SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.84 issue1Confluent and reticulated papillomatosis of Gougerot and Carteaud: report of three casesCase for diagnosis author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Anais Brasileiros de Dermatologia

On-line version ISSN 1806-4841

An. Bras. Dermatol. vol.84 no.1 Rio de Janeiro Jan./Feb. 2009

http://dx.doi.org/10.1590/S0365-05962009000100013 

CASO CLÍNICO

 

Remissão de lentigo maligno extenso após tratamento com imiquimod*

 

 

Christiane D. PiazzaI; Sebastião A. P. SampaioII

IMédica dermatologista. Mestre em dermatologia pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP) - São Paulo (SP), Brasil
IIIn memoriam. Professor emérito da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP) - São Paulo (SP), Brasil

Endereço para correspondência/Mailing Address

 

 


RESUMO

Lentigo maligno é um melanoma in situ que mais comumente surge em áreas expostas à radiação ultravioleta, nos pacientes idosos. O tratamento é realizado, principalmente, para minimizar o risco de progressão para lentigo maligno melanoma. O presente relato se refere a uma paciente idosa com lesões recorrentes de lentigo maligno na face, tratada com sucesso com imiquimod tópico, mostrando que este pode ser um tratamento útil, em determinados casos da doença.

Palavras-chave:Melanoma; Melanoma/terapia; Sarda melanótica de Hutchinson


 

 

INTRODUÇÃO

O tratamento cirurgico do melanoma pode nao ser indicado em determinados casos, devido a idade do paciente ou ao tamanho e a localizacao das lesoes. O imiquimod (IM) e um modificador da resposta imune, com relatos de eficacia no tratamento de lentigo maligno (LM).1

 

RELATO DO CASO

Uma paciente de 87 anos, do sexo feminino, branca apresentava grande area de hiperpigmentacao no lado esquerdo da face, que acometia parte das regioes frontal, orbitaria, zigomatica e da palpebra superior, com dois anos de evolucao.

Realizou-se biopsia incisional e diagnosticou-se melanoma maligno de crescimento intra-epitelial (Figura 1). Excisou-se a lesao e procedeu-se a uma enxertia local. O componente da palpebra superior nao foi removido em um primeiro momento, pois a paciente nao aceitou a realizacao de procedimento nesse local. Apos alguns meses, ela retornou a consulta, apresentando LM na palpebra superior, lesoes recorrentes no enxerto e, clinicamente, uma lesao compativel com carcinoma basocelular no canto interno do olho (Figura 2).

 

 

 

 

A paciente apresentava diabetes mellitus, hipertensao e depressao. O tratamento para a lesao melanocitica e para a lesao do carcinoma basocelular (CBC) com imiquimod creme 5% foi prescrito cinco vezes por semana, por 12 semanas, com excelente resposta terapeutica (completa remissao clinica e histologica do LM e do CBC) (Figura 3). Acompanhou-se a paciente por tres anos e nao se verificaram sinais de recidiva. A paciente foi a obito por leucemia aguda mieloide aos 91 anos de idade.

 

 

DISCUSSÃO

O IM e um composto sintetico da familia de drogas denominada imidazoquinolona, um modificador da resposta imune. Apresenta atividade pro-apoptotica contra celulas tumorais e e um agonista de receptores tolllike (TLR), principalmente TLR-7, mas tambem TLR-8. In vivo e in vitro, o IM induz apoptose em celulas de melanoma. A inibicao da angiogenese e envolvida na atividade antitumoral e, nas malignidades cutaneas, ele rapidamente aumenta o infiltrado inflamatorio peritumoral 1. O IM e aprovado para o tratamento de verrugas genitais externas e perianais, queratoses actinicas e malignidades cutaneas, como carcinoma basocelular (CBC).2

O IM creme a 5% possui potente atividade antiviral e antitumoral e tem sido relatado como efetivo no tratamento de LM,3-4-5 prevenindo a progressao para Lentigo Maligno Melanoma e uma opcao no tratamento de metastases cutaneas de melanoma.6-7-8

O tratamento correntemente recomendado para melanoma maligno in situ inclui excisao cirurgica com margem minima de 0,5cm. Esse tratamento pode nao ser indicado em determinados casos (idade do paciente, tamanho e localizacao das lesoes). Em nossa paciente, apos a remocao cirurgica parcial, ocorreu recidiva do LM no enxerto.

O tratamento com IM resultou na cura clinica e histologica do LM, acompanhado pelo periodo de tres anos. O IM parece ser uma boa indicacao para tratamento de LM, principalmente, nos pacientes com idade avancada ou estado clinico comprometido.

 

REFERÊNCIAS

1.  Vidal D. Topical imiquimod: mechanism of action and clinical applications. Mini Rev Med Chem. 2006;6:499-503.         [ Links ]

2.  Wenzel J, Uerlich M, Haller O, Bieber T, Tueting T. Enhance type I interferon signaling and recruitment of chemoquine receptor CXCR3-expressing lymphocytes into the skin fol lowing treatment with the TLR7-agonist imiquimod. J Cutan Pathol. 2005;32: 257-62.         [ Links ]

3.  Fleming CJ, Bryden AM, Evans A, Dawe RS, Ibbotson SH. A pilot study of treatment of lentigo maligna with 5% imiquimod cream. Br J Dermatol. 2004;151:485-8.         [ Links ]

4.  Powell AM, Russell-Jones R. Amelanotic lentigo melanoma managed with topical imiquimod as immunotherapy. J Am Acada Dermatol. 2004;50:792-6.         [ Links ]

5.  Wolf IH, Cerroni L, Kodama K, Kerl H. Treatment of lenti go maligna (melanoma in situ) with the immune response modifier imiquimod. Arch Dermatol. 2005;141:510-4.         [ Links ]

6.  Hesling C, D’Incan M, Mansard S, Franck F, Corbin-Duval A, Chèvenet C, et al. In vivo and in situ modulation of the expression of genes involved in metastasis and angiogene sis in a patient treated with topical imiquimod for melanoma skin metastasis. Br J Dermatol. 2004;150:761-7.         [ Links ]

7.  Wolf IH, Richting E, Kopera D, Kerl H. Locoregional cuta neous metastases of malignant melanoma and their man agement. Dermatol Surg. 2004;30(Pt 2):244-7.         [ Links ]

8.  Wolf IH, Smolle J, Binder B, Cerroni L, Richtig E, Kerl H. Topical imiquimod in the treatment of metastatic melanoma to skin. Arch Dermatol. 2003;139:273-6.         [ Links ]

 

 

Endereço para correspondência:
Christiane D. Piazza
Av. Jurucê, 135 / 61
04080 010 - São Paulo - SP
E-mail: christiane.piazza@gmail.com

Aprovado pelo Conselho Editorial e aceito para publicação em 09.01.09.

 

 

Conflito de interesse: Nenhum
Suporte financeiro: Nenhum
Como citar este artigo/How to cite this article: Piazza CD, Sampaio SAP. Remissão de lentigo maligno extenso após tratamento com imiquimod. An Bras Dermatol. 2008;84(1):82-4.
* Trabalho realizado na Clínica Dermatológica Prado Sampaio e no Departamento de Dermatologia da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP) - São Paulo (SP), Brasil.