SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.24 issue2ECHOGRAPHIC DIAGNOSIS OF UTERINE AND OVAR1AN ABNORMALITIES ON THOROUGHBRED MARESTESTICULAR BIOMETRICS IN THOROUGHBRED FOALS USING ULTRASOUND author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Ciência Rural

Print version ISSN 0103-8478

Cienc. Rural vol.24 no.2 Santa Maria  1994

https://doi.org/10.1590/S0103-84781994000200027 

DIAGNÓSTICO DE GESTAÇÃO NA VACA PELA ULTRA-SONOGRAFIA

 

COW PREGNANCY DIAGNOSIS BY ULTRASONOGRAPHY

 

Ivo Walter dos Santos1 Jairo Pereira Neves2

 

 

RESUMO

O objetivo do trabalho foi de estudar o desenvolvimento embrionário e revelar quando a prenhez pode ser detectada em bovinos. Constituindo dois grupos, 142 vacas foram submetidas a exames ecográficos para diagnóstico de gestação. Utilizou-se um aparelho Pie Medical Inc., Mod. 450 com transdutor de 5MHz, arranjo linear e uma impressora. No primeiro grupo, constituído de 12 vacas charolesas foram estudadas algumas características da anatomia fetal entre o 10° e o 50° dia. Estruturas foram detectadas na seguinte ordem e tempo (dias): vesícula embrionária (18,0 ± 0,7); embrião (24,1 ± 0,5); batimentos cardíacos (26,2 ± 0,6); âmnio (30,7 ± 0,7); membros (32,7 ± 0,6); vértebras (40,2 ± 0,7) e movimentos fetais (45,6 ± 0,5). No segundo grupo, composto de 130 vacas cruza charolesa, foi observado o desenvolvimento embrionário do 23° até o 50° dia de gestação. Neste período a vesícula embrionária atingiu um diâmetro de 46,4mm, com crescimento diário de 1,38mm; enquanto o comprimento (cabeça-anca) do embrião atingiu 36,4mm, com aumento diário de 1,15mm (P<0,0001). O diagnóstico precoce da gestação, e o seu monitoramento através da ultra-sonografia é possível a partir do 18° dia pós-serviço.

Palavras-chave: ultra-sonografia, vaca, diagnóstico de gestação.

 

SUMMARY

The aim of this study was to investigate the embryonic development and the age of the pregnancy, in which may firstly be detected by ultrasound. One hundred and forty two cows, performing two groups were submitted to echographic examination for pregnancy diagnosis. A Pie Medical Inc. scanner Mod. 450 with a 5MHz linear array transducer and a printer were used for echographic purposes. In the first group constituted of 12 charolais cows were studied some characteristics of the fetal anatomy from the 10th to the 50th day. The first detection of the subsequent structures was made in the following days: embryonic vesicle (18.0 ± 0.7); embryo proper (24.1 ± 0.5); heartbeat (26.2 ± 0.6); amnion (30.7 ± 0.7); limbs (32.7 ± 0.6); vertebres (40.2 ± 0.7); fetal movements(45.6 ± 0.5). In the second group constituted of 130 cross bred charolais cows the embryonic development from the 23rd to the 50th day of gestation was observed. In this period the embryonic vesicle reached a diameter of 46.4mm with a daily growth of 38mm and the embryo, a length (crown-rump) of 36.4rnm with a daily increase of 1.15mm (P<0.0001). The eariy pregnancy diagnosis as well as the monitoring of gestation, is feasible through uttrasonography.

Key words: ultrasonography, cows, pregnancy diagnosis.

 

 

INTRODUÇÃO

O diagnóstico de gestação na vaca é de considerável valor econômico. De modo geral, o não retorno é considerado como bom indicativo gestacional. A confirmação da prenhez é feita rotineiramente pela palpação retal do útero aos 45 dias pós-serviço (HAFEZ. 1987).

CHAFFAUX et al. (1988) e KASTELIC et al. (1988) citam que a determinação da gestação em estágios precoces, permite além da detecção de problemas associados à mortalidade embrionária, o conhecimento da gestação até 21 dias pós-serviço, bem antes do tempo necessário para o diagnóstico realizado usualmente pela palpação retal, ou mesmo pela dosagem dos níveis de progesterona, cujo custo é elevado.

Os trabalhos de MÜLLER (1985) mostraram que a ultra-sonografia teve uma eficiência de 99% em exames feitos a campo entre o 23° e 40° dia de gestação.

Segundo CHAFFAUX et al. (1988) e PIETERSE et al. (1990) a ecografia é menos precisa quando aplicada entre o 21° e o 25° dia, do que entre o 26° e 33° dia de gestação, aumentando a freqüência de diagnósticos falsos positivos.

Nos estudos de KASTELIC et al.(1989) a precisão do diagnóstico de gestação pela ultra-sonografia foi de 50% até o 18° dia e de 100% do 20° ao 22° dia.

Existem controvérsias quanto ao momento a partir do qual é possível realizar a detecção de prenhez. CURRAN et al. (1986a/b) detectaram a gestação de primíparas a partir do 11° dia pós-fecundação, com variações do 10° ao 17° dia, até percepção do embrião no 20° dia. MÜLLER (1985) diagnosticou a prenhez 22° dia pós-inseminação e detectou o embrião no 24° dia. FISSORE et al. (1986) dejectaram o embrião somente no 27° dia e REEVES et aL (1974) no 28° dia.

Este trabalho teve por finalidade, revelar a idade em que a prenhez pode ser detectada pela ultra-sonografia e estudar o desenvolvimento embrionário e sua anatomia até o 50° dia de gestação, na raça charolesa.

 

MATERIAL E MÉTODO

Foram utilizadas 142 vacas com idade de 3,5 a 10 anos, sendo 12 da raça charolesa (grupo 1) e 130 cruzas charolesa (grupo 2), pertencentes à Cabanha Santo Izidro, localizada no município de Santa Maria/RS, no período de setembro de 1991 à janeiro de 1992.

As vacas deste estudo eram submetidas a controle reprodutivo, e o conhecimento da data da inseminação serviu de referência para o estudo. Foi utilizado um aparelho de ultrasoma equipado com transdutor, para uso trans-retal, de 5MHz e impressorab.

No primeiro grupo a finalidade foi de detectar o surgimento das características gestacionais. Os animais foram submetidos a palpação retal e exame ecográfico em dias alternados do 10° ao 50° dia pós-serviço. A vesícula embrionária, o embrião, os batimentos cardíacos e sua freqüência, o âmnio, os membros, os movimentos fetais e a coluna vertebral, foram estruturas que serviram de referência para este estudo.

No segundo grupo realizaram-se medições do comprimento cabeça-anca do embrião, e diâmetro da vesícula embrionária, em vacas com período gestacional variando de 23 a 50 dias. Foram examinadas no mínimo 4 vacas para cada dia deste intervalo. Os dados referentes ao comprimento cabeça-anca do feto e diâmetro da vesícula embrionária, foram testados por análise de regressão cúbica, quadrática e linear. Devido aos resultados das análises estatísticas optou-se pela análise de regressão linear. Para o primeiro dia de decteção da vesícula embrionária, do embrião, dos batimentos cardíacos, do âmnion, dos membros, da coluna vertebral e dos movimentos fetais, foi utilizada a análise de variância.

 

RESULTADOS

A detecção da prenhez através da ultra-sonografia foi possível aos 18 dias pós- inseminação, pela observação da vesícula embrionária, caracterizada como uma área não ecogênica, com diâmetro médio de 6mm, localizada próximo à junção útero-tubárica, no corno uterino ipsis-lateral ao corpo lúteo (Figura 1a).

 

 

O embrião foi detectado pela primeira vez no dia 24,1 ± 0,5, caracterizando-se por uma estrutura alongada e de pouca ecogenicidade no interior da vesícula embrionária (Figura 1b).

Os batimentos cardíacos no dia 26,2 ± 0,6 caracterizaram-se por uma estrutura ora não ecogênica, ora pouco ecogênica, quase central no embrião, com uma freqüência de 184 batimentos/minuto. O âmnio foi identificado no dia 30,7 ± 0,7 por uma linha ecogênica em volta do embrião (Figura 2a). Os membros foram visualizados no dia 32.7 ± 0,6 pela aparência de "botões" hiper-ecogênicos na porção ventral do embrião (Figura 2b).A coluna vertebral foi identificada, no dia 40,2 ± 0,7; por uma linha hiperecogênica ao longo do dorso do embrião (Figura 2c). Os movimentos fetais foram observados no dia 45,6 ± 0,5, caracterizados pela flexão e extensão dos membros.

 

 

As médias anteriormente mencionadas e suas variações estão demonstradas na Tabela 1.

 

 

No 23° dia da gestação, a vesícula embrionária apresentou-se com diâmetro de 6,8mm e no 30° dia com 18,2mm, período, com crescimento diário de 1,6mm. Do 31° ao 35° dia o desenvolvimento diário foi de 1,0mm. medindo, respectivamente, 18,5mm e 23,5mm. No 36° dia media 24,6mm, a partir do que o aumento diário foi linear (1,5mm) até atingir 46,4mm no 50° dia (Figura 3).

 

 

O embrião media 5,0mm no 23° e 12,5mm no 30° dia, aumentando seu comprimento em 1,0mm/dia. Houve uma redução no ritmo do desenvolvimento embrionário do 31° ao 35° dia, quando mediu, respectivamente, 13,0mm e 16,5mm, crescendo apenas 0,8mm/dia. Do 36° ao 45° dia, o embrião retomou o crescimento, aumentando 1,2mm/dia. O maior crescimento embrionário verificou-se de 31,2mm no 46° dia até 36,4mm no 50° dia, quando ocorreu um incremento de 1.6mm/dia (Figura 3).

No período do 23° ao 50° dia, a vesícula embrionária teve um aumento médio diário de seu diâmetro em 1,38mm e o comprimento cabeça-anca do embrião foi de 1.15mm/dia (P<0,0001).

 

DISCUSSÃO E CONCLUSÕES

O diagnóstico de gestação através da ultra-sonografia, pode proporcionar um ganho de tempo correspondente a um ciclo estral,em relação aos 45 dias normalmente utilizados pela palpação retal, para um diagnóstico inquestionável, o que coincide com as opiniões de CHAFFAUX et al. (1988) e HAFEZ (1987).

O uso da ultra-sonografia no diagnóstico de gestação, permitiu o monitoramento do desenvolvimento embrionário e mostrou total inocuidade para o feto para a gestante, conforme relatado por KASTELIC et al. (1991). KÁHN (1990), e TOTEY et al. (1991).

A vesícula embrionária foi detectada entre os dias 17-19 após a inseminação. Caracterizou-se por ser uma área não ecogênica e esférica no lume uterino, ipsis-lateral ao corpo lúteo, próximo à junção útero-tubárica, concordando com os estudos de FISSORE et al. (1986), BOYD et al. (1988) e KASTELIC et al. (1991). No entanto, KASTELIC et al. (1989) detectaram a vesícula embrionária entre o 10° e 12° dia pós-serviço, mas foi confundida com coleções de líquidos no lume uterino, já que estruturas não ecogênicas foram encontradas em novilhas prenhes e não prenhes entre o 10° e 14° dia. FISSORE et al. (1986) e KASTELIC et al. (1991) advertiram que através da ultra-sonografia é difícil distinguir uma prenhez precoce das fases de proestro, estro e metaestro, devido à existência de líquidos fisiológicos no lume uterino, embora existam diferenças na consistência do útero. Conclui-se no presente trabalho que um útero relaxado, contendo no seu lume uma área não ecogênica próximo à junção útero-tubárica, ipsis-lateral ao corpo lúteo, pode ser considerado gravídico. No entanto, a visualização do embrião, oferece maior segurança no diagnóstico.

O embrião foi detectado pela primeira vez entre os dias 23 - 25 pós-inseminação, e caracterizou--se por uma estrutura de pouca ecogenicidade no interior da vesícula embrionária. MÜLLER (1985) afirmou ter detectado 99 gestações em 100 exames feitos, a campo, a partir do 23° dia; o que discorda dos resultados de FISSORE et al. (1986) e REEVES et al. (1984) que detectaram o embrião nos dias 27 e 28, respectivamente. Nesta idade da gestação, o embrião foi visualizado na tela do monitor de vídeo como uma estrututra hiperecogênica, contrastando com os líquidos fetais não ecogênicos. Por outro lado, CURRAN et al. (1986a) detectaram o embrião em primíparas no 20° dia de gestação. Esta discrepância pode ter sido devido ao comportamento do animal por ocasião do exame, espessura do corno uterino entre uma primípara e uma plurípara, bem como a peculiaridades raciais.

O primeiro órgão identificado no embrião foi o coração, conforme KÃHN (1989) caracterizado como uma estrutura, ora não ecogênica, ora com pouca ecogenicidade, localizada quase no centro do embrião, com uma freqüência de 184 batimentos/minuto no dia 26,2 ± 0,6 pós-fecundação, assemelhando-se com os resultados de CURRAN et al. (1986a/b) que o detectaram no 20° com uma freqüência de 188 batimentos/minuto.

O âmnio foi visualizado no dia 30,7 ± 0,7, resultado próximo dos de CURRAN et al. (1986b) e FISSORE et al. (1986), porém, superior aos achados de TOTEY et al. (1991) que o detectaram no 25°dia.

Os membros foram detectados no dia 32,7 ± 0,6, coincidindo com os resultados de TOTEY et al. (1991). As vértebras foram identificadas no dia 40,2 ± 0,7 e os movimentos fetais no 45,6 ± 0,5. TOTEY et al. (1991) identificaram estas características no 50° e 60° dia, respectivamente, visto que no Bos indicus a gestação é mais prolongada que no Bos taurus. Os resultados indicam que do 23° até o 50° dia, a vesícula embrionária teve um crescimento médio no seu diâmetro de 1,38mm, e o embrião aumentou seu comprimento (cabeça-anca) em 1,15mm/dia, coincidindo com os achados de CURRAN et al. (1986b) e TOTEY et al. (1991).

A ultra-sonografia demonstrou ser eficiente para o monitoramento da gestação a partir do 23° dia, confirmando os resultados de MÜLLER (1985) que obteve uma eficiência de 99%. Entretanto, CHAFFAUX et al. (1908) e PIETERSE et al. (1990) obtiveram maior segurança nos exames feitos a partir do 26° dia de gestação. KASTELIC et al. (1989) concluíram que a eficiência é 50% até o 18° dia e de 100% no 20° e 22° dia, justificada pela presença do embrião.

A detecção da prenhez em tempo correspondente a um ciclo estral antes do diagnóstico por palpação retal é viável. A ultra-sonografia possibilita também o monitoramento do desenvolvimento embrionário a partir do 18° dia pós- inseminação.

 

FONTES DE AQUISIÇÃO

a - SCANNER 450 - Pie Medical Inc., Holland.

b - MITSUBISHI P66E - Electric Corporation, Japan.

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

BOYD, J.S., OMRAN, S.N., AYLIFE, T.R. Use of a high frequency transducer with real time B-mode ultrasound scanning to identify early pregnancy in cows Vet Rec, n. 123, p. 8-11, 1988.         [ Links ]

CHAFFAUX, St., BIANCHI, P., BHAT, P. et al. L'échographie en temps réel par voie transrectale-intérêt pour le diagnostic de gestation chez la vache. Rec Méd Vét, n. 164, p. 101-108, 1988.         [ Links ]

CURRAN, S., PIERSON, RA., GINTHER, O.J. Ultrasonographic appearance of the bovine conceptus from days 10 through 20. J Am Vet Med Assoc, v. 189, n. 10, p. 1289-1294,1986a.         [ Links ]

CURRAN, S., PIERSON, R.A., GINTHER. O.J. Ultrasonographic appearance of the bovine conceptus from days 20 through 60. J Am Vet Med Assoc, v. 189, n. 10, p. 1295-1302, 1986b.         [ Links ]

FISSORE, R.A., EDMONDSON, A.J., PASHEN, R.L. et al. The use of ultrasonography for the study of the bovine reproductive tract. II. Non-pregnant, pregnant and pathological conditions of the uterus. Anim Reprod Sci, n. 12, p. 167-177, 1986.         [ Links ]

HAFEZ. E.S.E. Reproduction in farm animais. 5. ed. Philadelphia: Lea & Febiger, 1987, 649 p.         [ Links ]

KÄHN, W. Sonographic fetometry in the bovine. Theriogenology, v. 31, n. 5, p. 1105-1121, 1989.         [ Links ]

KÄHN, W. Sonographic imaging of the bovine fetus. Theriogenology, v. 33, n. 2, p. 385-396, 1990.         [ Links ]

KASTELIC, J.P., CURRAN, S., PIERSON, R.A. et al. Ultrasonic evaluation of the bovine conceptus. Theriogenology, v .29, n. 1, p.39-54, 1988.         [ Links ]

KASTELIC, J.P., CURRAN, S., GINTHER, O.J. Accuracy of ultrasonography for pregnancy diagnosis on days 10 to 22 in heifers. Theriogenology, v. 31, n. 4, p. 813-820, 1989.         [ Links ]

KASTELIC, J.P., GERGFELT, D.R., GINTHER, O.J. Ultrasonic detection of the conceptus and caracterization of intrauterine fluid on days 10 to 22 in heifers. Theriogenology, v. 35, n. 3, p. 569-581, 1991.         [ Links ]

MÜLLER, E. Ultraschall ais untersuchungshifsmittel in der gynäkologie des rindes. Hannover, 1985. 92 p. Tese (Doutorado em Medicina Veterinária, Fisiopatologia da Reprodução) - Escola Superior de Veterinária de Hannover, 1985.         [ Links ]

PIETERSE, M.C., SZENCI, O., WILLEMSE, A.H. et al. Early pregnancy diagnosis in cattle by means of Linear-Array Real-Time ultrasound scanning of the uterus and a quantitative and qualitative milk progesterone test. Theriogenology, v. 33, n. 3, p. 697-707, 1990.         [ Links ]

REEVES, J.J., RANTANEN, N.W., HAUSER, M. Transrectal real-time ultrasound scanning of the cow reproductive tract. Theriogenology, v. 31, n.3, p. 485-494, 1984.         [ Links ]

TOTEY, S.M., SINGH, G., TANEJA, M. et al. Ultrasonography for detection of early pregnancy following embryo transfer in unknown breed of Bos indicus cows. Theriogenology, v. 35, n. 3, p. 487-497, 1991.         [ Links ]

 

 

1Médico Veterinário, Professor, Mestre, Departamento de Patologia Clinica Médica Veterinária, Centro de Ciências Rurais, URCAMP. 96400-110 Bagé, RS.

2 Médico Veterinário, Professor Titular, Doutor, Departamento de Clínica de Grandes Animais, Centro de Ciências Rurais, Universidade Federal de Santa Maria. 97119-900 Santa Maria, RS.

 

Recebido para publicação em 08.03.94. Aprovado em 10.05.94

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License