SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.49 issue1Diretrizes para o trauma geriátricoHormônio Anti-Mülleriano: importância na prática pediátrica author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Revista da Associação Médica Brasileira

Print version ISSN 0104-4230

Rev. Assoc. Med. Bras. vol.49 no.1 São Paulo Jan./Mar. 2003

http://dx.doi.org/10.1590/S0104-42302003000100023 

DIRETRIZES EM FOCO
PEDIATRIA

 

Disritmias cardíacas e disfunção tireoideana – ameaça oculta?

 

 

Durval Damiani

 

 

A tireotoxicose tem sido vista como um distúrbio reversível, sem conseqüências a longo prazo, talvez devido à disponibilidade de tratamentos eficazes, mas evidências recentes sugerem que pode haver problemas a longo prazo. Tem chamado a atenção no seguimento a longo prazo, o aumento de mortalidade por doença cardiovascular e cerebrovascular tanto nos pacientes com hipertireoidismo evidente, tratados com iodo radioativo, como nas formas subclínicas, com baixos níveis de TSH. Os hormônios tireoideanos exercem efeitos diretos no miocárdio e no sistema vascular, predispondo a disritmias, especialmente supraventriculares. Os efeitos no sistema nervoso autônomo também são arritmogênicos. Fibrilação atrial é uma complicação conhecida do hipertireoidismo, predispondo a fenômenos embólicos. O desenvolvimento de fibrilação atrial, juntamente com outras disritmias supraventriculares (detectadas pela clínica ou por monitoração com Holter) pode responder pela elevada mortalidade. A melhora na detecção de disritmias supraventriculares e intervenção terapêutica (anticoagulantes, antiarrítmicos, dentre outras) pode melhorar o prognóstico vascular a longo prazo, mas a sua efetividade ainda aguarda estudos terapêuticos com grande número de pacientes.

 

Comentário

A "ameaça oculta" a que se referem Osman e col. deve ser encarada como um sinal de alerta para o qual, muitas vezes, não se está dando a devida atenção. Apesar das dificuldades terapêuticas do hipertireoidismo (drogas com muitos efeitos colaterais, opção de radioiodoterapia pu cirurgia) e seu caráter prolongado, principalmente no pré-adolescente, muitas vezes nos esquecemos da monitorização cardíaca e este item deve ser acrescentado ao seguimento ambulatorial desses pacientes.

 

Referência

Osman F, Gammage MD, Sheppard MC, Franklyn JÁ. Cardiac dysthythmias and thyroid dysfundtion: the hidden menace? J Clin Endocrinol Metab 2002;87: 963-7.