SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.83 número1Efeitos da radiação solar crônica e prolongada sobre o sistema imunológico de pescadores do RecifePorfiria cutânea tardia. Estudo evolutivo das características clínicas e laboratoriais: bioquímica, imunofluorescênciae microscopia óptica índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Anais Brasileiros de Dermatologia

versão impressa ISSN 0365-0596versão On-line ISSN 1806-4841

An. Bras. Dermatol. v.83 n.1 Rio de Janeiro jan./fev. 2008

https://doi.org/10.1590/S0365-05962008000100016 

INFORMES
TESE

 

q Polimorfismos do gene SLC11A1 (NRAMP1) na Leishmaniose Tegumentar Americana em população de uma região do sudeste do Brasil. Tese de Doutorado defendida em 2007. Área de concentração: Investigação Biomédica. Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto - Ribeirão Preto (SP), Brasil.

Autora: Maria Fernanda Chociay Gatti

Orientadora: Profª. Dra. Ana Maria Ferreira Roselino

A leishmaniose tegumentar americana (LTA), causada por L. (V.) brasiliensis e L. (L.) amazonensis, é autóctone na região nordeste do estado de São Paulo, apresentando-se nas formas cutânea e mucosa. Há evidências que fatores genéticos possam determinar a evolução para formas clínicas da doença. O gene SLC11A1 ( antigamente NRAMP1) murino, que compartilha 84% de homologia com gene SLC11A1 humano, está relacionado a susceptibilidade ou resistência contra microrganismos intracelulares. Neste estudo foi avaliada a relação de 9 polimorfismos do gene SLC11A1 com a forma e evolução clínica da doença. Para isso, indivíduos tiveram o polimorfismo do gene SL11A1 determinados por PCR em DNA extraído de sangue periférico e estes analisados na sua freqüência nos seguintes grupos: 1) 105 doentes com as formas cutânea, mucosa ou cutâneo-mucosa de leishmaniose; 2) 105 controles sadios (doadores de sangue) todos procedentes da região sudeste do Brasil. O teste exato de Fisher foi usado na análise estatística com significância de p<0,05. Os achados significativos mostraram que a análise de ligação entre os polimorfismos, considerando todas as amostras, mostrou forte desequilíbrio de ligação entre os polimorfismos estudados. Além do mais, o alelo C do polimorfismo 274C/T conferiu proteção ao desenvolvimento da leishmaniose. Quanto ao polimorfismo 823C/T, o genótipo TT mostrou-se significantemente mais associado à forma mucosa do que à forma cutânea. Os polimorfismos (GT)n e 469+14G/C apresentaram nível de significância mais próximo a 0,05. Já o polimorfismo 469+14G/C apresentou maior freqüência do alelo G no grupo controle, enquanto o alelo C esteve mais freqüente no grupo de pacientes (p=0,09). Na comparação entre os sexos encontrou-se diferença estatisticamente significativa na distribuição alélica e genotípica dos polimorfismos1465G/A e 823C/T, mas não houve associação com a doença. Portanto, o presente estudo demonstrou que alguns polimorfismos de gene SLC11A1 estão associados à LTA na população estudada.

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons