SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.80 suppl.2Departamento de DST & AIDSDepartamento de hanseníase author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Anais Brasileiros de Dermatologia

On-line version ISSN 1806-4841

An. Bras. Dermatol. vol.80  suppl.2 Rio de Janeiro June/Aug. 2005

http://dx.doi.org/10.1590/S0365-05962005000900018 

INVESTIGAÇÃO CLÍNICA, EPIDEMIOLÓGICA, LABORATORIAL E TERAPÊUTICA

 

Departamento de fotobiologia

 

 

PO36 - Estudo do efeito imunoprotetor induzido pelo uso de fotoprotetores

 

Pytel RF; Silva LVN; Nunes AS; Gesztesi JL; Costa A

Natura Inovação e Tecnologia de Produtos - Cajamar, SP

 

FUNDAMENTOS/OBJETIVOS: As Células de Langerhans (CLs) são células dendríticas situadas principalmente nas camadas mais profundas da epiderme e fortemente relacionadas com a capacidade de resposta imunológica cutânea, por meio dos mecanismos de reconhecimento antigênico e de ativação de linfonodos periféricos. As CLs, também chamadas de células apresentadoras de antígenos, são células livres de melanina e muito sensíveis ao estresse oxidativo provocado por agentes ambientais, tais como a radiação ultravioleta. O estudo da viabilidade deste grupo celular constitui um parâmetro bastante sensível para a detecção dos efeitos deletérios da radiação UV sobre a pele. O objetivo deste trabalho é apresentar, por meio de um modelo experimental ex-vivo, o efeito imunoprotetor induzido pelo uso de Protetores Solares com FPS 30 e 95% de proteção UVA (metodologia australiana), que tragam em suas formulações combinações de agentes anti-oxidantes.
MATERIAIS E MÉTODOS/CASUÍSTICA: Este trabalho utilizou como modelo biológico fragmentos cutâneos obtidos por meio de 24 biópsias por "punchs", extraídos da mama de uma paciente de 42 anos submetida a cirurgia plástica, e utilizou como parâmetro experimental a contagem do número de CLs viáveis por meio de análise microscópica de cortes histológicos tratados marcador imunofluorescente (Anti-CD1aFITC). A dose de radiação UV aplicada foi de 1,5 J/cm2 de UVB e 16,6 J/com2 de UVA, sendo um parâmetro crítico para a viabilidade das células em questão. Utilizou-se um produto controle com FPS20 e três produtos testes (gel, emulsão facial e emulsão corporal) com FPS30. O efeito imunoprotetor promovido pelos protetores solares pode ser detectado por meio de avaliação comparativa entre as áreas irradiadas e não irradiadas, tratadas e não tratadas.
RESULTADOS/DISCUSSÃO E CONCLUSÃO: Nas condições experimentais, o nível de radiação aplicado na área controle irradiada promoveu uma redução de 87% do número total de CLs. Os resultados dos efeitos imunoprotetores para o produto controle e os produtos de FPS30 (gel, emulsão facial e emulsão corporal) foram, respectivamente, 41%, 43%, 33% e 62%, resultados estes estatisticamente significantes (p<0,01). Com isso, observa-se que o uso corriqueiro dos fotoprotetores estudados poderá reduzir significativamente a possibilidade de dano às CLs, embora o porquê de produtos que possuem formulações semelhantes (emulsão facial e emulsão corporal) apresentaram respostas imunoprotetoras diferentes, ainda necessita de mais investigações.

 


 

PO37 - Estudo in vitro da fotoestabilidade de protetores solares

 

Pytel RF; Silva LVN; Nunes AS; Gesztesi JL; Costa A

Natura Inovação e Tecnologia de Produtos - Cajamar, SP

 

FUNDAMENTOS/OBJETIVOS: Pode-se entender a fotoestabilidade como a manutenção da capacidade fotoprotetora de um produto após a aplicação de diferentes doses de radiação UV. Filtros solares físicos, por apenas refletirem a luz que neles incide, em geral apresentam boa fotoestabilidade. Entretanto, a fotoestabilidade de um filtro químico está intrinsicamente ligada à capacidade destas moléculas de absorverem a radiação ultravioleta sem que sofram alterações estruturais. O presente trabalho tem como objetivo apresentar os resultados obtidos em um estudo in vitro de avaliação de fotoestabilidade, em emulsões FPS30 com combinações de filtros físicos (óxido de zinco+dióxido de titânio) e combinações de filtros físicos e químicos (dióxido de titânio+metoxicinamato de 2-etilhexila+benzofenona 3+bizetilhexilofenol metoxifeniltriazina - Tinosorb S®).
MATERIAIS E MÉTODOS/CASUÍSTICA: A técnica de avaliação baseou-se na aplicação de diferentes doses de energia, variando entre 0 e 25 DEMs (dose eritematosa mínima padrão), a partir de uma lâmpada de arco de xenônio de 150 watts (WG320) equipada com filtros para irradiação UVC, visível e infravermelho, sobre substrato de membrana de colágeno de 4 cm de diâmetro (Naturalamb® condon, Church & Dwight, Princenton, NJ), contendo 1mg/cm2 de cada produto teste. O espectro de irradiância da lâmpada e a irradiância espectral obtida através do substrato foram medidos entre 290 e 400 nm (UVA+UVB), por meio de uma esfera de integração de 6 polegadas associada a um espectroradiômetro (OL 754 - Optronic Laboratories Incorporate, Orlando, FL).
RESULTADOS/DISCUSSÃO E CONCLUSÃO: Os resultados obtidos demonstram que nesta variação de carga energética aplicada, o produto que contém apenas filtros físicos apresentou um grau de absorbância inicial de 81,70% e final de 82,06% e que o produto que contém a combinação de filtros químicos e físicos apresentou uma absorbância inicial de 83,15% e final de 83,39%, não mostrando diferenças estatisticamente significativas entre as leituras e entre os produtos, o que demonstra que certas combinações de filtros químicos apresentam tão boa fotoestabilidade quanto as associações de filtros físicos exclusivas.

 


 

PO38 - Diagnósticos em lesões de unhas

 

Belão M MD; Arroyo CMS; Brigato RR; Bizari MCS

Clinica Miriam M. Delbem Belão - São José do Rio Preto, SP

 

OBJETIVOS: Demonstrar diferentes diagnósticos em lesões de quirodáctilos e pododáctilos.
METODOLOGIA: Realizamos pesquisa aleatória em clínica médica privada, considerando as primeiras dez consultas de cada semana, num total de 1040 pacientes. Todos os casos analisados tinham como queixa principal alterações nas unhas (23% das consulta no período). Não houve exclusão por limite de idade. A avaliação clínica inicial foi sucedida de análise micológica e histopatológica para confirmação de diagnóstico clínico (quando indicado) e posterior terapêutica adequada. Os paciente foram submetidos a registro fotográfico. A análise estatística da freqüência de consultas demonstra que quadros de infecções ungueais representam a maioria absoluta dos casos, especialmente as onicomicoses (78%). Os demais casos apresentados estavam distribuídos entre afecções de unhas em patologias sistêmicas (10%), doenças tumorais locais (2%) e infecções não relacionadas a fungos (6%) e outros (4%).
MOTIVO DA APRESENTAÇÃO: Ilustrar e ressaltar a importância do diagnóstico diferencial de doenças de unhas.

 


 

PO39 - Fototerapia localizada: tratamento do vitiligo com a luz monocromática de excimer de 308nm

 

Metelmann U

Clínia Particular - São Paulo, SP

 

INTRODUÇÃO: A aplicação do excimer laser com 308nm no tratamento do vitiligo e outras doenças inflamatórias tem demonstrado resultados superiores a outros tratamentos convencionais, apresentando repigmentação com menor número de sessões, maior tempo de remissão e menor número de efeitos colaterais. O objetivo deste trabalho é avaliar a resposta terapêutica das lesões de vitiligo após as aplicações da luz monocromárica.
RELATO DE CASOS: Foram avaliados 22 pacientes com vitiligo, sendo 11 mulheres e 11 homens, com tempo de evolução da doença entre 5 e 15 anos, sem tratamento há pelo menos 2 meses, com doença restrita a 30% de área corporal. Foram excluídos pacientes com tratamentos concomitantes, doença extensa, antecedente de insucesso com fototerapia ou patologia que contra-indicasse aplicação de ultravioleta. Os pacientes foram submetidos inicialmente ao cálculo da dose eritematosa mínima; foi realizado tratamento semanal, durante até 20 sessões consecutivas. Foi utilizada a luz monocromática de excimer de 308nm, aparelho Excilite®-DEKA (Florença-Itália). Os primeiros sinais de pigmentação iniciaram a partir da 2ª sessão. Dezoito pacientes obtiveram melhora maior do que 85% nas lesões tratadas, Quatro pacientes obtiveram melhora menor do que 25%. Efeitos colaterais observados foram eritema, bolhas, hiperpigmentação e cefaléia.
DISCUSSÃO: O tratamento com a luz monocromática mostrou-se efetivo no tratamento do vitiligo. Permitiu execução simples, indolor, semanal, com poucos efeitos colaterais comparando-se a outros métodos utilizados freqüentemente.
MOTIVO DA APRESENTAÇÃO: Apresentação da luz monocromática excimer de 308nm como uma nova modalidade terapêutica para o tratamento do vitiligo.