SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.26 número2Seleção de introduções do gênero Brachiaria (Griseb) resistentes à cigarrinha Zulia entreriana (Berg) (Homoptera: Cercopidae)Partículas semelhantes a vírus associadas a Brevipalpus phoenicis Geijskes (Acari: Tenuipalpidae), vetor do vírus da leprose dos citros índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Anais da Sociedade Entomológica do Brasil

versão On-line ISSN 1981-5328

An. Soc. Entomol. Bras. v.26 n.2 Londrina ago. 1997

http://dx.doi.org/10.1590/S0301-80591997000200024 

COMUNICAÇÃO CIENTÍFICA

 

Ocorrência de Anastrepha obliqua (Macquart) (Diptera:Tephritidae) em acerola Malpighia punicifolia L. no estado do Pará

 

Occurrence of Anastrepha obliqua (Macquart) (Diptera: Tephritidae) on Malpighia punicifolia L. in Pará State, Brazil

 

 

Orlando S. OhashiI; Ricardo DoharaII; Roberto A. ZucchiIII; Nelson A. Canal DIV

IDepartamento de Biologia Vegetal e Fitossanidade/FCAP, 66.073-970, Belém, PA
IICoop. Agrícola Mista Amazônica LTDA. Castanhal, PA
IIIDepartamento de Entomologia, ESALQ/USP, Caixa postal 9, 13418-900, Piracicaba, SP
IVUniversidad del Tolima, AA 546 Ibagué, Tolima, Colombia

 

 


ABSTRACT

High infestations of Anastrepha obliqua in commercial crops of Barbados cherry in two counties of State of Pará, Northern of Brazil, were observed. The degree of infestation ranged from 7% to 88% and, fruits were depreciated for industrial purposes. Also, four species of braconid fruit fly parasitoids were identified.

Key words: Insecta, fruit fly, braconids, damage.


 

 

A acerola Malpighia punicifolia (Malpighiaceae) é um fruto de grande importância econômica e alimentar (Magalhães 1995), porque cada 100g contém 1000 a 4000 mg de vitamina C (Araújo & Minami 1994). Por essas características, essa cultura está expandindo-se no Estado do Pará. Entretanto, nos municípios de Castanhal e Tomé-Açú estão ocorrendo altas infestações de mosca-das-frutas nessa cultura, acarretando depreciação dos frutos na comercialização devido a alterações no sabor do suco industrializado. Nos levantamentos realizados em dezembro de 1994 em 18 propriedades de Castanhal, obteve-se infestação média de 7% e máxima de 52%. Entretanto, em março de 1995, em Tomé-Açú a infestação máxima atingiu 88%, obrigando a indústria de polpa a paralisar temporariamente o recebimento dos frutos da região.

Uma única espécie de mosca-das-frutas, Anastrepha abliqua (Macquart), foi identificada nas amostras examinadas desses levantamentos. Este é o primeiro registro de A. obliqua em acerola M. punicifolia (Malpighiaceae) para o Brasil. Todavia, essa espécie já havia sido assinalada em acerola nos EUA (Florida) e na Venezuela (Norrbom & Kim 1988). A. obliqua é uma espécie amplamente distribuida no Brasil, tendo já sido registrada para o Estado do Pará (Zucchi 1988). É a espécie mais comum no Estado do Amazonas, onde infesta mais espécies de frutíferas do que as demais espécies de moscas-das-frutas coletadas naquele Estado (Silva et al. 1996 ). Na realidade trata-se de uma espécie generalista, que ataca os frutos de aproximadamente 60 espécies de plantas, com preferência para os da família Anacardiaceae. Nas amostras havia também exemplares de quatro espécies de parasitóides (Braconidae, Opiinae): Doryctobracon areolatus (Szépligeti), Opius bellus (Gahan), Opius sp. e Utetes (Bracanastrepha) anastrephae (Viereck). Essas espécies de braconídeos são endoparasitóides solitários, que ovipositam no estágio larval das moscas-das-frutas e emergem do pupário do hospedeiro. Opius sp. é a espécie mais comum em Manaus, AM, onde parasita principalmente A. obliqua em taperebá Spondias mombin (Anacardiaceae) (Canal et al. 1994). Entretanto, D. areolatus é a espécie mais comum e que parasita mais espécies de Anastrepha no Brasil (R.A. Zucchi & F.L. Leonel Jr., não publicado).A percentagem de parasitismo não foi estimada. Os exemplares estão depositados na coleção do Departamento de Entomologia da ESALQ/USP.

 

Agradecimentos

Agradecemos ao Dr. João U. Santos, Museu Paraense Emílio Goeldi pela identificação da planta hospedeira.

 

Literatura Citada

Araújo, P.S.R. & K. Minami. 1994. Acerola. Fundação Cargil, Campinas, 81p.         [ Links ]

Canal, D., N.A., R.A. Zucchi, N.M. Silva & F.L. Leonel Jr. 1994. Reconocimiento de las especies de parasitoides (Hym.: Braconidae) de moscas de la frutas (Dip.: Tephritidae) en dos municipios del Estado de Amazonas, Brasil. Bol. Mus. Ent. Univ. Valle 2: 1-17.         [ Links ]

Magalhães, L.M.F. 1995. Importance des pollinisateurs dans la polinisation et la prodution de l'acerola (Malpighia punicifolia L.) en Amazonie. Universidade de Quebec, Montreal, tese de mestrado, 73p.         [ Links ]

Norrbom, A.L. & K.C. Kim. 1988. A list of the reported host plants of the species of Anastrepha (Diptera: Tephritidae). U.S. Dept. Agric., Animal and Plant Health Inspection Service, Plant Protection and Quarentine, 114 p.         [ Links ]

Silva, N.M., S. Silveira Neto & R.A. Zucchi. 1996. The natural host plants in the State of Amazonas, Brasil, p. 353 - 357. In: B. A. McPheron & G. J. Strek (ed.). Fruit Fly Pests. Delray Beach, Fl. St. Lucie Press, 586 p.         [ Links ]

Zucchi, R.A. 1988. Moscas-das-frutas (Dip., Tephritidae) no Brasil: Taxonomia, distribuição geográfica e hospedeiros, p. 1 - 10. In H.M.L. de SOUZA (Coord.), Moscas-das-frutas no Brasil, Fundação Cargill, 114p.         [ Links ]

 

 

Recebido em 24/10/96. Aceito em 13/06/97.

Creative Commons License