vezes como a equipe mais bem preparada para a aplicação da comunicação não-verbal com a clientela, já que é o profissional que passa a maior parte do tratamento ao lado do cliente. Isso torna seu papel especial e único dentro deste cenário de prática.

Alguns artigos discutem os sentimentos dos clientes, mostrando seus medos, dificuldades e sua visão acerca do enfrentamento deste processo. Demonstram ainda, circunstâncias que os auxiliam de forma bastante positiva, como o relacionamento com a equipe, o apoio familiar e a fé.

A partir dos quadros apresentados, é possível visualizar resumidamente, os principais aspectos encontrados entre os 11 artigos selecionados.

 

Quadro 3

 

DISCUSSÃO

Verificou-se predominância de artigos com foco nos sentimentos, emoções e percepções da clientela. Isto remete à observação de que a comunicação não-verbal tem fluido entre alguns profissionais de forma abrangente, pois quando se reflete, discute-se e escreve-se sobre tal temática, demonstra-se que o indivíduo foi capaz de perceber e captar sensações não ditas por aquele que está sob seu cuidado. O conhecimento do não-verbal pode resgatar a capacidade do profissional de saúde de perceber com maior precisão os sentimentos do paciente, suas dúvidas e dificuldades de verbalização(2).

Os artigos que abordam sobre relacionamento e interação ensinam indiretamente sobre comunicação, pois como dito anteriormente, para que esta ocorra é necessário haver pessoas interagindo. "A comunicação efetiva é bidirecional. Para que ela ocorra, é necessário que haja resposta e validação das mensagens ocorridas"(2).

Em se tratando da comunicação especificamente na hemodiálise, esta é discutida e enfatizada como de suma importância no cenário, salientando a compreensão da comunicação não-verbal como primordial durante a assistência à esta clientela.

O número significativo de artigos publicados em revistas de enfermagem demonstra que alguns enfermeiros não perderam a essência da assistência de enfermagem, que é cuidar além do que é prático, visível e palpável.

Apesar do modelo biomédico prevalecer na prática hospitalar, muitos profissionais da enfermagem ainda aproveitam o tempo prolongado com seus clientes para tentar captar evidências que estão além de sua visão física. "A enfermagem possui vários requisitos e atributos que a distinguem, e a caracterizam por ser uma profissão de ajuda na qual o conceito de cuidado é genuíno como um conceito que abrange os atributos que a tornam uma disciplina humana e de ajuda"(3).

Um maior número de pesquisas fazendo referência ao tratamento hemodialítico, tem relação com a incidência e prevalência deste entre as terapias para o cliente com insuficiência renal crônica. A hemodiálise é o método dialítico preferencial em todo o mundo(4). Sendo assim, é considerável que haverão mais pesquisas voltadas para esta clientela.

Além disso, esta modalidade de tratamento possibilita um estreito contato da enfermagem com o cliente, gerando importantes inquietações sobre os aspectos subjetivos que norteiam estes sujeitos.

Os estudos com foco no cliente demonstram a preocupação dos autores em compreender melhor o indivíduo assistido por eles. Esta inquietação sugere que muitos profissionais reconhecem a importância de uma comunicação efetiva, à medida que valorizam a reflexão acerca dos aspectos que norteiam seus clientes para melhor atendê-los.

O vínculo profissional/paciente, classificado como principal arma na compreensão do cliente, confirma que o cenário da hemodiálise propicia um relacionamento que vai além da relação cura e doença. Neste setor os vínculos afetivos são estreitos, onde relações de amizade e afeto ocorrem o tempo todo, pois a proximidade é intensa.

Quanto ao olhar do profissional em relação ao cliente de forma integral e individual, é de suma importância o reconhecimento de que este sujeito é embutido de sentimentos e por isso não deve ser visto como um objeto de trabalho. Não se deve cuidar do indivíduo como se não tivesse seus próprios anseios, medos e dificuldades, sendo obrigado a aceitar a forma como o tocamos e o tratamos. O cliente dependente de nosso cuidado, já foi uma pessoa livre, dona de seu corpo e de suas vontades(2).

Quando atentamos para o que o cliente expressa de forma não verbal, o ajudamos no enfrentamento de sua condição atual. Os artigos selecionados englobam este aspecto de forma significativa, indicando que ao oferecermos apoio emocional, o ajudamos no alívio de tensões e medos.

A mecanização existente neste cenário, que muitas vezes reduz a prática da comunicação afetiva e efetiva, pode estar relacionada à toda tecnologia existente neste contexto, mas também à própria formação profissional no modelo biomédico, que fragmenta o cuidado.

Esta evidência é claramente visualizada na prática assistencial, onde as pessoas estão mais preocupadas em cumprir suas tarefas e horários. A essência do cuidado tem sido esquecida frente aos aparatos tecnológicos. Com o passar do tempo o cuidar tornou-se mecanizado, fragmentado e as pessoas parecem ter se esquecido de que esta habilidade ou qualidade, além de constituir uma ação, é um valor, um comportamento, uma filosofia, uma arte e ciência(3).

Os sentidos corporais, como elementos do cuidado, abordado em alguns artigos, são de suma importância para a assistência de enfermagem, visto que as maiores mensagens são transmitidas através da linguagem corporal e que quando não a usamos de maneira devida, não há comunicação efetiva. "A interação é resultante de uma boa utilização dos nossos sentidos. Sem eles, nos restringimos aos registros e a uma assistência de enfermagem racionalizada, meramente instrumental e, talvez, com pouca ou nenhuma afetividade e, portanto vazia"(1).

 

CONCLUSÃO

Ficou evidente que o domínio teórico e a prática da comunicação nesta área, ainda incipiente, é de extrema importância para subsidiar os aspectos humanos na qualidade do cuidado de enfermagem prestado.

Os artigos analisados demonstram que a comunicação, em especial a não-verbal, ocorre de forma abrangente neste cenário de atuação e que quando bem empregada resulta em aprimoramento da assistência.

O aprendizado da comunicação em saúde se dá de forma crescente e constante e por isso devemos estar atentos aos padrões comunicativos que cercam a clientela. Ao considerá-los, vivenciamos um padrão de interação mais integral com aqueles que passam grande parte de suas vidas ligados às máquinas em convívio constante com a dor e com a doença.

O estudo do aspecto humano vai de encontro ao modelo mecanicista do cuidado, contudo sem a compreensão do subjetivo, não haverá uma comunicação efetiva que resulta em plenitude da assistência.

 

REFERÊNCIAS

1. Araújo STC. Os sentidos corporais dos estudantes no aprendizado da comunicação não verbal do cliente na recepção pré-operatória: uma semiologia da expressão através da sociopoética [tese]. Rio de Janeiro: Universidade Federal do Rio de Janeiro; 2000.         [ Links ]

2. Silva MJP. Comunicação tem remédio: a comunicação nas relações interpessoais em saúde. São Paulo: Edições Loyola; 2002.         [ Links ]

3. Waldow VR, Lopes MJM, Meyer DE. Maneiras de cuidar, maneiras de ensinar: a enfermagem entra a escola e a prática profissional. Porto Alegre: Artes Médicas;1995.         [ Links ]

4. Lima EX, Santos I. Atualização de enfermagem em nefrologia. Rio de Janeiro: Editora Escola Anna Nery-UFRJ; 2004.         [ Links ]

 

 

Autor Correspondente:
Giselle Barcellos Oliveira Koeppe
R. Albero de Campos, 10B - Apto. 1504 - Ipanema
Rio de Janeiro - RJ - Cep: 22411-030
E-mail: gisellebarcellos@yahoo.com.br

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License