SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.61 número2Notícias da rem índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Rem: Revista Escola de Minas

versão impressa ISSN 0370-4467

Rem: Rev. Esc. Minas v.61 n.2 Ouro Preto abr./jun. 2008

http://dx.doi.org/10.1590/S0370-44672008000200001 

EDITORIAL

 

Carta do Editor

 

 

Num curto espaço de tempo, a REM perdeu seus dois pioneiros: Jardel Borges Ferreira (que prestamos nossas homenagens no primeiro número desse ano) e Raymundo Campos Machado.

Quando a REM completou 70 anos, o Dr. Jardel nos escreveu falando das dificuldades de se fazer uma revista: A nossa maior (referindo-se às dificuldades) foi referente ao primeiro número da REM que demandou até a "tipografia" letra a letra, a busca de autores referentes aos assuntos da EMOP, tudo além de nossas missões como estudante! Apesar dos desencontros, vencemos!

Para essa mesma data, o Dr. Machado falava o por que de ele ter assumido a direção da REM, quando essa função seria de outra pessoa: o engenheiro João Tavares de Neiva. Segundo ele, o Neiva, que se formaria naquele ano, deixou-lhe a incumbência de dirigir a revista, abrindo mão de se tornar o primeiro editor. Foi assim que ele escreveu: O mérito do lançamento da Revista é inteiramente seu (referindo-se ao Engenheiro Neiva) Era muito comunicativo e fazia contatos com grande facilidade, o que facilitou o sucesso em conseguir organizar a publicação.

Nesse número, prestamos nossas homenagens ao homem que, durante toda a sua vida, pautou por transformar sua carreira de engenheiro numa sucessão de vitórias, como professor, como pioneiro na fabricação do alumínio, como criador de uma revista técnica e como pai de família.

Por isso, nossa tristeza se reduz muito quando nos lembramos de sua mensagem no 70º aniversário da REM: Quero também cumprimentar a atual gestão, que tem melhorado a apresentação da Revista a cada ano e, principalmente, tem conseguido mantê-la em circulação com sucesso. São poucas as publicações especializadas que conseguem se manter por tanto tempo.

As gestões que a REM tem tido são merecedoras de muito respeito pelo sucesso obtido até hoje.

Sabemos que esses dois homens, em 1936, juntamente com outros estudantes, deixaram sua marca na história do setor mínero-metalúrgico com a criação da REM e se tornaram profissionais brilhantes e sempre serão lembrados por dar ao país uma publicação técnico-científica, que, a cada dia, baseada nos seus exemplos, busca se tornar a melhor.

 

Atenciosamente,
Prof. Jório Coelho
Editor