SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.52 issue4Estudos supérfluos são antiéticosEfeitos da ventilação não-invasiva com pressão positiva no edema agudo de pulmão cardiogênico author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Revista da Associação Médica Brasileira

Print version ISSN 0104-4230On-line version ISSN 1806-9282

Rev. Assoc. Med. Bras. vol.52 no.4 São Paulo July./Aug. 2006

http://dx.doi.org/10.1590/S0104-42302006000400006 

PANORAMA INTERNACIONAL
GINECOLOGIA

 

Nova alternativa farmacológica na prevenção do câncer de mama após a menopausa

 

 

Em junho de 2006, a revista JAMA publicou o estudo randomizado, duplo-cego, denominado STAR1 (Study of Raloxifen and Tamoxifen). O principal objetivo foi o de comparar os efeitos e a segurança de dois SERMs, o raloxifeno (60mg/dia) e o tamoxifeno e (20mg/dia) sobre o risco de câncer invasivo de mama. Participaram do estudo 19.747 mulheres após a menopausa, com média etária de 58,5 anos, com risco de desenvolvimento de câncer de mama em cinco anos de 1,66%, segundo o modelo de Gail. Os resultados foram semelhantes com os dois SERMs na prevenção do câncer de mama invasor (redução em 50%), porém somente o tamoxifeno provocou diminuição de 50% do carcinoma in situ, sem significância estatística. No tocante ao endométrio, a incidência de hiperplasias (típicas e atípicas) e câncer foi maior nas usuárias de tamoxifeno. Tromboembolismo e cataratas foram menos incidentes com o raloxifeno. O número de fraturas osteoporóticas foi similar com os dois SERMs e nenhuma diferença foi observada quanto à incidência de cardiopatia isquêmica, acidente vascular cerebral, câncer invasivo de outros sítios e no total de mortes observadas.

Comentário

A eficácia do tamoxifeno - redução de 49% no risco - na quimioprevenção do câncer de mama em relação ao placebo já tinha sido demonstrada pelo Breast Cancer Prevention Trial (BCPT)2. Esta constatação permitiu sua aprovação pelo FDA americano para prescrição em mulheres de risco elevado para câncer de mama. Metaanálise realizada posteriormente (2003), incluindo cinco estudos, confirmou tal redução, porém na ordem de 38%3.

Em relação ao raloxifeno, o estudo MORE3 (Multiple Outcome of Raloxifen Evaluation) foi o primeiro a demonstrar queda de 65% no risco de câncer de mama, quando comparado ao placebo, após quatro anos, em mulheres após a menopausa. O estudo MORE prosseguiu por mais quatro anos, com o nome de CORE4 (Continuing Outcomes Relevant to Evista), no qual participantes continuaram com 60mg/dia de raloxifeno, totalizando oito anos; os resultados mostraram redução de 59% na incidência do câncer de mama invasivo, sem proteção para o carcinoma in situ. É importante ressaltar que essas mulheres tinham risco de Gail maior que 1,66% em cinco anos.

Após esses estudos, o NSABP (National Surgical Adjuvant Breast and Bowel Project) iniciou o STAR. A maior incidência de fenômenos tromboembólicos observadas no STAR com o tamoxifeno não foram constatadas na metaanálise de Cuzick et al.3, no qual o tamanho amostral do grupo tamoxifeno era muito maior do que as usuárias de raloxifeno.

Quanto ao impacto endometrial, o raloxifeno por não exibir efeito proliferativo, mostrou-se mais protetor (redução de 84% de hiperplasias e 38% de cânceres).

Por fim, é fundamental salientar que o raloxifeno só pode ser prescrito após a menopausa, diferentemente do tamoxifeno, que pode ser indicado tanto na pré como na pós-menopausa; ademais, o uso de ambos não deve superar cinco anos de tratamento, com a expectativa de que os benefícios possam ser estendidos até dez anos3.

 

Vilmar Marques de Oliveira
José Mendes Aldrighi

Referências

1. Vogel V, Constantino JP, Wickerham DL, Cronin WM, Cecchini RS, Atkins JN, et al. Effects of tamoxifen vs raloxifene on the risk of developing invasive breast cancer and other disease outcomes: the NSABP study of Tamoxifen and Raloxifene (STAR) P-2 trial. JAMA 2006; 295:2727-41.

2. Fisher B, Costantino JP, Wickerham DL, Redmond CK, Kavanah M, Cronin WM. Tamoxifen for prevention of breast cancer: report of the National Surgical Adjuvant Breast and Bowel Project P-1 Study. J Natl Cancer Inst 1998; 90:1371–88.

3. Cuzick J, Powles T, Verones U, Forbes J, Edwards R, Ashley S, et al. Overview of the main outcomes in breast-cancer prevention trials. Lancet 2003; 361:296-300.

4. Martino S, Cauley JA, Barrett-Connor E, Powles TJ, Mershon J, Disch D, Secrest RJ, et al. Continuing outcomes relevant to Evista: breast cancer incidence in postmenopausal osteoporotic women in a randomized trial of raloxifene.J Natl Cancer Inst 2004; 96:1751-61.

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License