SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.83 issue2Correspondência author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Anais Brasileiros de Dermatologia

On-line version ISSN 1806-4841

An. Bras. Dermatol. vol.83 no.2 Rio de Janeiro Mar./Apr. 2008

http://dx.doi.org/10.1590/S0365-05962008000200016 

INFORMES
DISSERTAÇÃO

 

q Atividades de substâncias isoladas de liquens sobre formas promastigotas de Leishmania (L.) amazonensis e Leishmania (V.) brasiliensis. Dissertação de Mestrado defendida em 2006. Universidade de Brasília - Brasília (DF), Brasil.

Autor: Ada Amélia Ayala Urdaplleta.

Orientadora: Profª. DRª. Raimunda N. Ribeiro Sampaio.

Leishmaniose é uma infecção parasitária e endêmica causada pelo protozoário do gênero Leishmania. Cerca de 1,5 milhões de pessoas são acometidas pela leishmaniose cutânea que atinge 88 países e tem notificação compulsória em apenas 30 deles. Apresenta-se em todo Continente Americano e o Brasil é o país que tem a maior prevalência de casos. Este estudo foi realizado com dezenove substâncias liquênicas. Foram testadas in vitro para avaliar a atividade leishmanicida em formas promastigotas de Leishmania (L.) amazonensis e Leishmania (V.) brasiliensis. A atividade anti-leishmania foi comparada com a ação do fármaco Miltefosina. Substânicias de seis espécies testadas (Parmotrema tinctorum, Parmotrema dilatatum, Cladonia verticillaris, Cladina confusa, Ramalina peranceps e Parmotrema lichexanthonicum) mostraram a atividade no intervalo de concentrações de 100 a 12,5 mg/ml. Dentre as substâncias liquênicas testadas, o orselinato de n-pentila mostrou a maior atividade, apresentou- se ativo até a concentração de 12,5 mg/ml frente as formas promastigotas de leishmania (L.) amazonensis. Os resultados obtidos foram promissores e as substâncias liquênicas ativas podem ser fonte de substâncias contra Leishmania ssp.