SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.28 issue1Pulmonary adenomatosis (" jaagsiekte") in sheep from Southern BrazilApomixis in plant breeding author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Article

Indicators

Related links

Share


Ciência Rural

Print version ISSN 0103-8478

Cienc. Rural vol.28 no.1 Santa Maria Jan./Mar. 1998

http://dx.doi.org/10.1590/S0103-84781998000100027 

PANICULITE FIBROGRANULOMATOSA FOCAL EM BOVINO DE MINAS GERAIS

 

FOCAL FIBROGRANULOMATOUS PANICULITIS IN A COW FROM THE STATE OF MINAS GERAIS, BRAZIL

 

Mary Suzan Varaschin1 Adelina Maria da Silva2

 

- RELATO DE CASO -

 

RESUMO

Um caso de "lechiguana" bovina, é relatado em bovino proveniente de Fama, MG, que apresentou aumento de volume de aproximadamente 30x8cm, de consistência firme e com superfície ulcerada, localizado no lado esquerdo da região toracolombar. As lesões microscópicas caracterizaram-se por paniculite piogranulomatosa proliferativa, com linfangite e microabscessos eosinofilicos. Em alguns abscessos havia rosetas (Splendore-HoeppIi) associadas a bactérias Gram-negativas. Após a biópsia o animal foi tratado com 3g diárias de cloranfenicol, por 5 dias. Houve total recuperação dentro de 30 dias.

Palavras-chave: paniculite fibrogranulomatosa, linfangite eosinofilica, "lechiguana", bovino.

 

SUMMARY

A case of a disease known as bovine "lechiguana"' in a cow fron Fama, Minas Gerais is described. The cow presented a 30x8 cm hard swelling covered by ulcerated skin and located at the left side of the dorsum. Histologically there was proliferative piogranulomatous paniculitis with lymphamgitis and eosinophilic microabscesses. In some of the abscessos there were rosettes (Splendore-HoeppIi) associated with Gram-negative bacteria. After a biopsy was performed the animal was treated with 3g/day cloranphenicol for 5 days with complete recovery within 30 days.

Key words: fibrogranulomatous paniculitis, eosinophilic lymphangitis, "lechiguana", cattle.

 

 

INTRODUÇÃO

A doença de bovinos conhecida como "lechiguana" é freqüentemente observada no estado do Rio Grande do Sul (RIET-CORREA et al., 1989, RIET-CORREA et al., 1992b, LADEIRA et al., 1995). A enfermidade caracteriza-se pela ocorrência de neoformação subcutânea, de consistência firme e crescimento rápido com aumento constante de tamanho e, quando não tratada, ocasiona a morte do animal em 3 a 12 meses (RIET-CORREA et al., 1989, RIET-CORREA, 1992a, LADEIRA et al., 1995).

Clinicamente observa-se aumento dos linfonodos regionais e emagrecimento progressivo. A pele que cobre a lesão pode apresentar, em alguns casos, alopecia, espessamento com crostas ou ulcerações (RIET-CORREA et al., 1989, RIET-CORREA, 1992a, RIET-CORREA et al., 1992b). A "lechiguana" apresenta uma distribuição pelo corpo semelhante a infecção por Dermatobia hominis, sugerindo que a D. hominis possa ter um papel na transmissão e iniciação da doença (RIET-CORREA et al., 1992b, LADEIRA et al., 1995).

Microscopicamente, a lesão consiste de proliferação focal de tecido conjuntivo fibroso rico em fibras colágenas, no qual intermeiam-se plasmócitos, eosinófílos e em menor número, neutrófílos. Observa-se também linfangite com dilatação de vasos linfáticos repletos de eosinófílos que se rompem e formam microabscessos em cujos centros ocorrem ocosionalmente estruturas eosinofílicas com colônias de cocobacilos Gram-negativos circundados por clavas eosinofílicas dispostas radialmente na periferia (RIET-CORREA, 1992a, RIET-CORREA et al., 1992b, LADEIRA et al., 1995).

De 14 casos espontâneos de "lechiguana", foi isolada uma bactéria classificada como Pasteurella granulomatis e que é considerada como agente etiológico da lesão (RIET-CORREA, 1992a, RIET-CORREA et al., 1992b). Todas as cepas dessa bactéria mostraram-se sensíveis ao cloranfenicol (RIET-CORREA, 1992a, RIET-CORREA et al., 1992b).

 

RELATO DO CASO

O material estudado origina-se de um bovino sem raça definida, fêmea, com dois anos de idade e aproximadamente 250kg de peso vivo, proveniente do município de Fama, MG, o qual foi enviado ao Setor de Patologia Veterinária da Universidade de Alfenas, MG. Encaminhou-se o animal para a realização de uma biópsia. Fragmentos da lesão foram fixados em formol à 10%, incluídos em parafina, corados pela hematoxilina e eosina (THOMPSON.1966). A coloração de Gram (método McCallum-Goodpasture) foi utilizada para a visualização de bactérias Gram-negativas (THOMPSON, 1966). O animal foi tratado com cloranfenicol intramuscular na dose de 3g diárias durante 5 dias consecutivos.

 

RESULTADOS E DISCUSSÃO

O animal apresentava apatia, emagrecimento progressivo e um aumento de volume de consistência firme medindo 30x8cm localizado no lado esquerdo da região toracolombar, a partir do 11° espaço intercostal (Figura 1). A massa tecidual estava aderido aos planos musculares profundos e recoberta por pele alopécica e ulcerada na porção central superior. Os linfonodos regionais estavam acentuadamente aumentados de volume.

 

 

O proprietário não soube informar o tempo de evolução, mas há informação de que a doença começou com a presença de larvas de Dermatobia hominis no local onde se desenvolveu a lesão. Como a suspeita clínica era de "lechiguana", deu-se início imediato ao tratamento com cloranfenicol intramuscular na dose de 3 g diárias durante 5 dias consecutivos, conforme recomendado (RIET-CORREA, 1992a, RIET-CORREA et al., 1992b). Logo após o início da antibioticoterapia, o animal mostrou-se alerta, voltando ao normal. A redução total da lesão ocorreu 30 dias após o início do tratamento.

Microscopicamente a lesão consistia de grande proliferação de tecido fibroso com dilatação de vasos linfáticos contendo numerosos eosinófilos, alguns neutrófilos e mononucleares, com o acúmulo de restos de eosinófilos na parede do vasos (Figura 2). Esses linfáticos romperam-se formando microabscessos. No centro de alguns microabscessos havia presença de rosetas (reação de Splendore-Hoeppli) (Figura 3). associados a cocobacilos Gram-negativos, visualizados mediante coloração de Gram (método MacCallum-Goodpasture). Grande parte dessas células inflamatórias se estendiam ao tecido fibroso circunjacente.

 

 

 

 

Apesar de não ter sido feito cultivo bacteriológico, o histórico, os sinais clínicos, as lesões macro e microscópicas e a resposta ao tratamento com cloranfenicol, permitiram o diagnóstico de "lechiguana". Aspectos semelhantes foram descritos por RIET-CORREA et al. (1989), RIET-CORREA (1992a) e RIET-CORREA et al. (1992b). Há descrições de casos de "lechiguana" somente no Rio Grande do Sul (RIET-CORREA et al., 1989, RIET-CORREA, 1992a, RIET-CORREA et al., 1992b). O presente trabalho tem por objetivo chamar a atenção para a ocorrência da doença no estado de Minas Gerais.

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

LADEIRA, S.L., RIET-CORREA, F., PEREIRA, D.B., et al. Role of Pasteurella granulomatis and Dermatobia hominis in the etiology of Lechiguana in cattle. Annals of the New York Academy of Sciences. v. 141, p. 359-368. 1995.         [ Links ]

RIET-CORREA, F. Lechiguana. In: SCHILD, A.L., RIET-CORREA, F., MÉNDEZ, M.C., et al. Laboratório regional de diagnóstico. Doenças diagnosticadas no ano de 1991. Pelotas: Gráfica Universitária, 1992a, p. 20-24.         [ Links ]

RIET-CORREA, F., ALMEIDA, S.M., MÉNDEZ, M.C., et al. Reprodução experimental de um granuloma progressivo em bovinos conhecido como "lechiguana". A Hora Veterinária. Ano 8, n. 470,p.25-28, 1989.         [ Links ]

RIET-CORREA, F.. MÉNDEZ, M.C., SCHILD. A.L.. et al. Bovine focal fibrogranulomatous paniculitis (lechiguana) associated with Pasteurella granulomatis. Vet Pathol, v. 29. p. 93-103, 1992b.         [ Links ]

THOMPSON, S.W. Select histochemical and histopathological methods. Sprinfield: Charles C. Thomas, 1966. 1639 p.         [ Links ]

 

 

1 Médico Veterinário, Mestre, Professor de Patologia Animal, Universidade de Alfenas (UNIFENAS). Rodovia MG 179, Km 0, 37130-000, Alfenas-MG. Autor para correspondência.

2 Médico Veterinário, Mestre, Professor de Clínica Cirúrgica na UNIFENAS.

Recebido para publicação em 27.05.97. Aprovado em 02.07.97