SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.22 issue1Knowledge sharing in corporate portals author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Transinformação

Print version ISSN 0103-3786

Transinformação vol.22 no.1 Campinas Jan./Apr. 2010

http://dx.doi.org/10.1590/S0103-37862010000100001 

ARTIGO

 

A noção de estrutura e os registros de informação dos sistemas documentários1

 

The notion of structure and the information records of the documentary systems

 

 

Cristina Dotta OrtegaI, Marilda Lopes Ginez de LaraII

IUniversidade Federal de Minas Gerais, Escola de Ciência da Informação. Av. Pres. Antônio Carlos, 6627, 31270-901, Pampulha, Belo Horizonte, MG, Brasil. Correspondência para/Correspondence to: C.D. ORTEGA. E-mail: <ortega@eci.ufmg.br>
IIUniversidade de São Paulo, Escola de Comunicações e Artes, Departamento de Biblioteconomia e Documentação. São Paulo, SP, Brasil

 

 


RESUMO

Partindo da constatação de que os princípios e os métodos para construção e gestão dos sistemas documentários são dispersos e carecem de sistematização, este artigo levanta a hipótese de que a noção de estrutura, ao pressupor relações mútuas entre os seus elementos, confere maior organicidade aos sistemas e garante maior qualidade e consistência na recuperação da informação frente às questões dos usuários. Desse modo, objetiva explorar fundamentos, a partir da noção de estrutura, dos registros de informação e dos sistemas documentários. Para tanto, são apresentados conceitos básicos e questões relativas aos sistemas documentários e aos registros de informação. Posteriormente, elenca aportes teóricos sobre a noção de estrutura, tratados por Benveniste, Ferrater Mora, Hjelmslev, Lévi-Strauss, Lopes, Peñalver Simó, Saussure, além de Ducrot, Fávero e Koch, para então tratar das apropriações já realizadas pela Documentação por Paul Otlet, García Gutiérrez e Moreiro González. Conclui-se que a noção de estrutura adotada para tornar explícita uma hipótese de sistematização do real, a partir de um modelo, assegura maior organicidade aos sistemas, bem como confere referência pedagógica ao fazer documentário.

Palavras-chave: Bases de dados. Estrutura. Registros de informação. Sistemas documentários.


ABSTRACT

Assuming as a starting point the acknowledge that the principles and methods used to build and manage the documentary systems are disperse and lack systematization, this study hypothesizes that the notion of structure, when assuming mutual relationships among its elements, promotes more organical systems and assures better quality and consistency in the retrieval of information concerning users’ matters. Accordingly, it aims to explore the fundamentals about the records of information and documentary systems, starting from the notion of structure. In order to achieve that, it presents basic concepts and relative matters to documentary systems and information records. Next to this, it lists the theoretical subsides over the notion of structure, studied by Benveniste, Ferrater Mora, Lévi-Strauss, Lopes, Peñalver Simó, Saussure, apart from Ducrot, Favero and Koch. Appropriations that have already been done by Paul Otlet, García Gutiérrez and Moreiro González. In Documentation come as a further topic. It concludes that the adopted notion of structure to make explicit a hypothesis of real systematization achieves more organical systems, as well as it grants pedagogical reference to the documentary tasks.

Keywords: Data bases. Structure. Information records. Documentary systems.


 

 

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text available only in PDF format.

 

 

REFERÊNCIAS

ABADAL, E.; CODINA, L. Bases de datos documentales: características, funciones y método. Madrid: Síntesis, 2005. (Biblioteconomía y Documentación).         [ Links ]

BENVENISTE, É. Problemas de lingüística geral, I. Campinas: Pontes, 1991.         [ Links ]

BOTTOMORE, T. Estruturalismo. In: OUTHWAITE, W.; BOTTOMORE, T. (Ed.). Dicionário do pensamento social do século XX. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1996.         [ Links ]

COHEN, D.M. O consumidor da informação documentária: o usuário de sistemas documentários visto sob a lente da análise documentária. 1995. Dissertação (mestrado) - Escola de Comunicações e Artes, Universidade de São Paulo, São Paulo, 1995.         [ Links ]

FÁVERO, L.L.; KOCH, I.G.V. Lingüística textual: introdução. 4.ed. São Paulo: Cortez, 1998.         [ Links ]

FERRATER MORA, J. Dicionário de filosofia. São Paulo: Martins Fontes, 1998.         [ Links ]

GARCÍA GUTÍERREZ, A.L. Lingüística documental: aplicación a la documentación de la comunicación social. Barcelona: Mitre, 1984.         [ Links ]

GARRIDO ARILLA, M.R. Teoría e historia de la catalogación de documentos. Madrid: Síntesis, 1996.         [ Links ]

GREEN, R. Relationships in knowledge organization. Knowledge Organization, v. 35, n. 2/3, p.150-9, 2008.         [ Links ]

LARA, M.L.G. Representação documentária: em jogo a significação. 1993. Dissertação (mestrado) - Escola de Comunicações e Artes, Universidade de São Paulo, São Paulo, 1993.         [ Links ]

LOPES, E. Fundamentos da lingüística contemporânea. São Paulo: Cultrix, 1987.         [ Links ]

MEYRIAT, J. Document, documentation, documentologie. Schéma et Schématisation, n.14, p.51-63, 1981.         [ Links ]

MOREIRO GONZÁLEZ, J.A. El contenido de los documentos textuales: su análisis y representación mediante el lenguaje natural. Gijón: Trea, 2004. (Biblioteconomía y Administración Cultural, 97).         [ Links ]

MOREIRO GONZÁLEZ, J.A. Introducción al estudio de la información y la documentación. Medellín: Editorial Universidad de Antioquia, 1998. (Colección Medios y Mensajes).         [ Links ]

ORTEGA, C.D. Os registros de informação dos sistemas documentários: uma discussão no âmbito da representação descritiva. 2009a. Tese (doutorado em Ciência da Informação) Escola de Comunicações e Artes, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2009.         [ Links ]

ORTEGA, C.D. A Documentação como uma das origens da Ciência da Informação e base fértil para sua fundamentação. Brazilian Journal of Information Science, v. 3, n.1, p.3-35, 2009b. Disponível em: <http://www2.marilia.unesp.br/revistas/index.php/bjis>. Acesso em: 26 jun. 2010.         [ Links ]

OTLET, P. El tratado de documentación: el libro sobre el libro: teoría y práctica. Bruxelles: Mundaneum, 1934.         [ Links ]

PAVEAU, M.A.; SARFATI, G.-É. As grandes teorias da lingüística: da gramática comparada à pragmática. São Carlos: Claraluz, 2006.         [ Links ]

PEÑALVER SIMÓ, M. La lingüistica estructural y las ciencias del hombre. Buenos Aires: Nueva Visión, 1972.         [ Links ]

RÍOS HILARIO, A.B. Nuevos horizontes en el análisis de los registros y la normativa bibliográfica. Gijón: Trea, 2003.         [ Links ]

SAUSSURE, F. Curso de lingüística geral. São Paulo: Cultrix; 1969.         [ Links ]

TÁLAMO, M.F.G.M. Linguagem documentária. São Paulo: APB, 1997. (Ensaios APB, 45).         [ Links ]

 

 

Recebido em 21/1/2009 e aceito para publicação em 15/4/2010.

 

 

1Trabalho apresentado no X Encontro Nacional de Pesquisa da ANCIB - ENANCIB 2009, realizado em João Pessoa (PB), Brasil.
4 Entidade faz parte da terminologia da Ciência da Computação. No contexto dos tradicionais sistemas de informação bibliográfica,
as entidades podem ser documentos, grupos de documentos e/ou partes de documentos, que compõem uma coleção.

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License