SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.19 issue43Clinic and language or the hole in clinical practice author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Paidéia (Ribeirão Preto)

Print version ISSN 0103-863XOn-line version ISSN 1982-4327

Paidéia (Ribeirão Preto) vol.19 no.43 Ribeirão Preto May./Aug. 2009

http://dx.doi.org/10.1590/S0103-863X2009000200016 

RESENHA

 

Leitura, escrita e compreensão

 

 

Geraldina Porto Witter

Universidade Camilo Castelo Branco, São Paulo-SP, Brasil

Endereço para correspondência

 

 

Hampton, S., & Resnick, L. B. (2009). Reading and writing with understanding. Newark, NJ: IRA & New Standards.

 

As duas autoras do livro são conhecidas pesquisadoras na área da aprendizagem, da leitura e da escrita. Sally Hampton está atualmente vinculada à importante instituição America's Choice, Inc., no Texas e Lauren B. Resnick é professora e diretora do Learning and Development Center da University of Pittsburgh, na Pennsylvania. Ambas atuaram na elaboração dos novos padrões de ensino de leitura e escrita para o U. S. Department of Education, trabalho em que contaram com vários colaboradores.

O livro tem por suporte os diversos padrões já estabelecidos, o primeiro em 1997, e quatro outros definidos em 2008. Compreende oito capítulos e uma breve introdução em que enfatizam a 4ª e 5ª séries, nos quais procuram dar respostas às muitas dúvidas dos professores tendo por base mais de vinte anos de pesquisas e atuação na área, realizadas pelas próprias autoras e outros pesquisadores.

Todos os capítulos com epígrafes pertinentes, incluem quadros em que textos breves, específicos e enriquecedores foram inseridos em pontos estratégicos. Alguns incluem listas de textos recomendados para alunos como suporte do processo ensino-aprendizagem. Fotos de leitores em ação ilustram o início de cada capítulo.

O Capítulo 1 trata da prática e dos hábitos de leitura e escrita. Para a criança é muito importante evidenciar as razões pelas quais as pessoas escrevem, tanto por prazer como para aprender, sendo importante ler textos científicos e de ficção desde cedo. É importante ler textos de vários tipos (literários e informativos) e fazer a relação com a experiência pessoal do aluno e o ensino na sala de aula. Atenção especial deve ser dada aos que no lar vivenciam outra língua. Recomendam o uso de estratégias e técnicas de ensino diversas, especiais para a aprendizagem de segunda língua.

O tema do capítulo seguinte é a compreensão que resulta da interação entre o texto e o modelo mental do leitor. No primeiro, é preciso considerar os aspectos intrínsecos (vocabulário, sintaxe, estrutura) e os conhecimentos que requerem do leitor, de seu modelo mental, destacam o conhecimento do mundo, do tópico de leitura e o domínio do conhecimento. Também são considerados essenciais seus conhecimentos de Matemática, História, Literatura e Ciências. Enfocam padrões de enganos/erros na leitura e estratégias para superá-los com sugestões de atividades para a sala de aula.

Destacam, no Capítulo 3, questões relacionadas à estrutura, lembrando que o gênero do texto também modela seu significado. Entre o 4º e 5º ano de escolaridade o aluno deve se familiarizar com os gêneros informativos, argumentativos, narrativos, poéticos e híbridos. Trata-se de conhecimento que também desenvolve competências como coerência, coesão, organização e representação visual do texto.

A aprendizagem da sintaxe, do vocabulário e da estrutura textual são imprescindíveis para a compreensão e o êxito acadêmico. Seguindo a atual tendência decorrente de evidências científicas, dão destaque às estratégias e procedimentos para desenvolvimento do vocabulário. Não se pode ignorar a relação entre o que o aluno já sabe com o conteúdo e forma do texto, conforme as autoras explicitam no Capítulo 4.

No Capítulo 5, a leitura e a escrita são apresentadas como competências intrinsicamente relacionadas, mas para desenvolver a segunda é necessário recorrer a processos e a estratégias específicas. Para a escrita é preciso estabelecer um contexto e propósito, bem como, para qual ou quais audiências se está escrevendo. Hábitos e práticas usadas pelo aluno influem na aprendizagem e o professor não pode ignorar este fato. O processo de escrever implica em planejamento, esquematizar ideias e informações, escrever e rever tantas vezes quantas forem necessárias, e finalmente, fazer a editoração. O processo de relatar pesquisa requer ainda outros adendos que já no ensino fundamental precisam ser ensinadas aos alunos, além de outras maneiras para capacitá-los como escritores. Exemplos de textos produzidos por discentes ilustram as diversas possibilidades.

No Capítulo 6, destacam a responsabilidade da escola em assegurar que o aluno leia e escreva com compreensão, o que implica em mais do que alfabetizar e ler a língua pátria. É preciso aprender as estratégias específicas que garantam a aprendizagem em todas as disciplinas, por exemplo, traduzir palavras para objetos e fatos reais em símbolos matemáticos, focar as contingências históricas em que o texto foi escrito, manter a objetividade no discurso científico, estudar a relação entre forma e conteúdo na literatura. Isto incentiva o professor a conhecer e a compreender como o aluno aprende as diversas disciplinas, além dos princípios gerais da aprendizagem. Enfocam com mais detalhes como ajudar o aluno a ler e a escrever textos literários narrativos, poéticos e argumentativos. A leitura e redação de história implicam em estabelecer claramente a razão de ler História, o que se encontra em textos sobre o passado, compreender o contexto histórico, como os historiadores trabalham, argumentam e explicam, além das próprias características do texto desta disciplina. Dão atenção também à leitura e à escrita em Ciências com sequências de ação e níveis de compreensão. Com o mesmo cuidado os texto de Matemática são trabalhados.

No Capítulo 7, o leitor encontra exemplos das estratégias e procedimentos extraídos da prática de sala de aula, mais especificamente de trabalhos realizados com alunos de 4º e 5º ano, que também foram entrevistados enfocando os aspectos tratados nos capítulos anteriores. As respostas dos alunos são relacionadas com a matéria já apresentada anteriormente. É uma ilustração comentada dos efeitos das proposições enunciadas nos capítulos precedentes.

O último capítulo é brevíssimo, nele é retomada a importância da aprendizagem concomitante, tema de grande atualidade. Tratam do fato de que não se pode dissociar leitura e escrita. São similares, mas requerem processos cognitivos distintos, já que uma atividade dá suporte a outra e concluem:

Escrevendo sobre o que estão lendo e aprendendo em Literatura, História, Ciências e Matemática, os estudantes começam a pensar eles próprios como leitores ativos, engajados, o que estabelece e fortalece a motivação e base de interesse em aprendizagem para toda a vida (p.132).

As referências bibliográficas são recentes com equilíbrio entre livros e artigos. Trata-se de um livro de interesse para professores de Línguas, Literatura, História, Ciências e Matemática que estejam preocupados com a qualidade do ensino e em assegurar que o aluno estabeleça bases para uma aprendizagem motivadora e continuada ao longo da vida.

 

 

Endereço para correspondência:
Profa. Dra. Geraldina Porto Witter
Av. Pedroso de Morais, 144/302. São Paulo-SP, Brasil
CEP:05.420-000
E-mail: gwitter@uol.com.br

Recebido: 05/05/2009
1ª revisão: 15/05/2009
Aceite final: 22/05/2009

 

 

Geraldina Porto Witter é Coordenadora Geral da Pós-graduação Stricto Sensu da Universidade Camilo Castelo Branco, campus Itaquera.

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License