SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.11 issue1Hospital infection in the context of the health policies established by the state of Santa CatarinaSkin site complications related to insulin application author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Revista Latino-Americana de Enfermagem

On-line version ISSN 1518-8345

Rev. Latino-Am. Enfermagem vol.11 no.1 Ribeirão Preto Jan./Feb. 2003

http://dx.doi.org/10.1590/S0104-11692003000100017 

Enfermagem baseada em evidências: princípios e aplicabilidades

 

Evidence based nursing: principles and applicability

 

Enfermería basada en evidencia: princípios y aplicabilidad

 

 

Edvane Birelo Lopes De DomenicoI; Cilene Aparecida Costardi IdeII

IDoutoranda, Mestre em Enfermagem pela Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo, Docente do Curso de Graduação em Enfermagem da Universidade Paulista, E-mail: erdomenico@sti.com.br
IIProfessor Titular da Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo

 

 


RESUMO

O trabalho discorre sobre a enfermagem baseada em evidências, como um novo modelo operacional integralizador da competência clínica individual, com os achados clínicos gerados pelas pesquisas científicas, e analisa a inserção dessa prática no modelo profissional vigente na enfermagem.

Descritores: enfermagem prática, pesquisa em enfermagem, papel do profissional de enfermagem


ABSTRACT

The work considers the evidence based nursing as a new operational model that integrates individual clinical competencies, through clinical finding generated by scientific research and analyzes the inclusion of this practice to the actual nursing professional model.

Descriptors: nursing practice, nursing research, nursing professional role


RESUMEN

El presente trabajo trae la práctica basada en evidencias como un nuevo modelo operacional integralizador de la competencia clínica individual con los avances clínicos generadas por las investigaciones científicas y analiza la inclusión de esta practica en el modelo profesional vigente en enfermería.

Descriptores: enfermería práctica, investigación en enfermería, rol del profesional de enfermeria


 

 

INTRODUÇÃO

O conhecimento está em pleno estado de desenvolvimento e aprimoramento na sociedade moderna, e isso implica a possibilidade de encontrarmos, na prática, atitudes desvinculadas dos últimos achados científicos. Nas profissões da área da saúde, o acompanhamento atualizado dos resultados de pesquisas já se tornou uma prática impossível quando o profissional não prioriza uma determinada especialidade e, mesmo assim, a tarefa continua sendo difícil, uma vez que deverá planejar seu tempo para, periodicamente, proceder à seleção, leitura e análise dos estudos publicados na área de escolha.

Nesse contexto de urgente adoção de medidas que minimizem o distanciamento entre os avanços científicos e a prática assistencial, surgiu, inicialmente, no campo da Medicina, e, posteriormente, na Enfermagem, a Prática Baseada em Evidências (PBE).

Sendo uma proposta nova no contexto assistencial dos enfermeiros, o presente trabalho é um ensaio sobre o assunto, com os objetivos de elucidar seus princípios e analisar sua aplicabilidade na Enfermagem.

 

PRINCÍPIOS DE UMA PRÁTICA BASEADA EM EVIDÊNCIAS

Por definição, a Prática Baseada em Evidências (PBE) compreende "o uso consciente, explicito e judicioso da melhor evidência atual para a tomada de decisão sobre o cuidar individual do paciente"(1). Compreende um processo integralizador da competência clínica individual com os achados clínicos gerados pelas pesquisas sistemáticas existentes e nos princípios da epidemiologia clínica(1-2).

Os elementos da Prática Baseada em Evidências são constituídos pelas técnicas de tomada de decisão clínica, pelo acesso às informações científicas e pela análise da validade dessas informações, principalmente averiguando os graus de eficiência e efetividade que possuem(3).

Analisando-se a Figura 1, verifica-se que, em outras palavras, os elementos básicos da PBE consistem no exercício da avaliação clínica e no processo de integração e aplicação das evidências externas àquela realidade observada.

 

 

Operacionalmente, a PBE baseia-se em cinco etapas que integram esses elementos(1,3-5). Primeiramente, a necessidade de cuidado observada no paciente, num grupo de pacientes ou mesmo na organização do serviço, deve ser convertida numa pergunta; a segunda etapa consiste na busca bibliográfica da melhor evidência relacionada à pergunta. A seguir, as evidências encontradas são avaliadas em termos de validade e confiabilidade metodológica, além da sua aplicabilidade clínica.

Nessa etapa, os conhecimentos sobre metodologia da pesquisa são importantes para o profissional analisar, com segurança, o desenho da pesquisa, a exposição de sua condução, e os métodos estatísticos empregados. Como fonte de auxílio para a realização dessa análise, o Centro Cochrane do Brasil (http://www.epm.br/cochrane) disponibiliza as Revisões Sistemáticas já realizadas, como também auxilia na busca de ensaios clínicos registrados. As Revisões Sistemáticas construídas com a meta-análise são consideradas as melhores evidências sobre determinados assuntos, uma vez que a associação da revisão meticulosa da literatura ao método estatístico possibilita a aquisição de resultados combinados e avaliados qualitativamente (revisão da literatura) e quantitativamente (meta-análise), podendo-se inferir a magnitude do efeito da intervenção, as diferenças e contradições entre diferentes estudos, o grau de confiabilidade, entre outras análises que não sofrem a influência da posição do autor(1,3).

A quarta etapa operacional da PBE compreende a aplicação, na prática clínica, dos achados escolhidos mediante a análise crítica da literatura investigada. E, finalmente, a quinta etapa consiste na avaliação dos resultados.

Para a operacionalização dessas etapas, o profissional necessita construir competências relacionadas, principalmente: 1. À capacidade de analisar criticamente o contexto da prática; 2. À habilidade de converter situações-problema em foco investigativo; 3. Ao conhecimento sobre metodologia de pesquisa: desenho do estudo, análises de confiabilidade, efetividade, custo-benefício; 4. À capacidade de associar os achados científicos ao seu contexto de prática; 5. À habilidade de implementar mudanças e de avaliá-las continuamente(5-6).

 

APLICABILIDADE DA PBE NA ENFERMAGEM

Expostos os referenciais que sustentam a Prática Baseada em Evidências, cabe colocá-la em destaque, considerando os limites e as perspectivas de sua aplicabilidade. Nesse contexto, a utilização dessa metodologia tem, como condição imediata de aplicabilidade, os movimentos de acreditação da prática instituída, cada vez mais alicerçados no pensamento crítico e na competência clínica dos enfermeiros, enquanto requisitos para a coordenação de processos de cuidar, sustentados pelas melhores evidências científicas.

Trilhar a trajetória de uma Prática Baseada em Evidências compreende redimensionar prioridades, reinvestir na avaliação clínica da clientela e disponibilizar tempo para empreendimentos relacionados à busca de resultados de pesquisa, ou mesmo à sua execução. A participação do paciente e a utilização da experiência profissional do enfermeiro também são essenciais, na medida que fornecerão subsídios para a determinação das necessidades (diagnósticos) e das condutas de cuidar, devidamente pautadas em melhores evidências científicas(6).

Enquanto profissão institucionalizada, a Enfermagem envolve-se e responde, também, por uma gestão administrativa caracterizada, essencialmente, pela pouca flexibilidade e racionalidade operacionais(4-5). Para que os enfermeiros possam penetrar num contexto administrativo/assistencial resignificado, é necessário que ocorra, inclusive, uma análise crítica pessoal sobre a qualidade profissional que se possui e o que se faz para cultivá-la(6).

Nesse sentido, a qualidade da formação universitária e as oportunidades científicas da vida profissional estão relacionadas, uma vez que o desenvolvimento das habilidades concernentes a um profissional que seja capaz de atuar com os parâmetros das melhores evidências, não se constrói repentinamente. Desde a graduação, o aluno deveria habituar-se a questionar e investigar o contexto da prática, porém, concomitantemente, torna-se fundamental uma nova estrutura administrativa do trabalho, baseada na disponibilidade de recursos e na reformulação filosófica da prática, realinhando as atividades profissionais para a investigação clínica permanente.

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

1. Atallah AN, Castro AA. Evidências para melhores decisões clínicas. São Paulo, Centro Cochrane do Brasil; 1998.        [ Links ]

2. French P. The development of evidence-based nursing. J Adv Nurs 1999; 29(1):72-8.        [ Links ]

3. Friendland DJ, Go AS, Davoren JB, Shlipak MG, Bent, SW, Subak LL, et al. Medicina baseada em evidências: uma estrutura para a prática clínica. Rio de Janeiro: Guanabara-Koogan; 2001.        [ Links ]

4. Colyer H. Evidence-based practice: philosophical and political anlysis: some matters for consideration by professional practitioners. J Adv Nurs 1999; 29(1):188-93.        [ Links ]

5. Isern MTI. La evidencia cientifica: estrategia para la prática enfermera. Rev Rol Enfermeria 1999; 22(3):185-90.        [ Links ]

6. Sastre RS, Solís MJN. Investigar desde la teoría y la prática. Rev Rol Enfermeria 2000; 23(3):185-91.        [ Links ]

 

 

Recebido em: 18.3.2002
Aprovado em: 30.8.2002

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License