SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.83 número4Cryosurgery using liquid nitrogen and infectious skin diseases índice de autoresíndice de materiabúsqueda de artículos
Home Pagelista alfabética de revistas  

Anais Brasileiros de Dermatologia

versión On-line ISSN 1806-4841

An. Bras. Dermatol. v.83 n.4 Rio de Janeiro jul./agosto 2008

http://dx.doi.org/10.1590/S0365-05962008000400001 

EDITORIAL

 

Deveres e responsabilidades dos pareceristas

 

Obligations and responsibilities of the peer reviewers

 

 

O processo de revisão por pares constitui o pilar fundamental em que se apóia a ciência e a divulgação do conhecimento científico, considerando que é o principal dispositivo para se avaliar a qualidade da pesquisa. As publicações científicas revisadas por pares representam a base essencial das decisões dos órgãos de fomento à pesquisa e da avaliação da produção acadêmica por instituições de ensino e pesquisa.

Ao aceitar a tarefa de revisar um artigo submetido ao periódico, o parecerista assume o compromisso de identificar seus aspectos de vigor e fragilidade científicos, de averiguar sua apresentação, clareza e concisão, e de avaliar sua relevância científica, originalidade e interesse para a comunidade científica, antes que ele seja amplamente divulgado.

Muito deve a comunidade científica aos pareceristas que voluntariamente doam seu precioso tempo e expertise ao participar do processo de revisão de trabalhos científicos, e deles se espera imparcialidade e honestidade no julgamento.Tendo em vista a relevância da revisão por pares, é importante que se discutam os deveres e as responsabilidades que a atividade de parecerista requer. Essas responsabilidades podem dizer respeito diretamente aos autores, aos editores e ao periódico, e, indiretamente, à comunidade científica e à sociedade em geral.

Parecerista que não domine bem o tema do estudo que foi designado a avaliar deve ter a humildade de reconhecer suas limitações para essa tarefa e eximir-se da incumbência, informando ao editor o motivo da recusa.

A primeira responsabilidade do parecerista é o compromisso com o tempo. Sendo improvável que possa terminar a avaliação do original dentro do prazo estipulado, é seu dever recusar imediatamente o convite e explicar ao editor a razão. Agindo assim, evita retardo no processo de avaliação do artigo, além de dar ciência à equipe editorial de que não poderá receber novos trabalhos para avaliação no futuro próximo. Caso tenha concordado em realizar a revisão, é seu dever cumprir o prazo estipulado e, não podendo fazê-lo, deve informar de pronto à equipe editorial e indagar como proceder; se retorna o original sem avaliar ou se é possível estender o prazo para entrega da revisão.

Espera-se que os pareceristas tratem o texto e os autores com respeito, evitando críticas e comentários de ordem pessoal, que devem ser, ao contrário, de natureza construtiva, realizando avaliação imparcial e clara do valor do estudo. A avaliação adequada inclui a identificação dos aspectos de fragilidade científica do estudo, recomendações para torná-lo mais completo e relevante, além de levantar questões específicas para os autores, de modo a fazer o estudo aceitável e útil ao público a que é direcionado. Ainda que as avaliações sejam sigilosas, os comentários devem ser feitos de forma cortês e educada, devendo ser respeitada a independência intelectual dos autores.

Caso tenha qualquer conflito de interesse que possa de alguma forma interferir na objetividade da avaliação do artigo, é responsabilidade do parecerista declarar o conflito ao editor do periódico, embora o ideal seja recusar a tarefa de revisão. Conflitos de interesse podem ser de variada natureza, seja com a própria pesquisa, a identificação dos autores ou ainda a relação do parecerista com empresa que apóia a pesquisa ou com a empresa que concorre com o patrocinador da pesquisa a ser avaliada. O mais correto é que pareceristas com conflito de qualquer natureza declinem as revisões.

Com referência aos editores e ao periódico, os pareceristas devem determinar o mérito científico e a originalidade do estudo, indicando os meios de aperfeiçoá-lo, além de emitir a recomendação de recusa ou aceitação, de preferência informando a prioridade para publicação. Também é sua responsabilidade identificar questões de ordem ética envolvidas no estudo, mormente relacionadas a plágio, conflitos de interesse e violação dos princípios éticos de pesquisa com seres humanos e experimento com animais.

De forma a atender às responsabilidades com os leitores, os pareceristas devem ficar atentos para só recomendar a publicação de trabalhos que se adequem ao perfil editorial do periódico e rejeitar estudos incorretos ou que não possam ser reproduzidos, além de estar alerta à falta de citação de textos relevantes referentes ao tema abordado.

Essencial na revisão por pares é a garantia de sigilo de todo o processo. Comentários ou discussão sobre estudo em avaliação não devem ser tratados fora do âmbito do processo editorial, constituem matéria confidencial, devendo ser resguardada a identidade dos autores e da instituição. Todas as cópias relativas a originais revisados devem ser devolvidas ao periódico, não sendo permitida aos pareceristas a utilização de seus dados e idéias, de qualquer forma que seja, enquanto os trabalhos não forem publicados. A solicitação da colaboração de terceiros no processo de revisão só é admitida com o consentimento expresso do editor.

Pareceristas não devem usar o processo de revisão em proveito próprio. Não devem formular questões que não dizem respeito direto ao trabalho em avaliação ou recomendar alterações que indiretamente beneficiem seus próprios estudos. Também devem resistir à tentação de usar a revisão como oportunidade para impor a citação de suas próprias publicações.

Estamos convictos de que, ao seguir atentamente esses preceitos, os pareceristas dos Anais Brasileiros de Dermatologia prestam importante contribuição à elevação da qualidade do periódico, ao progresso da dermatologia nacional e ao fortalecimento dos valores éticos da sociedade brasileira.

 

REFERÊNCIAS

1. Councilscienceeditors.org [homepage]. CSE's white paper on promoting integrity in scientific journal publications. Roles and responsibilities in publishing. Reviewer roles and responsibilities. [acesso 31 Jul 2008]. Disponível em : http://www.councilscienceeditors.org/editorial_policies/whitepaper/2-_reviewer.cfm         [ Links ]

2. Councilscienceeditors.org [homepage]. Editorial policy statements approved by the CSE Board of Directors. Responsibilities and rights of peer reviewers. [acesso 31 Jul 2008]. Disponível em: http://www.councilscienceeditors.org/services/draft_approved.cfm#Paragraphsix        [ Links ]

3. Wame.org/ [homepage]. WAME recommendations on publication ethics policies for medical journals. [acesso 31 Jul 2008]. Disponível em: http://www.wame.org/resources/publication-ethicspolicies-for-medical-journals#peer        [ Links ]

 

Everton Siviero do Vale
Editor Científico Associado

Bernardo Gontijo
Editor Científico dos Anais Brasileiros de Dermatologia

Silvio Alencar Marques
Editor Científico Associado