SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.50 issue2Diagnóstico clínico e diagnóstico anatomopatológico: discordânciasFungos anemófilos author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Revista da Associação Médica Brasileira

Print version ISSN 0104-4230

Rev. Assoc. Med. Bras. vol.50 no.2 São Paulo Apr./Jan. 2004

http://dx.doi.org/10.1590/S0104-42302004000200024 

CORRESPONDÊNCIAS

 

Avaliação de trabalho científico

 

 

Considero interessante e oportuno o artigo intitulado: "Critérios quantitativos para analisar o valor da publicação de artigos científicos", de autoria do eminente cirurgião e pesquisador da Faculdade de Medicina da UFMG, Andy Petroianu (Rev Assoc Med Bras 2003; 49(2): 173-6), o que me motivou fazer alguns comentários.

Atualmente, a avaliação de títulos e trabalhos constantes em Curriculum Vitae e/ou Memorial Descritivo para concursos acadêmicos e outros é dotada de muita subjetividade, apadrinhamento e, muitas vezes, de julgamentos político-ideológicos. É o que mostra o cotidiano das universidades públicas brasileiras. Vejam uma afirmação rotineira: "esse concurso foi/é ou será um jogo de cartas marcadas". Vale relembrar o dito: "aprovas o meu amigo e assistente predileto hoje, que eu aprovarei o seu amanhã". Esse artigo fundamenta-se na ética e na razão; portanto, pode ser um ponto de referência valorosa para o exercício de um bom julgamento. Julgar com imparcialidade é difícil. Apenas Deus é imparcial. O evangelho, segundo São Mateus, nos ensinou a prudência: "Não julgueis para não serdes julgados. Pois com o julgamento com que julgais sereis julgados, e com a medida com que medis sereis medidos".

Faz-se necessária a publicação dos critérios ou normas prévias para avaliação de títulos e trabalhos em concursos docentes. Sob o manto de editais que mencionam que "a banca examinadora é soberana", se esconde o pré-julgamento, o acerto de contas, a vingança pessoal, a injustiça planejada e posteriormente executada. Os pré-Socráticos afirmaram que "é mais vergonhoso para quem pratica a injustiça do que para quem sofre".

O artigo publicado do ilustre livre-docente tenta produzir uma eqüidade de justiça e uma minimização dos juízos de valores, obviamente evitando as interferências subjetivas.

Por tudo isso, e algo mais, eu assino em baixo.

 

Paulo César Alves Carneiro
Rio de Janeiro - RJ

 


 

Resposta do autor

Agradecemos a gentileza de nos conceder a oportunidade para responder aos comentários do Prof. Paulo César Alves Carneiro com respeito a nosso artigo "Critérios quantitativos para analisar o valor da publicação de artigos científicos".

Tendo em vista que o prof. Carneiro não nos fez indagação alguma, resta-nos apenas agradecer a deferência feita por ele ao nosso trabalho.

Continuamos à disposição de V. Sa. para o que pudermos ser úteis e apresentamos os nossos votos de muita saúde.

Atenciosamente,

 

Andy Petroianu
Belo Horizonte - MG