SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.39 issue1Carbohydrates fractioning of late crop corn silages harvested at different cutting heightSustained swimming and stocking density interaction in the performance and body composition of matrinxã Brycon amazonicus juveniles author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Ciência Rural

Print version ISSN 0103-8478On-line version ISSN 1678-4596

Cienc. Rural vol.39 no.1 Santa Maria Jan./Feb. 2009

http://dx.doi.org/10.1590/S0103-84782009000100030 

ARTIGOS CIENTÍFICOS
PRODUÇÃO ANIMAL

 

Efeito de dois níveis de proteína para machos reprodutores de corte com e sem retirada da crista

 

Effect of two levels of protein for broiler breeders males with and without retreat of the crest

 

 

Walter LuccaI, 1; Alexandre Pires RosaII; Rodrigo UttpatelI; Elenice Zucuni FrancoI; Harvey Machado de SouzaIII; Leandro Irion AcostaIV

IPrograma de Pós-graduação em Zootecnia, Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Santa Maria, RS, Brasil
IIDepartamento de Zootecnia, UFSM, Santa Maria, RS, Brasil
IIICurso de Medicina Veterinária, UFSM, Santa Maria, RS, Brasil
IVCurso de Zootecnia, UFSM, Santa Maria, RS, Brasil

 

 


RESUMO

O objetivo deste experimento foi avaliar o efeito de diferentes níveis de proteína bruta (PB) na dieta para machos com ou sem crista. Peso corporal, volume de sêmen, número de células espermáticas e fertilidade foram os parâmetros avaliados. Foram utilizados 32 machos Cobb 500, 50% com crista inteira e 50% sem crista. Todos os machos foram submetidos às mesmas condições de manejo. Eles foram alojados em gaiolas metálicas individuais, com comedouro e bebedouro. O delineamento experimental usado foi o inteiramente casualizado com esquema fatorial 2x2, com duas condições de crista (com e sem) e dois níveis de proteína bruta (12 e 16%). O sêmen foi coletado por meio do método americano e o número de células espermáticas foi determinado por meio da câmara de Neubauer. Na 42ª, 43ª e 44ª semanas de idade, seis fêmeas para cada tratamento foram inseminadas artificialmente. As inseminações foram realizadas duas vezes por semana com sêmen fresco na dose de 0,05ml. Os ovos foram coletados quatro vezes por dia, identificados, desinfetados e incubados nas mesmas condições. Depois de 21 dias de incubação, os ovos foram quebrados e examinados macroscopicamente para análise da fertilidade. O nível de 12% de proteína bruta foi suficiente para atender as exigências reprodutivas, e a permanência da crista influenciou apenas o peso corporal dos machos, em que machos com crista apresentaram maior peso corporal.

Palavras-chave: fertilidade, crista, reprodutor de corte, proteína bruta.


ABSTRACT

The objective of this trial was evaluated the effect of different crude protein (CP) levels of diet for males with or without coumbing. Body weight, semen volume, number of spermatic cells and fertility were evaluated. A total of 32 males Cobb 500 were used being 50% coumbed and 50% decoumbed males. The roosters were exposed the same management conditions in starting and rearing phases. They were housed in individual metallic cages with feeders and drinkers. The experimental design was entirely casualized in a factorial 2x2, two comb conditions (with or without) and two levels of crude protein (12 and 16%). Semen was collected using the American methods and number of spermatic cells was determined by counting in Neubauer chamber. At 42, 43 and 44 weeks of age, six females were artificially inseminated by treatment, twice a week, with dosage of 0.05ml of fresh semen. The eggs were collected four times a day, identified, disinfected and incubated in similar conditions. After 21 day of incubation they were broken and examined macroscopically to analyze the fertility. The level of 12% of crude protein was enough to assist the reproductive demands and the permanence of males. Combed males had body weight higher than without combed males.

Key words: fertility, crest, broiler breeders males, crude protein.


 

 

INTRODUÇÃO

Embora sejam executados rotineiramente nas empresas avícolas, certos manejos têm base científica bastante controversa. Como exemplo, pode-se citar o corte da crista dos reprodutores de corte ainda no incubatório. KHAN & JOHNSON (1970) citam que a crista inteira favorece a dissipação do calor corporal das aves em climas quentes, e essa função é prejudicada com a retirada da crista, já FAIRFULL et al. (1985) observam que a retirada da crista reduz a perda de energia das aves em regiões frias.

Existem outras justificativas para realizar o corte da crista como, por exemplo, evitar as lesões provocadas na crista devido às brigas com outros machos. Por outro lado, CELEGHINI et al. (2001) citam que a seleção dos reprodutores na 20ª semana por meio da observação do desenvolvimento da crista, é eficaz, por isso, é interessante manter a crista intacta. Apesar das várias opiniões sobre esse tema, são poucas informações disponíveis sobre o impacto reprodutivo do corte ou não da crista no desempenho dos reprodutores de corte.

Freqüentemente se observa uma resposta animal divergente para uma mesma dieta. Uma grande parte dessas divergências se deve ao manejo que esses animais sofreram e vice-versa. Então, é importante buscar uma aliança entre manejo e nutrição para serem obtidos bons resultados.

As proteínas apresentam as mais diversificadas funções no organismo. A falta de proteína prejudica a produtividade das aves, porém, o excesso reduz a eficiência devido ao incremento calórico. Dietas com 16% de PB são utilizadas na alimentação de fêmeas, e esta mesma ração é fornecida aos galos. Isso representa um custo 7 a 11% maior do que uma dieta específica com 12% de proteína para reprodutores de corte (TARDIN, 1990).

Machos de corte alimentados com dietas contendo 12% de PB apresentam melhora na fertilidade de 1 a 2,5% (ADJANOHOUN, 1993). A excessiva ingestão de proteína bruta pelos machos, quando alimentados juntamente com as fêmeas, reduz a produção de esperma e sua viabilidade, afetando a fertilidade e a eclodibilidade (MCDANIEL, 1985). Esse último pesquisador demonstrou que os machos produziram maior volume de sêmen quando receberam dieta com 12% de proteína bruta em relação aos que receberam 16% de proteína bruta.

A elevação do nível de PB da dieta eleva os níveis de aminoácidos e, desse modo, supera as necessidades dos aminoácidos limitantes. Dietas com níveis protéicos elevados sobrecarregam os processos de digestão, absorção e eliminação do nitrogênio não aproveitável, afetando diretamente o fígado e os rins. Esses efeitos reduzem a eficiência dessas rações, além de elevar o custo (BERTECHINI, 1998).

Avaliando dietas contendo 9; 12 e 15% de PB, WILSON et al. (1987a) observaram que os machos que receberam 9% de proteína não alteraram a maturidade sexual. Além disso, houve efeitos na quantidade de sêmen produzido, comparado com os demais tratamentos. Machos alimentados com 12 e 14% de proteína bruta a partir da 4ª semana de idade apresentaram produção de sêmen mais precoce e maior número de espermatozóides do que os machos alimentados com níveis de 16 e 18% de proteína bruta (WILSON et al., 1987b).

Os requerimentos protéicos estão subdivididos em manutenção e produção. A redução destes desencadeia aumento na taxa de mortalidade e má formação dos embriões, embora um nível baixo de proteína bruta na dieta produza maior fertilidade no final do período reprodutivo (ADJANOHOUN, 1993).

Em estudos com diferentes níveis de proteína bruta de 10, 12, 14 e 16% com os mesmos níveis de metionina e lisina, foi verificado que, com os níveis 10,0 e 12,0% de proteína, as aves obtiveram resultados significativos quanto à fertilidade e eclodibilidade entre a 30ª e a 64ª semana (LOPEZ & LEESON, 1995). Pesquisadores como JUNQUEIRA et al. (1996) e LEESON & SUMMERS (2000) citam que níveis baixos de proteína bruta na ração, variando entre 12 e 15%, podem ser usados, desde que se atente para as quantidades de metionina e lisina.

O objetivo deste estudo foi comparar o efeito de dois níveis de proteína bruta para reprodutores de corte, aliados ou não ao corte da crista sobre o peso corporal, a produção de sêmen, a concentração de células espermáticas e a fertilidade.

 

MATERIAL E MÉTODOS

O experimento foi conduzido de fevereiro a agosto de 2002, nas instalações do Laboratório de Avicultura (LAVIC), do Departamento de Zootecnia, da Universidade Federal de Santa Maria, Rio Grande do Sul, (RS). Para a execução do experimento, foram adquiridos 32 reprodutores da linhagem Cobb 500, com um dia de idade, sendo 50% com crista e os demais sem crista. A ausência da crista foi devida à cauterização realizada no incubatório da Agrogen Desenvolvimento Genético Ltda, com sede no município de Montenegro, RS.

No período pré-experimental, ou seja, na fase de cria e recria (da 1ª à 22ª semana), todas as aves receberam os mesmos níveis nutricionais e as mesmas condições de manejo, conforme manual da linhagem. Assim, ainda no incubatório, as aves receberam a vacina contra a doença de Marek e cauterização da espora. A debicagem ocorreu no 6° dia de idade.

Durante as três primeiras semanas, a alimentação foi ad libitum e depois foi restrita para controlar o peso e a uniformidade das aves (obtida por pesagens semanais). O incremento alimentar foi realizado a fim de manter o peso padrão da linhagem. A seleção dos machos foi realizada na 8ª, na 14ª e na 22ª semana de idade, quando foram realizadas pesagens totais, e as aves agrupadas conforme faixa de peso corporal (Leves Médias e Pesadas), sendo 33% de aves para cada categoria de peso. Na 22ª semana, os machos foram distribuídos, conforme tratamentos, em gaiolas individuais, metálicas, de 0,3 x 0,4 x 0,4m (frente, altura, profundidade), dotadas de bebedouro e comedouro.

As dietas experimentais eram isonutritivas, com exceção dos níveis de proteína bruta, conforme tabela 1. Durante o período experimental (da 24ª à 44ª semana de idade), a alimentação foi de 125g/ave/dia, fornecida diariamente pela manhã, sempre no mesmo horário.

 

 

O delineamento experimental foi inteiramente casualizado em esquema fatorial 2x2, com duas condições de crista (com ou sem) e dois níveis de proteína bruta (12 e 16%). Cada tratamento foi constituído de oito repetições, com um macho por unidade experimental. Foram aplicados quatro tratamentos: Machos com crista e 12% de PB; Machos sem crista e 12% de PB; Machos com crista e 16% de PB; e Machos sem crista e 16% de PB. Na 24ª semana foi iniciada a coleta dos dados. A pesagem das aves foi realizada a cada 14 dias. A coleta de sêmen foi realizada nas semanas em que não houve pesagem, ou seja, entre 25ª e 43ª semanas, por meio do método americano, em que o reprodutor é estimulado por meio de massagem abdominal, conforme descrito por BRILLARD (1992).

O sêmen foi coletado em tubos de ensaio de vidro, com diâmetro de 1,5cm graduados em mililitros, padronizados pelo “INMETRO”. A diluição para a contagem das células espermáticas foi de 1/200, seguindo a mesma técnica usada para bovinos (BRILLARD, 1992). A diluição do sêmen foi feita com solução salina tamponada de formol para manter a integridade das células. Essa diluição foi composta de Citrato de Sódio 29% e Formol 37%, (96ml de Citrato; 4ml de Formol para 100ml, respectivamente). A contagem das células foi realizada por meio da câmara de Neubauer, em cinco campos de cada lado da câmara. Após obtenção da média, o valor foi multiplicado pela constante de diluição (10000), e o valor foi expresso em número de células espermáticas por mm3.

A fertilidade foi avaliada por meio da inseminação artificial realizada em 192 fêmeas Barred Plymouth Rock entre a 42ª e a 44ª semana. Para tanto, foram realizadas duas inseminações por semana após 14 horas com sêmen fresco na dose de 0,05ml por ave conforme (ROSA et al.1995). Os ovos foram coletados quatro vezes ao dia, identificados e fumigados com Permanganato de Potássio e Formol a 37% armazenados em sala climatizada (18°C e 65% Umidade Relativa) por um período de, no máximo, quatro dias até o início da incubação. A fertilidade foi avaliada no vigésimo primeiro dia de incubação, por meio da contagem dos pintos nascidos e avaliação dos ovos não eclodidos. Para a verificação dos ovos fertilizados, foram quebrados todos os ovos não eclodidos, calculando-se assim a fertilidade e a eclodibilidade (MARQUES, 1986).

 

RESULTADOS E DISCUSSÃO

Não foi observado efeito significativo na interação entre níveis de proteína bruta na dieta e a presença ou não da crista em reprodutores machos (P>0,05). Quando os fatores foram avaliados isoladamente, foi observado que não houve efeito significativo (P>0,05) dos níveis protéicos estudados quanto ao peso corporal dos machos (Tabela 2). A queda de peso ocorrida a partir da 36ª semana foi devida à redução da temperatura ambiente, conforme demonstrado na figura 1, pois as aves estavam alojadas em ambiente não-climatizado.

 

 

Nos estudos realizados por ADJANOHOUN (1993), a queda de 6 a 7°C na temperatura ambiente sem suplementação de energia na dieta provocou redução no volume de sêmen, o que ficou comprovado no presente experimento, já que houve queda de temperatura, e a quantidade de ração (125g ave-1 dia-1) foi mantida sem alterações. Porém, evidencia-se o efeito positivo (P<0,05) da presença da crista sobre o peso corporal dos machos, pois na 24ª; 26ª; 28ª; 40ª; 42ª e 44ª semana, machos com crista apresentaram pesos corporais superiores aos demais (Tabela 2).

Os tratamentos não afetaram o volume de sêmen, concordando com os estudos de WILSON et al. (1987b) e COUTO et al. (1998), os quais não encontraram diferenças no volume de sêmen produzido. por aves que receberam diferentes níveis protéicos No entanto, MCDANIEL (1985) relatou que machos alimentados com 12% de PB produziram maior volume de sêmen que machos alimentados com 16% de PB.

Houve diferença significativa (P<0,05) quanto à concentração de células espermáticas dos galos submetidos aos tratamentos na 37ª (P=0,0869), 39ª (P=0,0437) e 43ª (P=0,0029) semana, quando os machos alimentados com 16% de PB apresentaram maior concentração espermática (Tabela 3). Porém, COUTO et al. (1998) não observaram efeito do nível de PB sobre esse parâmetro entre a 44ª e a 72ª semana de idade dos galos.

Discordando dos resultados obtidos neste estudo, HOCHING (1990) concluiu que machos alimentados com dietas contendo 16% de PB tiveram menor concentração de células espermáticas em relação aos machos alimentados com 12% de PB. No entanto em relação ao efeito crista, nada foi observado. Quanto ao efeito do corte ou não da crista, vários pesquisadores observaram que nenhuma característica produtiva foi afetada (MARKS & SIEGEL, 1960; LOGAN, 1965).

Pela transformação logarítmica na base 10, houve interação entre tratamentos (P<0,05) na 43ª semana, em que a maior concentração espermática ocorreu no tratamento com 16% de PB com crista inteira, e as menores concentrações ocorreram nos dois tratamentos que tinham 12% de PB, sendo que o tratamento com 16% PB e sem crista não diferiu dos demais (Tabela 4).

A variação de fertilidade entre os machos que receberam 12 ou 16% de PB não foi significativa (P>0,05). Esses resultados concordam com os estudos realizados por COUTO et al. (1998), que não observaram efeito do nível de proteína bruta na dieta sobre a fertilidade, contudo, discordam dos resultados obtidos por HOCKING (1990), que encontrou maiores índices de fertilidade quando os galos eram alimentados com dietas contendo 12% de PB. Porém, a fertilidade foi influenciada pelo corte ou não da crista (P=0,0873) na 44ª semana, quando machos com crista apresentaram índices maiores de fertilidade (Tabela 5).

 

 

CONCLUSÕES

Em dietas para reprodutores de corte, o nível de 12% de proteína bruta é suficiente para manter um bom desempenho reprodutivo.

 

AGRADECIMENTOS

À Agrogen Desenvolvimento Genético Ltda. e à Vitagri Indústria, Comércio e Serviços Ltda, pelo apoio para a realização deste trabalho. À Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal (CAPES) e ao Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), pela concessão de bolsa ao primeiro e ao segundo autor, respectivamente. Ao Laboratório de Avicultura (LAVIC) da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), pela infra-estrutura para a realização do trabalho.

 

REFERÊNCIAS

ADJANOHOUN, E. Manejo do macho e fertilidade. In: CONFERÊNCIA APINCO DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA AVÍCOLAS, 1993, Santos, SP. Anais... Santos: Fundação Apinco de Ciência e Tecnologia Avícolas, 1993. p.33-46.         [ Links ]

BERTECHINI, A.G. Nutrição de monogástricos. Lavras: UFLA/ FAEPE, 1998. 193p.         [ Links ]

BRILLARD, J.P. Production de pollitos de carne por inseminación artificial. Técnicas en Avicultura, Montevideo, v.8, n.43, p.1335-1339, 1992.         [ Links ]

CELEGHINI, E.C.C. et al. Avaliação das características seminais de galos selecionados para a reprodução pelo desenvolvimento da crista. Brazilian Journal Veterinary Research and Animal Science, São Paulo, v.38, n.4, p.177-183, 2001.         [ Links ]

COUTO, P.C. et al. Níveis de proteína em rações de galos reprodutores de corte. Revista Brasileira de Zootecnia, Viçosa, v.27, n.1, p.95-103, 1998.         [ Links ]

FAIRFULL, R.W. et al. Effects of comb dubbing on the performance of laying stocks. Poultry Science, Savoy, v.64, p.434-439, 1985.         [ Links ]

HOCHING, N.H. The relatonship between dietary crude protein, body weight and fertility in naturally mated broiler breeder males. Poultry Science, Savoy, v.31. n4, p.743-757, 1990.         [ Links ]

JUNQUEIRA, O.M. et al. Nutrição de matrizes pesadas. In: SIMPÓSIO LATINO-AMERICANO DE NUTRIÇÃO ANIMAL E SEMINÁRIO SOBRE TECNOLOGIA DA PRODUÇÃO DE RAÇÕES. 11., 1996, Campinas, SP. Anais... Campinas: Colégio Brasileiro de Nutrição Animal, 1996. p.255-265        [ Links ]

KHAN, M.N.; JOHNSON, W.A. Physifiological response of White Leghorn layer to dubbing. Poultry Science, Savoy, v.49, p.1402, 1970.         [ Links ]

LEESON, S.; SUMMERS, J.D. Broiler breeder production. Guelph:University Books, 2000. 329p.         [ Links ]

LOPEZ, G.; LEESON, S. Response of broiler breeders to low-protein diets. Adult breeders performance. Poultry Science, Savoy, v.74 p.685-695, 1995.         [ Links ]

LOGAN, V.A. Influence of cages versus floor, density and dubbing on laying house performance. Poultry Science, Savoy,v.44, p.974-979, 1965.         [ Links ]

MARQUES, D. Manual do incubador. Amparo: CASP, 1986. 213p.         [ Links ]

MARKS, H.L.; SIEGEL, P.B. The influence of dubbing on various production characteristics. Poultry Science, Savoy, v.39, p.1091-1097,1960.         [ Links ]

McDANIEL G.R. Comedouros separados para reprodutores machos y hembras. Troutman: Pilch, 1985. 52p.         [ Links ]

ROSA A.P. et al. Influência de intervalos da inseminação artificial e do estresse do manejo da inseminação na produção e fertilidade de fêmeas avícolas. Ciência Rural, Santa Maria, v.25, n.3, p.443-447, 1995.         [ Links ]

TARDIN, A.C. Novos conceitos de alimentação de matrizes pesadas. Revista Brasileira de Zootecnia, Viçosa, v.27, p.36-70, 1990.         [ Links ]

WILSON, J.R. et al. Dietary protein levels for broiler breeder males. Poultry Science, Savoy, v.66, p.237-242, 1987a.         [ Links ]

______. Semen and carcass evaluation of broiler breeder males fed low protein diets. Poultry Science, Savoy, v.66, p.1535-1540, 1987b.         [ Links ]

 

 

Recebido para publicação 13.06.07
Aprovado em 23.07.08

 

 

1 Autor para correspondência.

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License