SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
Study shows progressive growth of the forest areas of RS up to 2020 author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Ciência Rural

Print version ISSN 0103-8478

Cienc. Rural vol.42 no.5 Santa Maria  2012

 

Torta de nim interfere na alimentação e reprodução de cascudinhos de aviários

 

 

Pesquisadores da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE), Paraná, verificaram que a torta de nim interfere na alimentação, agregação e reprodução de cascudinhos de aviários e pode levar à redução da população do inseto. A pesquisa foi publicada no periódico Ciência Rural, v.42, n.5, de maio de 2012.

Os pesquisadores aplicaram 100 g m-2 da torta diretamente no substrato (ração para aves ou cama de aviário). Depois, eles verificaram os efeitos letais (ação inseticida) e subletais (efeito na oviposição, repelência e alimentação) da torta contra adultos do cascudinho dos aviários.

De acordo com a análise, a utilização da torta de nim não afetou a sobrevivência dos insetos. Porém, ela apresentou efeito repelente e interferiu na atividade alimentar e na oviposição. A atividade alimentar, por exemplo, apresentou redução de 21%, enquanto que a oviposição, de 23%.

Na prática, a pesquisa pode auxiliar a reduzir a população de cascudinho em aviários ao longo do tempo. Segundo o pesquisador Dr. Luis Francisco Angeli Alves, a torta de nim já foi testada preliminarmente em um aviário comercial de frango de corte e repeliu os insetos da área tratada. "Esse produto pode ser aliado a outros métodos de controle da população do inseto", comenta ele.

O controle do cascudinho de aviário tem sido baseado no uso de inseticidas piretróides aplicados na cama do aviário, os quais não se mostram eficazes e são utilizados apenas como paleativos. "O produtor fica exposto ao produto e já há regiões em que os produtos não funcionam, pois os insetos se tornaram resistentes", afirma Luis. Essa pesquisa procura apresentar soluções práticas para combater a praga.

O estudo inova ao testar os experimentos no campo e não apenas em laboratório, como outros grupos vêm fazendo. O trabalho de campo demanda muitos recursos financeiros e humanos para avaliar a quantidade de insetos utilizados.

 

 

Luis Francisco Angeli Alves
E-mail: luis.alves@unioeste.br
Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Centro de Ciências Biológicas e da Saúde, Laboratório de Zoologia.
Rua Universitária, 2069
Jardim Universitário
85819 -110 - Cascavel, PR - Brasil - Caixa-Postal: 711

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License