SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.11 número3Uma Nova Dimensão dos Termoplásticos: O Consumo EnergéticoEventos da IUPAC Austrália 2001 índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Polímeros

versão impressa ISSN 0104-1428versão On-line ISSN 1678-5169

Polímeros v.11 n.3 São Carlos jul./set. 2001

http://dx.doi.org/10.1590/S0104-14282001000300006 

POLÍMEROS FOTÔNICOS

 

Esculpindo Superfícies de Polímeros com Luz

 

 

Em 1995, dois grupos de pesquisa, um deles liderado pelos Profs. Sukant Tripathy e Jayant Kumar, na Universidade de Massachusetts em Lowell, EUA, e o outro pela Profa. Almeria Natansohn, no Canadá, relataram a possibilidade de alterar significativamente a superfície de polímeros contendo cromóforos de azobenzeno, criando grades de relevo tridimensionais. Esta propriedade, característica dos azopolímeros, vem sendo estudada no Brasil pelos Grupos de Polímeros Bernhard Gross e de Óptica do IFSC.

 

 

A inscrição de grades tem sido feita em materiais contendo grupos azobenzênicos. A figura mostra uma grade típica, obtida a partir da incidência de um padrão de interferência de dois feixes de laser sobre um filme automontado de poli(alilamina hidroclorada), PAH e o azocorante amarelo brilhante (brilliant yellow, BY) (veja box). A modulação é resultado de um processo equivalente ao esculpir da superfície do polímero, gerando transporte de massa em dimensões micrométricas (note que a grade da figura tem um período de modulação de 2 mm). A amplitude da modulação pode atingir 1 mm ou mais, para filmes com espessura de alguns micra. Tal transporte é surpreendente porque a inscrição da grade é feita à temperatura ambiente, para polímeros com temperatura de transição vítrea (Tg) de 100 a 190°C. Não se deveria, portanto, esperar mobilidade das cadeias ¾ principalmente considerando que as baixas intensidades de laser utilizadas (menores que 100 mW/cm2) não causam aquecimento do filme. A formação de grades, nessas condições, é um processo inteiramente fotônico, que pode ser explicado por um modelo segundo o qual os cromóforos sofrem uma força que é proporcional ao gradiente do campo elétrico (óptico). Este modelo, desenvolvido pelo Grupo de Lowell, EUA, foi testado extensivamente fornecendo a adequada dependência com a polarização dos feixes de laser. A mobilidade das cadeias, que permite o transporte de massa, é oriunda dos processos eficientes de fotoisomerização trans-cis-trans dos cromóforos de azobenzeno. Ao absorver a luz do laser, os cromóforos são excitados de sua conformação de mais baixa energia trans para a conformação cis. Eles relaxam de volta à forma trans, termicamente ou mesmo por excitação óptica, uma vez que os cromóforos continuam absorvendo um pouco de luz mesmo na forma cis. A fotoisomerização eficiente é pré-requisito para a mudança nas propriedades viscoelásticas do material, e esta é a razão pela qual até o momento só se conseguiu obter grades em materiais contendo azobenzenos.

Figura1

Além do interesse puramente científico por este intrigante fenômeno de interação de luz com a matéria, as grades de difração assim produzidas encontram aplicações em fotônica. Estas incluem a produção de dispositivos ópticos, como guias de onda ou de acoplamento de luz, memória óptica e fabricação de hologramas. No Brasil, os Grupos de Polímeros Prof. Bernhard Gross e de Óptica, do IFSC, iniciaram pesquisas em grades de relevo em 1998, tendo sido os primeiros a apresentar grades inscritas em filmes Langmuir-Blodgett (LB) de azopolímeros. Mais recentemente, os signatários desta nota realizaram estágio no Center for Advanced Materials, Lowell, e vêm continuando pesquisas no IFSC, principalmente no tocante aos mecanismos envolvidos na fabricação de grades em sistemas poliméricos automontados e em filmes do tipo LB.

 

 

Para mais detalhes:

1. Viswanathan, N.K., Balasubramanian, S., Li, L., Tripathy, S.K., Kumar, J., A detailed investigation of the polarization-dependent surface-relief-grating formation process on azo polymer films, Japanese J. Appl. Phys. Part 1-Regular Papers Short Notes & Review Papers , 38, pp. 5928-5937 (1999).

2. Mendonca, C.R., Dhanabalan, A., Balogh, D.T., Misoguti, L., dos Santos, D.S., Pereira-da-Silva, M.A., Giacometti, J.A., Zilio, S.C., Oliveira, O.N., Optically induced birefringence and surface relief gratings in composite Langmuir-Blodgett (LB) films of poly[4'-[[2-methacryloyloxy) ethyl] ethylamino] -2-chloro-4-nitroazobenzene] HPDR13) and cadmium stearate, Macromolecules, 32, pp. 1493-1499 (1999).

 

 

Matéria elaborada por Valtencir Zucolotto e Osvaldo N. Oliveira Jr., Instituto de Física de São Carlos, USP, C.P. 369, CEP:13560-970, São Carlos, SP, tel. (16) 273-9825, e-mail: zuco@if.sc.usp.br, chu@if.sc.usp.br.

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons