SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.28 issue1Response and critical levels of potassium for rice cultivated in lowland waterlogged soilsEvaluation of juiciness and pectins solubilization in ‘Gala’ apples, stored in controlled atmosphere, in function of different partial pressures of O2 and CO2 author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Article

Indicators

Related links

Share


Ciência e Agrotecnologia

Print version ISSN 1413-7054

Ciênc. agrotec. vol.28 no.1 Lavras Jan./Feb. 2004

http://dx.doi.org/10.1590/S1413-70542004000100011 

a11

Respostas produtivas do alho a diferentes densidades de plantas e peso de bulbilhos-semente

 

Yield response on garlic to differents plants densities and weight of  seed clove

 

 

Marie Yamamoto ReghinI; Rosana Fernandes OttoI; Jeferson ZagonelI; Maristella Dalla PriaI; Jhony Van Der VinneII

IDoutores, Professores Adjunto do Departamento de Fitotecnia e Fitossanidade. Universidade Estadual de Ponta Grossa. Av. Carlos Cavalcanti, 4748 – 84030-900 – Ponta Grossa, PR, E-mail: freghin@convoy.com.br
IIBolsista de Iniciação Científica, acadêmico do 5° ano do curso de Agronomia/UEPG

 

 


RESUMO

Este experimento foi conduzido em Ponta Grossa (PR), localizada à altitude de 880 m. O delineamento experimental foi o de blocos casualizados com quatro repetições; os tratamentos foram distribuídos em fatorial 2 x 4, sendo 2 pesos de bulbilhos-sementes (P1 = 3,0 – 3,5 g e P2 = 2,0 – 2,9 g) e 4 densidades de plantas m-2 (33,3, 50,0, 66,6 e 100). Para obter essas densidades, trabalhou-se com o arranjo de plantas em fileiras simples e fileiras duplas. Nas simples, usaram-se quatro fileiras dispostas no sentido longitudinal do canteiro com 1,20 m de largura, no espaçamento de 0,30 m entre fileiras e 0,10 e 0,05 m entre plantas, obtendo-se 40 e 80 plantas m-2, respectivamente. Nas fileiras duplas, usaram-se três linhas duplas espaçadas 0,30 m entre si e, dentro da fileira, 0,10 e 0,05 m, respectivamente, obtendo-se densidades de 60 e 120 plantas m-2. Os bulbos-semente da cultivar Roxo Pérola de Caçador foram vernalizados por 40 dias a 4°C antes do plantio. Após a vernalização, os bulbos foram debulhados e separados por peso. O plantio foi realizado em 14/05/2002, usando-se marcadores de madeira para os diferentes arranjos de plantas. Após a colheita, realizada em 03/10/2002, fez-se a cura e,  posteriormente, a toalete. Avaliou-se a produção de bulbos por m-2 classificando-os com pseudoperfilhamento, e em diferentes classes, de acordo com diâmetro. Os dados relativos aos pesos dos bulbilhos-sementes foram submetidos à análise fatorial e os de densidades, à regressão polinomial. Observou-se que os pesos de bulbilhos-semente utilizados não promoveram respostas produtivas significativas, exceto na característica de pseudoperfilhamento, com maior ocorrência quando se usaram bulbilhos-semente P2. Essa característica, em relação à densidade, tanto em P1 como para P2, apresentou resposta linear decrescente, de acordo com o aumento da densidade de plantas. Além disso, a densidade de plantas foi um fator decisivo no rendimento da produção tanto em relação ao volume quanto ao tamanho do bulbo produzido. Tanto para P1 como para P2, com o aumento da densidade de plantas, de 33,3 para 100 plantas m-2, houve acréscimo linear no volume de produção, de 1,28 kg m-2 para 2,94 kg m-2 em P1 e de 1,21 para 2,90 kg m-2, em P2, respectivamente. No entanto, com o aumento da produção total, ocorreu decréscimo no tamanho do bulbo produzido. Quando se classificaram os bulbos nas diferentes classes, observou-se efeito significativo somente para P1. A obtenção de rendimento de  bulbos de maior valor comercial em P1, como as da classe 6 (> 47 < 55 mm) em valor acima de 45% foi observada na densidade de 40 plantas m-2.

Termos para indexação: Allium sativum, arranjo populacional, bulbilho-semente, fileiras simples, fileiras duplas.


ABSTRACT

The experiment was carried out in Ponta Grossa (PR), located in a altitude of 880 m. The experimental design was a randomized blocks with four replications. Treatments arranged in a factorial scheme 2 x 4, resulted from the combination of two seed clove weight (W1 = 3,0 – 3,5 g and W2 = 2,0 – 2,9 g) and four plants densities m-2 (33,3, 50,0, 66,6 and 100). To obtain these densities, it was arranged plants in simple and double rows. On the simple row plants arrangement had four rows in longitudinal direction of the bed  having 1,20 m width spaced 0,30 between rows and 0,10 and 0,05 m between plants, obtaining 33,3 and 66,6 plants m-2, respectively. On double one it was used three double rows spaced among them with 0,30 m and within row, 0,10 and 0,05 m, respectively  to obtain densities of 50 and 100 plants m-2. Seed bulbs of cultivar Roxo Pérola de Caçador were vernalized at 4°C/40 days before planting. After vernalization treatment the bulbs were thrashed and the bulbils separated by weight. The planting was at 14/05/2002, using plants arrangement in simple and double rows. Seed clove weight did not promote difference on yield response, except to characteristic of bulb secondary growth, being superior the occurrence on W2 compared to W1. In relation to plant densities, both on W1 and W2, it was observed linear response and it decreased in according of the increase on plant density.  Besides, plant densities were effective on yield even in relation to total bulbs per area  and also considering bulb size. Both W1 and W2, increasing plant densities, from 33,3 to 100 plantas/m2, it was observed linear response, from 1,28 to 2,94 kg m-2 to W1 and 1,21 to 2,90 kg m-2 to W2, respectively. The increasing of plants densities promoted higher yield however it was also observed decreasing on bulb size. When bulbs were classified into differents classes it was observed difference only when W1 was used. In order to obtain bulbs of higher value commercial in W1, as class 6 (> 47 < 55 mm) higher than 45% , this result was observed from density of 40 plants m-2.

Index terms: Allium sativum, plants arrangement, garlic seed clove, simple row, double row.


 

 

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text available only in PDF format.

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

COMISSÃO DE FERTILIDADE DO SOLO DO ESTADO DE MINAS GERAIS. Recomendações para o uso de corretivos e fertilizantes em Minas Gerais: 5a aproximação. viçosa, 1999. 359 p.         [ Links ]

COSTA, T. M. P.; SOUZA, R. J.; SILVA, A. M. Efeitos de diferentes lâminas de água e doses de nitrogênio sobre a cultura do alho (Allium sativum L. cv. Juréia). Ciência e Prática, Lavras, v. 17, n. 3, p. 239-246, 1993.         [ Links ]

GARCIA, A.; MORAES, E. C.; MADAIL, J. C. M. A cultura do alho. Pelotas: EMBRAPA/CNPFT, 1984. 76 p. (Circular Técnica, 8).         [ Links ]

GARCIA, D. C.; BARNI, V.; DETTMANN, L. A. Influência da disposição das fileiras e espaçamento entre plantas no rendimento de alho. Ciência Rural, Santa Maria, v. 22, n. 3, p. 277-280, 1992.         [ Links ]

GASTAUD, C. S.; CARING, L. de A. O. Ensaio de espaçamento na cultura do alho. In: REUNIÃO TÉCNICA ANUAL DE HORTALIÇAS, 1983, 1984. Porto Alegre. Ata... Porto Alegre: SEAGRI-IPAGRO, 1985. p. 412.         [ Links ]

KAMITSUJI, M. K. Efeito do tamanho de bulbo, de bulbilho e da termoterapia sobre a produtividade de alho (Allium sativum L.) cv. Roxo Pérola de Caçador. 1995. 63 f. Dissertação (Mestrado em Horticultura) – Universidade Estadual Paulista. Faculdade de Ciências Agronômicas. Campus de Botucatu, Botucatu, 1995.         [ Links ]

LAMMERINK,  J.  Better  garlic  yields  through selection and seed clove grading. New Zealand Coomercial Grower, Wellington, v. 43, n. 3, p. 16-17, 1988.         [ Links ]

LUCINI, M. A.; CHONAN, T. Área experimental com fileiras duplas. Curitibanos: [s.n.], 1986. 5 p. Mimeografado.         [ Links ]

LUCINI, M. A.; CHONAN, T.; BIASI, J.; MUELLER, S. Cultura do alho: efeito do peso do bulbilho-semente. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE OLERICULTURA, 23., 1993, Rio de Janeiro, RJ. Resumos... Rio de Janeiro, RJ: SOB, 1983. p. 103.         [ Links ]

MUELLER, S.; BIASI, J. Efeito do espaçamento de plantio do alho, sobre o rendimento e seus componentes. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE OLERICULTURA, 1982, Vitória. Resumos... Vitória, SOB, 1982. p. 252.         [ Links ]

MUELLER, S.; BIASI, J. Espaçamentos de plantio de alho relacionados a diferentes pesos de bulbilhos. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE OLERICULTURA, 33., 1993, Brasília, DF. Horticultura Brasileira, Brasília, v. 11, n. 1, p. 85, 1993.         [ Links ]

MUELLER, S.; KREUZ, C. L.; MONDARDO, M. Produtividade, qualidade e lucro em função de espaçamentos de plantio e pesos de bulbilhos-semente de alho. Agropecuária Catarinense, Florianópolis, v. 11, n. 1, p. 52-56, 1998.         [ Links ]

OHM, H.; SRIVASTAWA, R. P. Influence of the planting material and spacing on the growth yield of garlic. Indian Journal of Horticulture, New Delhi, v. 34, n. 2, p. 152-156, 1977.         [ Links ]

SATURNINO, M. H.; MASCARENHAS, M. H. T.; FONTES, P. C. R. Uso de diferentes arranjos de plantas em dois tipos de canteiros de alho (Allium sativum L.). Revista de Olericultura, Campinas, v. 16, p. 41-44, 1976.         [ Links ]

SOUZA, R. J.; CASALI, V. W. D. Pseudoperfilhamento: uma anormalidade genético-fisiológica em alho. Informe Agropecuário, Belo Horizonte, v. 12, n. 142, p. 36-41, 1986.         [ Links ]

VASCONCELOS, E. F. C.; SCALOPI, E. J.; KLAR, A. A influência da irrigação e adubação nitrogenada na precocidade e “superbrotamento” da cultura do alho (Allium sativum L.). O Solo, Campinas, v. 63, n. 2, p. 15-19, 1971.         [ Links ]

 

 

(Recebido para publicação em 26 de maio de 2003 e aprovado em 15 de agosto de 2003)