SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.43 issue4Rockwell hardness of the wood of three Amazon species submitted to decay accelerated testsMicropropagation of umburana de cheiro author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Ciência Rural

Print version ISSN 0103-8478

Cienc. Rural vol.43 no.4 Santa Maria Apr. 2013  Epub Mar 19, 2013

http://dx.doi.org/10.1590/S0103-84782013005000027 

Anatomia descritiva aplicada à cinesiologia e biomecânica básica dos músculos da cintura peitoral, estilopódio e zeugopódio do jacaré do papo amarelo

 

Descriptive anatomy applied to the kinesiology and basic biomechanics of the pectoral girdle, stylopodium and zeugopodium muscles of broad snouted caiman

 

 

Mariluce Ferreira RomãoI, 1; André Luiz Quagliatto SantosI; Fabiano Campos LimaII

ILaboratório de Ensino e Pesquisa em Animais Silvestres, Faculdade de Medicina Veterinária, Universidade Federal de Uberlândia (UFU), Rua Piauí, Bloco 4s, Bairro Jardim Umuarama, 38400-902, Uberlândia, MG, Brasil. E-mail: mariluce.ferreira@terra.com.br
IILaboratório de Anatomia Humana e Comparativa, Universidade Federal de Goiás (UFG), Unidade Jatobá, Goiânia, GO, Brasil

 

 


RESUMO

Objetivou-se identificar os parâmetros de origem e inserção musculares da cintura peitoral e membro torácico de Caiman latirostris, mediante abordagem anatômica, cinesiológica e biomecânica básica. Foram utilizados dois exemplares de C. latirostris, machos, medindo, em média, 1,50cm de comprimento, adultos, pertencentes ao acervo do Laboratório de Ensino e Pesquisa em Animais Silvestres, Universidade Federal de Uberlândia/MG, Brasil. Foi notada postura isométrica entremeando movimentos rotativos, além de grande área de secção transversa, na maioria dos músculos extensores e estabilizadores, conferindo-lhes, maior força, denotando inferências funcionais e organizacionais. Foi possível reconhecer e predefinir o comportamento da espécie investigada, relacionando duração, direção e dimensão dos níveis de ação.

Palavras-chave: anatomia, Caiman latirostris, répteis.


ABSTRACT

The parameters of muscle origin and insertion points in the pectoral girdle and forelimbs of Caiman latirostris were identified by basic anatomical, kinesiological and biomechanical approach. This identification was made with two adults males specimens of C. latirostris, on average, 1.50cm in length, belonging to the collection of the Wild Animal Research Laboratory of the Federal University of Uberlândia/MG, Brazil. In this study, isometric postures intercalated with rotary movements were found, as well as a large cross-sectional area in most of the extensor and stabilizer muscles, giving them greater strength and denoting functional and organizational inferences. Based on the findings, it was possible to recognize and predefine the behavior of the species under investigation, correlating the duration, direction and dimension of the activity levels.

Key words: anatomy, Caiman latirostris, reptiles.


 

 

INTRODUÇÃO

Diversas posturas podem ser adotadas pelos tetrápodes na locomoção. Em algumas, os membros são mantidos ao lado do corpo, ocasionando movimentos intersegmentados, como salamandras e alguns lagartos (CABELGUEN, et al., 2003), em outras, abaixo, em relação ao corpo, como os mamíferos e aves (REILLY, 2000), e, ainda, crocodilianos e iguanas conseguem assumir diferentes posturas, apesar de apresentarem duração restrita nas ações. Vale ressaltar que pode haver variações intraespecíficas e, portanto, posturas intermediárias (eretas, semi-eretas e rastejantes) (BLOB & BIEWENER, 2001; REILLY & BLOB, 2003).

O jacaré do papo amarelo, Caiman latirostris, é um crocodiliano da América do Sul, de porte médio, considerado em risco de extinção até 2003 e, atualmente, classificado pela lista vermelha da IUCN, em baixo risco, com uma população selvagem em torno de 250.000 a 500.000 (BRITTON, 2009; QUEIROZ & AOYAMA, 2009). Encontrados em manguezais, ilhas e pântanos (FUSCO-COSTA et al., 2008), distribuem-se geograficamente desde o nordeste do Brasil ao extremo sudeste da Bolívia, incluindo não só o norte da Argentina, Uruguai, Paraguai, como também as bacias hidrográficas dos rios Paraná e São Francisco, extensivos a pequenas bacias costeiras do leste do Brasil (BRAZAITIS et al., 1990).

Estudos acerca dos membros torácicos dos crocodilianos são escassos (DODSON, 2003; LAITMAN, 2003), em detrimento ao foco nos membros pelvinos, tendo em vista a sua importância no aporte locomotor terrestre e na propulsão aquática (FARMER & CARRIER, 2000; BLOB & BIEWENER, 2001; REILLY & BLOB, 2003). Há relatos sobre a descrição do ombro e braço do Crocodillus Acutus (FÜRBRINGER,1876 apud LAITMAN, 2003); e do antebraço de Alligator mississippiensis, Caiman crocodilus e Crocodylus acutus (RUDINGER, 1868 apud LAITMAN, 2003), não encontrados os documentados originais, afim de serem referenciados, diretamente, nesta compilação.

Abordagens anatômicas podem ser relevantes, fornecendo informações morfológicas e biológicas de determinada espécie. A descrição da anatomia muscular (origem e inserção) da cintura peitoral, estilopódio e zeugopódio de C. latirostris pode contribuir para o conhecimento de aspectos anatômicos, cinesiológicos e biomecânicos básicos, concernentes a essa espécie. Aspectos do comportamento locomotor desses animais parecem fornecer subsídios para o auxílio em projetos de manejo economicamente viáveis, bem como na medicina terapêutica desses animais, complementados com os dados que constam nesta compilação.

 

MATERIAL E MÉTODOS

Foram utilizados dois exemplares de Caiman latirostris, machos, medindo, em média, 1,50 cm de comprimento, adultos, pertencentes ao acervo do Laboratório de Ensino e Pesquisa em Animais Silvestres, Universidade Federal de Uberlândia, MG, Brasil, fixados em solução de formol a 10%.

Foram viabilizados os procedimentos de dissecação, iniciados com uma incisão longitudinal ao longo da linha mediana ventral do tronco, rebatendo-se a pele lateralmente, da região cervical até o nível caudal torácico. A cintura peitoral, estilopódio e zeugopódio foram mantidos fixados em solução de formol a 10% e fotografados com câmera digital.

Na sequência, foi realizada a individualização muscular da cintura peitoral, estilopódio e zeugopódio, seguida da identificação dos músculos e, por conseguinte, retirada dos membros, para melhor observação das origens e inserções musculares.

Utilizou-se forma comparativa com as cinco espécies estudadas por MEERS (2003), referenciando quatro Alligator missipiensis, um Crocodillus siamensis, dois Crocodillus acutus, dois Osteolaemos tetraspis, um Gavialis gangeticus, acrescido de análises locomotoras. Os termos direcionais utilizados foram embasados na NOMINA ANATÔMICA VETERINÁRIA (2005), bem como os músculos, em informações inferidas por MEERS (2003).

 

RESULTADOS

Os resultados seguem descritos nas tabelas 1, 2, 3 e 4, referenciando as descrições das origens e inserções dos músculos, que atuam nos movimentos da cintura peitoral, estilopódio e zeugopódio do Caiman latirostris, relacionando à musculatura axial envolvida nas ações, em conformidade com as figuras 1 e 2.

 

DISCUSSÃO

No presente estudo, foi notada postura isométrica entremeando movimentos rotativos, além de grande área de secção transversa, na maioria dos músculos extensores e estabilizadores, conferindo-lhes, maior força, denotando inferências funcionais e organizacionais, conforme a afirmação de HILDEBRAND & GOSLOW (2006), discorrendo que "[...] a força máxima que um músculo pode exercer é igual à força de contração de uma de suas fibras, multiplicada pelo número total de fibras [...]'(p.176). O membro torácico dos crocodilianos apresenta considerável predominância de musculatura, ativamente, extensora, tanto para a articulação do ombro, como para o antebraço, permanecendo em extensão a maior parte do tempo. Nos quadrúpedes, vários músculos que encurtam em ação flexora para mover a articulação na fase de elevação postural agem em contração isométrica ou excêntrica nos jacarés, extensivo aos demais crocodilianos, haja vista a não modificação nas alavancas em aspectos gerais (REILLY et al., 2005).

Em observação aos pontos de inserção dos músculos da cintura peitoral, estilopódio e zeugopódio em C. latirostris, e seguindo os parâmetros de formação das alavancas, conjetura-se que sejam formadas alavancas interfixas, considerando o ombro como fulcro e o peso do corpo (tronco) como resistência, ou alavancas interpotentes, caso seja considerado, como fulcro, o cotovelo e/ou o punho e, como resistência, a força de reação do solo. A literatura discorre que, nos quadrúpedes, são formadas alavancas de equilíbrio ou relativa neutralidade, relacionando forças em direções distintas em torno de um eixo, consideradas comuns e relacionadas aos músculos extensores (TORTORA & GRABOWSKI, 2002; HILDEBRAND & GOSLOW, 2006).

Foi observada uma suposta vantagem mecânica na articulação do ombro de C. latirostris em relação ao Alligator mississippiensis, Crocodylus siamensis, C. acutus, Osteolaemus tetraspis e Gavialis gangeticus (MEERS, 2003), para o complexo supracoracoide. Este apresenta inserção lateral no úmero em escala proximal (músculo supracoracoide lateral), média (músculo supracoracoide intermédio) e distal (músculo supracoracoide longo), observada nas espécies acima citadas, todos no ápice da crista deltoide, pelo último autor citado. Atribui-se maior força para o músculo supracoracoide longo, em detrimento aos demais componentes do grupo em C. latirostris, devido à maior espessura do diâmetro transverso, diferente das demais espécies, que apresentaram menor número de fibras musculares agrupadas neste músculo. Vale ressaltar que somente existe vantagem real mecânica quando a distância entre o fulcro e o ponto de aplicação de força (braço de ação) é maior do que a distância entre o fulcro e a resistência (braço de resistência) (TORTORA & GRABOWSKI, 2002; HILDEBRAND & GOSLOW, 2006).

Neste estudo, as inserções do músculo deltoide escapular (proximal e distal) foram observadas caudais ao vértice da crista deltoide, outrora encontrado no ápice da própria crista, estando o tendão do deltoide escapular proximal sobreposto perpendicularmente ao do deltoide escapular distal. O deltoide escapular proximal apresenta fibras extensivas ao músculo úmero radial, próximas ao septo intermuscular úmero radial e o braquial, diferente de duas espécies de A. mississippiensis, descritas por MEERS (2003), apresentando a extensibilidade de fibras ao septo intermuscular, entre o úmero radial e o braquial. Vale ressaltar que o músculo deltoide escapular proximal do presente estudo foi indicado como deltoide clavicular pelo último autor citado, não sendo considerado da mesma forma na presente pesquisa, em razão da inexistência de clavícula nos crocodilianos.

Os músculos redondo maior e peitoral foram encontrados em C. latirostris, apresentando maior distância longitudinal ao eixo de movimento em relação a A. mississippiensis, C. siamensis, C. acutus, O. tetraspis e G. gangeticus (MEERS, 2003), além de maior suposta vantagem mecânica e mobilidade, levando em consideração a distância da inserção ao eixo de movimento, referenciando a articulação do ombro.

O músculo tríceps foi observado composto por seis cabeças, sendo o músculo tríceps longo medial acessório originado no tendão do tríceps longo medial, como em um exemplar de A. mississippiensis e um C. acutus, nas pesquisas de MEERS (2003), mediante afirmação de fato pouco comum. Em C. latirostris, foi observado um arco tendíneo unindo o coracoide e a escápula, sendo notado um tendão nitidamente duplo, fundido na fixação da escápula, projetando o tendão do tríceps longo medial, assim como acontece nas últimas espécies citadas antes de C. latirostris, mediante afirmação referente a características típicas de espécies predominantemente aquáticas, segundo MEERS (2003). Todas as inserções dos músculos tríceps, neste estudo, foram indicadas no olecrano sem distinção de localização, porque foi observada a formação de um largo tendão comum ao grupo, portanto, a organização segue de acordo com a localização de cada um, em sentido crânio-caudal.

A cabeça carpal do músculo flexor longo dos dedos não foi identificada separadamente nesta pesquisa, como no Alligator mississippiensis, Crocodylus siamensis, Crocodylus acutus, Osteolaemus tetraspi e Gavialis gangeticus, observados por Meers (2003), havendo a possibilidade de estar fundida à cabeça ulnar do mesmo grupo.

 

CONCLUSÃO

O Caiman latirostris enquadra-se nas descrições de crocodilianos que possuem características específicas de espécies predominantemente aquáticas. As diferenças de inserção muscular longitudinais podem sinalizar alteração na amplitude de movimento, extensivas a alterações nos braços de força.

Foi possível reconhecer e predefinir o comportamento da espécie investigada, relacionando duração, direção e dimensão dos níveis de ação. Acredita-se que a ação muscular esteja associada à necessidade da espécie e à filogenia, sendo a primeira em detrimento à segunda.

 

REFERÊNCIAS

BLOB, R.W.; BIEWENER, A.A. Mechanics of limb bone loading during terrestrial locomotion in the green iguana (Iguana iguana) and American alligator (Alligator mississipiensis). Journal of Experimental Biology, v.204, n.6, p.1099-1122, 2001. Disponível em: <http://jeb.biologists.org/content/204/6/1099.long>. Acesso em: 05 jan. 2012.         [ Links ]

BRAZAITIS, P. et al. A summary report of the CITES central South American caiman study. Phase I. Brazil. In: IUCN (Ed.), Crocodiles. Proceedings of Working Meeting of the Crocodile Specialist Group, 9. Gland, Switzerland: The World Conservation Union 1990. 399p. p.100-115.         [ Links ]

BRITTON, A. Caiman latirostris (Daudin, 1801). Crocodilian Biology Data Base. 2001. Disponível em: <http://crocodilian.com/cnhc/cbd-gb3.htm>. Acesso em: 05 jan. 2012.         [ Links ]

CABELGUEN, J.M. et al. Bimodal locomotion elicited by electrical stimulation of the midbrain in the salamander Notophthalmus viridescens. Journal of Neuroscience, v.23, n.6-p.2434-2436, 2003. Disponível em: <http://www.jneurosci.org/content/23/6/2434.full.pdf+html>. Acesso em: 05 jan. 2012.         [ Links ]

DODSON, P. The allure of El Lagart: why do dinosaur paleontologists love alligators, crocodiles, and their kin? Anatomical Record Part A, v.274, p.887-890, 2003. Disponível em: <http://www.sinofossa.org/upfiles/200759112412.pdf>. Acesso em: 10 jan. 2012.         [ Links ]

FARMER C.G.; CARRIER D.R. Pelvic aspiration in the American alligator (Alligator mississippiensis). Journal of Experimental Biology, v.203, n.11, p.1679-1687, 2000. Disponível em: <http://jeb.biologists.org/content/203/11/1679.long>. Acesso em: 10 jan. 2012.         [ Links ]

FUSCO-COSTA, R.F. et al. Abundância e locais de ocorrência do jacaré-de-papo-amarelo (Caiman latirostris, Alligatoridae) no noroeste da Ilha de Santa Catarina, SC. Biotemas, v.21, n.4, p.183-187, 2008. Disponível em: <http://jeb.biologists.org/content/203/11/1679.long>. Acesso em: 20 jan. 2012.         [ Links ]

HILDEBRAND, M.; GOSLOW, G. Análise da estrutura dos vertebrados. 2.ed. São Paulo: Atheneu, 2006. 700p.         [ Links ]

LAITMAN, J.T. It's not all in the hips: crocodylian forelimb anatomy and evolution. Anatomical Record Part B, v.275, p.182, 2003. Disponível em: <http://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1002/ar.b.10039/pdf>. Acesso em: 20 jan. 2012.         [ Links ]

MEERS, M.B. Crocodylian forelimb musculature and its relevance to archosauria. Anatomical Record Part A, v.274, p.891-916, 2003. Disponível em: <http://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1002/ar.a.10097/pdf>. Acesso em: 20 jan. 2012.         [ Links ]

QUEIROZ P.P.R.; AOYAMA P.M.M. List of studies on the Alligator-de-snouted Caiman (Caiman latirostris Daudin, 1802) 2009. Disponível em: <http://crocodilian.com/cnhc/csp_clat.htm>. Acesso em: 20 jan. 2012.         [ Links ]

REILLY, S.M. Locomotion in the quail (Coturnix japaonica) the kinematics of walking and increasing speed. Journal of Morphology, v.243, p.173-185, 2000. Disponível em: <http://www.ohio.edu/people/reilly/pdfjmorph%202000%20%20243%20%20173-185.pdf>. Acesso em: 20 jan. 2012.         [ Links ]

REILLY, S.M.; BLOB, R.W. Motor control of locomotor hindlimb posture in the American alligator (Alligator mississippiensis). Journal of Experimental Biology, v.206, n.23, p.4327-4340, 2003. Disponível em: <http://jeb.biologists.org/content/206/23/4327.full.pdf+html>. Acesso em: 20 jan. 2012.         [ Links ]

REILLY, S.M. et al. Hindlimb function in the alligator: integrating movements, motor patterns, ground reaction forces and bone strain of terrestrial locomotion. Journal of Experimental Biology, v.208, n.6, p.993-1009, 2005. Disponível em: <http://jeb.biologists.org/content/208/6/993.full.pdf+html>. Acesso em: 20 jan. 2012.         [ Links ]

TORTORA, G.J.; GRABOWSKI, S.R. Princípios de anatomia humana e fisiologia. 9.ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2002. 1088p.         [ Links ]

 

 

Recebido 10.06.12
Aprovado 08.11.12
Devolvido pelo autor 28.02.13
CR-2012-0386.R1

 

 

1 Autor para correspondência.

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License