SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.48 issue1Tratamento não operatório das lesões traumáticas de fígado e baçoHormônio de crescimento: parte II author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Revista da Associação Médica Brasileira

Print version ISSN 0104-4230

Rev. Assoc. Med. Bras. vol.48 no.1 São Paulo Jan./Mar. 2002

http://dx.doi.org/10.1590/S0104-42302002000100021 

Diretrizes

Obstetrícia

 

MONITORIZAÇÃO FETAL ELETRÔNICA NA INTERPRETAÇÃO DA FCF

 

 

A monitorização da freqüência cardíaca fetal (FCF) pela cardiotocografia é método propedêutico que tem como objetivo principal a detecção precoce do sofrimento fetal. Este exame avalia as características da FCF pela análise visual dos traçados cardiotocográficos. Estando sujeita à subjetividade de cada observador, esta análise visual pode apresentar diversas interpretações. Com o intuito de padronizar os métodos utilizados na avaliação deste exame, foi publicado pelo "National Institute of Child Health and Human Development Research Planning Workshop"1, em 1997, as recomendações para interpretação dos parâmetros da FCF. As definições estabelecidas neste artigo são destinadas para a interpretação visual de traçados obtidos no período intraparto, entretanto, são também aplicáveis ao período anteparto. Muitas características da FCF apresentam padrões dependentes da idade gestacional, devendo portanto ser sempre considerada na avaliação do traçado. Os componentes individuais dos padrões da FCF, que são definidos na análise, geralmente evoluem e se modificam com o tempo. Portanto, uma descrição completa do traçado engloba as seguintes características: linha de base, variabilidade da linha de base, presença de acelerações, presença de desacelerações episódicas ou periódicas, e, alterações dos padrões da FCF no tempo. Houve consenso entre os pesquisadores envolvidos que a análise dos traçados da FCF conferem elevados valores de predição para fetos com oxigenação normal. Vários padrões também foram identificados como sugestivos de asfixia fetal grave com elevado risco de lesões neurológicas ou óbito do feto. Estes padrões incluem desacelerações tardias ou variáveis recorrentes, ou bradicardia importante com ausência de variabilidade. Em muitos fetos, os traçados apresentam características intermediárias e a conduta clínica é controversa. Neste grupo, acredita-se que muitos progressos poderão advir da aplicação das recomendações oferecidas para a padronização da interpretação dos traçados, minimizando o risco de intervenções e reduzindo a ocorrência da acidemia metabólica fetal.

Comentário

Atualmente, a interpretação visual dos traçados cardiotocográficos, quando não padronizada nos pressupostos estabelecidos, está sujeita a grande variabilidade e pequena reprodutibilidade dos resultados. Os critérios estabelecidos pelo "National Institute of Child Health and Human Development Research Planning Workshop" procuram estabelecer parâmetros claros de avaliação dos traçados, aumentando a confiabilidade do método. A despeito dessa padronização, exames suspeitos e/ou alterados constituem ainda um desafio aos que trabalham com a avaliação do bem-estar fetal, principalmente em gestações prematuras. A evolução do padrão cardiotocográfico do feto normalmente oxigenado para o observado na hipoxia grave, principalmente naquelas de intensidade suficiente para desencadear dano neurológico fetal, não é plenamente conhecida. A padronização de critérios para interpretação dos parâmetros da FCF proporciona meios de aprimorar a pesquisa nesta área, inclusive possibilitando a comparação entre estudos de diferentes instituições, para melhor orientação na conduta clínica a ser adotada frente às alterações observadas nos traçados cardiotocográficos.

 

ROSELI MIEKO YAMAMOTO NOMURA

 

Referência

National Institute of Child Health and Human Development Research Planning Workshop. Eletronic fetal heart rate monitoring: research guidelines for interpretation. Am J Obstet Gynecol 1997; 177:1385-90.