SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.18 issue11Performance of the local health system and contingent influences in Northeast-Brazil: breaking vicious and virtuous circlesSaúde e segurança no trabalho no Brasil: aspectos institucionais, sistemas de informação e indicadores author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Ciência & Saúde Coletiva

Print version ISSN 1413-8123

Ciênc. saúde coletiva vol.18 no.11 Rio de Janeiro Nov. 2013

https://doi.org/10.1590/S1413-81232013001100033 

RESENHAS BOOK REVIEWS

 

Ladas EJ, Kelly KM. Integrative Strategies for Cancer Patients. Singapore: World Scientific Publishing Co.; 2012

 

 

Pamela Siegel; Nelson Filice de Barros

Departamento de Saúde Coletiva, Faculdade de Ciências Médicas, Universidade Estadual de Campinas

 

 

 

O objetivo desta resenha é apresentar aos profissionais de saúde e pesquisadores da Saúde Coletiva o livro Integrative Strategies for Cancer Patients, das autoras Ladas EJ, Kelly KM. 1ª Edição. Singapore: World Scientific Publishing Co.; 2012.

Nos últimos cinco anos houve a publicação de vários livros nos EEUU tratando do tema da Oncologia Integrativa (OI)1-4. Esta última é um ramo da Medicina Integrativa (MI) que incorpora à medicina convencional as práticas complementares, com evidências positivas, classificadas em: práticas baseadas na biologia, técnicas mente-corpo, práticas de manipulação corporal, terapias energéticas e sistemas médicos tradicionais.

Em meio a estas publicações destacamos o livro intitulado Integrative Strategies for Cancer Patients5, composto de 304 páginas e que está dividido em cinco capítulos. As autoras enfatizam a importância do papel das Práticas Integrativas e Complementares (PIC) no tratamento do câncer e da comunicação do paciente com a sua equipe médica, incluindo aí o terapeuta complementar. Elas apresentam algumas práticas que em sua experiência e de acordo com as evidências e seus históricos foram úteis no apoio aos pacientes de câncer. São elas: aromaterapia, Medicina Tradicional Chinesa (MTC) e acupressão, chás, homeopatia, massagem, nutrição, reflexologia, suplementos nutricionais, visualização e yoga. Em cada capítulo sobre estas práticas há ilustrações e indicações sobre formas de uso. O capítulo primeiro explica o papel das PIC no tratamento do câncer. No capítulo II o assunto gira em torno da importância da comunicação do paciente com a equipe médica. A forma de usar o livro é delineada no capítulo III. As descrições das 10 terapias integrativas são apresentadas no capítulo IV, e no capítulo V estão listados 21 efeitos colaterais do tratamento convencional e como eles podem ser aliviados com as práticas mencionadas no capítulo anterior. Os sintomas abordados são: ansiedade e estresse, disfunção cognitiva pós-quimioterápica, constipação, depressão, diarreia, boca seca, fadiga, dor de cabeça, calores, supressão imunológica, insônia, perda de apetite, perda de libido, linfedema, mucosite; náusea e vômitos; dor; neuropatia periférica; queimaduras da radioterapia; falta de ar e retenção/incontinência urinária. No final do livro constam, também, 10 apêndices com índices, tabelas e quadros que funcionam como apoio ao texto.

O livro é bem escrito, de fácil leitura, e as autoras esbanjam conhecimentos e dicas práticas que ajudam o paciente a se organizar durante o longo percurso de seu tratamento oncológico. Por exemplo, o livro ensina o que fazer se o médico não quiser conversar sobre as PIC. O fato de elas se circunscreverem a um número limitado de práticas e sintomas torna o texto mais enxuto e didático. O paciente não corre o risco de se perder em intermináveis explicações e o tom do texto assume quase a conotação de uma agradável narrativa. O leitor atento terá a impressão de que nenhuma informação está sendo retida pelas autoras e que, com o afã de cuidar bem dos seus pacientes, elas transmitem tudo que sabem sobre cada tema, como se estivessem ao lado, durante uma longa consulta.

Sendo o livro um guia prático de estratégias integrativas, ele traz detalhes como, por exemplo, a exata quantidade de gotas aromaterápicas a serem usadas num banho, numa compressa ou inalação. Instruções não são poupadas na hora de recomendar ao paciente como comprar e estocar os produtos que irá usar durante o tratamento. Inclusive, as instruções são dadas de forma que um parente ou o próprio paciente possam preparar e aplicar algumas das técnicas. Esse detalhe procura enfatizar a autonomia e o empoderamento do paciente em consonância com uma das características das PIC. Destaca-se que o livro utiliza, entre outras, a aromaterapia, reflexologia, visualização e yoga, modalidades que não recebem tanta atenção nos demais livros.

Cada capítulo ilustra um caso resumido de um paciente, destacado numa impressão de fundo cinza. O quadro contém um plano terapêutico a ser utilizado para a queixa ou sintoma em questão: dados básicos sobre o paciente, como idade e o tipo de câncer, queixa principal; descrição do tratamento e os resultados. Algumas técnicas terapêuticas descritas remetem aos apêndices e, embora o plano terapêutico possa incluir duas ou mais técnicas terapêuticas, em cada capítulo há recomendações de uso das 10 PIC abordadas no livro para cada queixa ou sintoma.

Como exemplo, mencionamos o primeiro sintoma descrito: ansiedade e estresse, cujo plano terapêutico sugerido é constituído da combinação de aromaterapia, massagem e visualização, citando o caso de uma mulher de 58 anos com melanoma metastásico. Após a explicação sobre o que é a ansiedade e como ela é tratada pela medicina convencional e depois pela abordagem integrativa, há uma advertência, convidando o paciente a conversar com o seu médico sobre os benefícios e riscos das práticas. Um resumo dos riscos de cada prática integrativa é apresentado na Introdução do livro e, ao longo do subcapítulo, o texto traz as contribuições da aromaterapia, MTC e acupressão, chás, homeopatia, massagem, nutrição, reflexologia, suplementos, visualização e yoga para aliviar a ansiedade e o estresse.

Diferentemente dos outros livros mencionados anteriormente, o que este livro não se propõe é trazer todas as referências bibliográficas sobre as pesquisas que corroboram a eficácia das técnicas terapêuticas recomendadas, logo, o texto não proporciona material de pesquisa teórica, muito embora indique no apêndice I a lista das principais associações que respondem por cada prática integrativa nos EEUU. A força do livro reside precisamente no fato de ser um guia prático que permite ao paciente receber orientação, seguir um roteiro e encontrar o alívio para o seu sintoma.

Consideramos que o livro seja uma grande contribuição para a área das Práticas Integrativas e a da oncologia, podendo ser utilizado tanto pelo paciente como pelo profissional de saúde do Sistema Única de Saúde, já que as técnicas usadas, com exceção de algumas ervas medicinais, são universais.

 

Referências

1. Decker GM, Lee CO. Handbook of Integrative Oncology Nursing: Evidence-Based Practice. 1st Edition. Illinois: Oncology Nursing Society; 2010.         [ Links ]

2. Cassileth BR. The Complete Guide to Complementary Therapies in Cancer Care. 1st Edition. Singapore: World Scientific Publishing Co.; 2011.         [ Links ]

3. Forsythe JW. The Compassionate Oncologist. 1st Edition. Weymouth: Fix Bay Inc Publishing; 2011.         [ Links ]

4. Abrams D, Weil A. Integrative Oncology. 1st Edition. New York: Oxford University Press; 2009.         [ Links ]

5. Ladas EJ, Kelly KM. Integrative Strategies for Cancer Patients. 1st Edition. Singapore: World Scientific Publishing Co.; 2012.         [ Links ]

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License