SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.32 número6Vacas terminadas em campo nativo suplementadas com farelo de trigo ou farelo de arroz integral contendo ou não monensina sódicaAtividade respiratória e evolução de etileno em alface crespa minimamente processada armazenada sob duas temperaturas índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

  • Português (pdf)
  • Artigo em XML
  • Como citar este artigo
  • SciELO Analytics
  • Curriculum ScienTI
  • Tradução automática

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Ciência e Agrotecnologia

versão impressa ISSN 1413-7054versão On-line ISSN 1981-1829

Ciênc. agrotec. v.32 n.6 Lavras nov./dez. 2008

https://doi.org/10.1590/S1413-70542008000600043 

COMUNICAÇÃO

 

Análise do mercado de frutas em Lavras-MG1

 

Analysis of fruit market in Lavras - MG

 

 

Lair Victor PereiraI; Enilson AbrahãoII; José Clélio de AndradeIII; José Carlos FráguasIV; Ângelo Albérico AlvarengaIV

IEngenheiro Agrônomo, Mestre em Fitopatologia, Pesquisador - Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais/EPAMIG-CTSM - Cx. P. 176 - 37200-000 - Lavras, MG - lair@epamig.br
IIEngenheiro Agrônomo, Mestre em Fitotecnia, Pesquisador - Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais/EPAMIG-CTSM - Cx. P. 176 - 37200-000 - Lavras, MG - enilson@epamig.br
IIIEngenheiro Agrônomo, Mestre em Administração, Pesquisador - Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais/EPAMIG-CTSM - Cx. P. 176 - 37200-000 - Lavras, MG - jclelio@vialavras.com.br
IVEngenheiros Agrônomos, Doutores em Fitotecnia, Pesquisadores - Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais/EPAMIG-CTSM - Cx. P. 176 - 37200-000 - Lavras, MG - jcfraguas@bol.com.br; angelo@epamig.ufla.br

 

 


RESUMO

Neste trabalho, objetivou-se estudar o mercado de frutas na cidade de Lavras - MG. As coletas de dados foram realizadas mensalmente nos supermercados, sacolões e feiras livres, utilizando-se de um questionário e executado em duas etapas: a primeira de julho de 2002 a junho de 2003 e a segunda de julho de 2004 a junho de 2005. Procurou-se investigar o volume de frutas comercializado, preços, perdas, procedências e consumo per capita. Os resultados mostram um aumento de 318,5 para 377,4 t/mês, representando 17% entre a 1ª e a 2ª etapa. Para as frutas produzidas em Lavras a variação foi de 3,07 para 4,30%. As perdas foram de 23,8 para 27,7 t/mês e o consumo per capita de 3,98 para 4,68 Kg/habitante/mês.

Termos para indexação: Frutas, volume comercializado, preços, perdas, procedências e consumo per capita.


ABSTRACT

This paper aimed to study the fruit market in Lavras - MG. The data were monthly obtained in supermarkets and convenience stores using a questionary in two steps: the first one was from July/2002 to June/2003 and the second was applied from July/2004 to June/2005. The volume of commercialized fruits, prices, losses, origin and percapta consumption were investigated. The results showed an increment from 318,5 to 377,4 t/month, representing 17% between the first and second phase. Considering the fruits produced in Lavras the variation was from 3,07 to 4,30% . The losses ranged from 23,8 to 27,7 t/month and the percapta consumption from 3,98 to 4,68 Kg/habitant/month.

Index terms: Fruits, commercialized fruits, price, losses, origin and percapta consumption.


 

 

A fruticultura, de uma maneira geral, vem alcançando grande destaque no Brasil, não só pela importante alternativa de diversificação e aumento de renda para a pequena propriedade, como também pela geração de empregos por se tratar de uma atividade altamente agregadora de mão-de-obra e indutora da instalação de pólos agroindustriais.

O estado de Minas Gerais, além de sua grande extensão territorial, possui diferentes características climáticas que permitem a exploração de frutíferas que se adaptam desde climas temperados às tropicais.

O município de Lavras - MG, com sua excelente localização geográfica em relação aos grandes centros consumidores do país, vem experimentando, nos últimos 10 anos, importantes avanços na consolidação da fruticultura como uma opção vantajosa e rentável para as pequenas propriedades rurais.

Conhecer como se comporta o mercado de frutas em Lavras, origem desses frutos, volume comercializado, índice de perdas, entre outros, constitui um fator fundamental que a EPAMIG/CTSM, através de seus pesquisadores, buscou avaliar com o objetivo de incrementar as ações de incentivo, diversificação e ampliação da fruticultura na região de Lavras (FRUTILAVRAS, 1997).

A pesquisa foi realizada mensalmente nos principais sacolões, supermercados e feiras livres da cidade, incluindo estabelecimentos comerciais da periferia. A coleta dos dados foi feita mediante a aplicação de um questionário previamente elaborado, abrangendo duas etapas, sendo a primeira de julho de 2002 a junho de 2003 e a segunda de julho de 2004 a junho de 2005.

Foram obtidas informações referentes ao volume comercializado de frutas, procedência, preço pago pelo consumidor e porcentagem de perdas.

Conforme dados apresentados na Tabela 1, na primeira etapa (julho/2002 a junho/2003), o mercado de frutas do município de Lavras comercializou, em média, 318,5 toneladas de frutas/mês, movimentando recursos financeiros da ordem de R$ 455 mil/mês, com um preço médio de R$ 1,43 o quilograma de fruta .

Já, na segunda etapa de coleta de dados (julho/2004 a junho/2005), o volume médio de frutas comercializado foi de 374,4 t/mês, representando uma movimentação financeira mensal de aproximadamente R$ 573 mil, com um preço médio de R$ 1,53 por quilograma de fruta, Tabela 1. Observa-se então na segunda etapa, um incremento de 17,5% no volume comercializado e de 25,9% no valor recebido para um aumento de apenas 7,0% no preço médio/Kg pago pelo consumidor.

Seguindo uma tendência mundial relativa ao aumento do consumo de frutas pela população, motivada principalmente pelos aspectos relacionados à saúde e melhor qualidade de vida, pode-se dizer que, em Lavras, essa linha também se manteve. No período 2004/2005 houve um incremento de mais de 17 % no volume comercializado de frutas, com um aumento de quase 26% nos valores financeiros movimentados, em relação ao período 2002/2003 (ALVARENGA et al., 2004; ANDRADE et al., 2003).

Na produção e comercialização de frutas, aspectos relacionados a perdas são de fundamental importância, constituindo um segmento que tem merecido estudos e investigações freqüentes por parte da pesquisa, envolvendo alguns itens como colheita, embalagem, transporte, armazenamento e tratamentos pós-colheita.

No comércio de frutas praticado em Lavras constatou - se , nos dois períodos de avaliação, uma perda média da ordem de 23,8 toneladas de frutas/mês na primeira etapa e de 27,4 toneladas de frutas/mês na segunda etapa. Estes dados representam 7,3 % e 7,4% dos volumes comercializados, respectivamente. Essas perdas são atribuídas, em parte, a forma de exposição das frutas nas bancas, o que propicia o seu manuseio pelos consumidores. Pesquisa realizada junto ao setor supermercadista, mostra que nos estados de Minas Gerais e do Rio de Janeiro, 92% e 98% dos consumidores de frutas, respectivamente, preferem comprar a granel, ou seja, querem manusear o produto antes de comprá-lo (FRUTIFATOS, 2003).

Com relação à origem das frutas comercializadas em Lavras, constatou-se que a CEASA-MG e CEAGESP são as duas maiores fontes de abastecimento, representando no período de 2002/03 cerca de 51,44 % e 45,49 %, respectivamente (Tabela 2). A região de Lavras participou apenas com 3,07%, tendo maior participação nos meses de março, abril, maio, junho ,julho e agosto, justamente quando existe uma grande oferta de tangerina 'Ponkan' e goiaba, oriundas de plantios comerciais já em produção no município e região, uma vez que a banana, outra fruta de grande importância local, é comercializada praticamente o ano todo.

Nas avaliações realizadas no período de 2004/05 (Tabela 2), esta situação praticamente não se alterou, permanecendo valores da ordem de 51,51% e 44,19% de frutas, provenientes da CEASA-MG e CEAGESP, respectivamente.

No entanto, nesse período houve um aumento significativo em relação à participação das frutas provenientes de Lavras e região, chegando a 4,30%. Este valor representou um incremento de mais de 40% em comparação com o mesmo período de 2002/2003.

Considerando o município de Lavras com aproximadamente 80 mil habitantes, verifica-se um consumo per capita de frutas da ordem de 3,98 Kg/habitante/mês para o período 2002/03. Nas avaliações realizadas no período 2004/05, esse valor subiu para 4,68 Kg/habitante/mês. Esses dados projetam um consumo anual de 47,76 Kg/habitante e 56,16 Kg/habitante, respectivamente. São valores extremamente baixos se comparados com dados da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO), que registram 62,40 Kg/hab./ano no mundo, também considerado baixo. No Brasil esse valor é da ordem de 57,00 Kg/hab./ano, enquanto na Itália e Espanha, o consumo per capita é de 114,00 Kg/hab./ano e 120,00 Kg/hab./ano, respectivamente.

Em função do volume de frutas demandado mensalmente e das inúmeras vantagens comparativas e competitivas do município de Lavras, pode-se concluir que a implementação da atividade frutícola como fonte geradora de emprego e renda deve ser cada vez mais incentivada. Esse consumo mensal de frutas permite projetar um volume de, aproximadamente 4.500 toneladas/ano, conforme Tabela 1, o que equivale a uma ampliação da área frutícola em mais ou menos 300 hectares, gerando cerca de 900 empregos diretos no campo, proporcionando a movimentação de mais de 4 milhões de reais na economia local.

Neste contexto, o Programa para Desenvolvimento da Fruticultura no Município de Lavras - FRUTILAVRAS, criado em 1995 através da força da parceria de diferentes instituições, mostra o nível de acerto dos organizadores em apostar na fruticultura como uma grande alternativa para as pequenas propriedades rurais.

Hoje, a fruticultura já existe em escala comercial na região de Lavras. Frutas como maracujá, goiaba, uva, pêssego, ameixa, atemóia, banana e figo são amplamente produzidas e comercializadas. A criação da Associação de Fruticultores de Lavras, estimulou a produção e diversificação dessas frutas, culminando com a implantação de uma agroindústria apta a produzir polpas e doces, agregando valores nos produtos.

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

ALVARENGA, A. A.; ABRAHÃO, E.; FRÁGUAS, J. C.; ANDRADE, J. C. de; PEREIRA, L. V. Mercado de frutas em Lavras, MG. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE FRUTICULTURA, 18., 2004, Florianópolis. Anais... Florianópolis: UFSC, 2004. CD-ROM.         [ Links ]

ANDRADE, J. C. de; PEREIRA, L. V.; SANTOS, C. C. dos; FRÁGUAS, J. C.; ABRAHÃO, E.; ALVARENGA, A. A. Mercado de frutas em Lavras, MG. Lavras: Epamig/CTSM, 2003. 4 p. (Circular técnica, 161).         [ Links ]

FRUTIFATOS. A supremacia do granel: 98% preferem esta forma de aquisição. Brasília, DF: Ministério da Integração Nacional, 2003.         [ Links ]

FRUTILAVRAS. A fruticultura como alternativa de renda para o município de Lavras. Informe Agropecuário, Belo Horizonte, v. 18, n. 188, p. 57-60, 1997.         [ Links ]

 

 

(Recebido em 21 de dezembro de 2005 e aprovado em 2 de março de 2007)

 

 

1 Trabalho desenvolvido e financiado pela EPAMIG/CTSM - Lavras/MG.

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons