SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.30 número1Efeito da secagem e de diferentes temperaturas na germinação de sementes de Protium widgrenii EnglerInfluência do nível de irradiância no crescimento da planta,rendimento e composição do óleo essencial em carqueja índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Ciência e Agrotecnologia

versão impressa ISSN 1413-7054versão On-line ISSN 1981-1829

Ciênc. agrotec. v.30 n.1 Lavras jan./fev. 2006

https://doi.org/10.1590/S1413-70542006000100006 

CIÊNCIAS AGRÁRIAS

 

Estabelecimento de normas dris para bananeira 'Prata Anã' (AAB) sob irrigação1

 

Establishment of the dris norms for 'Prata Anã' banana (AAB) under irrigation1

 

 

José Tadeu Alves da SilvaI; Janice Guedes de CarvalhoII

IEngenheiro Agrônomo/Pesquisador da EPAMIG/CTNM Janaúba, MG josetadeu@epamig.br
IIEngenheira Agrônoma, Dra em Nutrição de Plantas Professora Titular do Departamento de Ciência do Solo da Universidade Federal de Lavras/UFLA Cx. P. 3037 37.200-000 Lavras, MG

 

 


RESUMO

Objetivou-se com este trabalho estabelecer as normas DRIS (Sistema Integrado de Diagnose e Recomendação) para a bananeira 'Prata Anã' (AAB) cultivada no semi-árido do Norte de Minas Gerais, sob irrigação. Foram selecionadas 58 áreas exploradas comercialmente com essa variedade. Em cada área foram coletadas amostras de folhas em três ciclos sucessivos de produção da bananeira na fase inicial de emissão do cacho, com exceção de seis áreas, nessas as coletas foram realizadas apenas em dois ciclos sucessivos, totalizando 168 amostras de folhas, as quais foram analisadas para determinação dos nutrientes (N, P, K, Ca, Mg, S, B, Cu, Fe, Mn e Zn). Os cachos de banana, das plantas marcadas com tinta por ocasião da coleta de folhas, foram colhidos, despencados e pesados. As áreas foram divididas em populações de alta produtividade (PAP) ( > 30 t ha-1 ano-1) e de baixa produtividade (PBP) (< 30 t ha-1 ano-1). Os resultados das análises foliares e da produtividade de cada área formaram um banco de dados. A média, a variância e o coeficiente de variação para as relações dois a dois entre teores de nutrientes foram calculados para as PAP e PBP. As normas DRIS foram estabelecidas utilizando-se os resultados das análises foliares de amostras provenientes da PAP. Foram selecionadas 55 relações entre os teores de nutrientes que apresentaram as maiores razões entre as variâncias da PBP e PAP (s2b/s2a ).

Termos para indexação: Musa spp., relação entre nutrientes, diagnose foliar.


ABSTRACT

The objective of this work was to establish the DRIS (diagnosis and recommendations integrated system ) norms for the 'Prata Anã' banana (AAB) cultivated in the semi-arid of the North of Minas Gerais state under irrigation. A total of 58 areas commercially cultivated with 'Prata Anã' banana were selected. In each area, leaves samples were collected in three successive cycles of banana production in the initial phase of emission of the bunch, except for six areas, in which the collections were performed only in two successive cycles, totaling 168 leaves samples, which were analyzed for determination of the nutrients (N, P, K, Ca, Mg, S, B, Cu, Fe, Mn and Zn). Banana's bunches of the plants marked with paint were harvested and weighted. The areas were divided in high-yielding population (HYP) (>30 t ha-1 year-1) and in low-yielding population (LYP) (< 30 t ha-1year-1). The results of the leaves analyses and yield of each area formed a database. The average, the variance and the variation coefficient for the relationship two to two among nutrients tenors were calculated for HYP and LYP. The Norms DRIS were established using the results of the leaves analyses of coming samples of HYP. 55 relationship were selected among nutrients tenors that presented the largest reasons between the variances of LYP and HYP (s2l/s2h ).

Index terms: Musa spp., relation between nutrient, leaves diagnosis.


 

 

INTRODUÇÃO

Os resultados das análises foliares de bananeiras têm sido tradicionalmente interpretados com a utilização do nível crítico ou com as faixas de suficiência. Segundo Dumas & Martin-Prével (1958), quando os nutrientes são considerados individualmente, como no método do nível crítico, nem sempre os teores dos nutrientes que se apresentam igual ou acima do valor do nível crítico estão associados com alta produtividade ou valores abaixo estão associados com baixa produtividade, sugerindo que a utilização das relações entre nutrientes seria mais adequada.

Beaufils (1973) desenvolveu o sistema integrado de recomendação e diagnose (DRIS) como método de interpretação de análise foliar. Esse método compara razões entre pares de nutrientes de uma lavoura amostrada com valores de referência ou normas obtidas em população de alta produtividade por meio de uma fórmula padrão, calculando um índice para cada nutriente (REIS JUNIOR et al., 2002). O uso da população de alta produtividade para obtenção das normas parte do pressuposto que, nesta população, o valor médio da relação entre dois nutrientes quaisquer seja mais próximo do ótimo fisiológico.

A primeira etapa para utilização do método DRIS é o estabelecimento dos valores padrões ou normas. Para estabelecê-los é necessário utilizar um banco de dados que relacionem teores foliares e produtividades. Geralmente, o banco de dados é obtido de uma população de plantas de alta produtividade. Com base nesses valores, são calculados as médias, os coeficientes de variação e a variância de todas as relações entre teores de nutrientes (REIS JUNIOR, 1999).

Segundo Wadt (1996), há duas alternativas para a obtenção da população de referência. Na primeira, a população de referência é selecionada a partir do maior universo possível de dados. Assume-se, assim, que as normas DRIS podem ser obtidas e usadas, independentemente do local ou da região para qual o método será aplicado. A utilização de uma população de referência mais ampla facilita o acúmulo de informações, permitindo que dados de origem diversa, coletados em condições variadas de manejo, sejam utilizados. A segunda alternativa consiste em restringir a coleta dos dados em população de referência formada de plantas que sejam da mesma região de origem, de um mesmo material genético ou que estejam sujeitos a um mesmo conjunto de fatores ecofisiológicos daqueles da população de plantas a ser diagnosticada, para obter maior precisão no diagnóstico.

Angeles et al. (1993) estabeleceram normas DRIS para bananeira 'Nanicão' do subgrupo Cavendish, utilizando dados de 26 experimentos realizados em vários países. Os autores dividiram as populações em alta produtividade (>70 t ha-1 ano-1) e baixa produtividade (< 70 t ha-1 ano-1).

O DRIS foi desenvolvido para fornecer uma diagnose válida, independente da idade ou órgão da planta amostrada, permitindo o seu uso universal (BAILEY et al., 1997; JONES JUNIOR, 1993; SUMMER, 1977; WALWORTHY & SUMMER, 1987), entretanto, esta universalidade tem sido questionada (HALLMARK & BEVERLY, 1991).

Reis Junior & Monnerat (2002) avaliaram o uso universal das normas DRIS para cana-de-açúcar e concluíram que tais normas devem ser estabelecidas para cada região produtora. Na avaliação do estado nutricional de milho, Dara et al. (1992) verificaram que índices DRIS calculados utilizando normas obtidas na literatura foram menos precisos que aqueles calculados utilizando dados obtidos localmente.

Objetivou-se com este trabalho estabelecer as normas DRIS para a bananeira 'Prata Anã' cultivada sob irrigação, no semi-árido do Norte de Minas Gerais.

 

MATERIAL E MÉTODOS

Foram selecionadas 58 áreas exploradas comercialmente com bananeira 'Prata Anã' (AAB) irrigada por microaspersão. As áreas estão localizadas nos municípios de Capitão Enéas, Janaúba, Nova Porteirinha, Jaíba, Verdelândia e Matias Cardoso, pertencentes a região do semi-árido do Norte de Minas Gerais, situados entre os meridianos 41º 44' 35" e 45º 27' 33" de longitude a oeste e entre os paralelos 17º 53' 13" e 14º 25' 22" de latitude sul. Essa região está sob um clima do tipo Aw, segundo a classificação de Köppen (MOREIRA, 1985).

Em cada área selecionada foram coletadas amostras de folhas em três ciclos sucessivos de produção, com exceção de seis áreas, nas quais as amostras de folhas foram coletadas apenas em dois ciclos. As coletas foram realizadas entre fevereiro de 1999 e fevereiro de 2002, totalizando 168 amostras de folhas.

Em cada planta marcada com tinta, na fase de emissão do cacho, coletou-se a terceira folha a partir do ápice e retirou-se de cada folha a parte central do limbo, descartando a nervura central, conforme descrito por Silva et al. (2002). Cada amostra foi composta de material coletado em 20 plantas por área. As amostras foram lavadas e submetidas à secagem em estufa a 70ºC com circulação forçada de ar por 72 horas e moídas em moinho tipo Wiley (com peneira de 20 mesh).

Foram analisados os teores de nutrientes foliares de acordo com métodos específicos. Assim, o N foi determinado pelo método micro Kjeldahl. No extrato, obtido por digestão nitroperclórica, foram determinados o P total, por colorimetria pelo método do metavanadato; os teores de Ca, Mg, Cu, Fe, Mn e Zn foram determinados por espectrofotometria de absorção atômica, o de K por fotometria de chama e o de S total pelo método turbidimétrico. O B foi extraído por incineração e determinado por colorimetria (MALAVOLTA et al., 1997).

Os cachos de banana das plantas marcadas com tinta foram colhidos entre quatro e cinco meses após o início de suas emissões. Após a colheita os cachos foram despencados e pesados.

Os bananais foram divididos em duas populações, uma de alta produtividade (PAP) com produção igual ou superior a 30 t ha-1 ano-1 e a outra de baixa produtividade (PBP) com produção inferior a 30 t ha-1 ano-1. Os resultados das análises foliares e da produtividade foram disponibilizados em um banco de dados.

A média (M), o desvio padrão (s), a variância (s2) e o coeficiente de variação (C.V) para as relações dois a dois entre teores de nutrientes (ex: Ca/K e K/Ca) foram calculados para as populações de alta produtividade (PAP) e de baixa produtividade (PBP).

As relações dois a dois entre teores de nutrientes que apresentaram as maiores razões entre as variâncias da PBP e PAP (s2b/s2a) foram selecionadas como as relações a serem usadas como normas DRIS, conforme descrito por Reis Junior (1999). Diferenças entre variância das relações nas PAP (s2a) e PBP (s2b) foram avaliadas pelo teste F.

As normas DRIS foram estabelecidas utilizando-se os resultados das análises foliares de amostras provenientes da PAP.

As relações entre nutrientes, selecionadas como normas DRIS, foram submetidas ao teste de normalidade pelo método de Lilliefors (p< 0,01) (CAMPOS, 1976).

 

RESULTADOS E DISCUSSÃO

As populações de alta produtividade (PAP) e de baixa produtividade (PBP) foram constituídas de 107 e 61 amostras de folhas de bananeiras 'Prata Anã', respectivamente.

Na Tabela 1, são apresentadas as médias dos teores foliares de macro e micronutrientes das populações de alta produtividade (PAP) e de baixa produtividade (PBP).

De acordo com as faixas de suficiência estabelecidas por Silva et al. (2002) para a bananeira 'Prata Anã' cultivada no Norte de Minas Gerais, os teores foliares médios de nutrientes dos bananais da PAP (Tabela 1) apresentaram-se dentro das faixas de suficiência para alcançar alta produtividade. Entretanto, os teores de N, P, Cu e Zn apresentaram-se abaixo das faixas de suficiência estabelecidas por Prezotti (1992) para a bananeira 'Prata Anã' cultivada no Estado do Espírito Santo. Essa diferença na diagnose dos nutrientes da PAP mostra a importância do estabelecimento de padrões regionais para a avaliação do estado nutricional da bananeira, além disso, a bananeira no Espírito Santo não é irrigada.

Foram obtidas 110 relações entre nutrientes (Tabela 2), das quais foram selecionadas 55 que apresentaram a maior razão sb2/sa2 (Tabela 2) e distribuição normal, segundo o teste de Lilliefors que apresentou o valor calculado (0,86) menor que o tabelado (0,92), a 1% de probabilidade. Segundo Payne et al. (1990), relações entre nutrientes que apresentam alta razão entre variâncias conferem maior segurança para diagnose nutricional. Com esse procedimento, objetiva-se estabelecer normas DRIS com maior precisão.

As normas DRIS estabelecidas por Angeles et al. (1993) para bananeira 'Nanicão' do subgrupo Cavendish apresentaram ligeiras diferenças em relação às estabelecidas no presente trabalho. Essas diferenças ocorreram em decorrência dos teores foliares dos nutrientes apresentarem valores discrepantes entre as duas variedades de bananeira. Deve-se ressaltar que a bananeira 'Nanicão' pertence ao grupo genômico AAA e a 'Prata Anã' pertence ao grupo genômico AAB (Silva & Alves, 1999), portanto, elas apresentam diferenças nas exigências e absorções de nutrientes.

Verificou-se que, das 55 relações entre nutrientes selecionadas para constituir as normas DRIS, apenas 12 apresentaram diferenças significativas entre sb2 e sa2 (Tabela 2). Nessas relações estavam presentes o Mn (em 9 relações) ou Cu (em 3 relações). Segundo Reis Junior (1999), normas DRIS que envolveram micronutrientes com alta razão sb2/sa2 possivelmente permitiram avaliar o estado nutricional da cana-de-açúcar com maior segurança. De acordo com estes autores, a grande razão sb2/sa2 e baixos coeficientes de variação apresentados em algumas relações entre nutrientes, provavelmente, implicam que o equilíbrio entre estes pares de nutrientes possa ser de importância para a produção da cana-de-açúcar.

 

CONCLUSÃO

Estabeleceram-se as normas DRIS para a bananeira 'Prata Anã' cultivada sob irrigação no Norte de Minas Gerais, com 55 relações entre nutrientes.

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

ANGELES, D. E.; SUMNER, M. E.; LAHAV, E. Preliminary DRIS norms for banana. Journal of Plant Nutrition, New York, v. 16, n. 6, p. 1059-1070, 1993.         [ Links ]

BAILEY, J. S.; BEATTIE, J. A. M.; KILPATRICK, D. J. The diagnosis and recommendation integrated system (DRIS) for diagnosing the nutrient status of grassland swards: I. model establishment. Plant and Soil, Dordrecht, v. 197, n. 1, p. 137-147, Nov. 1997.         [ Links ]

BEAUFILS, E. R. Diagnosis and recommendation integrated system (DRIS): a general scheme for experimentation and calibration based on principles developed from research in plant nutrition. Bulletin of Soil Science, Pietermaritzburg, v. 1, n. 1, p. 1-132, 1973.         [ Links ]

CAMPOS, H. de. Estatística experimental não-paramétrica. Piracicaba: [s.n.], 1976. 332 p.         [ Links ]

DARA, S. T.; FIXEN, P. E.; GELDERMAN, R. H. Sufficiency level and diagnosis and recommendation integrated system approaches for evaluating the nitrogen status of corn. Agronomy Journal, Madison, v. 84, n. 6, p. 1006-1010, Nov./Dec. 1992.         [ Links ]

DUMAS, J.; MARTIN-PRÉVEL, P. Controle de nutrition des bananeraies en Guinée (primiers résultats). Fruits, Paris, v. 13, n. 9/10, p. 375-386, Sept./Oct. 1958.         [ Links ]

HALLMARK, W. B.; BEVERLY, R. B. Review: an update in the use of the diagnosis and recommendation integrated system. Journal of fertilizers, Issues, Manchester, v. 8, n. 3, p. 74-88, 1991.         [ Links ]

JONES JUNIOR, J. B. Modern interpretation systems for soil and plant analysis in the USA. Australian Journal of Experimental Agriculture, Melbourne, v. 33, n. 8, p. 1039-1043, 1993.         [ Links ]

MALAVOLTA, E.; VITTI, G. C.; OLIVEIRA, S. A. Avaliação do estado nutricional das plantas: princípios e aplicações. Piracicaba: POTAFOS, 1997. 201 p.         [ Links ]

MOREIRA, I. A. G. Geografia geral e do Brasil. São Paulo: Moderna, 1985. 230 p.         [ Links ]

PAYNE, G. G.; RECHCIGL, J. E.; STEPHENSON, R. L. Development of diagnosis and recomendation integrated system norms for bahiagrass. Agronomy Journal, Madison, v. 82, n. 5, p. 930-934, Sept./Oct. 1990.         [ Links ]

PREZOTTI, L. C. Recomendações de calagem e adubação para o Estado do Espírito Santo: 3a aproximação. Vitória: EMCAPA, 1992. 73 p. (Circular técnica, 12).         [ Links ]

REIS JUNIOR, R. A. Diagnose nutricional da cana-de-açúcar com o uso do sistema integrado de diagnose e recomendação (DRIS). 1999. 141 f. Tese (Doutorado em Produção Vegetal) Universidade Estadual do Norte Fluminense, Campos dos Goytacazes, 1999.         [ Links ]

REIS JUNIOR, R. A.; CORRÊA, J. B.; CARVALHO, J. G.; GUIMARÃES, P. T. G. Estabelecimento de normas DRIS para o cafeeiro no Sul de Minas Gerais: 1a aproximação. Ciência Agrotecnológica, Lavras, v. 26, n. 2, p. 269-282, abr./jun. 2002.         [ Links ]

REIS JUNIOR, R. A.; MONNERAT, P. H. Sugarcane nutritional diagnosis with DRIS norms established in Brazil, South Africa, and the united states. Journal of Plant Nutrition, New York, v. 25, n. 12, p. 2831-2851, 2002.         [ Links ]

SILVA, J. T. A.; BORGES, A. L.; DIAS, M. S. C.; COSTA, E. L.; PRUDÊNCIO, J. M. Diagnóstico nutricional da bananeira Prata Anã para o Norte de Minas. Belo Horizonte: EPAMIG, 2002. 16 p. (Boletim técnico, 70).         [ Links ]

SILVA, S. O.; ALVES, E. Melhoramento genético e novas cultivares de bananeira. Informe Agropecuário, Belo Horizonte, v. 20, n. 196, p. 91-96, jan./fev. 1999.         [ Links ]

SUMNER, M. E. Effect of corn leaf sampled on N, P, K, Ca, and Mg content and calculated DRIS indices. Communication in Soil Science and Plant Analysis, New York, v. 8, n. 3, p. 269-280, 1977.         [ Links ]

 

 

(Recebido para publicação em 18 de agosto de 2004 e aprovado em 11 de julho de 2005)

 

 

1 Parte da tese do primeiro autor apresentada à Universidade Federal de Lavras para obtenção do título de Doutor. Trabalho financiado pela FAPEMIG.

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons