SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
 número20Língua estrangeira e autonomia: um exemplo a partir do ensino de alemão no contexto brasileiroO movimento missionário e educacional protestante na segunda metade do século XIX: para cada igreja uma escola índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Educar em Revista

versão impressa ISSN 0104-4060

Educ. rev.  no.20 Curitiba jul./dez. 2002

http://dx.doi.org/10.1590/0104-4060.271 

DOSSIÊ - LINGUAGEM E ENSINO: TEMAS E PERSPECTIVAS

 

A língua estrangeira no país dos espelhos: uma reflexão sobre o limbo metodológico

 

Foreign language in the mirror's land: a reflection about the methodological limbo

 

 

Deise Cristina de Lima Picanço

Graduada em Letras Português/Espanhol e Mestre em Educação. Professora de Metodologia e Prática de Ensino de Língua Estrangeira Moderna do DTPEN/UFPR. dedeclp@terra.com.br

 

 


RESUMO

As propostas metodológicas para o ensino de línguas estrangeiras das últimas décadas, ao optarem por adotar um referencial teórico sociointeracionista na definição mais geral da concepção de linguagem e ensino e outro, mais formalista, na fundamentação dos procedimentos empíricos da sala de aula, acabaram por nos colocar numa espécie de limbo metodológico, ou seja, uma metodologia imprecisa teoricamente e confusa na prática. Nesse sentido, este artigo propõe uma discussão acerca dos problemas teórico-metodológicos do ensino de LEs, partindo de uma reflexão sobre o enunciado, fundamentada, por sua vez, por uma concepção de linguagem mais ampla, inspirada nas formulações teóricas dos pensadores do Círculo de Bakhtin.

Palavras-chave: ensino de línguas, Círculo de Bakhtin, parâmetros curriculares para LEs, lingüística aplicada ao ensino de LEs.


ABSTRACT

The methodological proposal for foreign language teaching of the last decades has created a kind of methodological limbo, in other words, a methodology that is not-precisely in its theory and confuse in its practice. This situation resulted for an option by a socio-interactionist reference in a more general definition of language and teaching conception. In this way, here there is a proposal for a discussion about theoretical and methodological problems in FL teaching. This reflection starts with a reflection about utterance, that is particularly based on a wider language conception inspired on theoretical formulations of Bakhtin's Circle thinkers.

Key-words: language teaching, Bakhtin Circle, curricula parameters for FL, applied linguistic for FL teaching.


 

 

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text available only in PDF format.

 

 

REFERÊNCIAS

BAKHTIN, M.; VOLOSHINOV, V. N. Marxismo e filosofia da linguagem: problemas fundamentais do método sociológico na ciência da linguagem. São Paulo: Hucitec, 1992.         [ Links ]

BAKHTIN, M. Estética da criação verbal. São Paulo: Martins Fontes, 2000.         [ Links ]

BAKHTIN, M. Questões de literatura e de estética. São Paulo: Hucitec, 1998.         [ Links ]

BRASIL/MEC/SEF. Parâmetros Curriculares Nacionais 3º e 4º ciclos do ensino fundamental: língua estrangeira. Brasília: MEC/SEF, 1998.         [ Links ]

FARACO, C. A.; CASTRO, G. Por uma teoria lingüística que fundamente o ensino de língua materna (ou de como apenas um pouquinho de gramática nem sempre é bom). Educar em Revista, Curitiba, n. 15, p. 179-194, 1999.         [ Links ]

PENNYCOOK, A. Incommensurable discourses? Applied Linguistics, Oxford, v. 15, n. 2, 1994.         [ Links ]

 

 

Texto recebido em 22 jul. 2002
Texto aprovado em 26 ago. 2002

 

 

1 VOLOSHINOV, V. N. Slovo v zhizni i slovo v poesie. Zvezda, n. 6, 1926. Usamos, aqui, como referência, a tradução feita por Faraco e Tezza, para uso didático, que tomou como base a tradução inglesa de I. R. Titunik, "Discourse in life and discourse in art - concerning sociological poetics", publicada em VOLOSHINOV, V. N. Freudism. New York: Academic Press, 1976.

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons