SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.12 número1Ocorrência de Dentocarpus silvai silvai Dusbabek & Cruz, 1966 (Acari: Chirodiscidae) em duas espécies de molossídeos (Mammalia: Chiroptera) no estado do Rio de Janeiro, BrasilSobre a ocorrência de Philornis angustifrons e P. deceptiva (Diptera, Muscidae) em ninhos de Suiriri affinis e S. islerorum (aves, tyrannidae), no cerrado do Distrito Federal, Brasil índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Entomología y Vectores

versão impressa ISSN 0328-0381

Entomol. vectores v.12 n.1 Rio de Janeiro jan./mar. 2005

http://dx.doi.org/10.1590/S0328-03812005000100011 

NOTA DE PESQUISA RESEARCH NOTE

 

Aspectos atuais da distribuição geográfica de Anopheles (Kerteszia) cruzii Dyar & Knab, 1908 no estado do Espírito Santo, Brasil

 

Current aspects of the geographical distribution of Anopheles (kerteszia) cruzii Dyar & Knab, 1908 in Espírito Santo state, Brazil

 

 

Helder Ricas Rezende; Crispim Cerutti Junior; Claudiney Biral dos Santos

FUNASA/SESA/UFES, Parasitologia, Universidade Federal do Espírito Santo, Av. Marechal Campos 1468, CEP: 29040-090 Vitória, Espírito Santo, Brasil. Fax: + 55-21-3324.2038. E-mail: heldericas@hotmail.com

 

 


ABSTRACT

Anopheles cruzii was registered in Espírito Santo state both in 1957 and 1968. Our study provides additional evidence of its presence, including municipalities that were non mentioned before. Anopheles captures undertaken between 1998 and 2003 pointed out a distribution restricted to the forested outskirts of the mountains in the highland area of the state. Its epidemiological role is suggested by the simultaneous presence of malaria cases in the same municipalities.

Key words: Anopheles cruzii, malaria, geographical distribution, Espírito Santo, Brazil


 

 

Anopheles (Kerteszia) cruzii Dyar & Knab, 1908 é o principal vetor da "malária-bromélia" nos estados do sul e do sudeste brasileiro. Recebe esta denominação porque suas formas imaturas desenvolvem-se nas águas acumuladas nas folhas de bromélias (Forattini, 1962; Aragão, 1964; Deane, 1986). Sua presença já foi assinalada no estado do Espírito Santo por Andrade & Brandão (1957) e Deane et al (1968), nos municípios de Guarapari (20º40'15"S e 40º29'56"W), Itapemirim (21º00'34"S e 40º50'03"W), Santa Leopoldina (20º06'00"S e 40º31'40'W), Serra (20º07'40"S e 40º18'25"W) e Vila Velha (20º20'12"S e 40º17'28"W) (Fig. 1).

 

 

Depois de três décadas, levantamentos entomológicos realizados por técnicos do Núcleo de Entomologia da Secretaria do Estado da Saúde, em trabalhos de rotina, acrescentaram outros municípios a esta distribuição, possibilitando delimitar a ocorrência desta espécie em uma área estreita situada na região serrana deste Estado. Estes novos encontros ocorreram nos municípios de Cariacica (20º16'21"S e 40º25'05"W), Domingos Martins (20º21'44" S, 40º39'36" W), Marechal Floriano (20º04'38"S e 40º40'24"W), Santa Teresa (19º56'12"S e 40º35'28"W), Vargem Alta (20º40'17"S e 41º39'37"W) e novamente Santa Leopoldina (Fig. 2). Estes municípios possuem uma população rural de 97.010 habitantes (IBGE, 2000) distribuídos em uma área de 4.170.79 Km 2 (IMEES, 1993), sendo o município mais próximo Vila Velha, a 12 Km da capital (Vitória), e o mais distante Vargem Alta, a 136 Km.

 

 

Os anofelinos foram coletados em residências rurais entre 1998 e 2003, por meio de capturador de sucção do tipo Castro no peridomicílio, durante o período crepuscular. Os espécimes foram identificados conforme chave descrita por Consoli & Lourenço-de-Oliveira (1998).

A distribuição parece indicar que esta espécie está restrita a áreas rurais situadas em terrenos montanhosos e cobertas por florestas, apresentando altitude aproximada de 800 metros e com temperatura média de 17 ºC. A topografia acidentada desse ambiente mantém essas matas ainda protegidas. Por outro lado, observa-se que nos outros municípios onde houve intenso desmatamento esta espécie praticamente desapareceu. Ressalta-se a importância epidemiológica desse encontro do vetor em áreas que apresentam história recente de malária autóctone. Esses casos autóctones ocorreram em Santa Teresa (7), Domingos Martins (5), Santa Leopoldina (4), Marechal Floriano (3) e Vargem Alta (1) (SESA, 2003). Pesquisa paralela sobre a infectividade dos anofelinos coletados pode vir a comprovar o envolvimento do Anopheles cruzii nestes casos de autoctonia.

 

Agradecimentos

Ao Dr. Delsio Natal pela revisão dos manuscritos e os técnicos Agenor Barbosa, Edmar Thomaz e Isaias Salla de Araujo pela colaboração nos trabalhos de campo.

 

Referências Bibliográficas

Andrade, R.M. & Brandão, H., 1957. Contribuição para o conhecimento da fauna de anofelinos (Diptera: Culicidae) do Estado do Espírito Santo. Área de distribuição e incidência das espécies por cidades, vilas e povoados. Rev. Bras. Malariol. Doenças Trop. 9:391-416.         [ Links ]

Aragão, M.B., 1964. Distribuição geográfica e abundância das espécies de Anopheles (Kerteszia) (Diptera, Culicidae). Rev. Bras. Malariol. Doenças Trop. 16:73-109.         [ Links ]

Consoli, R.A.G.B. & Lourenço-de-Oliveira, R., 1998. Principais mosquitos de importância sanitária no Brasil. Editora FIOCRUZ, Rio de Janeiro, 228 p.         [ Links ]

Deane, L.M. Ferreira Neto, J.A & Sitônio J.G., 1968. Estudos sobre malária no Estado do Espírito Santo. Rev. Bras. Biol. 28:531-536.         [ Links ]

Deane, L.M., 1986. Malaria Vectors in Brazil. Mem. Inst. Oswaldo Cruz. 81:5-14.         [ Links ]

Forattini, OP., 1962. Entomologia Médica. 1º Volume, Parte Geral, Diptera, Anophelini. Faculdade de Higiene e Saúde Pública. São Paulo. 662 p.         [ Links ]

Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, IBGE, 2000. Censo Demográfico de 2000. Espírito Santo.         [ Links ]

Informações Municipais do Estado do Espírito Santo, IMEES, 1993. Secretaria de Estado de Ações Estratégicas e Planejamento. Departamento Estadual de Estatística. Volume2. 1.224 p.         [ Links ]

Superintendência de Planejamento, Epidemiologia e Informação da Secretaria de Estado da Saúde do Espírito Santo (SESA/ES), SPEI, 2003. Boletim Epidemiológico. Ano 4.         [ Links ]

 

 

Recebido em: 04/10/2004.
Aceito em: 18/01/2005.