SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.6 issue1Investigação em sistemas e serviços de saúde: novos problemas e objetos, abordagens e estratégiasO impacto do aborto ilegal na saúde reprodutiva: sugestões para melhorar a qualidade do dado básico e viabilizar essa análise author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Saúde e Sociedade

Print version ISSN 0104-1290On-line version ISSN 1984-0470

Saude soc. vol.6 no.1 São Paulo Jan./July 1997

https://doi.org/10.1590/S0104-12901997000100004 

ARTIGOS

 

Assistência integral à saúde da criança no Brasil: implicações para o ensino e a prática da enfermagem pediátrica*

 

 

Semiramis Melani Melo RochaI; Regina Aparecida Garcia de LimaII; Carmen Gracinda Silvan ScochiII

IProfessora Titular junto ao Departamento de Enfermagem Materno-Infantil e Saúde Pública da Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de SãoPaulo
IIProfessoras Doutoras junto ao Departamento de Enfermagem Materno-Infantil e Saúde Pública da Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo

 

 


RESUMO

Neste artigo, as autoras discutem o significado que vem sendo atribuído ao termo assistência integral a saúde da criança e do adolescente, apontando suas várias interpretações em busca de superar a fragmentação da assistência. Inicialmente, apresentam as articulações entre o movimento de proteção à criança e a sociedade em geral, em seguida, as diretrizes políticas da assistência à criança e ao adolescente no Brasil contemporâneo. Na segunda parte, discutem as estratégias da enfermagem para apreender a criança em seus aspectos biológicos, em sua subjetividade e em sua dimensão social. Concluem que as necessidades atuais de assistência à criança hospitalizada convergem para: - a apreensão da criança em seus aspectos orgânicos e em sua subjetividade;- o envolvimento dos pais e da família no processo de promoção, prevenção, diagnóstico, terapêutica, e de reabilitação; - organização do trabalho em equipes multidisciplinares e multiprofissionais; - compreensão das instituições de saúde como espaços de produção de serviços onde se estabelecem relações sociais complexas. Portanto, a assistência integral não pode ser tomada de uma forma idealizada, no plano teórico, como uma mistura de referenciais teóricos que vão desde a ecologia até biologia molecular. Ela implica em um árduo trabalho de construção concreta e cotidiana de interação, com determinação política de implementar mudanças.

Palavras-chave: saúde integral; criança; adolescente; assistência


SUMMARY

In this paper the authors discuss the meaning that has been attributed to the term "integral care of children's and adolescents's health", highlighting its several interpretations, with a view to overcoming fragmentation of care. To start with, they present the articulations by the movement for children protection with the society as a whole, following with the political policies for the care of children land adolescents in Brazil. In the second part, they discuss nursing strategies to view children as to their biological aspects, their subjectivity and social dimension. They conclude that the present needs for the care of hospitalized children converge to: considering children in their organic aspects as well as their subjectivity along with parents' and other relatives' involvement in the processes of their children's health promotion, prevention of diseases, diagnosis, therapeutics and rehabilitations other concerns are the organization of work in multidisciplinary and multiprofessional teams, and the understanding of health institutions as service production spaces where complex social relations are established. Therefore, integral care must not be seen as an idealized theoretical approach, as a mixture of theoretical framework ranging from ecology to molecular biology. It implies hard work for daily building concrete interaction, with political determination for implementing changes.

Key words: integral care; children; adolescent; care


 

 

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text available only in PDF format.

 

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

ANDRADE, J. Marco conceptual de la educación medica en Ia America Latina. Washington, Organização Panamericana de la Salud, 1979 (Série Desarollode Recursos Humanos n°28).         [ Links ]

BOWLBY, J. Cuidados maternos e saúde mental. São Paulo, Martins Fontes, 1995.         [ Links ]

CALLERY, P. A study of role negotiation between nurses and the parents of hospitalized children. J. Advanc. Nur., 16:772-81,1991.         [ Links ]

CARAPINHEIRO, G. Saberes e poderes no hospital. Porto, E. Afrontamento, 1993.         [ Links ]

COLLET, N. Transformações no ensino das técnicas em enfermagem pediátrica. Ribeirão Preto, 1995. [Dissertação de Mestrado - Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo]         [ Links ].

COYNE, I.T. Parental participation in care: a critical review of the literature. J. Advanc. Nur., 21:716-22,1995.         [ Links ]

DARBYSHIRE, P. Parents, nurses and paediatric nursing: a critical review. J. Advanc. Nur., 18:1670-80,1993.         [ Links ]

DYTZ, J.L.G.; BENZONI, S.A.G.; PAYNO, S.M. O trabalho multiprofissional na assistência à criança hospitalizada. Ribeirão Preto, 1995. [Trabalho elaborado para a disciplina ERM 717 "Assistência Integral à Criança: conceituação teórica, ações e produção do conhecimento]         [ Links ].

FARIA, V.E. A montanha e a pedra. In: FAUSTO, A.& CERVINI, R., org. O trabalho e a rua: crianças e adolescentes no Brasil urbano dos anos 80. São Paulo Cortez 1991. p. 195-225.         [ Links ]

FIORI, J.L. & KORNIS, G.E.M. Além da queda: economia e política numa década enviesada. In: GUIMARÃES, R. & TAVARES, R.A.W. org. Saúde e sociedade no Brasil: anos 80. Rio de Janeiro, Relume Dumará, 1994. p.1-42.         [ Links ]

FUNDAÇÃO INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Crianças e adolescentes: indicadores sociais. Rio de Janeiro. Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, 1992, v.4.         [ Links ]

MARQUES, M. B. Contribuição ao estudo do movimento internacional de proteção à maternidade e à infância. (mimeografado, s/d).         [ Links ]

MENDES, E.V. Distrito sanitário: o processo social de mudança das práticas sanitárias do Sistema Único de Saúde. São Paulo, HUCITEC/ABRASCO, 1994.         [ Links ]

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Centro de Documentação. Assistência integral à saúde da criança: ações básicas. Brasília, 1984. (Série B: Textos Básicos de Saúde, n.7).         [ Links ]

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Estatuto da criança e do adolescente. Brasília, Ministério da Criança/Projeto Minha Gente, 1991.         [ Links ]

NOGUEIRA, R. P. Dinâmica do mercado de trabalho em saúde no Brasil -1970-1983. Brasília, OPS/MS/MPAS/MEC/MCT, 1986.         [ Links ]

OLIVEIRA, L.A.P. & SIMÕES, C.C.S. O papel das políticas de saúde e saneamento na recente queda da mortalidade infantil: significado, alcance e limitações estruturais. In: IBGE. Perfil estatístico de crianças e mães no Brasil: aspectos sócio-econômicos da mortalidade infantil em áreas urbanas. Rio de Janeiro, 1986. p 51 -57.         [ Links ]

ORGANIZAÇÃO PANAMERICANA DE LA SALUD. Investigacion interamericana de mortalidad en la niñez. Informe provisional del primer año. Washington, 1971.         [ Links ]

ORGANIZAÇÃO PAN-AMERICANA DA SAÚDE. Programa de Saúde Materno-lnfantil. O marco conceptual da saúde integral do adolescente e de seu cuidado. Washington DC, OPS/OMS, 1990.         [ Links ]

ROSEN, G. Um história da saúde pública; trad. Marcos Fernandes da Silva Moreira e José Rubens de Alcântara Bonfim. São Paulo, HUCITEC/UNESP/ABRASCO, 1994.         [ Links ]

SÃO PAULO (ESTADO). Leis, Decretos, etc. Resolução SS-165, 12 out. 1988. Diário Oficial do Estado, SP, 14 mar. 1989. Seção I, p.99.         [ Links ]

SARTI, C.A. Aspectos antropológicos e sociais da família. In: Congresso Paulista de Enfermagem Pediátrica, São Paulo, 1995. Anais. p.9.         [ Links ]

SIMÕES, C.C.S. & OLIVEIRA, L.A.P Evolução da mortalidade infantil. In: IBGE/UNICEF. Perfil estatístico de crianças e mães no Brasil. Aspectos sócio-econômicos da mortalidade infantil em áreas urbanas. Rio de Janeiro, 1986.         [ Links ]

YUNES, J. Diagnóstico da situação social e de saúde da criança na América Latina. In: Seminário Sul-Americano de Pesquisa em Enfermagem nas áreas de Saúde da Mulher e da Criança. 1. Ribeirão Preto, 1990. Anais, p 4-7.         [ Links ]

 

 

recebido em 9/4/97
aprovado em 16/10/97

 

 

* Este trabalho é parte do projeto integrado "A enfermagem profissional e a assistência integral à criança e ao adolescente", financiado pela FAPESP e CNPq.

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License