SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
 número24A pré-história da mente: uma busca das origens da arte, da religião e da ciênciaInstrução, o talher para o banquete da civilização: cultura escolar dos jardins de infância e grupos escolares do Paraná, 1900-1929 índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Educar em Revista

versão impressa ISSN 0104-4060

Educ. rev.  no.24 Curitiba jul./dez. 2004

https://doi.org/10.1590/0104-40602222 

RESUMOS DE TESES APRESENTADAS EM 2004

 

Designing and testing modules on non-formal education for teacher education candidates: a brazilian experience*

 

 

Christiane Gioppo

 

 

RESUMO

Dois módulos para a formação de educadores para o uso de ambientes não-formais e informais foram desenvolvidos e testados na Universidade Federal do Paraná. O primeiro módulo preparou alunos da licenciatura para desenvolver e ensinar unidades de ensino que usavam ambientes informais como praias e áreas de preservação natural. O segundo módulo concentrou-se na preparação de estagiários de museus para elaborar e ensinar atividades preparadas especificamente para ambientes não-formais. A pesquisa foi desenvolvida em três estágios. No primeiro, busquei as percepções de três grupos de profissionais sobre o uso de contextos informais/não-formais por grupos escolares e professores, indagando por sugestões para o desenvolvimento dos módulos educacionais. No segundo, os módulos foram concebidos e desenvolvidos com base nas respostas das entrevistas, na pesquisa bibliográfica e nos limites e restrições impostos pelo programa do curso de Licenciatura em Ciências Biológicas. O terceiro estágio foi o teste dos dois módulos por alunos de graduação em Licenciatura em Ciências Biológicas que desenvolveram atividades e regeram aulas para alunos do Ensino Fundamental e Médio.

Os resultados dos testes do Módulo I indicaram que alunos da licenciatura precisam de um forte sistema de apoio para se desenvolverem como professores. Os dados mostraram ainda que, é imperativo, mais instrução na criação de planos de aula de caráter investigativo e também que o módulo deveria ser uma inclusão permanente no currículo da licenciatura, por isso o módulo foi redesenhado mas não retestado. Os resultados do Módulo II indicaram que os funcionários e a administração do museu ficaram interessados em criar mais atividades interativas para os visitantes e que os grupos escolares gostaram da visita com este enfoque. Os dados do Módulo II indicaram também que são necessários revisão e aprofundamento, especialmente no que se refere ao uso de investigação, nas estratégias de implementação de atividades interativas em museus com exposições tradicionais, e ainda no desenvolvimento de atividades que sejam factíveis para grandes grupos de visitantes do museu. O estudo indicou a validade dos módulos para mudanças no ensino em ambientes não-formais e informais mas os alunos da licenciatura que criaram as atividades precisam muito mais de instrução em práticas inovadoras de ensino, no processo de construção de planos de atividades e no delineamento dos objetivos e papéis dessas atividades para a aprendizagem.

Palavras-chave: educação não-formal/informal, formação de professores, investigação.

 

 

ORIENTADORES: Dr. John Penick e Dr.ª Glenda Carter
NÍVEL: Ph.D. in Science Education
INSTITUIÇÃO: North Carolina State University
ANO: 2004

 

 

* Desenvolvimento e experimentação de módulos em educação não-formal para formação de futuros professores: uma experiência brasileira.
O trabalho completo está disponível em: http:/www.lib.ncsu.edu/theses/available/etd-11092004-154419/

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons