SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.86 issue3Pachydermoperiostosis: the complete form of the syndromeParacoccidioidomycosis in a patient with cervical cancer author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Article

Indicators

Related links

  • Have no similar articlesSimilars in SciELO

Share


Anais Brasileiros de Dermatologia

Print version ISSN 0365-0596

An. Bras. Dermatol. vol.86 no.3 Rio de Janeiro May/June 2011

http://dx.doi.org/10.1590/S0365-05962011000300028 

IMAGENS EM DERMATOLOGIA TROPICAL

 

Donovanose*

 

 

Sarita Maria de Fátima Martins de Carvalho BezerraI; Marcio Martins Lobo JardimII; Valdir Bandeira da SilvaIII

IDoutorado - Dermatologista - Professora voluntária do CEDER- Centro de Estudos Dermatológicos do Recife (PE), Brasil
IIAcadêmico de Medicina da Faculdade Pernambucana de Saude (FPS) - Recife (PE), Brasil
IIIProf. Adjunto da Clinica Dermatológica da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) - Recife (PE), Brasil

Endereço para correspondência

 

 


RESUMO

Os autores apresentam imagens de duas formas clínicas mais frequentes da Donovanose, em ambos sexos. A donovanose é considerada uma doença sexualmente transmissível, endêmica nas regiões tropicais e semitropicais do globo. Apresentam também imagens de duas lâminas: uma da pesquisa direta (corpúsculos de Donovan, dentro de grandes células mononucleadas coradas de vermelho pelo Giemsa) e outra de achados histológicos típicos (formato de alfinete dentro do histiócito).

Palavras-chave: Doenças bacterianas sexualmente transmissíveis; Doenças dos genitais femininos; Doenças dos genitais masculinos; Doenças sexualmente transmissíveis; Doenças transmissíveis


 

 

A Donovanose, também conhecida como granuloma inguinal, é uma enfermidade benigna, de evolução crônica provocada por uma bactéria gramnegativa, intracitoplasmática denominada Calymatobacterium granulomatis.1,2,3 Endêmica no Brasil, há alguma décadas vem em franco declínio. Sua incidência é de cerca de 5% entre as DST. 2,4 Iniciase com um nódulo ou pápula, no local da inoculação que erosa levando à formação de uma úlcera, que cresce lentamente, sangra com facilidade e é indolor. A partir daí, as manifestações estão diretamente ligadas às respostas tissulares do hospedeiro, originando formas localizadas ou extensas e, até mesmo, lesões viscerais, por disseminação hematogênica (Figura 1). Não há adenopatia inguinal em qualquer variante clínica. 3,4 O diagnóstico laboratorial é realizado através da pesquisa direta dos corpúsculos de Donovan, obtido através de esfregaço de biopsia da ulceração por punch e pela biopsia realizada na ulceração (Figura 2).3

 

REFERÊNCIAS

1. Jardim ML. Donovanose: proposta de classificação clínica. An Bras Dermatol. 1987;62:169 -72.         [ Links ]

2. Martins S. Granuloma inguinale:self assessment . J Am Acad Dermatol. 1996;34:3324.         [ Links ]

3. Lupi O, Madkan V, Ryring SK. Tropical Dermatology: bacterial tropical disease. J Am Acad Dermatol. 2006;54:559-78.         [ Links ]

4. Brown TJ,Yen-Moore A, Tyring SK. An overview of sexually transmitted disease Part I. J Am Acad Dermatol. 1999;41:511-32.         [ Links ]

 

 

Endereço para correspondência:
Sarita Maria de Fátima Martins de Carvalho Bezerra
Rua Ernesto Paula Santos - 187, 301 Bairro: Boa Viagem
51021330 Recife - SP, Brasil
Tel: (81) 3465 3930
Email: saritamartins@uol.com.br

Aprovado pelo Conselho Editorial e aceito para publicação em 23.03.2010.
Conflito de interesse: Nenhum
Suporte financeiro: Nenhum

 

 

* Trabalho realizado no no ambulatório de DST do Hospital das Clínicas da Universidade federal de Pernambuco (PE), Brasil.