SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.86 issue3Comparative dermatology: skin lesion produced by attack of jellyfishes (Physalia physalis)Aos Editores dos Anais Brasileiros de Dermatologia (Brazilian Annals of Dermatology) author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Article

Indicators

Related links

  • Have no similar articlesSimilars in SciELO

Share


Anais Brasileiros de Dermatologia

Print version ISSN 0365-0596

An. Bras. Dermatol. vol.86 no.3 Rio de Janeiro May/June 2011

http://dx.doi.org/10.1590/S0365-05962011000300039 

CORRESPONDÊNCIA

 

SBD-RESP na busca ativa de casos de hanseníase*

 

 

Joel Carlos LastóriaI; Marilda Aparecida Milanez Morgado de AbreuII

ILivre Docente - Professor Adjunto do Departamento de Dermatologia e Radioterapia da Faculdade de Medicina de Botucatu - Universidade Estadual Paulista (UNESP) - Botucatu (SP), Brasil
IIDoutora - Professora Titular da Disciplina de Dermatologia da Universidade do Oeste Paulista (UNOESTE) e Chefe do Serviço de Dermatologia do Hospital Regional de Presidente Prudente - Presidente Prudente (SP), Brasil

Endereço para correspondência

 

 


RESUMO

FUNDAMENTOS: A Sociedade Brasileira de Dermatologia Regional do Estado de São Paulo (SBD-RESP), apoiada pela Fundação Paulista Contra a Hanseníase, e em ação conjunta com os Serviços de Dermatologia do estado de São Paulo, credenciados pela Sociedade Brasileira de Dermatologia, lançou a campanha "SBD-RESP na Busca Ativa de Casos de Hanseníase".
OBJETIVOS: Auxiliar o Programa Nacional de Controle da Hanseníase no controle da doença.
MÉTODO: Todos os Serviços de Dermatologia do estado de São Paulo, credenciados pela Sociedade Brasileira de Dermatologia, foram convidados e os 17 que participaram receberam uma planilha de dados e modelos de materiais informativos sobre a doença. A campanha foi realizada entre os meses de maio e julho de 2010. Ao término do período, cada serviço encaminhou a planilha de dados para análise estatística.
RESULTADOS: Foram examinadas 1718 pessoas e diagnosticados, no total, 90 casos de hanseníase, a maioria do gênero masculino e da cor branca, com percentuais semelhantes de multibacilares e de paucibacilares. Doze por cento apresentavam história familiar de hanseníase. O maior número de casos detectados foi na capital, seguido, no interior, pela região de Presidente Prudente. O índice de detecção em menores de 15 anos foi 4%.
CONCLUSÕES: Os resultados da campanha mostram a importância desta iniciativa da SBD-RESP. Sugere-se que ações semelhantes sejam repetidas e que se estendam a outras regionais da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

Palavras-chave: Diagnóstico; Epidemiologia; Hanseníase; Prevenção de doenças transmissíveis


 

 

INTRODUÇÃO

A prevalência registrada da hanseníase pela Organização Mundial da Saúde ao final do primeiro quarto de 2010 no Brasil foi 38.179 casos, com 37.610 casos novos detectados em 2009, sendo 21.414 multibacilares e 2.669 em menores de 15 anos.1 A estratégia do Programa Nacional de Controle da Hanseníase (PNCH) baseia-se na detecção precoce e no pronto tratamento de casos novos, visando eliminar fontes de infecção e evitar sequelas. Serviços integrados e parcerias sustentam ações para o controle da endemia.2

A Sociedade Brasileira de Dermatologia Regional do Estado de São Paulo (SBD-RESP), apoiada pela Fundação Paulista Contra a Hanseníase, e em ação conjunta com os Serviços de Dermatologia do estado de São Paulo, credenciados pela Sociedade Brasileira de Dermatologia, lançou a campanha "SBD-RESP na Busca Ativa de Casos de Hanseníase", com o objetivo de auxiliar no controle da doença.

 

MÉTODO

Todos os Serviços de Dermatologia do estado de São Paulo, credenciados pela Sociedade Brasileira de Dermatologia, foram convidados através de uma carta. Os 17 Serviços que participaram receberam uma planilha de dados, elaborada para a campanha, e modelos de materiais informativos sobre a doença, doados pela Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, tendo sido a divulgação da campanha assessorada por empresa de comunicação contratada pela SBD-RESP. Cada Chefe de Serviço designou um coordenador local, o qual foi responsável pela realização da campanha no Serviço. Esta foi feita de forma personalizada por cada Serviço, em uma data única, duas ou mais datas ou mesmo um período, entre os meses de maio e julho de 2010. Os atendimentos às pessoas foram feitos exclusivamente no Serviço ou estendeuse a outros bairros ou mesmo a outros municípios pertencentes à respectiva Direção Regional de Saúde (DIR). A campanha teve como público alvo pessoas com lesão suspeita de hanseníase, residentes nos municípios pertencentes às DIR de cada Serviço. Ao término do período, cada Serviço encaminhou a planilha com os dados dos respectivos atendimentos para análise estatística.

 

RESULTADOS

Foram examinadas, no total, 1718 pessoas. Os resultados da análise quanto ao número de pessoas examinadas por região do estado de São Paulo e respectivos Serviços Credenciados, encontram-se no quadro 1.

Observa-se no quadro 1 que o Serviço de São José do Rio Preto examinou o maior número de pessoas (25% do total).

Entre as pessoas examinadas, houve predomínio do gênero feminino (61%) em relação ao masculino (39%), sendo 59% brancos, 33% pardos, 7% pretos e 1% amarelos. Em relação à faixa etária, 6% tinham até 14 anos, 15% entre 15 e 30 anos, 22% entre 31 e 45 anos, 30% entre 46 e 60 anos e 27% com 61 anos ou mais. Noventa por cento não apresentavam história familiar de hanseníase.

Foram diagnosticados, no total, 90 casos de hanseníase, 59% do gênero masculino e 41% do feminino, sendo 61% brancos, 31% pardos, 6% pretos e 2% amarelos. Doze por cento apresentavam história familiar de hanseníase. Os percentuais dos casos diagnosticados, segundo a faixa etária e a forma clínica da doença, encontram-se, respectivamente, nos gráficos 1 e 2.

 

 

 

 

O quadro 2 mostra os resultados da análise quanto ao número de casos diagnosticados por região do estado de São Paulo e respectivos Serviços Credenciados. Os percentuais de casos detectados por região do estado de São Paulo podem ser vistos no gráfico 3.

A figura 1 ilustra a distribuição do número de casos de hanseníase detectados na campanha no mapa do estado de São Paulo.

 

DISCUSSÃO

A região Sudeste do Brasil já alcançou a meta de eliminação da hanseníase (coeficiente de prevalência em 2005: 0,60/10.000 habitantes), porém a distribuição da doença, como em todo o Brasil, é desigual entre as áreas dessa região, inclusive no estado de São Paulo.3 O coeficiente de detecção de casos novos nesse estado em 2008 foi de 5,21/100.000 habitantes, com 2.318 casos registrados,4 tendência decrescente, e inferior ao do Brasil e ao da região Sudeste.5 A maioria (42%) dos municípios apresenta coeficiente de detecção menor que 2 casos/100.000 habitantes, mas 25% ainda apresentam alta endemicidade. Nessa situação estão os municípios em áreas fronteiriças com os estados Mato Grosso do Sul, Minas Gerais e Paraná, ocupando o primeiro lugar Presidente Venceslau, seguido por Caraguatatuba e Jales.4 Outros municípios com índices altos são Araçatuba, Barretos e Presidente Prudente.4 Em concordância com esses dados, a campanha detectou grande número de casos na região de Presidente Prudente, mas mostrou, também, índice elevado em setores da capital, destacando-se 19 casos diagnosticados pelo Serviço do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, em uma ação realizada na Comunidade de Brasilândia.

Conforme é observado no Brasil, a distribuição dos casos detectados na campanha foi maior no gênero masculino e os percentuais de multibacilares e de paucibacilares alcançaram índices semelhantes. O percentual de detecção em menores de 15 anos foi 4%, equiparável a 3,8% relatado no estado de São Paulo em 2007.2

 

CONCLUSÃO

Os 90 casos detectados, além da possível existência de casos adicionais nos contatos domiciliares, mostram a importância desta iniciativa da SBD-RESP. Os Serviços de Dermatologia, credenciados pela Sociedade Brasileira de Dermatologia, contam com grande número de dermatologistas, profissionais altamente qualificados para diagnosticar hanseníase. Sugere-se que ações semelhantes sejam realizadas no futuro por gestões sucessoras da SBD-RESP e que se estendam a outras regionais da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

 

AGRADECIMENTOS

A SBD-RESP agradece à dedicação dos inúmeros colaboradores dos Serviços de Dermatologia participantes que culminou em uma inestimável contribuição à saúde da população brasileira. Agradece também ao apoio da Fundação Paulista Contra a Hanseníase e da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, pela doação dos modelos de materiais informativos sobre a hanseníase, e ao suporte técnico à campanha da Sta. Deise Silva de Lira Marques e do Sr. Dirceu Arantes Filho.

Este informe mostra os resultados da campanha "SBD-RESP na Busca Ativa de Casos de Hanseníase", realizada pelos Serviços de Dermatologia credenciados desse estado, durante a gestão 2010 da SBD-RESP. Foi redigido pelos coordenadores da campanha, Dr. Joel Carlos Lastória e Dra. Marilda Aparecida Milanez Morgado de Abreu.

Sociedade Brasileira de Dermatologia Regional do Estado de São Paulo (SBD-RESP), Gestão 2010

Presidente: Joel Carlos Lastória

Vice-Presidente: Flávia Addor

Secretário: Sergio Henrique Hirata

Tesoureiro: Sergio Schalka

Coordenador Científico: Mauro Enokihara

Coordenador de Comunicações: Francisco M. Paschoal

Coordenadores da Campanha: Joel Carlos Lastória e Marilda Aparecida Milanez Morgado de Abreu

Colaboração: Serviço Credenciado de São Paulo (Coordenador local):

Complexo Hospitalar Heliópolis (Maria Cristina Jacomette Maldonado); Complexo Hospitalar Padre Bento (Maria do Rosário Vidigal); Escola Paulista de Medicina - UNIFESP (Marcos Cesar Floriano); Faculdade de Medicina do ABC (Lucia Mioko Ito); Faculdade de Medicina de Botucatu - UNESP (Silvio Alencar Marques); Faculdade de Medicina de Marília (Spencer de Domenico Sornas); Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto - HC de Ribeirão Preto (Renata Bazan Furini/Norma Tiraboschi Foss); Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto - Hospital de Base (Rosa Maria Cordeiro Soubhia); Fundação Lusíadas - Centro Universitário Lusíadas (José Roberto Paes de Almeida); Hospital das Clínicas-FMUSP (Leontina da Conceição Margarido); Hospital e Maternidade Celso Pierro - PUC Campinas (Elisângela Samartin Pegas Pereira); Hospital Regional de Presidente Prudente - UNOESTE (Silvely Akemi Shibata); Hospital Universitário de Taubaté (Fátima Maria de Oliveira Rabay); Instituto Lauro de Souza Lima (Wladimir Fiori Bonilha Delanina); Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo (Valéria Maria de Souza Framil); Universidade de Campinas (Michelle Etienne Baptistella Florence); Universidade de Mogi das Cruzes - Hospital Luiza Pinho Melo (Wagner Ferreira do Santos).

 

REFERÊNCIAS

1. World Health Organization [Internet]. Global leprosy situation, 2010. Weekly Epidemiological Record. 2010[cited 2011 May 05];85:337-48. Available from: http://www.who.int/wer/2010/wer8535.pdf        [ Links ]

2. Ministério da Saúde. Vigilância em Saúde: situação epidemiológica da hanseníase no Brasil; 2008 [acesso 15 Jul 2010]. Disponível em: http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/pdf/boletim_novembro.pdf.         [ Links ]

3. Marzliak MLC. Avaliação das ações de controle da hanseníase no estado de São Paulo. São Paulo; 2008. [acesso 07 Jul 2010]. Disponível em: www.hanseniasetemcura.com.br/gais.pdf.         [ Links ]

4. Ministério da Saúde. Sistema Nacional de Vigilância em Saúde Relatório de Situação. Brasília-DF; 2009. [acesso 03 Maio 2010]. Disponível em: http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/pdf/003_sp_relatorio_de_situacao.pdf        [ Links ]

 

 

Endereço para correspondência:
Rua Machado Bittencourt, 361 - 13º Andar - Cj. 1307
04044-001 - São Paulo - SP
Tel/Fax.: (11) 5573-8735 / 5573-5528 / 5083-3491
email: sbd-resp@sbd-sp.org.br

Recebido em 03.03.2011.
Aprovado pelo Conselho Consultivo e aceito para publicação em 03.03.11.
Conflito de interesse: Nenhum
Suporte financeiro: Nenhum Coordenado pela Sociedade Brasileira de Dermatologia Regional do Estado de São Paulo (SBD-RESP) e Fundação Paulista Contra a Hanseníase Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo.

 

 

* Trabalho realizado na Sociedade Brasileira de Dermatologia Regional de São Paulo (SBD-RESP) - São Paulo (SP), Brasil.