SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.50 issue2Eventos adversos: o que são?Velocidade de hemossedimentação de segunda hora: qual a sua utilidade? author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Revista da Associação Médica Brasileira

Print version ISSN 0104-4230

Rev. Assoc. Med. Bras. vol.50 no.2 São Paulo Apr./Jan. 2004

http://dx.doi.org/10.1590/S0104-42302004000200009 

À BEIRA DO LEITO
CLÍNICA CIRÚRGICA

 

Achado incidental de nódulo hepático. Qual a sua importância?

 

 

Carlos Roberto Puglia

 

 

Com o aprimoramento e difusão dos exames de imagem, cada vez mais nos deparamos com o diagnóstico incidental de lesões hepáticas nodulares. Muitas vezes, a ultra-sonografia solicitada para investigação de síndrome dispéptica, pré-natal ou mesmo seguimento sistemático em populações de risco, aliada à maior qualidade e rapidez das imagens, nos fornece como diagnóstico principal ou secundário este tipo de lesão.

O aprimoramento do diagnóstico frente a esta situação continua sendo um desafio, visto que dispomos de um amplo arsenal diagnóstico. Devido à elevada morbidade e mortalidade de lesões hepáticas malignas, quando não tratadas precocemente, este diagnóstico preciso se faz necessário.

Por outro lado, muitas vezes, este processo investigativo é complexo, demorado e oneroso, além de gerar uma grande expectativa no doente, perda de horas de trabalho e exposição a riscos em alguns exames.

A ausência de fatores de risco e sinais de alerta, tais como neoplasia maligna atual ou pregressa, emagrecimento, icterícia, hepatites B ou C, cirrose hepática, história familiar suspeita, idade avançada e marcadores tumorais com valores elevados demonstra uma baixa probabilidade de neoplasia maligna no fígado, seja ela primária ou secundária.

Devemos nos apoiar não só nos dados dos exames de imagem, mas também em dados clínicos, epidemiológicos e laboratoriais, com o objetivo de traçar um caminho mais curto até o diagnóstico definitivo, que na maioria das vezes não é de grande relevância. A mesma importância deve ser dada ao esclarecimento do doente frente aos prováveis diagnósticos, visando minimizar os aspectos negativos do processo investigativo, principalmente a expectativa e custos.

 

Referências

1. Tsao JI, DeSanctis J, Rossi RL, Oberfield RA. Hepatic malignancies. Surg Clin North Am 2000; 80: 603-33.

2. Okuda K, Ohtuki T, Obata H. Natural history of hepatocellular carcinoma and prognosis in relation to treatment. Study of 850 patients. Cancer 1985; 56: 918-28.

3. Ganne-Carrié N, Chastang C, Chapel F, Munz C. Predictive score for the development of hepatocellular carcinoma and additional value of liver large cell dysplasia in western patients with cirrhosis. Hepatology 1996; 23: 1112.