SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.55 issue2EFEITO DO ESPAÇAMENTO ENTRE PLANTAS E DA ARQUITETURA VARIETAL NO COMPORTAMENTO VEGETATIVO E PRODUTIVO DA MANDIOCAUNA ALTERNATIVA PARA DETECTAR OBSERVACIONES INFLUYENTES EN FUNCIONES DE PRODUCCIÓN UNIVARIADAS author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Article

Indicators

Related links

Share


Scientia Agricola

Print version ISSN 0103-9016

Sci. agric. vol. 55 n. 2 Piracicaba May/Aug. 1998

http://dx.doi.org/10.1590/S0103-90161998000200017 

INFLUÊNCIA DE HERBICIDAS APLICADOS EM CONDIÇÕES DE PÓS-EMEGÊNCIA NO CRESCIMENTO DA PLANTA E FIXAÇÃO SIMBIÓTICA DO NITROGÊNIO NA CULTURA DO AMENDOIM

 

M.C.S.S. NOVO1; L.S.P. CRUZ1; J.C.V.N.A. PEREIRA2; V. NAGAI3
1Seção de Fisiologia/IAC, C.P. 28, CEP: 13001-970 - Campinas, SP.
2Estação Experimental de Ribeirão Preto/IAC, C.P. 271, CEP: 14001-970 - Ribeirão Preto, SP.
3Seção de Técnica Experimental e Cálculo/IAC, C.P. 28, CEP: 13001-970 - Campinas, SP.

 

 

RESUMO: Foi realizado experimento em Ribeirão Preto, SP, com o objetivo de avaliar a necessidade de inocular sementes de amendoim (Arachis hypogaea L. cv Tatu) e o efeito de herbicidas aplicados em pós-emergência no crescimento da planta, na nodulação, na fixação simbiótica do nitrogênio e na produtividade. O experimento foi em parcelas subsubdivididas com as parcelas principais dispostas em blocos ao acaso, com quatro repetições. Nas parcelas estudou-se o efeito da inoculação das sementes. Nas subparcelas, além do tratamento testemunha, aplicou-se os herbicidas fomesafen (250 g/ha), lactofen (192 g/ha), fluazifop-p-butil (187 g/ha), haloxifop-metil (240 g/ha) e a mistura fomesafen (250 g/ha) + fluazifop-p-butil (187 g/ha). Não houve efeito de herbicidas na massa seca de raiz. A parte aérea apresentou maior massa seca quando aplicou-se os latifolidicidas especialmente lactofen. A nodulação foi afetada apenas aos 28 DAT; a massa seca e o número de nódulos foram prejudicados pela aplicação de fluazifop-p-butil. A inoculação das sementes aumentou a atividade da nitrogenase tendo o tratamento inoculado fixado mais nitrogênio. Logo após a aplicação dos herbicidas, a atividade da nitrogenase foi reduzida sendo os graminicidas mais prejudiciais. Não houve resposta na produtividade de grãos quanto a inoculação não havendo necessidade de inocular as sementes em áreas onde ocorre população autóctone. A produtividade de grãos de amendoim respondeu à aplicação de herbicidas sendo que os melhores resultados foram obtidos com a mistura dos herbicidas e com os latifolidicidas.
Descritores:
Arachis hypogaea L., inoculação de sementes, nodulação, herbicide

 

POST-EMERGENCE HERBICIDE EFFECT ON PLANT GROWTH
AND SYMBIOTIC NITROGEN FIXATION FOR PEANUT

ABSTRACT: Seed inoculation need and post-emergence herbicide effects, in the presence of endemic rhizobia population, were studied on plant growth, nodulation, symbiotic nitrogen fixation and grain yield of peanut (Arachis hypogaea L. cv Tatu) in a dark red latosol of Ribeirão Preto, SP, Brazil. The experiment was a split-plot design with the main plots arranged in a randomized complete block design with four replications. The effect of seed inoculation with recommended strains was studied in the main plots. Within each plot the effect of the herbicides was studied: fomesafen (250 g/ha), lactofen (192 g/ha), fluazifop-p-butyl (187 g/ha), haloxifop-methyl (240 g/ha) and fomesafen (250 g/ha) + fluazifop-p-butyl (187 g/ha) mixture applied in post-emergence. There was no herbicide effect on root dry weight. The shoot dry weight was higher when fomesafen, and mainly lactofen, were applied. Nodulation was affected only at 28 DAT, and nodule dry weight and nodules number were adversely affected by fluazifop-p-butyl. Inoculation treatment affected nitrogenase activity, which was higher with inoculated seed treatment. Symbiotic nitrogen fixation decreased four hours after herbicide treatment, fluazifop-p-butyl and haloxifop-methyl having been the most depressive. Seed inoculation did not affect grain yield indicating there is no need of this treatment when there is endemic rhizobia population. Peanut grain yield was affected by herbicides. The highest grain yield was observed with fomesafen + fluazifop-p-butyl mixture and with fomesafen and lactofen.
Key Words:
Arahis hypogaea L., peanuts, seed inoculation, nodulation, herbicide

 

 

INTRODUÇÃO

A planta de amendoim é uma leguminosa capaz de associar-se com bactérias do gênero Bradyrhizobium sp. formando nódulos nas raízes. Nos nódulos infectados por bactéria eficientes, o nitrogênio atmosférico (N) é reduzido e transferido para a planta a qual pode desenvolver-se independente da adição de adubo nitrogenado (Giardini, 1980).

Nos solos do Estado de São Paulo e em muitos solos tropicais onde o amendoim é cultivado, embora haja indicações que esta leguminosa apresenta certa especificidade, normalmente, existe população indígena de rizóbio a qual aparentemente supre suas necessidades de N (Lopes et al., 1976). A necessidade de inoculação das sementes de amendoim em solos contendo população autóctone tem sido sempre matéria de controvérsia entretanto, o Instituto Agronômico de Campinas recomenda esta prática (Quaggio & Godoy, 1985).

A intensidade da fixação do nitrogênio nas raízes de plantas influencia a produtividade e a qualidade das sementes das leguminosas. Para que bactérias e plantas compatíveis iniciem a nodulação, é necessário que haja um adequado suprimento de energia na planta para que favoreça o desenvolvimento, crescimento e sustentação do nódulo (Osman et al., 1983). A fixação do N em nódulos de leguminosas é um processo altamente energético e, pode utilizar de 10 a 30% do total de fotossintetizado produzido pela planta hospedeira (Schubert & Ryle, 1980). Assim, qualquer fator que diminua a quantidade de fotossintetizado disponível ao nódulo, diminui a fixação do N podendo prejudicar o rendimento de grãos.

Segundo Kishinevsky et al. (1988), o uso de herbicidas no controle de plantas daninhas na cultura do amendoim é uma das práticas agrícolas que mais contribuiram para aumentar o rendimento de grãos. Há vários trabalhos mostrando que aplicação de herbicidas em pré-emergência e em pré-plantio incorporado, pode afetar a nodulação e a fixação simbiótica do nitrogênio em diversas culturas. Os herbicidas de aplicação em pós-emergência apresentam a particularidade de serem rapidamente absorvidos e translocados pela planta podendo inclusive, após sua aplicação, causar certa fitotoxicidade à cultura. Wichert & Talbert (1993) observaram que o fluazifop-p-butil, dois dias após a sua aplicação, já estava presente nas raízes tanto na forma ativa como metabolizado. Como os herbicidas aplicados em pós-emergência podem afetar o metabolismo das leguminosas, é possível que haja um efeito negativo na nodulação e na fixação simbiótica do nitrogênio.

Com este trabalho, procurou-se verificar se aplicações de herbicidas latifolicidas como o fomesafen e o lactofen, e graminicidas como o fluazifop-p-butil e o haloxifop-metil e a mistura de fomesafen + fluazifop-p-butil, aplicados em pós-emergência, poderiam influenciar a nodulação e a fixação do nitrogênio, prejudicando o rendimento de grãos. Procurou-se também verificar se há necessidade de inocular sementes de amendoim em áreas onde existe população autóctone de rizóbio.

 

MATERIAL E MÉTODOS

O experimento foi instalado em condições de campo, no dia 29/12/87, na cultura do amendoim (Arachis hypogaea L. cv Tatu), na Estação Experimental de Ribeirão Preto, do Instituto Agronômico, IAC. O solo, latossolo roxo de textura argilosa, cuja análise de fertilidade encontra-se na TABELA 1, foi corrigido e adubado de acordo com a recomendação de Quaggio & Godoy (1985).

 

55n2a17t1.gif (5435 bytes)

 

O delineamento experimental adotado foi de parcelas subsubdivididas, com as parcelas principais dispostas em blocos ao acaso, com 4 repetições. Nas parcelas foi estudado a inoculação das sementes (com e sem inoculação), sendo empregado 200g da mistura de estirpes de Bradyrhizobium sp. (SMS-319 + SMS-400 + SMS-561) na forma de inoculante turfoso para cada 50 kg de sementes. O número de unidades formadoras de colônias de Bradyrhizobium do inoculante empregado era de 3.109/ml. Nas subparcelas, além de um tratamento testemunha, foram aplicadas formulações comerciais dos herbicidas fomesafen (250g/L) a 250 g/ha, lactofen (240g/L) a 192 g/ha, fluazifop-p-butil (125 g/L) a 187 g/ha, haloxifop-metil (240 g/L) a 240 g/ha, a mistura de fomesafen (125 g/L) a 250 g/ha e fluazifop-p-butil (125 g/L) a 187 g/ha. Aos herbicidas fomesafen, fluazifop-p-butil e a mistura de fomesafen + fluazifop-p-butil foi adicionado espalhante adesivo na concentração 0,5% v/v e, ao lactofen e haloxifop-metil óleo emulsionável na dose de 1,5 L/ha.

Os herbicidas foram aplicados em pós-emergência, 20 dias após a semeadura do amendoim, com pulverizador costal, manual, pressurizado (CO2) a pressão constante de 2,45 kgf/cm2, provido de barra com dois bicos de jato plano da série 80.03, com consumo de calda correspondente a 500 L/ha. Por ocasião da aplicação, o solo estava com a umidade próximo da capacidade de campo e temperatura, no início da aplicação era de 25ºC. As parcelas eram constituídas de 8 linhas de 40m espaçadas em 0,60m. Cada subparcela era formada de 4 linhas de 5,0m separadas em 2,0m.

Quatro horas após a aplicação dos herbicidas, para estudar o efeito dos produtos na atividade nitrogenase, foram amostradas 3 plantas de cada subparcela, sendo empregado o método da redução do acetileno a etileno desenvolvido por Hardy et al. (1973). Aos 28 e 56 dias após a aplicação dos herbicidas foram amostradas 6 plantas por subparcela sendo 3 destinadas à determinação da massa da matéria seca de raiz, da parte aérea e de nódulos, número de nódulos e as outras 3, para a análise da atividade da nitrogenase.

No final do ciclo da cultura (14/4/88) foram colhidas 2 linhas centrais de cada subparcela, descontando-se 1m de cada extremidade. Após a colheita, os grãos de cada subparcela foram trazidos ao laboratório, secos em estufa a 60ºC, pesados e seu rendimento corrigido para 13% de umidade.

A análise da variância dos dados foi realizada de acordo com o modelo para experimento em parcelas subdivididas (Steel & Torrie, 1980). Foram empregados os testes de Tukey ao nível de 5% para comparações de herbicidas e o de Dunnett também ao nível de 5% para comparar os tratamentos com herbicida em relação à testemunha. Os dados de número de nódulos e rendimento de grãos foram transformados, para a análise de variância, em Image640.gif (968 bytes)e, Image641.gif (888 bytes)   respectivamente, mas, nas TABELAS são apresentados as médias dos dados originais.

 

RESULTADOS E DISCUSSÃO

a) Efeito no crescimento da planta: Não foi observado sintoma de injúria, nem redução na altura das plantas tratadas com herbicidas. Não houve resposta à inoculação quanto às massas das matérias secas de raiz e da parte aérea (dados não apresentados). Ball et al. (1983) também não observaram aumento no peso da parte aérea de amendoim devido à inoculação das sementes. A falta de resposta à inoculação de sementes deve-se à presença de população autóctone de rizóbio de amendoim na área experimental que faz com que haja nódulos também no tratamento não inoculado. Lopes et al. (1976) observaram que em latossolo roxo do Estado de São Paulo ocorria população autóctone de rizóbio eficiente no cultivar de amendoim Tatu.

Também não houve efeito de herbicidas na massa da matéria seca de raiz (dados não apresentados). Esperava-se que fomesafen e lactofen não influenciassem a massa de raiz, visto que Rodrigues & Almeida (1995) haviam relatado que estes produtos são pouco absorvidos pelas raízes e suas translocações são limitadas ao floema. A falta de efeito do fluazifop-p-butil na raiz é explicada por Balinova & Lalova (1992), os quais observaram ser este herbicida rapidamente translocado das folhas para as raízes mas, em concentração muito baixa, permanecendo nas folhas uma concentração dez vezes maior que nas raízes não influenciando portanto o crescimento desta.

Aos 28 DAT foi significativo apenas o efeito de herbicidas na massa seca da parte aérea (TABELA 2). Verificou-se que somente as plantas tratadas com fluazifop-p-butil apresentavam menor massa que a testemunha. Os outros herbicidas não afetaram negativamente a massa seca da parte aérea quando comparados com a testemunha. Comparando-se os herbicidas entre si, verificou-se que a maior massa da parte aérea foi obtida com a aplicação da mistura de fomesafen + fluazifop-p-butil. Entretanto, não houve diferença estatística entre a aplicação da mistura de herbicidas e de haloxifop-metil, lactofen e fomesafen. A explicação para este fato, segundo Cruz et al. (1991), é que a aplicação de haloxifop-metil elimina a população de Eleusine indica (L.) Gaertn. e de Cenchrus echinatus L. presentes neste tratamento e, favorece a emergência de grande número de dicotiledôneas especialmente Alternanthera ficoidea (L.) R. Br. que não encontram concorrência das gramíneas. No tratamento com a mistura eliminou-se estas duas populações estimulando o desenvolvimento das plantas de amendoim.

 

55n2a17t2.gif (13999 bytes)

1. Letra minúscula compara os tratamentos com herbicidas pelo teste de Tukey (a = 0,05) e a com letra maiúscula compara os tratamentos com herbicidas com a testemunha pelo teste de Dunnett (a = 0,05). 2. Médias seguidas pela mesma letra, na horizontal e vertical, não diferem estatisticamente entre si, respectivamente, pelos teste de Tukey e de Dunnett (a = 0,05). 3. Não houve efeito de tratamentos de inoculação; apenas de herbicidas.

 

Houve interação entre tratamentos de inoculação das sementes e herbicidas na massa da matéria seca de raiz aos 28 e 56 DAT; e, aos 56 DAT, na massa da parte aérea (TABELA 2).

Não houve diferença entre tratamentos quanto à massa de raiz aos 28 dias no tratamento inoculado e aos 56 dias no não inoculado. Aos 28 DAT, no tratamento não inoculado, nenhum dos herbicidas afetou negativamente a massa de raiz, visto que os tratamentos com fluazifop-p-butil e a mistura de herbicidas apresentaram massa similar ao da testemunha e os outros herbicidas superiores à esta. Os tratamentos com lactofen e haloxifop-metil apresentaram massa de raiz superior ao com fluazifop-p-butil não diferindo estatisticamente dos demais.

Aos 56 DAT, no tratamento inoculado, a massa de raiz de quaisquer dos tratamentos com herbicidas era superior a da testemunha. Comparando-se os herbicidas entre si, verificou-se que o tratamento com haloxifop-metil apresentava menor massa de raiz que a com os outros herbicidas (TABELA 2).

Em relação à massa da matéria seca da parte aérea, verificou-se que aos 56 DAT, no tratamento inoculado, não houve diferença entre herbicidas, tendo os tratamentos com fomesafen, lactofen e fluazifop-p-butil sido superiores à testemunha (TABELA 2). No tratamento não inoculado, verificou-se que nas subparcelas com lactofen e com a mistura de fomesafen + fluazifop-p-butil as massas secas das partes aéreas foram superiores à da testemunha. Lactofen mostrou-se ainda superior aos graminicidas possivelmente devido ao maior controle proporcionado à população de dicotiledôneas presentes (Cruz et al., 1991).

b) Efeito na nodulação e na atividade da nitrogenase: Não foi observado efeito de inoculação de sementes e de herbicidas na nodulação (dados não apresentados). Entretanto, houve efeito da interação entre herbicidas e tratamento de inoculação quanto a massa da matéria seca e número de nódulos (TABELA 3).

 

55n2a17t3.gif (16050 bytes)

1. Letra minúscula compara os tratamentos com herbicidas pelo teste de Tukey (a = 0,05) e a com letra maiúscula compara os tratamentos com herbicidas com a testemunha pelo teste de Dunnett (a = 0,05). 2. Médias seguidas pela mesma letra, na horizontal e vertical, não diferem estatisticamente entre si, respectivamente, pelos teste de Tukey e de Dunnett (a = 0,05).

 

Ocorreu nodulação abundante nas raízes mesmo no tratamento não inoculado, mostrando com isso a presença de população autóctone de rizóbio já relatada por Giardini (1980).

Aos 28 DAT, no tratamento inoculado, verificou-se que, exceto com fluazifop-p-butil, os outros herbicidas não afetaram o número e a massa nodular. O número de nódulos no tratamento inoculado e com fluazifop-p-butil foi inferior ao da testemunha. No tratamento não inoculado, a mistura de fomesafen + fluazifop-p-butil apresentou número de nódulos superior à testemunha e à fluazifop-p-butil aplicado individualmente. Embora Rodrigues & Almeida (1995) tenham observado que a mistura possa reduzir o efeito graminicida do último produto aumentando a fitotoxicidade na cultura da soja, isto não foi observado no amendoim. Embora pareça que a aplicação individual de fluazifop-p-butil apresenta certa residualidade, afetando a formação do nódulo, isto não foi observado neste experimento (Cruz et al., 1991).

Aos 56 DAT, tanto no tratamento inoculado como no não inoculado, não foi observado efeito prejudicial de herbicidas na formação de nódulos. No tratamento inoculado não houve diferença no número de nódulos em relação à testemunha; no não inoculado as subparcelas com lactofen e haloxifop-metil apresentaram mais nódulo que a testemunha. No inoculado, foi observado mais nódulos no tratamento com fluazifop-p-butil que com fomesafen. Já no não inoculado, o lactofen apresentou mais nódulo que quaisquer dos outros tratamentos.

Lopes et al. (1972) observaram que em amendoim, o número médio de nódulos por planta variava de 39 a 53. Apesar deste experimento ter sido instalado em solo de textura argilosa, onde se perdeu muitos nódulos na retirada das amostras, estes eram mais numerosos que os observados por aqueles autores.

Deve-se ainda observar que até a amostragem realizada aos 56 DAT, o número de nódulos aumentou. Nambiar et al. (1981) verificaram que na maioria dos cultivares de amendoim, a senescência dos nódulos começava ainda na fase vegetativa. Aos 56 DAT, o amendoim deste experimento já havia perdido as flores (o florescimento se deu próximo à amostragem de 28 DAT).

Aos 28 DAT, no tratamento inoculado, fluazifop-p-butil apresentou massa nodular inferior à testemunha e à lactofen (TABELA 3). No tratamento não inoculado, somente a mistura de herbicidas apresentou mais massa nodular que a testemunha sendo também superior à fomesafen e à fluazifop-p-butil.

Aos 56 DAT, no tratamento inoculado, não houve diferença na massa nodular entre herbicidas e testemunha. A massa nodular do tratamento com lactofen mostrou ser superior à mistura de fomesafen + fluazifop-p-butil. As parcelas não inoculadas e tratadas com herbicidas, com exceção de fomesafen, apresentaram massa nodular superior à testemunha. A mistura de herbicidas apresentou a maior massa nodular.

Em relação a atividade da nitrogenase, verificou-se que houve efeito de inoculação (TABELA 4) e interação de inoculação e herbicidas (TABELA 5).

 

55n2a17t4.gif (13239 bytes)

 

 

55n2a17t5.gif (19147 bytes)

1. Letra minúscula compara os tratamentos com herbicidas pelo teste de Tukey (a = 0,05) e a com letra maiúscula compara os tratamentos com herbicidas com a testemunha pelo teste de Dunnett (a = 0,05). 2. Médias seguidas pela mesma letra, na horizontal e vertical, não diferem estatisticamente entre si, respectivamente, pelos teste de Tukey e de Dunnett (a = 0,05).

 

Algumas horas após a aplicação dos produtos, verificou-se que o tratamento inoculado apresentava fixação do nitrogênio maior que o não inoculado. Aos 28 DAT, não houve diferença entre tratamentos de inoculação e, aos 56 DAT, houve maior fixação no não inoculado. Pelos dados da TABELA 4, pode-se verificar que a maior taxa de redução do acetileno ocorreu logo após a aplicação dos produtos. Aos 28 DAT, os valores de fixação haviam se reduzido e, aos 56 DAT a fixação foi muito baixa. Nambiar et al. (1988), ao contrário do observado neste experimento onde a fixação foi maior antes do florescimento, verificaram que o pico da fixação do nitrogênio ocorria durante o estádio de enchimento de grãos e diminuía com a maturação. Entretanto, Masterson & Murphy (1980) recomendaram que deve-se ser cauteloso com a utilização do método da redução do acetileno pois, ele avalia somente a atividade enzimática momentânea assim, a correlação com o nitrogênio fixado só pode ser feita após muitas determinações sob as mesmas condições ambientais. Entretanto, Nambiar (1985) observou que, embora o método da redução do acetileno seja afetado por grande número de fatores essa medição da fixação do nitrogênio auxilia a entender a eficiência comparativa da população nativa com a da introduzida.

Em relação à interação entre tratamentos de inoculação e herbicidas, verificou-se que aos 0 DAT, no tratamento inoculado, houve prejuízo à fixação simbiótica nas subparcelas tratadas com os herbicidas (TABELA 5). Dentro dos tratamentos com herbicidas, os menos prejudiciais à fixação simbiótica foram lactofen, fomesafen e a mistura de fomesafen + fluazifop-p-butil e os que mais afetaram foram os graminicidas.

No tratamento não inoculado, na amostragem 0 DAT, verificou-se que a aplicação de lactofen e da mistura de herbicidas estimulou a fixação simbiótica sendo a destes tratamentos superior a da testemunha. A pronta ação do fluazifop-p-butil na atividade da nitrogenase foi explicada por Grafstrom Jr & Nalewaja (1988) os quais verificaram que 12 horas após sua aplicação 67,6% já havia sido absorvido e translocado na planta. Estes autores também observaram maior efeito deste produto quando a temperatura estava elevada. No dia da aplicação dos herbicidas foi observado temperatura máxima do ar de 33,1ºC o que aumentava a absorção, a translocação e a ação deste produto. 

Aos 28 DAT, no tratamento inoculado ainda se observava efeito negativo dos herbicidas fomesafen, lactofen e haloxifop-metil na atividade da nitrogenase. A menor fixação do nitrogênio foi observada no tratamento com haloxifop-metil. Rodrigues & Almeida (1995) relataram que aplicação pós-emergentes de haloxifop-metil tem ação residual por 30-40 dias o que explicaria o efeito observado nesta amostragem. No tratamento não inoculado, verificou-se que nas subparcelas tratadas com graminicidas e com a mistura dos herbicidas onde um dos componentes é um graminicida, a atividade da nitrogenase foi maior que a da testemunha; os outros herbicidas não diferiram da testemunha. Comparando-se os herbicidas entre si, verificou-se que a maior atividade da nitrogenase foi observada no tratamento com a mistura de herbicidas.

Aos 56 DAT, no tratamento inoculado, não houve diferença entre herbicidas e testemunha e dentro de herbicidas. No tratamento não inoculado, verificou-se que a mistura de herbicidas era menor que a com os herbicidas mas não diferia da testemunha.

De modo geral, observou-se que as raízes noduladas de plantas de amendoim cujas sementes não foram inoculadas, mostraram fixação de nitrogênio similar a da inoculada indicando alta capacidade de fixação pelo rizóbio nativo concor-dando com as observações de Nambiar (1985).

c) Efeito na produtividade de grãos: Não foi significativa a diferença entre tratamentos de inoculação, nem a interação entre herbicidas e inoculação quanto ao rendimento de grãos (dados não apresentados).

Houve diferença significativa entre tratamentos com herbicidas tendo àqueles com a mistura de fomesafen + fluazifop-p-butil e com fomesafen e lactofen apresentado produtividades superiores ao da testemunha e dos graminicidas, os quais não diferiram entre si (Figura 1).

 

55n2a17f1.GIF (13501 bytes)

Figura 1 - Efeito dos herbicidas fomesafen, lactofen, fluazifop-p-butil, haloxifof-metil, e a mistura de fomesafen + fluazifop-p-butil e testemunha no rendimento de grãos de amendoim. 

 

A produtividade do amendoim foi muito baixa possivelmente devido ao plantio tardio e a alta acidez do solo. Embora houvesse sido feito calagem, como a saturação por bases da área experimental era de 18% (TABELA 1) e o solo muito argiloso, o efeito da acidez pode não ter sido totalmente corrigido, devido a maior resistência a elevação do pH conferido pelo poder tampão. Nambiar & Dart (1980) observaram que o aumento na produtividade de semente de amendoim em resposta à inoculação com Bradyrhizobium spp, em campo, raramente ocorre embora o número de nódulos, o teor de proteína e a ocupação do nódulo sejam frequentemente, influenciados pela inoculação.

 

CONCLUSÕES

- Não houve benefício da prática de inoculação de sementes de amendoim com as estirpes recomendadas nas condições em que foi realizado o experimento.

- A massa seca de raiz não foi afetada pela aplicação de herbicidas mas a parte aérea foi beneficiada pela aplicação dos latifolicidas especialmente o lactofen.

- A nodulação só foi afetada aos 28 DAT e tanto a massa seca como o número de nódulos foram prejudicados pela aplicação de fluazifop-p-butil.

- No tratamento inoculado, a atividade da nitrogenase foi afetada por herbicidas até os 28 DAT, sendo os latifolicidas e haloxifop os mais prejudiciais. A população autóctone de rizóbio mostrou-se resistente a ação dos herbicidas. Nos tratamentos não inoculados, a atividade da nitrogenase foi maior quando da aplicação da mistura de produtos e dos graminicidas, principalmente.

- A aplicação dos latifolicidas e da mistura de fomesafen + fluazifop-p-butil aumentou o rendimento de grãos .

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

BALINOVA, A.M.; LALOVA, M.P. Translocation, metabolism and residues of fluazifop-butyl in soybean plants. Weed Research, v.32, p.143-147, 1992.         [ Links ]

BALL, S.T.; WYNNE, J.C.; ELKAN, G.H.; SCHNEEWEIS, T.J. Effect of inoculation and applied nitrogen on yield, growth and nitrogen fixation of two peanuts. Field Crops Research, v.6, p.85-91, 1983.         [ Links ]

CRUZ, L.S.P.; NOVO, M.C.S.S.; PEREIRA, J.C.V.N.A.; NAGAI, V. Herbicidas de aplicação em pós-emergência em amendoim: I. Controle de plantas daninhas e persistência no solo. Bragantia, v.50, p.103-114, 1991.         [ Links ]

GIARDINI, A.R. Efeitos na população natural de Rhizobium sp., estirpes selecionadas, e épocas de aplicação de nitrogênio, na produção de amendoim (Arachis hypogaea L.) Piracicaba, 1980. 62p. Dissertação (Mestrado) - Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiróz, Universidade de São Paulo.         [ Links ]

GRAFSTROM JR, L.D.; NALEWAJA, J.D. Uptake and translocation of fluazifop in green foxtail (Setaria viridis). Weed Science, v.36, p.153-158, 1988.         [ Links ]

HARDY, R.W.F.; BURNS, R.C.; HOLSTEN, R.D. Applications of the acetylene-ethylene assay for measurement of nitrogen fixation. Soil Biology and Biochemistry, v.5, p.47-81, 1973.         [ Links ]

KISHINEVSKI, B.; LOBEL, R.; LIFSHITZ, N.; GURFEL, D. Effects of some commercial herbicides on rhizobia and their symbiosis with peanuts. Weed Research, v.28, p.291-196, 1988.         [ Links ]

LOPES, E.S.; SAVY FILHO, A.; OLIVEIRA, M.L.C.; GIARDINI, A.R.; POMPEU, A.S. Observação da nodulação natural em cultivares de amendoim (Arachis hypogaea L.). Bragantia, v.35, p.xi-xii, 1976.         [ Links ]

LOPES, E.S.; TELLA, R.; ROCHA, J.L.V.; IGUE, T. Inoculação de sementes de amendoim (Arachis hypogaea L. ). Bragantia, v.31, p.xxvii-xxxiv, 1972.         [ Links ]

MATERSON, C.L.; MURPHY, P.M. The acetylene reduction technique. In: SUBBA RAO, N. S., (Ed.). Recent advances in nitrogen fixation. Londres: Edward Arnold, 1980. p.8-33.         [ Links ]

NAMBIAR, P.T.C. Response of groundnut (Arachis hypogaea L.) to Rhizobium inoculation in the field: problems and prospects. Mircen Journal of Applied Microbiology, v.1, p.293-309, 1985.         [ Links ]

NAMBIAR, P.T.C.; DART, P.J. Studies on nitrogen fixation by groundnut at ICRISAT In: INTERNATIONAL WORKSHOP ON GROUNDNUTS, Patancheru, 1980. Proceedings. Patancheru: ICRISAT, 1980. p.110-124.         [ Links ]

NAMBIAR, P.T.C.; DART, P.J.; NIGAM, S.N.; GIBBONS, R.W. Genetic manipulation of nodulation in groundnut. In: GRAHAM, P. H. ; HARRIS, S. C. (Eds.). Biological nitrogen fixation technology for tropical agriculture. Cali: Centro Internacional de Agricultura Tropical, 1981. p.9-13.         [ Links ]

NAMBIAR, P.T.C.; RUPELA, O.P.; RAO, J.V.D.K. Nodulation and nitrogen fixation in groundnut (Arachis hypogaea L.), chickpea (Cicer arietinum L.) and pigeonpea (Cajanus cajan L. Millsp.) In: SUBBA RAO, N.S. (Ed.). Biological nitrogen fixation: recent developments. New Delhi: Oxford & IBH, 1988. p.21-32.

OSMAN, A.K.; WYNNE, J.C.; ELKAN, G.H.; SCHNEEWEIS, T.J. Effect of leaf removal on symbiotic nitrogen fixation in peanut. Peanut Science, v.10, p.107-110, 1983.         [ Links ]

QUAGGIO, J.A.; GODOY, I.J. Amendoim. In: RAIJ, B. van; SILVA, N.M.; BATAGLIA, O.C.; QUAGGIO, J.A.; HIROCE, R.; CANTARELLA, H.; BELLINAZZI JÚNIOR, R.; DECHEN, A.R.; TRANI, P.E. (Ed.) Recomendações de adubação e calagem para o Estado de São Paulo. Campinas: Instituto Agronômico, 1985. p.25. (Boletim técnico, 100).         [ Links ]

RODRIGUES, B.N.; ALMEIDA, F.S. Guia de herbicidas. 3. ed. Londrina: s.ed., 1995. 675p.         [ Links ]

STEEL, R.G.D.; TORRIE, J.H. Principles and procedures of statistics. 2 ed. New York: McGraw-Hill Book, 1980. p.377-400.         [ Links ]

SCHUBERT, K.; RYLE, G. The energy requirements of nodulated legumes In: SUMMERFILED, R.S.; BUNTING, A.H. (Ed.). Advances in legume science. Kew: Royal Botanic Gardens, 1980. p.85.         [ Links ]

WICHERT, R.A.; TALBERT, R.E. Soybean [Glycine max (L.) ] response to lactofen. Weed Science, v.41, p.23-27, 1993.         [ Links ]

 

 

Recebido para publicação em 15.12.97
Aceito para publicação em 15.04.98