SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.80 issue2Validação ou tradução? Questionários de avaliação de qualidade de vida em psoríase author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Anais Brasileiros de Dermatologia

On-line version ISSN 1806-4841

An. Bras. Dermatol. vol.80 no.2 Rio de Janeiro Mar./Apr. 2005

http://dx.doi.org/10.1590/S0365-05962005000200016 

INFORMES

 

 

Doações

 

Luciane Faleiros Lombello
Crianças com vitiligo: um estudo clínico e comparativo entre dois tipos de tratamento. Tese de mestrado. Área de concentração: Clínica Médica. Campinas: Universidade Estadual de Campinas, 2002.

Francisco Antonio Tomaz Ribeiro Ramos
Abordagem terapêutica das paniculoses. Tese de mestrado. Área de concentração: Biofísica. Recife: UFPE, 2003.

Paula Dadalti Granja de Andrade
Úlceras de estase venosa - fatores prognósticos e estudo piloto do uso de epiderme cultivada em derme acelular. Tese de doutorado. Área de concentração: Dermatologia. Rio de Janeiro: Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2004.

Luciana Maria Pereira de Oliveira
Trichophyton Tonsurans: um patógeno emergente, análise clínica, laboratorial e homologia do DNA. Tese de mestrado. Área de concentração: Clínica Médica. Fortaleza: Universidade Federal do Ceará, 2004.

 


 

Teses

 

q Crianças com vitiligo: um estudo clínico e comparativo entre dois tipos de tratamento, de Luciane Faleiros Lombello. Tese apresentada a Universidade Estadual de Campinas para obtenção do título de Mestre em Clínica Médica. Campinas - 2002.

Orientadora: Profª Drª Ana Maria Uthida-Tanaka

RESUMO

O vitiligo é uma doença adquirida, idiopática, freqüentemente associada a história familiar positiva e caracterizada por manchas acrômicas ou hipocrômicas, com dimensão e forma variáveis, sendo muitas vezes desfigurante. Afeta de 1% a 3% de todas as raças da população mundial, tendo maior prevalência no sexo feminino; aproximadamente 50% dos pacientes desenvolvem alguma forma da doença antes dos 10 anos de idade. Alguns estudos sobre mecanismos psiconeuroimunológicos consideram o estresse emocional como parte fundamental da sua etiologia, seja como fator desencadeante ou exacerbante. Os aspectos psicossociais do vitiligo comprometem muito a auto-estima dos pacientes, passando a funcionar como fatores de "feed-back" na evolução e agravamento da doença. Os objetivos do presente trabalho são: a) conhecer os aspectos clínicos e refletir sobre os aspectos emocionais apresentados pelas crianças, b) avaliar eventuais diferenças entre as respostas ao tratamento em 18 crianças com vitiligo, fazendo uso da mesma medicação e associando psicoterapia de grupo em 9 destas crianças. Nove crianças com vitiligo, de idades entre 8 e 12 anos participaram de psicoterapia em grupo; as sessões foram quinzenais, com duração de uma hora, e simultâneas realizadas com o grupo de pais ou responsáveis destes pacientes. Foram realizadas 30 sessões no período de um ano e meio. A avaliação dermatológica foi trimestral e as crianças fizeram uso de medicação específica (Viticromin®) associada à fototerapia. Foram observadas mudanças no comportamento das crianças submetidas à psicoterapia tais como: melhora no desempenho escolar, desinibição, fortalecimento dos vínculos familiares e, em relação ao vitiligo, este grupo apresentou repigmentação da maioria ou do total das lesões. A diferença foi estatisticamente significativa em relação aos resultados obtidos com o grupo acompanhado sem psicoterapia. Estes resultados preliminares permitem recomendar a psicoterapia de grupo como tratamento coadjuvante do vitiligo.

 

q Abordagem terapêutica das paniculoses, de Francisco Antonio Tomaz Ribeiro Ramos. Tese apresentada a Universidade Federal de Pernambuco para obtenção do título de Mestre em Biofísica. Recife - 2003.

Orientador: Prof. Dr Emerson Azevedo de Araújo

RESUMO

A paniculose é um processo distrófico não inflamatório, com uma fisiopatologia complexa com múltiplos fatores interligados, que atuam por diferentes mecanismos em vários elementos alvos no tecido conjuntivo adiposo hipodérmico. A nível celular: células mensequimais indiferenciadas, adipócitos, fibroblastos e mastócitos; a nível de matriz amorfa: substância fundamental e membrana basal; a nível de matriz fibrilar: fibras colágenas, reticulares e elásticas; a nível vascular: arteriolar, capilar, venular e linfático; a nível nervoso: terminações dos filetes simpáticos e sensitivos. Pesquisamos as manifestações clínicas das paniculoses conhecidas pelo nome comum de "celulite". Foi possível observar um distúrbio nas quatro Unidades Operacionais que participam do mecanismo fisiológico do tecido conjuntivo adiposo. O presente trabalho visa reduzir ou evitar a formação da pele em "casca de laranja". O distúrbio no tecido adiposo através de causas conhecidas leva à formação das paniculoses. Sendo também visto como componentes biológicos endógenos e ambientes exógenos, despertando-se o interesse de se fazer um programa terapêutico que venha a recuperação dos múltiplos fatores atuantes. Foram utilizados protocolos individualizados para os 15 pacientes em estudo. Selecionamos diversos tipos de paniculoses que foram tratados no Centro Experimental de Saúde Pública da Universidade Estadual Vale do Acaraú, em Sobral, CE. Foram utilizados como métodos terapêuticos: cinesioterapia, mecanoterapia, termoterapia, eletroterapia e massoterapia. Constatamos que durante a adolescência e o desenfartaemtno ganglionar, através da massoterapia e cinesioterapia, com cuidados posturais e orientação alimentar, determinam desaparecimento de sinais e sintomas de paniculose na idade adulta. Os resultados demonstram que quanto mais cedo for tratado o paciente, mais certeza não formará no futuro a pele "casca de laranja". Concluímos que as técnicas utilizadas no tratamento das paniculoses determinam melhoras em relação à própria doença e podemos acrescentar que além da conduta médica preventiva, o tratamento efetuado permitirá o controle dos pacientes portadores de paniculose.

 

q Úlceras de estase venosa - fatores prognósticos e estudo piloto do uso de epiderme cultivada em derme acelular, de Paula Dadalti Granja de Andrade. Tese apresentada a Universidade Federal do Rio de Janeiro para obtenção do título de Doutora em Dermatologia. Rio de Janeiro - 2004.

Orientadores: Profª. Drª Christina Maeda Takiya
Prof. Dr Radovan Borojevic
Profª. Drª Talita Franco

RESUMO

As úlceras de estase venosa representam a causa mais freqüente de úlceras de perna e sua alta prevalência em todo o mundo provoca considerável impacto econômico e social. Os objetivos deste trabalho foram analisar as taxas de cicatrização de úlceras venosas e identificar seus fatores prognósticos em nosso meio, além de propor nova abordagem terapêutica a partir do desenvolvimento de um substituto biológico de pele. Foi realizado estudo quasi-experimental baseado em coorte prospectiva de 37 pacientes acompanhados num ambulatório específico do HUCFF e proposto, através de estudo piloto, substituto biológico de pele composto por derme acelular humana e queratinócitos autólogos cultivados. A proporção de pacientes que evoluíram com cicatrização com as terapêuticas convencionais até o final do estudo foi de 32,43% e a taxa de cicatrização foi de 2,47 por 100 pacientes/ mês. Os principais fatores prognósticos encontrados foram o número de úlceras e tamanho das úlceras. Para os casos considerados refratários, foi proposta a aplicação do substituto de pele que trouxe redução de 15,9% a 72,2% nas dimensões das úlceras. Pode-se concluir que os baixos índices de cicatrização das terapêuticas convencionais em nosso meio justificam a utilização de novas tecnologias e que a aplicação do substituto composto é viável e exeqüível, além de melhorar a evolução de úlceras consideradas refratárias.

 

q Trichophyton Tonsurans: um patógeno emergente, análise clínica, laboratorial e homologia do DNA, de Luciana Maria Pereira de Oliveira. Tese apresentada a Universidade Federal do Ceará para obtenção do título de Mestre em Clínica Médica. Fortaleza - 2004.

Orientador: Profº Dr. José Júlio Costa Sidrim

RESUMO

Tinea capitis é uma infecção micótica de couro cabeludo, comum nas crianças em idade escolar e na pré-puberdade, ocorrendo em todas as partes do mundo. É causada por fungos dermatofíticos pertencentes aos gêneros Trichophyton ou Microsporum. O Trichophyton tonsurans é um fungo antropofílico e vem sendo considerado um patógeno emergente no mundo no que diz respeito à etiologia da Tinea capitis. Desperta interesse do pesquisador com preocupação de cunho social, tendo em vista sua alta incidência em populações de baixa renda e seu possível comportamento endêmico.
OBJETIVOS: Estudar as características fenotípicas das várias cepas isoladas relacionando com o aspecto clínico e analisar o perfil genético de cepas de T. tonsurans através do RAPD e correlacionar os achados.
MÉTODOS: Foram atendidos 76 pacientes com suspeita clínica de Tinea capitis, envolvendo couro cabeludo e pêlos. A coleta do espécime clínico se dava através de raspagem do couro cabeludo na zona de tonsura, as amostras foram submetidas a exame de microscopia direta, identificação laboratorial através da macro e micromorfologia das colônias, estudos de ação enzimática, fisiológicas e requerimentos nutricionais. A partir daí foram selecionadas 17 cepas de T. tonsurans que foram submetidas a análise de seu perfil genético através do random amplified polymorphic DNA (RAPD), utilizando-se o primer OPAO-15 e visualizado em gel de poliacrilamida corados pela prata.
RESULTADOS: Dos casos suspeitos de Tinea capitis (76 pacientes), 40 pacientes (60,52%) tiveram cultura positiva para dermatófito. Destes eram por T. tonsurans. Dos 40 casos com cultura positiva, 26 (65%) eram do sexo feminino com maior incidência no intevalo de 0-5anos (40%). Nas manifestações clínicas, observou-se que a descamação (85,7%), eritema (37,1%) e a tonsura (57,1%) foram as mais incidentes. Na análise do RAPD, foram observados três perfis genéticos diferentes entre as cepas de T. tonsurans com produção de bandas de pesos moleculares diferentes dos descrito na literatura.
DISCUSSÃO: O sexo feminino e o intervalo de idade entre 0-5 anos foram os mais freqüentes, as manifestações clínicas não inflamatórias foram as mais comuns, corroborando o argumento de que o T. tonsurans, por ser antropofílico, promove pouca reação inflamatória. As cepas de T. tonsurans deste estudo além da grande variação fenotípica, apresentaram diferenças genéticas frente a literatura quando utilizado o primer OPAO-15, isto sugere uma variação local podendo configurar uma nova espécie.

 


 

Errata

No Artigo de Revisão "Manifestações tegumentares da doença enxerto contra hospedeiro em pacientes transplantados de medula óssea", vol 80(1), o local de realização do trabalho correto é "Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ".

No artigo Anais 80 Anos "Arsênio - Uma revisão histórica", vol 80(1), o local de realização do trabalho correto é "Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG."