SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.52 número4Efeitos da ventilação não-invasiva com pressão positiva no edema agudo de pulmão cardiogênicoCirurgia de derivação gástrica em y de Roux ou banda gástrica no tratamento da obesidade mórbida? índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista da Associação Médica Brasileira

versão impressa ISSN 0104-4230versão On-line ISSN 1806-9282

Rev. Assoc. Med. Bras. v.52 n.4 São Paulo jul./ago. 2006

http://dx.doi.org/10.1590/S0104-42302006000400008 

PANORAMA INTERNACIONAL
CLÍNICA MÉDICA

 

Programação intra-uterina para doenças da vida adulta

 

 

A hipótese de uma Programação Intra-Uterina para Doenças da Vida Adulta ou Hipótese de Barker foi elaborada a partir de observações epidemiológicas que relacionaram baixo peso ao nascimento com o desenvolvimento de doenças metabólicas na vida adulta.

A hipótese propõe que o risco para desenvolver estas doenças é função não apenas da carga genética ou dos hábitos de vida do adulto, como também da atuação de fatores ambientais em períodos críticos, no início da vida; e que o crescimento intra-uterino retardado (CIUR) é marcador de desnutrição fetal.

Apesar de desafiada em algumas instâncias, a maioria dos trabalhos clínicos e experimentais suportam e esclarecem essas observações iniciais. Uma diminuição no tamanho dos rins e número de nefros, assim como hipertrofia ventricular esquerda e diminuição no número de cardiomiócitos foi documentada em fetos com CIUR. Recentes trabalhos documentam um envolvimento genético no CIUR. Independente da causa, disfunção vascular está presente na maioria destes indivíduos.

O feto exposto a hipóxia ou baixa disponibilidade de nutrientes desenvolve uma resposta preditiva-adaptativa ao ambiente extra-uterino ("the trifty phenotype"). Esta pode ser favorável ao seu desenvolvimento se a disponibilidade nutricional continuar pobre após o nascimento, ou se tornar deletéria se o aporte calórico for adequado ou excessivo, predispondo à obesidade precoce ("catch-up growth") e doença plurimetabólica no futuro.

Considerando a morbi-mortalidade da obesidade, diabetes, dislipidemia, hipertensão arterial, e doença aterosclerótica coronariana, e o peso das evidências em favor de uma origem intra-uterina para o seu desenvolvimento, a introdução de intervenções preventivas no período pré-natal e na mulher em idade reprodutiva, pode promover modificações significantes, não apenas na melhoria das condições de saúde destes indivíduos, como também na redução dos custos do Sistema de Saúde para enorme parte da população.

Comentário

As doenças crônicas, não contagiosas, dos adultos não são mais "privilégio" dos países industrializados. É estimado que em 2010, a doença cardiovascular será também a principal causa de óbitos nos países em desenvolvimento. A magnitude do problema é enorme e as estratégias utilizadas para a sua prevenção, no século XX, se provaram pouco eficientes. A avaliação das origens do desenvolvimento da saúde e da doença é área de grande interesse na medicina contemporânea, pois lança uma nova perspectiva para a sua prevenção.

As relações entre nutrição inadequada, hipóxia, CIUR, os balanços relativos das substâncias vasculares liberadas pelo endotélio e polimorfismos genéticos estão longe de serem totalmente compreendidas, porém a pesquisa contínua nesta área é fundamental se queremos entender e modificar os mecanismos causais de muitas doenças desde o momento da concepção até a vida adulta.

 

Sandra S. Mattos

 

Referências

1. Gluckman PD, Hanson MA. Living with the past: evolution, development, and patterns of disease. Science 2004;307:1733-6.

2. Gilbert JS, Cox LA, Mitchell G, Nijland MJ. Nutrient restricted fetus and the cardio-renal connection in hypertensive offsprings. Expert Rev Cardiovasc Ther 2006;492:227-38.

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons