SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.8 issue2Health workers qualifications and technological changesHuman resources of the National Health Conferences (1941-1992) author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Physis: Revista de Saúde Coletiva

Print version ISSN 0103-7331

Physis vol.8 no.2 Rio de Janeiro July/Dec. 1998

http://dx.doi.org/10.1590/S0103-73311998000200007 

Novos desafios das escolas técnicas de saúde do SUS

 

New challengs faced by SUS' technical health schools

 

Noveaux défis addressés aux écoles techniques de santé du SUS

 

 

Rita SórioI; Isabel LamarcaII

IMestre em Saúde Pública, Coordenadora de Ensino da Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio da Fundação Oswaldo Cruz; coordenadora do Projeto Escola de Nível Médio
IIMestre em Psicologia, professora da Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio da Fundação Oswaldo Cruz

 

 


RESUMO

As Escolas Técnicas de Saúde do SUS foram criadas para exercer papel estratégico na profissionalização dos trabalhadores de nível médio sem qualificação específica para o Setor Saúde. Apesar do modelo didático-pedagógico flexível, as Escolas Técnicas de Saúde vivem dificuldades expressas em questões de natureza técnico-políticas. Nesse contexto, foi instituído o Projeto Escola de Nível Médio, cujo principal objetivo é o fortalecimento e a consolidação dessas instituições em uma Rede Nacional de Escolas do SUS. Coordenado pela Escola Politécnica de Sàúde Joaquim Venâncio (EPSJV), esse projeto também atua na reorientação das Escolas do SUS, para que estas se integrem às políticas de saúde como atores no processo da reordenação da política de Recursos Humanos em Saúde.

Palavras-chave: Escolas Técnicas de Saúde do SUS; Desenvolvimento de Recursos Humanos em Saúde; Rede Nacional de Cooperação.


ABSTRACT

SUS' Technical Health Schools were built to play a strategic role for workers in the health sector, who, despite holding an intermediate educational leveI diploma, do not have the specific qualifications the sector requires. Notwithstanding the flexible didactic-pedagogical model, the Technical Health Schools face important difficulties related to technical and political issues. ln this context, the Intermediate LeveI School Project was created mainly to support and consolidate such institutions into a National SUS Health School Network. Coordinated by the Joaquim Venâncio Polytechnic Health School (EPSJV), the Project also plays an important role in redirecting SUS' Health Schools, aiming particularly at integrating them as players in health policy, in order to redress human resources development policies in the area of health.

Keywords: SUS 's Health Technical Schools; health human resources development; National Cooperative Network.


RÉSUMÉ

Les Écoles Techniques de Santé du SUS ont été crées pour exercer un rôle stratégique pour ceux qui travaillent dans le secteur de Ia santé mais qui, malgré une scolarité de niveau moyen, n'ont pas Ia qualification spécifique pour ce secteur - dans l' actuel contexte politique, social et pédagogique brésilien. Malgré le modele didactit!J.ue pédagogique flexible, les Écoles Techniques de Santé souffrent de difficultés importantes de nature technique et poli tique. Dans ce contexte, le Projet des Écoles Moyennes a été créé avec l' objectif principal de renforcer et consolider ces institutions dans un Réseau National d'Écoles de Ia Santé du SUS. Coordonné par l'École Polytechnique de Santé Joaquim Venâncio (EPSJV), ce Projet joue en roule dans Ia reorientation des Écoles de Ia Santé du SUS, spécialement pour les intégrer dans Ia politique de santé comme acteurs, pour fixer Ia poli tique de développement des ressources humaines de Ia santé.

Mots-clés: Écoles Techniques de Santé du SUS; développement des ressources humaines en santé; Réseau National de Coopération.


 

 

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text available only in PDF format.

 

 

Referências Bibliográficas

ARCHER, M. Sociology for One World: Unity and Diversity. International Sociology (Journal of the International Sociological Association), v. 6, n. 2, Londres, jun. 1991.         [ Links ]

BRASIL. MINISTÉRIO DA SAÚDE. SECRETARIA DE GESTÃO DE INVESTIMENTOS EM SAÚDE. COORDENAÇÃO GERAL DE DESENVOLVIMENTO DE RECURSOS HUMANOS PARA O SUS. Estrutura e Dinâmica dos Mercados de Trabalho do Pessoal de Enfermagem no Brasil dos Anos 90, Brasília, 1998a (no prelo).         [ Links ]

BRASIL. MINISTÉRIO DA SAÚDE. FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ. ESCOLA POLITÉCNICA DE SAÚDE JOAQUIM VENÂNCIO. A Descentralização do Ensino na Escola Politécnica. Relatório da Oficina de Trabalho, Rio de Janeiro, out. 1995.         [ Links ]

BRASIL. MINISTÉRIO DA SAÚDE. FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ. ESCOLA POLITÉCNICA DE SAÚDE JOAQUIM VENÂNCIO. Projeto Escola: Relatório de Atividades 1995 -1997. Rio de Janeiro: fIOCRUZ, 1998b.         [ Links ]

CALLON, M (org.). La Scientific et ses Réseaux: Génese et Circulation des Faits Scientifiques. Paris: La Decouverte, 1989.         [ Links ]

GONZALEZ, W. Competências: uma Altemativa Conceitual? Relatório da Confederação Nacional da Indústria. Rio de Janeiro: Serviço Nacional de Aprendizagem/Centro Internacional para Educação, Trabalho e Transferência de Tecnologia, 1996.         [ Links ]

NOGUEIRA, R. P. Estabilidade e flexibilidade: tensão de base nas novas políticas de recursos humanos em saúde. Divulgação em Saúde para Debate, v. 14, Curitiba, 1996.         [ Links ]

OFFE, C. Capitalismo Desorganizado. São Paulo: Brasiliense, 1985.         [ Links ]

ORGANIZAÇÃO PANAMERICANA DA SAÚDE. Boletin de ia Rede de Formación en Salud, v. 1, n. 1, Costa Rica, ago. 1997.         [ Links ]

ROMERO, C. C. Novos Tempos, Novos Desafios. S/ed., 1993 (mimeo).         [ Links ]

SANTOS, I. e SOUZA, A. Formação de Pessoal de Nível Médio pelas Instituições de Saúde: Projeto Larga Escala, uma experiência em construção. Saúde em Debate, n. 25, CEBES, Brasília, mar 1989.         [ Links ]

SOUZA, P. N. e SILVA, E. D. Como Entender e Aplicar a Nova LDB. São Paulo: Pioneira, 1997.         [ Links ]

 

 

Recebido em 29/9/98.
Aprovado em 28/10/98.