SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.38 issue5Contamination profile for staphylococci and its enterotoxins and monitorization of the conditions of hygiene in a ‘coalho' cheese production lineGrafting of thornless "faveleira" Cnidoscolus phyllacanthus author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Ciência Rural

Print version ISSN 0103-8478On-line version ISSN 1678-4596

Cienc. Rural vol.38 no.5 Santa Maria Aug. 2008

http://dx.doi.org/10.1590/S0103-84782008000500038 

NOTA
FITOTECNIA

 

Manutenção da área foliar e produtividade de arroz irrigado com a aplicação de fertilizantes foliares no estádio de emborrachamento

 

Foliar area maintenance and yield with application of foliar fertilizers on booting stage of irrigated rice

 

 

Edinalvo Rabaioli CamargoI; Enio MarchesanII, 1; Luis Antonio de AvilaII; Leandro Souza da SilvaIII; Tiago Luis RossatoIV; Paulo Fabrício MassoniIV

IPrograma de Pós-graduação em Agronomia, Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Santa Maria, RS, Brasil
IIDepartamento de Fitotecnia, Centro de Ciências Rurais (CCR), UFSM, 97105-900, Santa Maria, RS, Brasil. Email: emarch@ccr.ufsm.br
IIIDepartamento de Solos, CCR, UFSM, Santa Maria, RS, Brasil
IVCurso de Agronomia, UFSM, Santa Maria, RS, Brasil

 

 


RESUMO

A utilização de fertilizantes foliares, aplicados ao final do ciclo da cultura do arroz irrigado, pode proporcionar complementação nutricional para a planta e proteção contra patógenos com reflexos na produtividade. O objetivo do estudo foi avaliar a utilização de fertilizantes foliares, aplicados no estádio de emborrachamento, sobre a produtividade do arroz irrigado. O experimento foi conduzido no ano agrícola 2005/2006, em área experimental de várzea do Departamento de Fitotecnia da Universidade Federal de Santa Maria. O delineamento experimental utilizado foi o de blocos ao acaso com quatro repetições. Os tratamentos foram compostos por 10 fertilizantes foliares, dois produtos aplicados via sementes, um fungicida e a testemunha. Os fertilizantes não influenciaram qualquer parâmetro avaliado. As condições climáticas e o manejo da adubação anterior à aplicação dos tratamentos foliares propiciaram condições favoráveis para o arroz expressar o seu potencial produtivo, em torno de 10.000kg ha-1. Neste nível de produtividade, os produtos utilizados não aumentaram a produtividade do arroz irrigado.

Palavras-chave: fosfito de potássio, micronutrientes, nitrogênio, Oryza sativa L., senescência foliar.


ABSTRACT

The use of foliar fertilizers applied to the reproductive phase of rice can improve the plant nutrition and protect the field against foliar diseases with gains in yield. The objective of this experiment was to evaluate the use of the foliar fertilizers applied to the booting stage in order to verify the irrigated rice yield. The experiment was carried out in 2005/06 in a lowland area in Santa Maria-RS, Brazil. The treatments, arranged in a randomized block design with four replications, were constituted by 10 foliar fertilizers available in the market, two products applied to seeds, a fungicide, and a check treatment. The treatments presented no effects on any of the variables studied. The suitable climatic conditions and the fertilizer management carried out before the application of the foliar treatments led to the achievement of about 10,000 kg ha-1 yield, showing that there was no limitation on the level of yield obtained. The products utilized in this study did not increase the irrigated rice yield.

Key words: potassium phosphate, micronutrients, nitrogen, Oryza sativa L., foliar senescence.


 

 

Na produção de arroz irrigado do Rio Grande do Sul, o aperfeiçoamento técnico e tecnológico, que vem sendo proposto pelos órgãos de pesquisa e adotado pelos produtores, tem propiciado incremento na produtividade. Para manutenção dessa condição ou mesmo superação dos patamares atuais, o manejo correto da nutrição de plantas torna-se indispensável. Nesse sentido, a utilização de fertilizantes foliares, aplicados próximos ao final do ciclo da cultura, poderá proporcionar uma complementação nutricional, no momento em que a translocação de fotoassimilados para os grãos é determinante para a produtividade (NTANOS & KOUTROUBAS, 2002), atrasando a progressão da senescência foliar. O objetivo do presente estudo foi caracterizar a utilização de fertilizantes foliares aplicados no estádio de emborrachamento na produtividade do arroz irrigado.

O experimento foi conduzido durante o ano agrícola de 2005/06, no Departamento de Fitotecnia da Universidade Federal de Santa Maria, em um solo classificado como Planossolo Hidromórfico eutrófico arênico, com as seguintes características físico-químicas: argila = 34%; pHágua(1:1) = 5,7; P = 9,3mg dm-3; K = 52mg dm-3; Ca = 7,5cmolc dm-3; Mg = 3cmolc dm-3 e M.O. = 2,5%. O delineamento experimental utilizado foi de blocos ao acaso com quatro repetições. Os tratamentos foram compostos pela seleção de fertilizantes foliares disponíveis no mercado (T1 a T10), além de dois produtos aplicados via sementes (T11), um fungicida (T12) e uma testemunha (T13), que se encontram listados na tabela 1.

O preparo do solo para implantação da cultura foi realizado com gradagens e posterior aplainamento superficial do terreno, sendo a semeadura realizada em 03 de novembro de 2005, utilizando-se 110kg ha-1 de sementes da cultivar “IRGA 417”, tratada com inseticida. A adubação fosfatada e potássica foi realizada com a distribuição na linha de semeadura de 45kg ha-1 de P2O5 e 90kg ha-1 de K2O. A emergência das plântulas ocorreu 12 dias após a semeadura, obtendo-se população média 200 plantas m-2 e o controle das plantas daninhas foi realizado aos 15 dias após a emergência (DAE). A primeira aplicação do fertilizante nitrogenado foi feita no estádio V4 do arroz (15 DAE), segundo escala de COUNCE et al. (2000), utilizando-se 90kg ha-1 de nitrogênio em solo não-inundado, seguida de irrigação definitiva da área. A segunda aplicação nitrogenada de cobertura foi realizada no estádio de iniciação da panícula (RO), aplicando-se 30kg ha-1 de nitrogênio.

Os tratamentos foram aplicados durante o estádio de emborrachamento (R2), com exceção dos produtos Sol Seed + Zinco Sol 7 (T11), que foram aplicados como tratamento de semente. Os fertilizantes foliares foram aplicados no início do estádio R2 (74 DAE), já a aplicação do fungicida foi conduzida no final do estádio R2 (78 DAE), realizando a pulverização da mistura formulada de propiconazol + trifloxistrobina (93,75 + 93,75g ha-1). As aplicações foliares foram realizadas com pulverizador costal de precisão pressurizado a CO2, utilizando-se 200L ha-1 de calda. Os demais tratos culturais foram conduzidos conforme a recomendação técnica para a cultura.

O índice SPAD foi determinado por meio de um clorofilômetro, modelo SPAD 502 DL Meter (Minolta). A leitura média de cada tratamento foi resultante da observação de dez folhas bandeiras, realizando-se aferições nas extremidades e no centro de cada folha. Determinou-se ainda a senescência foliar por meio da observação visual das plantas na área da parcela. Para tanto, utilizou-se uma escala de 0 a 100, que corresponde à porcentagem de folhas totalmente verdes e totalmente senescentes (cloróticas), respectivamente (CARLESSO et al., 1998).

A avaliação da severidade de doenças foliares também foi realizada por meio de observações visuais, estimando-se a percentagem da área foliar atacada. A produtividade de grãos foi estimada em 6,0m2 (5,0m x 1,2m), quando os grãos apresentavam umidade média de 22%. Após a trilha, limpeza e pesagem dos grãos com casca, os dados foram corrigidos para 13% de umidade e convertidos para kg ha-1. Os componentes da produtividade foram determinados pela contagem das panículas em um metro previamente demarcado e pela coleta de 10 panículas por ocasião da colheita. Os dados obtidos foram submetidos à análise de variância e as médias comparadas pelo teste de Tukey (P=0,05). Os dados de senescência foliar, severidade de doenças, esterilidade de espiguetas e rendimento industrial de grãos foram transformados para .

Nas avaliações realizadas anteriormente à colheita, não foi verificado efeito dos tratamentos aplicados (Tabela 2). A porcentagem de folhas senescentes aumentou no período de enchimento de grãos, sendo que os valores médios situavam-se em 5% no estádio R6 (elongação de pelo menos uma cariopse até a extremidade da casca) e atingiram 27% em R8 (formação de grãos com casca marrom). Este é um comportamento natural durante o período de enchimento de grãos, decorrente da impossibilidade de formação de folhas novas e da necessidade de remobilização de nitrogênio, que aceleram a senescência foliar e resultam no decréscimo da atividade fotossintética (OOKAWA et al., 2003). A severidade de mancha parda (Drechslera oryzae), única doença foliar verificada na área, foi consideravelmente baixa nas duas avaliações realizadas. Nesta condição, até mesmo o tratamento fúngico (T12) não propiciou efeito diferenciado para o controle das doenças foliares. Assim, a observação de possível efeito protetor dos tratamentos compostos por fosfitos de potássio, tais como o Phosphorus-k (T4) e Pyto Sol PK (T10) foi impossibilitada.

Não houve diferença entre os tratamentos para o índice de SPAD nas avaliações realizadas durante o período de enchimento de grãos, mesmo para produtos contendo nitrogênio, havendo um decréscimo de 35 para 24 entre a avaliação em R5 (85 DAE) e R8 (115 DAE). A redução do índice SPAD relaciona-se com o aumento da senescência foliar, ocasionando o declínio da capacidade fotossintética, que é decorrente de alterações funcionais da unidade fotossintética (HIDEMA, 1991).

A produtividade de grãos e os seus componentes não foram afetados pelos tratamentos (Tabela 3). As condições climáticas e o manejo nutricional conduzido anteriormente à aplicação dos tratamentos foram suficientes para obtenção de produtividade superior a 10.000kg ha-1, indicando que não houve limitação para os níveis produtivos obtidos. Com relação aos tratamentos contendo micronutrientes (T5, T6, T7 e T11), resultados semelhantes foram obtidos em estudo conduzido durante três anos por MARCHESAN et al., (2001) em que não se verificou efeito na produtividade. Nos níveis de produtividade obtidos, a utilização de fertilizantes foliares na fase reprodutiva não promoveu acréscimo na produtividade e na qualidade física dos grãos de arroz irrigado.

 

REFERÊNCIAS

CARLESSO, R. et al. Índice de área foliar e altura de plantas de arroz submetidas a diferentes práticas de manejo. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, v.2-3, p.268-272, 1998.         [ Links ]

COUNCE, P.A. et al. A uniform, objective and adaptive system for expressing rice development. Crop Science, n.40, p.436-443, 2000.         [ Links ]

HIDEMA, J. et al. Photosynthetic characteristics of rice leaves under different irradiances from full expansion through senescence. Plant Physiology, v.97, p.1287-1293, 1991.         [ Links ]

MARCHESAN, E. et al. Adubação foliar com micronutrientes em arroz irrigado, em área sistematizada. Ciência Rural, v.31, n.6, p.941-945, 2001.         [ Links ]

NTANOS, D.A.; KOUTROUBAS, S.D. Dry matter and N accumulation and translocation for Indica and Japonica rice under Mediterranean conditions. Field Crops Research, v.74, p.93-101, 2002.         [ Links ]

OOKAWA, T. et al. A comparasion of the accumulation and partitioning of nitrogen in plants between two rice cultivares, Akenohoshi and Nipponbare, at the ripening stage. Plant Production Science, v.6, n.3, p.172-178, 2003.         [ Links ]

 

 

Recebido para publicação 15.01.07
Aprovado em 07.11.07

 

 

1 Autor para correspondência.

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License