SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
Projeções oblíquas em mielografias são imprescindíveis para localizar lesões author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Ciência Rural

Print version ISSN 0103-8478

Cienc. Rural vol.40 no.11 Santa Maria Nov. 2010

https://doi.org/10.1590/S0103-84782010012100001 

Extrato de alho quebra a dormência de videiras em regiões mais quentes

 

 

Pesquisadores da Universidade Estadual do Centro-Oeste (Unicentro), de Guarapuava, Paraná, e do Instituto Agronômico de Campinas descobriram que o extrato de alho tem grande potencial para a quebra de dormência de videiras 'Niagara Rosada', em regiões onde o inverno é mais brando. O estudo foi publicado no periódico Ciência Rural, número 40, de novembro de 2010.

A pesquisa testou o uso do extrato de alho em dois vinhedos comerciais de 'Niagara Rosada' (Vitis labrusca) do estado de São Paulo, localizadas em Jundiaí e Indaiatuba. Depois de podadas as videiras foram tratadas com produtos comerciais como Bioalho (extrato de alho), Dormex (H2CN2) e Hiraguen-S. Depois da poda, os seguintes tratamentos foram pulverizados a ponto de gotejamento no estado de gema dormente: extrato de alho a 0, 14, 28, 42, 56 e 70 mL/L, CaCN2 a 200g/L e H2CN2 a 25 g/L.

Os resultados mostraram que a dose mais elevada de extrato de alho (70mL/L) tem um grande potencial para a quebra de dormência na produção orgânica, apresentando efeitos similares aos das cianamidas. Além disso, este tratamento aumentou a porcentagem de brotação e o número de cachos, antecipou o começo da brotação e reduziu o ciclo entre poda e colheita.

De acordo com o pesquisador Renato Vasconcelos Botelho, a importância da pesquisa está em oferecer uma tecnologia de quebra de dormência de videiras segura que pode ser utilizada como alternativa no tratamento de videiras onde o inverno é mais ameno. Ainda, esse tratamento pode ser utilizado em sistemas orgânicos ou agroecológicos, pois não oferece riscos tóxicos como outras substâncias químicas utilizadas em larga escala pela viticultura mundial, como a cianamida hidrogenada.

Apesar de já existirem estudos que testam a eficiência do extrato de alho na quebra de dormência de videiras, essa pesquisa inova por apresentar resultados com extrato de alho similares ao uso convencional de cianamida hidrogenada. "A forma desenvolvida neste projeto foi alcançado com produto disponível em nível comercial totalmente solúvel em água em doses relativamente não tão elevadas, o que possibilita a utilização na forma de pulverização com a mesma conveniência de outros produtos utilizados na agricultura", conclui Renato.

 

 

Contato:
Renato Vasconcelos Botelho
UNICENTRO
rbotelho@unicentro.br

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License