SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.17 issue1The institution of sujects: an attempt to overcome dualism and the influence of neoliberalism in human sciences author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Revista do Departamento de Psicologia. UFF

Print version ISSN 0104-8023

Rev. Dep. Psicol.,UFF vol.17 no.1 Niterói Jan./June 2005

http://dx.doi.org/10.1590/S0104-80232005000100001 

Editorial

 

 

Neste ano de 2005, a Revista do Departamento de PsicologiaUFF passa por algumas reformulações, sem, no entanto, modificar sua linha editorial. As mudanças dizem respeito às normas de publicação da Revista que, a partir deste número, seguem as Normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas ABNT.

Além disso, alteramos o nome da Seção "Painéis" para "Eventos". Essa seção da Revista tem a finalidade de apresentar ao leitor resumos de trabalhos apresentados em Congressos científicos nacionais e internacionais por professores em parceria com alunos de graduação. A alteração do nome dessa Seção ocorre para tornar mais claro ao leitor o seu objetivo que é o de dar visibilidade ao trabalho de pesquisa que ocorre já no âmbito da graduação, o que nos permite estabelecer uma importante articulação entre a graduação, em que se inicia a formação do aluno-pesquisador, e a pós-graduação, na qual esta formação é aperfeiçoada e aprofundada.

No que diz respeito à gestão editorial, informamos ao leitor que a professora Sílvia Helena Tedesco assumirá a função de Editora Associada.

Estas mudanças são o resultado de anos de trabalho com a finalidade de melhorar a qualidade de nosso periódico. Neste ano, a Revista passou a ser membro da ABEC Associação Brasileira de Editores Científicos, entidade que tem 20 anos de existência e que reúne periódicos e editores de todas as áreas de conhecimento. No primeiro semestre de 2005 participamos do evento promovido pela ABEC Curso de Atualização de Editores Científicos durante o qual tivemos a oportunidade de estabelecer contatos e intercâmbios com outros editores e pudemos perceber a importância de reformularmos alguns pontos da Revista.

Neste número, apresentamos o texto de Laurence Gavarini, socióloga, vinculada à Universidade Paris 8. No artigo L'institution des sujets. Essai de dépassement du dualisme et de l'influence du néolibéralisme dans les sciences humaines, a autora debate e problematiza importantes dualismos que marcam a história da psicologia, tais como os dualismos indivíduo versus sociedade, sujeito versus instituição. A partir da crítica das instituições violentas e das forças de opressão, a autora propõe a desconstrução de tais polarizações.

Joel Birman assina o texto O assédio na atualidade e seus jogos de verdade, cujo objetivo é analisar o uso freqüente da palavra assédio, remontando às condições históricas e sociais nas quais se engendram novos jogos de linguagem a partir desta palavra. Do ponto de vista do autor, a crescente utilização deste significante está relacionada às transformações de poder e a perda da soberania do Estado que verificamos na atualidade.

Da dança e do devir o corpo no regime do sutil apresenta intrigante reflexão acerca do corpo que dança. A dança é tratada como um modo de subjetivação cuja dimensão temporal é a de um tempo rizomático e não linear. Tânia Galli e Vilene Moehlecke concluem o trabalho com reflexões apostando na noção de implicação como elemento fundamental na produção do conhecimento.

O ficar na adolescência e paradigmas de relacionamento amoroso da contemporaneidade é o artigo apresentado por José Sterza Justo. O ficar é uma forma de relacionamento afetivo bastante comum entre os adolescentes. Caracteriza-se por seu caráter passageiro e descompromissado que, segundo o autor, encontra ressonâncias na aceleração do tempo que marca nossa vida contemporânea.

Laura Belluzzo de Campos Silva é autora do texto A psicologia na saúde: entre a clínica e a política. Neste artigo, a autora reflete acerca do lugar da psicologia na saúde partindo das teses do pensador G. Canguilhem, para quem a saúde é um valor inerente à vida, definido por uma normatividade biológica. As perspectivas de Canguilhem servem como fio condutor para a autora retomar o trabalho de M. Foucault, que afirma que o cuidado com a saúde da população, a partir de determinado momento histórico, passa a ser uma forma de normalização e de exercício do poder disciplinar.

Retomando também o trabalho de M. Foucault, Liliana da Escóssia e Maurício Mangueira apontam as transformações éticas e metodológicas operadas no campo do saber e poder da psicologia clínica, a partir da incorporação do princípio de desnaturalização proposto pelo filósofo francês. Para uma psicologia clínico-institucional a partir da desnaturalização do sujeito é o título deste trabalho que, em última instância, analisa os sentidos do tornar-se clínico a partir deste referencial que problematiza a interioridade e a subjetividade instituídas.

Partindo da pergunta Uma ciência do psiquismo é possível?, Amandio Gomes enfoca a epistemologia kantiana que recusa à psicologia o título de legitimidade científica. No entanto, o autor indica que, mesmo respondendo negativamente à questão acima, a filosofia kantiana situa o objeto da psicologia no campo da experiência, no campo dos fenômenos do sentido interno, o que abre caminho para a psicologia experimental do século XIX. É ainda em Kant que o autor busca subsídios para repensar a psicologia, em particular, a partir da sua Antropologia do ponto de vista pragmático. Deste ponto de vista, a subjetividade, objeto de investigação da psicologia, deixa de ser a subjetividade entendida como sentido interno para ser considerada como atividade cujo exercício se faz encarnar no mundo externo, espacial. Por este viés, o homem é definido a partir de sua conduta histórica.

Léa Silveira Sales é autora do trabalho Posição do estágio do espelho na teoria lacaniana do imaginário, que analisa detalhadamente a noção de estágio do espelho, apresentada por J. Lacan no texto de 1949, intitulado O estágio do espelho como formador da função do eu tal como nos é revelada na experiência psicanalítica. A autora contextualiza esta noção na teoria do imaginário proposta por Lacan.

O artigo Voltando o olhar para o professor: a psicologia e a pedagogia caminhando juntas é assinado por Silvana Tuleski, Nádia Eidt, Andria Menechinni, Elisângela Silva, Dirlene Sponchiado e Patrícia Colchon. Focando o tema da indisciplina entre alunos da quinta série de uma escola pública localizada na região Sul do país, as autoras indicam como relevantes as relações entre indisciplina, contexto escolar e social e prática pedagógica.

Instrumentos Psicológicos utilizados em seleção profissional, de autoria de Silvia Leite de Godoy e Ana Paula Porto Noronha, tem como objetivo identificar os instrumentos mais utilizados em seleção profissional e as técnicas mais empregadas nos processos seletivos.

Na seção Eventos o leitor encontrará o resumo do trabalho de pesquisa coordenado pelo professor Arthur Arruda Leal Ferreira, intitulado A psicologia como instrumento de produção de subjetividade. Partindo de uma discussão acerca da dispersão do saber psicológico, os autores têm como objetivo estudar empiricamente a produção de subjetividades gerada pelo poder de verdade embutido nas práticas psicológicas.

Hugo Leonardo Rodrigues Soares assina junto com o professor Eduardo Passos Os modelos da causalidade circular ou dos sistemas de feedback na compreensão do vivo, trabalho que foi apresentado como resultado da monografia de final de curso desenvolvida pelo primeiro. Neste painel, os autores discutem o impacto causado pelo modelo proposto por Nobert Wiener no campo da biologia. O conceito de feedback é analisado, bem como aquele de autopoiese proposto por Maturana e Varela.

Os professores José Henrique Valentin e Paulo Mattos são os coordenadores do trabalho apresentado sob o título de Atendimento psicológico ao paciente cirúrgico: o serviço de psicologia aplicada da área cirúrgica do HUAP. O texto apresenta o resultado do trabalho de atendimento psicológico a pacientes cirúrgicos desenvolvido no Hospital Universitário Antônio Pedro que tem como uma de suas linhas mestras a articulação entre o ensino, a pesquisa e a extensão.

Por fim, informamos aos nossos leitores que nossa homepage mudou-se para o seguinte endereço: http://www.uff.br/ichf/publicacoes/revista_psicologia.htm. Nele, o leitor poderá obter mais informações sobre a Revista, tais como os sumários dos números anteriores, nossas normas de publicação, entre outros documentos.

 

Marcia Moraes