SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
 número16Da modernidade em Walter Benjamin: crítica, esporte e escritura histórica das práticas corporaisEsclarecimento, desencantamento e instrumentalização da vida e a onda de corporalidade índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Educar em Revista

versão impressa ISSN 0104-4060

Educ. rev.  no.16 Curitiba jan./dez. 2000

http://dx.doi.org/10.1590/0104-4060.207 

DOSSIÊ - CORPORALIDADE E EDUCAÇÃO

 

Educação física escolar: cultura, currículo e conteúdo

 

 

Douglas Danilo DittrichI; Juliane SondaII; Florise Maria FioreseIII; Ângelo Ricardo de SouzaIV

IProfessor da Rede Municipal de Ensino de Curitiba. Especialista. ddittrich@uol.com.br
IIProfessora da Rede Municipal de Ensino de Curitiba e da Rede Estadual de Ensino do Paraná. Especialista. jsonda@uol.com.br
IIIProfessora da Rede Municipal de Ensino de Curitiba e da Rede Estadual de Ensino do Paraná. Especialista. florise@uol.com.br
IVProfessor do Departamento de Planejamento e Administração Escolar, UFPR. Mestrando em Educação. angelo@educacao.ufpr.br

 

 


RESUMO

Este trabalho é resultado de um conjunto de estudos desenvolvido pelos autores com o objetivo de entender melhor o fenômeno da Educação Física Escolar, mais particularmente no que se refere aos seus objetivos e conteúdos. O texto foi redigido com base nas análises dos resultados de um projeto de pesquisa desenvolvido por um dos autores, em uma escola da periferia de Curitiba. Após discussão teórica relacionando conhecimento, cultura e conteúdo escolar, o texto apresenta alternativas para o entendimento e encaminhamento pedagógico desta disciplina escolar.

Palavras-chave: Educação Física escolar, cultura escolar, conhecimento.


ABSTRACT

This work results from developed studies to understand the Physical Education in Elementary School, present Physical Education objectives knowledge better. The empirical basis to this text came out of a research developed by one of the writers in a Public School in Curitiba surroundings. After a theoretical discussion about knowledge, culture and school contents the text preents some alternatives for understanding a pedagogical methodology of this scholar discipline.

Key-words: Physical Education, school culture, knowledge.


 

 

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text available only in PDF format.

 

 

REFERÊNCIAS

CASTELLANI FILHO, Lino. Educação Física no Brasil: a história que não se conta. Campinas: Papirus, 1988.         [ Links ]

CHEPTULIN, Alexandre. A dialética materialista. São Paulo: Alfa-Omega, 1982.         [ Links ]

COLETIVO DE AUTORES. Metodologia do ensino de Educação Física. São Paulo: Cortez, 1992.         [ Links ]

FORQUIN, Jean Claude. Escola e cultura. Porto Alegre: ArtMed., 1993.         [ Links ]

KOSIK, Karel. O mundo da pseudoconcreticidade e sua destruição. In: Dialética do concreto. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1977.         [ Links ]

KUNZ, Elenor. Educação Física: ensino e mudanças. Ijuí: Unijuí, 1991.         [ Links ]

MARX, Karl. O capital: capítulo VI. São Paulo: Moraes.         [ Links ]

SAVIANI, Dermeval. Do senso comum à consciência filosófica. São Paulo: Cortez, 1989.         [ Links ]

VYGOTSKY, Lev S. A formação social da mente. São Paulo: Martins Fontes, 1991.         [ Links ]

 

 

1 Este texto foi produzido a partir dos estudos desenvolvidos por um dos autores (Douglas D. Dittrich) no projeto "Fazendo Escola" (programa de incentivo à pesquisa da Rede Municipal de Ensino de Curitiba).
2 O Centro de Educação Integral Francisco Frischmann é uma escola que compõe a Rede Municipal de Ensino do Município de Curitiba, encontra-se localizada na periferia do mencionado município, e atende à comunidade através de duas formas de ensino, a chamada de tempo regular e a de tempo integral, em ambas as formas o que norteia a prática pedagógica da escola é o Currículo Básico da Rede Municipal. O projeto que aqui se relata foi desenvolvido nas terceiras e quartas séries do ensino regular, envolvendo duas turmas de terceira série e duas turmas de quarta série no período da tarde.
3 Elenor KUNZ (2000, p. 19) lembra que as terminologias variam um pouco, mas enfatiza que vários autores utilizando do termo "cultural corporal", podem estar reforçando - em verdade - um velho antagonismo entre corpo e mente, uma vez que se existe uma cultura corporal, é de se supor que exista uma cultura não-corporal ou intelectual.
4 VERRET (1975), citado por FORQUIN, Jean Claude. Escola e cultura. Porto Alegre: ArtMed., 1993. p. 16.
5 KARL, Marx. Capítulo VI . Inédito de O capital. São Paulo: Moraes.
6 forma mais ampla possível: entende-se que é preciso ampliar os horizontes dos conteúdos que a escola trabalha em seus limites extremos, no entanto, esta ampliação não segue a lógica do senso comum, segundo a qual isto envolveria trabalhar conhecimentos de outras áreas, mas sim buscar expressar todas as inter-relações que fazem parte do conteúdo trabalhado, vinculando-o com uma visão de sociedade, processo este que em um determinado momento daria a condição de consolidar o que se denomina síntese do conhecimento, que seria o momento em que a junção de todas as disciplinas que são trabalhadas com a criança (cada qual com sua especificidade para traduzir o real), produziria a esta a condição de compreender e participar efetivamente da sociedade.
7 Para VYGOTSKY (1991), o desenvolvimento da criança constitui-se em quatro ciclos, os quais não se encontram dissociados uns dos outros, não sendo também ilhas ou caixas fechadas em si mesmas, podendo a criança de um determinado ciclo, transitar em outro ciclo, dependendo do conteúdo a ser tratado e de suas relações sociais objetivas.
8 COLETIVO DE AUTORES. Metodologia do ensino da Educação Física. São Paulo: Cortez, 1992.

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons