SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.52 issue5O papel da endoscopia nas fístulas biliares pós-operatóriasAinda existe lugar para o uso de dopamina no choque séptico? author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Revista da Associação Médica Brasileira

Print version ISSN 0104-4230On-line version ISSN 1806-9282

Rev. Assoc. Med. Bras. vol.52 no.5 São Paulo Sept./Oct. 2006

http://dx.doi.org/10.1590/S0104-42302006000500004 

PANORAMA INTERNACIONAL
EMERGÊNCIA E MEDICINA INTENSIVA

 

Desmame da ventilação pulmonar mecânica invasiva com a utilização da ventilação não-invasiva com pressão positiva

 

 

Burns et al.1 realizaram uma metanálise (com estudos de 1980-2003), avaliando o desmame da VPM invasiva de pacientes adultos com insuficiência respiratória aguda (IRA). Compararam o desmame com a pulmonar mecânica (VPM) invasiva e o desmame com a ventilação não-invasiva com pressão positiva (VNIPP), com o objetivo de avaliar a incidência de mortalidade, pneumonia associada à VPM e o tempo total de uso do suporte ventilatório invasivo. A metanálise demonstrou que os pacientes submetidos ao desmame com a VNIPP apresentaram: redução da mortalidade (RR 0,42; 0,22-0,76 p= 0,005), redução da pneumonia associada a VPM (RR 0,28;0,09-0,85 p= 0,03), menor tempo total de suporte invasivo (diferença média de -7.33 dias, IC -11.45 a -3.22 dias); concluindo que há efeito positivo consistente do desmame efetuado com a VNIPP na mortalidade, na pneumonia associada à VPM e na redução do tempo total de suporte ventilatório invasivo.

Comentário

Os pacientes com IRA freqüentemente necessitam intubação traqueal e a utilização da VPM invasiva para a manutenção da vida, mas apesar de ser efetiva, ela tem sido associada com complicações, como fraqueza da musculatura ventilatória, doenças das vias aéreas superiores (sinusites) e pneumonia2,3. Essas complicações, principalmente a pneumonia, estão associadas com o aumento da morbi-mortalidade em unidades de cuidados intensivos. O uso da VNIIP pode ser uma alternativa para reduzir o tempo de utilização da VPM invasiva, pois o suporte não invasivo não requer uma via aérea artificial. Como efeitos positivos da VNIPP podem ser citados o aumento do volume corrente; a redução da freqüência respiratória e do trabalho respiratório (WOB); melhora da troca gasosa4; a redução da necessidade de sedação e do estresse psicológico; e a preservação de funções importantes (alimentação, fala). Esta é uma modalidade ventilatória promissora de desmame que pode reduzir a duração da intubação traqueal e melhorar a evolução do paciente.

 

Werther Brunow de Carvalho
Cíntia Johnston

 

Referências

1. Burns KEA, Adhikari NKJ, Meade MO. A meta-analysis of noninvasive weaning to facilitate liberation from mechanical ventilation. Can J Anesth. 2006,53:305-15.

2. Niederman MS, Ferranti RD, Ziegler A, et al. Respiratory infection complicating long-term tracheostomy. The implication of persistent gram-negative tracheobronchial colonization. Chest. 1984;85:39-44.

3. Pingleton SK. Complications of acute respiratory failure. Am Rev Respir Dis. 1988;137:1463-93.

4. Nava S, Ambrosino N, Rubini F, et al. Effect of nasal pressure support ventilation and external PEEP on diaphragmatic activity in patients with severe stable COPD. Chest. 1993;103:143-50.

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License