SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.59 issue3Otimização econômica de explotações a céu abertoAvaliação da capacidade de adsorção de vermiculita hidrofóbica em contato direto com óleo author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Rem: Revista Escola de Minas

Print version ISSN 0370-4467On-line version ISSN 1807-0353

Rem: Rev. Esc. Minas vol.59 no.3 Ouro Preto July/Sept. 2006

http://dx.doi.org/10.1590/S0370-44672006000300012 

MINERAÇÃO

 

Aplicação do Índice Global de Sustentabilidade na explotação de coquina na Península de Santa Elena

 

 

Wilmer José Vásquez GrandaI; Hernani Mota de LimaII

IMestrando do Programa de Pós-Graduação em Engenharia Mineral. Departamento de Engenharia de Minas/EM/UFOP. E-mail: wvasques@demin.ufop.br
IIProfessor Adjunto do Departamento de Engenharia de Minas/EM/UFOP. E-mail: hernani.lima@ufop.br

 

 


RESUMO

Na Península de Santa Elena (Equador), desenvolvem-se, paralelamente, a explotação artesanal e a mecanizada da rocha coquina. Para estabelecer a sustentabilidade da explotação, foram estabelecidos indicadores, suficientemente flexíveis à realidade local e de fácil aplicação. Para determinação do quão sustentável é a explotação de coquina, usou-se o Índice Global de Sustentabilidade (IGS). Esse estudo apresenta os resultados do IGS aplicado ao caso da explotação artesanal no Morro Tablazo.

Palavras-chave: Indicadores de sustentabilidade, pequena mineração.


ABSTRACT

In Santa Elena's Peninsula (Ecuador), the artisanal and mechanical mining of coquina rock work in parallel. In order to establish the sustainability of the exploitation, indicators were chosen that were sufficiently flexible for local reality and easy to apply. To determine how sustainable the coquina exploitation is, the Global Sustainability Index (GSI) was used. This study presents the GSI results for the Morro Tablazo artisanal exploitation case.

Keywords: sustainability indicators, small mining operations.


 

 

1. Introdução

A Península de Santa Elena, localizada no centro-oeste do território equatoriano, é caracterizada por um clima desértico. A economia local baseia-se no turismo, pesca e, nos últimos anos, a agricultura tem demonstrado crescimento significativo depois da transposição das águas do Rio Daule. Na região, a mineração, em pequena escala (artesanal e mecanizada) de coquina (calcário detrítico), no Morro Tablazo, constitui uma importante fonte de matérias para a construção civil, que, também, tem experimentado um acréscimo considerável impulsionado pelo aumento do turismo.

Esse estudo descreve a utilização de indicadores de sustentabilidade para explotação de coquina na península de Santa Elena, os quais podem ser utilizados como instrumentos políticos de apoio à pequena mineração na região, bem como instrumentos de gestão ambiental por parte das empresas de modo a garantir o desenvolvimento econômico da região e a preservação do meio ambiente.

Para qualificar e quantificar a sustentabilidade sócio-econômica e ambiental da explotação de coquina no Morro Tablazo, fez-se necessário determinar indicadores que pudessem ser facilmente mensuráveis e aplicáveis à realidade local. Para tal, utilizou-se o Índice Global de Sustentabilidade (IGS).

 

2. Indicador de sustentabilidade

Muitos sistemas trabalham com base em fatores internos ou externos, que podem afetar positiva ou negativamente a sustentabilidade de um empreendimento. Indicadores são medidas que servem de base para avaliar o estado de qualquer sistema, mediante uma forma clara de interpretação, bem como para diagnosticar as alternativas de gestão de um empreendimento.

Em mineração, os indicadores constituem uma espécie de guia de reconhecimento dos recursos existentes, das opções, de suas vantagens, comercialização, relações com o ambiente natural e interação com os meios sociais. Todos esses parâmetros são governados por indicadores específicos, que dão a conhecer o impacto generalizado da atividade mineira sobre o meio ambiente e a comunidade. Os indicadores devem ter as seguintes características fundamentais:

• Fácil medição.

• Aplicabilidade em diferentes ecossistemas e sistemas econômicos e sociais.

• Amplitude.

• Praticidade e facilidade de entendimento.

• Repetitividade em relação ao tempo.

• Adaptabilidade e sensibilidade às mudanças no sistema.

• Tolerância aos diversos padrões estabelecidos.

Um indicador de sustentabilidade é uma categoria de indicador ambiental usado na medição de parâmetros de uma dimensão ambiental dentro de uma estratégia de desenvolvimento sustentável (EEA, 2002). Na indústria extrativa são conhecidos muitos indicadores, essencialmente de impacto ambiental, porém apenas alguns são definidos como indicadores de sustentabilidade, sendo apenas usados aqueles que podem ser quantificados.

O indicador de sustentabilidade, proposto nesse estudo, utiliza, como metodologia, a realização de uma avaliação de sustentabilidade para uma atividade de mineração. Como resultado do teste, tem-se um indicador de sustentabilidade denominado de Índice Global de Sustentabilidade (IGS). Para obtenção deste, desenvolve-se uma "Checklist" com respostas sim ou não a uma série de questões, que, embora simples, são relativas à ações-chave da atividade de mineração (González & Carvajal, 2002).

O IGS é definido pela expressão:

IGS (%) ={[Ssim(CT+CA+CEL+CSC)]/Total de ações} x 100 (1)

Onde:

CT é a Caracterização Técnica.

CA é a Caracterização Ambiental.

CEL é a Caracterização Econômica Legal.

CSC é a Caracterização Sócio-Cultural.

O resultado desse teste indica o nível de sustentabilidade da atividade mineira. Se o IGS é maior que 50%, a atividade extrativa enquadra-se no campo da sustentabilidade e será muito mais sustentável quando mais se aproximar de 100%. Se o IGS é menor que 50%, ou igual a 50%, a atividade extrativa é caracterizada como de não sustentabilidade e, portanto, deverá revisar todas as ações que leva a cabo.

A Tabela 1 apresenta os indicadores do teste de sustentabilidade propostos para o cálculo de IGS.

 

3. Medida do IGS para a pequena mineração artesanal realizada pela Cooperativa Tablazo Nº1

Os índices propostos na Tabela 1 para o cálculo do IGS foram modificados para atender à realidade local da pequena mineração artesanal realizada pela Cooperativa Tablazo Nº1 e são apresentados na Tabela 2.

O cálculo do IGS, para a pequena mineração artesanal realizada pela Cooperativa Tablazo Nº1, baseado na equação (1), é descrito a seguir:

IGS (%) ={[Ssim (CT+CA+CEL+CSC)]/Total de ações} x 100

IGS (%) ={[Ssim 2+3+2+4)]/18} x 100

IGS (%) ={11/18} x 100

IGS (%) = 61.11

 

4. Resultados e discussão

O IGS calculado para a pequena mineração artesanal de coquina realizada pela Cooperativa Tablazo Nº1 foi de 61.11 e encontra-se no campo da sustentabilidade.

O indicador de sustentabilidade calculado, no trabalho de dissertação (Granda, 2005), para a pequena mineração artesanal de coquina realizada pela Cooperativa Tablazo Nº1, foi de 78.63 e as áreas analisadas (técnica, ambiental, econômica legal, sócio-cultural) apresentam comportamento similar ao IGS.

Este IGS calculado é um valor típico das pequenas minerações artesanais, carentes de técnica, controle de impacto ambiental, assistência econômica legal e que apresenta problemas socio-econômicos e culturais.

Para melhorar a sustentabilidade da pequena mineração artesanal de coquina realizada pela Cooperativa Tablazo Nº1, faz-se necessária a implementação de assistência na área técnica, principalmente, que é a que apresenta maior deficiência no teste de sustentabilidade.

O IGS é uma ferramenta de fácil aplicação, sobretudo em mineração artesanal pouco mecanizada, para estabelecer seu nível de sustentabilidade e brindar assistência nas áreas que apresentam deficiências no teste de sustentabilidade.

 

5. Referências bibliográficas

EEA. Información para mejorar el ambiente en Europa. In: Barcelona, lugar de encuentro de las dimensiones medioambiental, económica y social. Copenhague: European Environment Agency, 2002.         [ Links ]

GRANDA, W. Mineração sustentável da rocha coquina na península de Santa Elena, Província do Guayas - Equador. Ouro Preto: Programa de Pós-Graduação em Engenharia Mineral. Departamento de Engenharia de Minas, Escola de Minas/UFOP, 2005. 118p. (Dissertação de Mestrado).         [ Links ]

GONZÁLEZ, A., CARVAJAL, D. Sustainability Indicators in the Spanish Extractive Industry. In: Indicators of sustainability: for the mineral extraction industries. Rio de Janeiro: CNPq/CYTED, 2002. 409p.         [ Links ]

 

 

Artigo recebido em 14/07/2005 e aprovado em 19/06/2006.

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License