SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.20 número2Crianças com e sem deficiência auditiva: o equilíbrio na fase escolar índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista Brasileira de Educação Especial

versão impressa ISSN 1413-6538

Rev. bras. educ. espec. vol.20 no.2 Marília abr./jun. 2014

http://dx.doi.org/10.1590/S1413-65382014000200001 

Editorial

 

 

O número 2, do volume 20 da Revista Brasileira de Educação Especial, apresenta 10 artigos que se referem a relatos de pesquisa e revisão da literatura. Os temas deste número são diversos e o leitor poderá encontrar pesquisas sobre altas habilidades/superdotação, deficiência visual, deficiência auditiva e deficiência física distribuídos por vários assuntos, como: formação de professores, acesso a universidade, mobiliário adaptado, jogos e brincadeiras, política de atendimento educacional especializado, produção acadêmica em educação especial e trabalho e deficiência.

A formação de professores é um tema que está contido em dois artigos. Um deles trata dos recursos de informática para a aprendizagem, como os objetos virtuais, que podem estar acessíveis na internet para consulta de professores com o objetivo de formação. O artigo se propõe a discutir essa questão e oferece um link para acesso a uma homepage que fornece um objeto de aprendizagem. Um segundo artigo discute a formação - ou a carência dela - para suprir a necessidade de conteúdos e informações sobre o tema superdotação em cursos de licenciaturas. A pesquisa, com enfoque no estudo de caso, analisa esse tema dentro das licenciaturas da Universidade Federal de Pelotas.

Ainda pautando-se em altas habilidades e superdotação, um dos artigos do presente número explorou, por meio de entrevistas, as concepções de professores do Ensino Fundamental da rede pública de Vitória-ES sobre esse tema. Os resultados também apresentam indicativos de conteúdos que poderiam ser abordados nos cursos de formação de professores.

Em se tratando da universidade como lócus de formação profissional, também é possível discutir a questão do ingresso e da permanência de alunos com deficiência em universidades públicas brasileiras. Tema foi tratado em um dos artigos, e cuja pesquisa foi desenvolvida em 13 universidades. Os participantes foram 12 coordenadores de Serviço de Apoio e 30 alunos com deficiência.

Um dos artigos teve como objeto de análise a interação entre crianças com deficiência visual em grupos de brincadeira. O trabalho foi realizado por meio de observação com registro filmado de duas crianças, de cinco anos, com deficiência visual. A partir das filmagens, foram extraídos episódios de interação entre os participantes, com foco nas capacidades e dificuldades no contexto grupal e cuja análise fundamentou-se em categorias referentes à intervenção do adulto pesquisador e à interação entre crianças nas brincadeiras infantis.

Outro tema em análise referiu-se à implementação da política do Atendimento Educacional Especializado. O lócus da pesquisa focalizou a cidade de Alagoas, em Maceió. O artigo é parte integrante de pesquisa maior que tem sido desenvolvida pelo Observatório Nacional da Educação Especial, coordenado pela Dra. Enicéia Gonçalves Mendes, e descreve a funcionamento desse serviço em Alagoas.

O mobiliário adaptado para alunos com paralisia cerebral é o tema de um dos artigos e apresenta uma autoavaliação por profissionais da Educação e da Saúde sobre o uso da uma prancha ortostática que foi construída para um aluno com paralisia cerebral.

O penúltimo artigo deste número é proveniente da Espanha e apresenta uma pesquisa sobre a questão trabalho e deficiência intelectual. O artigo apresenta os resultados da aplicação de um Itinerário de Inserção Laboral, dentro do contexto de um projeto europeu, no qual participaram estudantes de três centros educativos: Finlândia, Espanha e Dinamarca. Os resultados também apresentam informações das famílias.

O último artigo do número 2, de 2014, refere-se a uma revisão da literatura sobre a produção acadêmica com temática referente à educação de surdos. O artigo constatou a tendência de crescimento sobre os trabalhos na área de surdez em dissertações e teses no Brasil.

Desejamos uma boa leitura a todos.

Comitê Editorial deste Número
Eduardo José Manzini
Rosana Glat
Enicéia Gonçalves Mendes

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons