SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.85 issue1Generalized woolly hair: case report and literature reviewPedroso and Gomes' verrucous Dermatitis (Chromoblastomycosis): 90 years on and still among us author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Anais Brasileiros de Dermatologia

Print version ISSN 0365-0596

An. Bras. Dermatol. vol.85 no.1 Rio de Janeiro Jan./Feb. 2010

http://dx.doi.org/10.1590/S0365-05962010000100017 

IMAGENS EM DERMATOLOGIA

 

Aspectos dermatoscópicos na psoríase ungueal

 

 

Débora Cadore de FariasI; Antonella TostiII; Nilton Di ChiacchioIII; Sergio Henrique HirataIV

IMédica dermatologista. Clínica de dermatologia - Santa Casa de São Paulo - São Paulo (SP), Brasil
IIProfessora catedrática de dermatologia da Universidade de Bolonha - Bolonha, Itália
IIIMédico assistente. Clínica de dermatologia - Hospital do Servidor Público do Estado de São Paulo - São Paulo (SP), Brasil
IVDoutor em medicina pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), médico do departamento de dermatologia da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), ABC - São Paulo (SP), Brasil

Endereço para correspondência

 

 


RESUMO

Os autores relatam sua experiência no uso da dermatoscopia na psoríase ungueal e descrevem os achados dessa ferramenta diagnóstica.

Palavras-chave: Doenças da unha; Psoríase; Psoríase/diagnóstico


 

 

INTRODUÇÃO

A dermatoscopia é um procedimento largamente utilizado para auxiliar o diagnóstico de lesões cutâneas (melanocíticas ou não).1 No aparelho ungueal essa ferramenta é consagrada apenas para lesões melanocíticas.2 Em lesões não melanocíticas do aparelho ungueal esse exame é recente e de grande valia. Entretanto ainda não há estudos suficientes que validem seu uso e muito menos que substituam a biópsia ungueal.

Os achados dermatoscópicos da psoríase ungueal dependem de qual parte do aparelho ungueal é afetada pela doença.3 Na matriz ungueal a psoríase produz anormalidades na superfície da lâmina ungueal, como o pitting. Quando acomete o leito ungueal, pode produzir onicólise, manchas salmão, hemorragias e hiperqueratose subungueal. A dermatoscopia permite visualizar melhor essas alterações na lâmina e no leito ungueal, bem como detectar alterações vasculares em hiponíquio e dobra ungueal proximal indicativas da doença.

Para a realização da dermatoscopia da lâmina ungueal na psoríase, é necessário um aumento de, pelo menos, 30 vezes. Podem-se utilizar aparelhos de luz polarizada ou não. Quando utilizado o de luz não polarizada, prefere-se a utilização de um gel transparente como substância de interface, pois ele preenche o espaço entre a superfície convexa da lâmina ungueal e a plana da lente do dermatoscópio. Os achados da dermatoscopia da lâmina ungueal na psoríase ungueal estão descritos no quadro 1.

Quando há a presença de onicólise, a dermatoscopia geralmente permite a visualização de borda eritematosa, muitas vezes subclínica e não visível a olho nu, representada por mancha vermelho-alaranjada circundando a área de onicólise. Esse achado é específico da onicólise da psoríase ungueal (Figura 1A).

As hemorragias em estilhaço são resultado do sangramento nos capilares do leito ungueal dispostos de maneira longitudinal e sucessiva incorporação do sangue na lâmina ungueal ventral. Esse achado não é específico da psoríase. São frequentemente observadas também em onicomicoses, dermatite de contato e traumas no aparelho ungueal (Figura 1A).

Para a realização da dermatoscopia do hiponíquio, podem-se também utilizar aparelhos de luz polarizada ou não. Notam-se capilares dilatados, alongados e tortuosos, com distribuição irregular (Figura 1B). É necessário um aumento de, no mínimo, 40 vezes para visualização dos capilares anormais. Iorizzo e colaboradores, em 2008, demonstraram que a densidade capilar é correlacionada positivamente com a gravidade da doença. Esse estudo também demonstrou que a análise quantitativa dos capilares se correlaciona com a resposta ao tratamento. Nesse estudo, os pacientes, após três meses de tratamento tópico com calcipotriol, apresentaram uma redução no número de capilares.4

Na experiência dos autores, a dermatoscopia do hiponíquio é a melhor ferramenta para confirmação do diagnóstico de psoríase em pacientes com onicólise isolada ou leve hiperqueratose do leito ungueal.3

A dermatoscopia da dobra ungueal proximal é também útil para avaliar a gravidade da doença, encontrando-se alterações quantitativas e morfológicas de capilares. O número e o diâmetro dos capilares encontram-se significativamente diminuídos.5,6,7

Zaric e colaboradores, em 1982, encontraram uma diminuição no tamanho dos capilares da dobra ungueal proximal nos pacientes com psoríase cutânea e articular, quando comparados com o grupo controle.

Bhushan e colaboradores, em 2000, observaram uma diminuição na densidade capilar na dobra ungueal proximal em pacientes com psoríase ungueal ou psoríase com acomentimento ungueal e articular quando comparados com o grupo controle. Apenas nos pacientes com psoríase articular associada ou não ao acometimento ungueal foi evidenciada também uma diminuição no diâmetro desses capilares.

Concluindo, a dermatoscopia é um exame não invasivo, de aplicação rápida e baixo custo, que pode auxiliar no diagnóstico de psoríase ungueal em casos duvidosos e melhorar o acompanhamento do paciente em relação à resposta ao tratamento instituído.

 

REFERÊNCIAS

1. Rezze GG, Soares de Sá BC, Neves RI. Dermatoscopia: o método de análise de padrões. An Bras Dermatol. 2006;81:261-8.         [ Links ]

2. Tosti A, Piraccini BM, Farias DC. Dealing with melanonychia. Seminars in Cutaneous Medicine and Surgery. 2009;28:49-54.         [ Links ]

3. Tosti A, Pirraccini BM, Farias DC. Nail dermoscopy. In: Micali G. Videodermatoscopy in Clinical Pratice. London: Informa Healthcare; 2009.         [ Links ]

4. Iorizzo M, Dahdah M, Vicenzi C, Tosti A. Videodermoscopy of the hyponychium in nail bed psoriasis. J Am Acad Dermatol. 2008;58:714-5.         [ Links ]

5. Ohtsuka T, Yamakage A, Miyachi Y. Statistical definition of nailfold capillary pattern in patients with psoriasis. Int J Dermatol. 1994;33:779-82.         [ Links ]

6. Zaric D, Clemmensen OJ, Worm AM, Stahl D. Capillary microscopy of the nail fold in patients with psoriasis and psoriatic arthritis. Dermatologica. 1982;164:10-4.         [ Links ]

7. Bhushan M, Moore T, Herrick AL, Griffiths CEM. Nailfold video capillaroscopy in psoriasis. Br J Dermatol. 2000;142:1171-6.         [ Links ]

 

 

Endereço para correspondência:
Débora Cadore de Farias
Rua João Moura, 975 - ap. 164 - Jardim América
05412 002 São Paulo, SP
E-mail: decadorefarias@hotmail.com

Recebido em 02.07.2009.
Aprovado pelo Conselho Consultivo e aceito para publicação em 18.12.09.
Conflito de interesse: Nenhum
Suporte financeiro: Nenhum

 

 

* Trabalho realizado na clínica de dermatologia - Hospital do Servidor Público do Estado de São Paulo - São Paulo (SP), Brasil.

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License