SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.6 issue2ApresentaçãoCidades saudáveis estratégia em aberto author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Saúde e Sociedade

Print version ISSN 0104-1290

Saude soc. vol.6 no.2 São Paulo Aug./Dec. 1997

http://dx.doi.org/10.1590/S0104-12901997000200003 

ARTIGOS

 

Municípios saudáveis: aspectos conceituais

 

 

Márcia Faria Westphal

Professora Titular do Depto de Prática de Saúde Pública da Faculdade de Saúde Pública da USP

 

 


RESUMO

Este texto discute a proposta de "Cidades Saudáveis", assumindo-a como uma resposta a mudanças que estão ocorrendo no contexto, tais como o crescimento da urbanização, mudança da concepção de Estado, a globalização, rapidez da comunicação, mudanças nos padrões epidemiológicos e outros. Analisa-a a partir de visões empíricas e técnicas sobre a proposta: uma forma de avaliação de municípios, um movimento mais amplo, uma filosofia, um projeto que procura experimentar uma nova forma de gerenciamento dos problemas das cidades. Refere-a a uma concepção ampla do processo saúde - doença e ao novo paradigma da Promoção de saúde. Apresenta e discute as condições necessárias dentre elas o compromisso político das autoridades constituídas com metas, objetivos e estratégias relacionadas às necessidades da população que vive nas cidades. Para que as experiências sejam caracterizadas como tal, o planejamento estratégico, ações intersetoriais e principalmente o protagonismo da sociedade civil durante todo desenvolvimento do projeto são outros instrumentais disponíveis para os interessados em experimentá-la.

Palavras-chave: cidades saudáveis; conceituação; municípios saudáveis, saúde


SUMMARY

This text discusses the proposal of "Healthy Cities" assuming it as an answer to changes that are happening in the context, such as the growth of the urbanization, change of the conception of State, the globalization, speed of the communication, changes in the epidemic patterns and others. The paper analyzes it departing from empiric and technical visions of the proposal: a form of evaluation of municipal districts, a wider social movement, a philosophy or a project that tries a new form of management of the problems of the cities. The proposal is structured within a wide framework of the health - disease process and a new paradigm of Health Promotion. The text presents and discusses the necessary conditions to the political commitment of the authorities to goals, objectives and strategies related to the needs of the population of the cities. Other available tools for those interested in trying out the proposal are the strategic planning, intersectorial action and mainly the protagonism of civil society during the whole development of the project.

Key words: healthy cities; conceptualization; health


 

 

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text available only in PDF format.

 

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

DRUMMOND, M & STODDART, G. Assessment of health producing measures across different sectors. Health Policy, 33:219-31,1995.         [ Links ]

EAKIN, J. et al. Toward a critical social science perspective on health promotion research. Health Prom. Int., 11:157-65,1996.         [ Links ]

HABERMAS, J. Mudanças estruturais na esfera pública. Rio de Janeiro, Tempo Brasileiro, 1984. p. 42-109.         [ Links ]

HARRIS POLL & AECD DATA - Health Affair, 1990.         [ Links ]

MACDONALD, G.et al. Evidence for success in health Promotion: suggestions for improvement. Health Educ. Res., 11:367-76, 1996.         [ Links ]

NUNES, E. Carências urbanas, reivindicações sociais e valores democráticos. Lua Nova (17): 67-92,1989.         [ Links ]

OFFE, C. Dominação de classe e sistema político sobre seletividade das instituições políticas In: OFFE, C. Problemas estruturais do Estado capitalista. Rio de Janeiro, Tempo Brasileiro, 1984. p: 140-77.         [ Links ]

ORGANIZACIÓN PANAMERICANA DE LA SALUD Promotion de la salud: una ontologia Washington, D.C., 1996.         [ Links ]

PILON, A.F. Health for all by the year 2.000 - cultural handicaps and possible solutions. Int. Q. Community Health Educ., 11:79-83, 1990/91.         [ Links ]

PILON, A.F. Qualidade de vida e formas de relacionamento homem-mundo. Rev. Bras. Saúde Esc., 2(3/4):117-25,1992.         [ Links ]

PROMOÇÃO DA SAÚDE: Carta de Otawa, Declaração de Adelaide, Sundsval e Santa Fé de Bogotá. Tradução: Luis Eduardo Fonseca. Brasília, Ministério da Saúde, 1996.         [ Links ]

RUSSEL, A.J. What is health? People talking. The journal, 43-7:1995        [ Links ]

SANDERSON, C et al. Effect and stage models in community intervention programs; and the development of the model for management of intervention programme preparation. Health Prom. Int., 11:143-55, 1996.         [ Links ]

SANTOS, M. A urbanização brasileira. 3ª ed. São Paulo, Hucitec, 1995.         [ Links ]

SPRINGETT, J et al. Toward a frame work for evaluation in health promotion: methodology, principles and practice. The Journal, 8:61-5,1995.         [ Links ]

STROZZI, J.B. & GIACOMINI, M. Município saudável. Divulgação Saúde em Debate, 16:30-5, 1996.         [ Links ]

TONES, K. Health promotion, empowerment and action competence. In: Jensen, B. B. & Schnack, K. Action and action competence. R. Dan. Sch. Educ. Stud. Studies in educational Theory and Curriculum 12:,163 -183,1994.         [ Links ]

WESTPHAL, M.F. Participação popular e políticas municipais de saúde: o caso de Cotia e Vargem Grande Paulista. São Paulo, 1992. [Tese de Livre-docência da FSP/USP]         [ Links ]